7 de fevereiro de 2018

Forças Armadas e polícias fazem operação na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro

Espaço aéreo está sendo controlado e aeronaves civis têm restrições de circulação, mas não há interferência nos aeroportos
Não há relatos de confrontos (Foto: Ouvinte Marcos Braga/BandNews FM Rio)
Thaiana de Oliveira, da BandNews FM
Agentes das Forças Armadas, da Força Nacional e das polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil e Militar realizam uma operação, nesta manhã de quarta-feira (7), na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e em outras áreas estratégicas da Região Metropolitana, como os acessos à BR-101, em São Gonçalo, e o Arco Metropolitano.
Até o momento não há relatos de confrontos na região.

População relata rotina de guerra no Rio
Por causa da ação, o espaço aéreo está sendo controlado e aeronaves civis têm restrições de
circulação. Não há interferência nas operações dos aeroportos.
Na semana passada, a Linha Amarela, uma das principais vias expressas da Capital fluminense, foi
fechada em dois dias consecutivos, por causa de tiroteios entre policiais e bandidos.
Desde dezembro, moradores denunciam que o chefe do tráfico de drogas da comunidade, Edvanderson Gonçalves Leite, conhecido como Deco, voltou para a favela após ser beneficiado por um habeas corpus.
Em janeiro, mais de 500 tiroteios foram registrados, a maior parte deles na Cidade de Deus.
BAND/montedo.com

4 comentários:

Anônimo disse...

E na porra da Kelsons ? Não vão tocar o zaralho não? A Marinha com seus Almirantes Golas brancas vão engolir a humilhação feita pelos traficantes ? Vossas Excelências não são tão orgulhosas ? Pra cima deles porra!

Anônimo disse...

E Nada... Nada... Nada vai acontecer... Nada...

Anônimo disse...

Na minha infância e adolescência, área militar era respeitada e todos sabiam que, se tentasse invadir ou atirar em sentinelas, era tiro certo e certeiro de volta. Hoje os militares precisam pedir permissão ao presidente para atirar de volta em bandido? Lembro de um soldado meio destrambelhado que servia na mesma unidade que eu. De serviço em uma estação de radar, no meio do mato, com muro alto, muito visado por bandidos para roubarem as armas e materiais. Assaltantes subiram no muro e tentaram invadir. O primeiro que colocou a cabeça no muro foi recebido com tiro de pistola, dado pelo soldado. Foi um Deus nos acuda, pois os chefes achavam que ele não deveria ter atirado se o cara não estava dentro do terreno. Será que seria melhor ele ter levado um tiro para depois reagir?

Anônimo disse...

Resultado da operação: foram apreendidas duas garruchas, uma faca de manteiga e um copo de geléia rachado.
Custo da operação: 4 milhões de reais.
Homens empregados: 3.500.
Cara de otário do cidadão contribuinte: não tem preço.
Braço forte, mão amiga (de quem?)

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics