26 de fevereiro de 2013

Sob os olhos do 'Comandante Supremo' Coréia do Norte realiza carga 'interminável' de artilharia

Líder supremo aparece manuseando arma em simulação de guerra do Exército da Coreia do Norte
Kim Jong-un demonstrou satisfação com aparatos de artilharia e prometeu modernizá-los para prevenir possíveis ataques inimigos
Líder supremo aparece manuseando arma em simulação de guerra do Exército da Coreia do Norte KCNA VIA KNS/AFP
Kim Jong-un verificou poderio da artilharia norte-coreana durante treinamentoFoto: KCNA VIA KNS / AFP
Em imagens divulgadas pela agência oficial de notícias da Coreia do Norte, o líder supremo do país asiático, Kim Jong-un, aparece em uma simulação de guerra conduzida pelo Exército local.
Segundo a KCNA, a ordem para realização do treinamento militar foi emitida pelo próprio herdeiro de Kim Jong-il e serviu para analisar a capacidade de fogo da artilharia de suas unidades. O governo norte-coreano não divulgou a data do evento.
Leia também:
Coréia do Norte adverte: em caso de manobra conjunta com a Coréia do Sul, EUA sofrerão 'derrota miserável'
Ele aprendeu sobre os programas de treinamento e a implantação de equipes com poder de fogo guiados pelo comandante do exercício militar antes de dar início à simulação. Após, presenciou o disparo de uma carga "interminável" de projéteis da artilharia contra "posições inimigas". Kim demonstrou satisfação ao conferir a precisão dos ataques, que deixaram os alvos em chamas, conforme a KCNA.
Foto: KCNA via KNS, AFP
O comandante supremo do Exército do Povo Coreano disse que acompanha a preparação de seus homens para uma possível batalha e pediu que todos estejam em alerta máximo à espera de ordens para um "ataque final". Kim sinalizou ainda com a modernização dos armamentos para que o país possa responder e prevenir as ameaças de inimigos.
Zero Hora/montedo.com

8 comentários:

Anônimo disse...

Vendo o bolo-fofo com a "espingarda" na mão, lembrei-me do Noriega que vivia se exibindo com um facão na mão, bancando o macho, até que os americanos foram lá no Panamá, botaram a mão nele que está curtindo até hoje uma bela duma jaula. Será que esse bobalhão tem noção do poderio americano? E a China que seria o seu parapeito, pelo tranco da carruagem, não está gostando nada das atitudes da Coreia do Norte. Enquanto isso lá, a fome continua matando.

Anônimo disse...

Pffff

Pra destruir a Coréia do Norte só é necessário os bombardeiros de alta altitude da USAF e alguns Boomers (submarinos lançadores de mísseis).

Sem artilharia e força aérea e com as principais fábricas do país destruídas começaria a invasão por terra.

Anônimo disse...

Sem falar que dentro do território da Coreia do Sul está minado de americanos. Ao certo não se sabe quantos, mas quando dizem que são 30.000, evidente que é muito mais e, o armamento que eles tem lá não deve ser só cassetete. As coordenadas já foram levantadas, é só mandar bala!

Anônimo disse...

Muitos por aqui, ao invés de ficarem escrevendo bobagens pró- "americana", demonstrando total desconhecimento de fato, do que realmente acontece e está por trás desse grande jogo de xadrez internacional, deveriam estudar ou pedir informações melhores para escreverem com algum embasamento.
Vamos aos fatos:
Alguns fatos!
- Ninguém atacará a Coréia do Norte
pelo simples fato de eles dispo-
rem de alguma capacidade nuclear.
Se atacados pela Coréia do Sul
e EUA, eles os Norte-Coreanos,
simplesmente pulverizariam com artefatos nucleares toda
a Coréia do Sul e os mais de
30 mil "americanos" por lá.
Morreriam é fato masssss 30
mil "americanos" mortos não seria
aceitável pelo povo dos EUA.
- A China, com certeza, intervirá,
como já interviu na guerra
da Coréia à favor da Coréia do
do Norte pelo simples fato de
jamais, em tempo algum, deixar
a Coréia do norte "morrer" e
ter em sua fronteira uma Pode-
rosa Coréia unificada e com
milhares de "americanos" com
armas nucleares em sua fron-
teira.
A Coréia do Norte é simplesmente um "tampão" entre a China e a Coréia do Sul capitalista e bases dos EUA em seu território.
Portanto parem de "molhar" a calcinha em relação aos "americanos" e estudem.
Ah sim! Estadunidense é quem nasce nos EUA e americano é quem nasce no CONTINENTE AMERICANO, do Alásca à terra do fogo.
Quem nasce na França é francês, na Alemanha é alemão e assim por diante, todos são EUROPEUS NASCIDOS NO CONTINENTE EUROPEU.
Abraços e estudem crianças. estudem!

Anônimo disse...

Ao comentarista de 26 de fevereiro de 2013 22:42:

Caramba! E eu que sempre achei que os gênios só existiam em estorinhas de quadrinho. Pois não é que eles existem de verdade? Quanta sabedoria, anônimo do horário acima citado Eu nem sabia que existiam tantos países no mundo! Nem que eu estude 100 anos ininterruptamente,não vou ser tão sábio "como tu". Sábio e metido a brabinho. Fiquei impressionado com os teus conhecimentos. Nem vou dormir essa noite ... Mas a verdade é que você deve ser um daqueles "inteligentíssimos" assessores bolo-fofos, com umas baitas bochechas, aqueles bundões que são pagos para recorrerem os blogs não alinhados com mensaleiros, só para destilarem o seu "poderoso" veneno. Mas vá te catar rapaz!

Anônimo disse...

Desculpe meu amigo se magoei você!

Anônimo disse...

Ao anônimo dos 22:42

Bem, pelo visto quem precisa estudar é você.

Explico: O Iraque antes da Guerra do Golfo era um dos países com as melhores forças armadas do mundo. Dispunha de equipamentos militares modernos. Forças armadas estas que, após uma série de ataques dos B-2 dos EUA tiveram suas defesas AA e artilharia completamente destruídas. Em pouco tempo o Iraque afundou.

A Coréia do Norte possui armas nucleares. Isso é fato. Mas... eles poderiam lançá-las? Até poderiam SE os EUA não tivessem seus boomers ou bombardeiros de alta altitude que da noite para o dia destruiriam a maior parte de seu aparato militar/industrial.

A China intervirá? Não sei, mas duvido. A China não é párea aos EUA ainda. A Rússia? O único país capaz de transformar terras yankees em pó, mas o contrário também é verdade.

A CdN tem forças armadas numerosas mas obsoletas.

Anônimo disse...

Agora, meu amigo, vc falou com alguma base. Concordo com sua opinião mas havemos de convir que para os EUA a "empreitada" seria arriscada e poderia custar caro, muito caro para eles em material e parte humana.
Sofreriam grandes estragos, quase certeza. E a China, vendo pela geopolítica, acho que interviria sim, caso contrário terá na sua fronteira uma Coréia unificada, rica, forte e......capitalista. Isso já aconteceu, mais de 1 milhão de soldados chineses entraram na luta e empurraram para o sul as forças da ONU/Coréia do Sul durante a guerra da Coréia e, quanto as armas nucleares ninguém as usará porque sabem para onde isso levaria o mundo.
Abraço!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics