6 de agosto de 2017

Militares se rebelam no norte da Venezuela; governo diz que foram rendidos


Do UOL, em São Paulo 
Um grupo de militares na base militar Forte Paramacay, no norte da Venezuela (cerca de 180 km de Caracas), promoveu um levante neste domingo (6) contra o governo de Nicolás Maduro. Segundo o dirigente chavista Diosdado Cabello, o grupo foi rendido por outros membros das Forças Armadas. Cabello é vicepresidente do partido do governo de Nicolás Maduro e membro da Assembleia Constituinte. Ele chamou os rebeldes de "grupos terroristas mercenários". O grupo é formado por integrantes de tropas ativas de diferentes componentes dos corpos de segurança da Venezuela, entre eles policiais.

Em um vídeo, um grupo de aproximadamente 20 homens usando uniformes militares e armados acompanham um porta-voz que se identifica como "capitão Juan Caguaripano" e "comandante da operação David Carabobo", que afirmou se declarar "em rebeldia" contra "a tirania assassina de Nicolás Maduro". Além disso, ele ressaltou que não se trata de um "golpe de Estado". Caguaripano disse que o grupo reconhece a Assembleia Nacional como poder público, mas exigiu que se reconheça a vontade do povo de "livrar-se da tirania e que honre a memória de jovens [...] que, com escudos de papelão, [...] ofereceram suas vidas para ensinar um povo a derrotar o medo".
"Senhores da Assembleia Nacional, já passou o tempo de pactos e acordos ocultos entre tiranos e traidores. Necessitamos de políticos honestos", acrescenta.

Caguaripano termina o vídeo exigindo formação imediata de um governo de transição e eleições.
Caguaripano também diz que qualquer unidade que se recusar a seguir sua convocação de rebelião seria declarada um alvo militar.
Segundo Remigio Ceballos, comandante estratégico operacional da Força Armada Nacional, sete militares foram detidos.
Na manhã deste domingo, por volta das 5h, horário local, houve registros de enfrentamentos e disparos no interior da base militar Forte Paramacay. Os rebeldes também espalharam panfletos durante a madrugada em que afirmavam estar em rebeldia contra o governo de Maduro. Os panfletos trazem instruções para a sociedade civil impedir qualquer ataque do governo nacional.
O termo "operação David" foi o nome dado pelos rebeldes para o plano de tomar o Forte Paramacay. Os rebeldes deixaram uma mensagem aqueles que se decidirem se manter fiel à "tirania": "Considere-se um objetivo militar e assuma as consequências".
No vídeo, os militares pedem apoio popular. Após sua publicação, houve registros de moradores que saíram às ruas em apoio aos militares rebelados.
UOL/montedo.com

11 comentários:

Anônimo disse...

Nunca poderemos esquecer, como a Venezuela também não esquecerá este período de trevas, que partidos políticos brasileiros PSOL, PT, PC do B, e outros, apoiaram esta ditadura assassina deste maduro. Então a democracia para eles é isso?

Marcelo Carvalho disse...

A Folha decidiu chamar o governo Venezuelano de ditadura a partir de ontem... Santa ingenuidade, Batman.

Anônimo disse...

o que segura e sustenta o regime de Nicolas Maduro é o apoio das Forças Armadas Venezuelanas. O dia em que eles não quiserem mais, ele cai. O mesmo se pode dizer sobre o Brasil, o Gen VilasBoas, já deu diversas declarações sobre a situação politica no pais, dizendo que há solução esta na constituição.

Anônimo disse...

Cavalaria sempre. Defende o povo. Contra a tirania do comunista. Pelos poucos noticiários até o momento há som de tiros.

Anônimo disse...

Lá os militares tem coragem de fazer valer os direitos da constituição e lutam para isso. Diferente daqui que só ficam reclamando e chorando e nada fazem...

Walcyr Oliveira disse...

Lula e Dilma tem muita participação neste caos que se transformou a Venezuela, pois financiou com o nosso dinheiro esta ditadura maldita!

Anônimo disse...

Tudo culpa das esquerdas que só querem lascar o povo ignorante.

Aqui já estava virando uma venezuela.

Essa gente não vão pagar não !!! Ou só quando encontrarem o capetão no inferno !

Anônimo disse...

O que ninguém fala da Venezuela, estive há coisa de 20 dias atras nesse país. A população está querendo democracia, eleições livres e tudo o mais, o que todos concordamos. O país importa tudo. Com a crise do petróleo as dificuldades econômicas levaram o país ao estado de insurgência que se encontra. Somente um golpe militar para restituir a ordem é fazer a transição no país. Mas vamos ao que importa, os venezuelanos pagam R$ 0,07 centavos por litro de gasolina, uma taxa de energia elétrica, uma taxa de propriedade de imóvel, impostos baixíssimo, ou seja são felizes e ainda não sabem. Conversando com brasileiros na fronteira que transitam dos dois lados, eles falam que o modelo dos democratas venezuelanos e copiar o modelo economico brasileiro. Que Deus os ajude.

Anônimo disse...

Este cidadão é na verdade ex-militar, foi expulso no ano de 2014 da Guarna Nacional Venezuelana e virou clandestino, sequer militar é. O vídeo é fake, foi uma tentativa de levante usando uma identidade falsa.

Anônimo disse...

Seu pangaré...do que adianta imposto baixo e não ter qualidade de vida....EUA .... Canadá.... é tudo alto os impostos....o Brasil chega lá um dia

Anônimo disse...

Pelo visto o amigo não deve ter saído de Nova Iguaçu, e está confundindo com Nova Yorque. Eu estive nos EUA e o IVA, vou traduzir para você, pois com certeza você não sabe, imposto de valor agregado, e de 8%. No Canadá eu não posso falar pois ainda não fui, mas ainda irei, e quando for eu te aviso.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics