3 de junho de 2017

“Já carrego a dor de ter perdido um filho. Não fará diferença ser preso ou não por denunciar o MP”, diz subtenente do Exército que perdeu um filho na tragédia da boate Kiss

O subtenente do Exército Sérgio da Silva, que perdeu um filho no incêndio da Boate Kiss e preside a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria, vive uma situação absolutamente surreal: enquanto nenhum dos responsáveis pelas mortes está preso, ele corre o sério risco de ir parar na cadeia por denunciar o Ministério Público.




COMPORTAMENTO
A segunda tragédia da boate Kiss
Diante do que se vê na cidade de Santa Maria, Franz Kafka parece amador: os pais das vítimas é que estão sendo processados pelo Ministério Público, enquanto os responsáveis pelo incêndio que matou 242 jovens seguem impunes

Thais Skodowski
“Já carrego a dor de ter perdido um filho. Não fará diferença ser preso ou não por denunciar o MP” Sérgio da Silva, pai de Augusto
A Boate Kiss continua fazendo vítimas, mas o fogo no qual ela ardeu em 2013, matando queimados, pisoteados e sufocados 242 jovens, atende agora pelo nome de impunidade. Pior: num emaranhado de processos tão absurdos que fariam de Franz Kafka um amador, pais de mortos é que estão sendo processados, e isso porque reclamam que, ano após ano, ninguém é responsabilizado pela tragédia que traumatizou para sempre a cidade gaúcha de Santa Maria. Amargando um luto que se revela em dor, indignação e sentimento de impotência, Paulo Carvalho (pai de Rafael, morto aos 32 anos), afirmou à ISTOÉ: “Por meu filho, que não se acovardou naqueles momentos terríveis, nunca calarão a minha boca”. Quem quer calá-lo? Por mais incrível que possa parecer, justamente dois promotores que deveriam estar empenhados em aplicar a lei àqueles que sabiam que a boate funcionava em condições precárias de segurança. Imagine a angústia de perder um filho de forma tão doída e cruel e estúpida como são as mortes em todos os incêndios. Agora imagine essa angústia somada à revolta por responder a um processo somente porque se pleiteia que seja feita justiça. Assim vai vivendo e sofrendo Paulo, processado por calúnia e difamação pelos promotores Joel Dutra e Maurício Trevisan. Paulo declarou que há corporativismo e protecionismo no Ministério Público, e que a instituição não se moveu contra servidores municipais indiciados pela polícia. Para seus acusadores, no entanto, o arquivamento parcial do inquérito contra tais funcionários foi a decisão acertada. “É uma indecência”, revolta-se o pai, que aguarda sentença de um juiz em seu processo até o final desse mês.
“Eu me sinto marginalizado, sou execrado por uma instituição que deveria zelar pelo cidadão” Flávio Silva, pai de Andrielle“Eu me sinto marginalizado, sou execrado por uma instituição que deveria zelar pelo cidadão” Flávio Silva, pai de Andrielle





O fogo e o gelo
Ele não está sozinho nesse absurdo espetáculo no qual se vê representantes do MP, uma da mais fundamentais instituições na operação do direito, movendo processos pelo avesso. Sérgio da Silva e Flávio José Silva, presidente e vice-presidente da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria, também estão sendo processados. Por quem? Pelo promotor Ricardo Lozza, que acompanhou um dos inquéritos sobre a boate Kiss, antes do incêndio, uma vez que ela estava denunciada por poluição sonora. A denúncia procedia, e o próprio Lozza foi quem chegou a tal conclusão. Ele denuncia Sérgio (pai de Augusto, 20 anos) e Flávio (pai de Andrielle, 22 anos) também por calúnia, responsabilizando-os pelos cartazes nos quais há sua foto acompanhada da frase: “o Ministério Público e seus promotores também sabiam que a boate estava funcionando de forma irregular”. Vamos supor que haja exagero nessa formulação. Pois bem: entender eventuais exageros que brotam de corações dilacerados como são os desses pais e mães pode não ser dever de ofício de um promotor, mas com certeza é sua obrigação humanitária, como membro da instituição. Pais e mães que viram seus filhos e filhas saírem alegres de casa naquela fatídica noite de 26 de janeiro e só foram revê-los deformados pelo fogo no gelo das mesas do Instituto Médico Legal. “O promotor Lozza tinha conhecimento de que a boate Kiss funcionava irregularmente desde 2009, mas nunca tomou nenhuma providência”, disse Flávio à ISTOÉ. “Eu me sinto marginalizado, sou execrado por uma instituição que deveria zelar pelo cidadão”.


48PELA INSTITUIÇÃO Os promotores Joel Dutra (à esq.) e Maurício Trevisan: “não existem corporativismo nem protecionismo no Ministério Público”

PELA INSTITUIÇÃO 

Os promotores Joel Dutra (esq.) e Maurício Trevisan: “não existem corporativismo nem protecionismo no Ministério Público” (Crédito:Fernanda Ramos/Agência RBS)
Já culparam até os mortos
O Ministério Público ofereceu um acordo aos pais processados que, de tão exigente, só podia mesmo não ser aceito. A proposta envolvia o pagamento de um salário mínimo, doações de cestas básicas a casas de caridade e retratação pública. Para aí? Não. Os pais teriam a obrigatoriedade de se apresentarem à Justiça a cada três meses, como se fossem egressos de uma penitenciária, em cumprimento de liberdade condicional. E isso ao longo de dois anos. “Para mim, que carrego a dor de ter perdido um filho, não fará diferença ser preso ou não por denunciar o MP”, diz Sérgio. Defendendo-se do processo movido por Lozza, os dois pais requisitaram à Justiça o direito à exceção da verdade (provar que estão falando a verdade), mas vinte desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul rejeitaram o pedido. Ou seja: é quase certo que o destino de Flávio e Sérgio já esteja selado: sentença condenatória. Igualmente por calúnia, acrescida de difamação e falsidade ideológica, está sendo acionada judicialmente Irá Marta Beuren (mãe de Silvio Bauren Junior). Quem a processa é o promotor aposentado João Marcos Adede y Castro, e seu filho, o advogado Ricardo Luís Schultz. Ela denunciou uma situação que achou, no mínimo, estranha: Ricardo tornou-se advogado da Kiss após a aposentadoria do pai, que atuava ainda na promotoria quando a boate começou a ser investigada pelo MP antes do incêndio, por outros motivos. Até agora respondem pela tragédia dois proprietários da casa e dois músicos da banda que se apresentava naquela noite (aguardam julgamento em liberdade). Pelo andar das coisas, porém, é capaz que sobre mesmo tudo para os pais que protestam contra a impunidade. Pouco a estranhar em um caso no qual até os próprios mortos já foram informalmente acusados de serem culpados, uma vez que estariam consumindo bebida alcoólica e por isso não conseguiram sair da boate. É surreal. E, como se disse, faz de Kafka a pessoa mais lógica do mundo.

O incêndio na Justiça
Nenhum dos indiciados na tragédia que matou 242 pessoas está preso
ISTO É/montedo.com

26 comentários:

Anônimo disse...

Essa justissa brasileira é a mais corrupta e bandida das instituições! A justissa militar é uma piada nacional com o erário!

Anônimo disse...

Quero deixar o meu apoio ao caro colega Sérgio da Silva e dizer que se vivêssemos num país onde as pessoas que são acusada da culpa de cometerem crime contra a população em nome da honra deixariam seus cargos para defender sua inocência, infelizmente é totalmente ao contrário o juízes são premiados, o prefeito recebe cargo de secretário e continua matando mais pessoas porque continua sendo um incompetente e assim segue no país e no estados dos bananas, meu amigo saiba que este judiciário corrupto não apagara a chama de sua luta continuem lutando para que no futuro possamos dizer lutar vale a pena mesmo que muitas vezes sejamos derrotados por estes medíocres que se apoderam do sistema e ainda se dizem que são vítimas invertendo totalmente a situação não desistam meus irmãos de santa maria não desistam não deixem esquecer a voz dos seus filhos e saibam que Deus o estará guiando nesta batalha contra estes homens indignos de seus cargos, força S Ten Sérgio da Silva.

Anônimo disse...

Quando se formulou a CF/88, praticamente se confiou o funcionamento de todas as instituições à vigília dos operadores do direito. O que aconteceu? Criou-se uma ditadura de togados, que usam a lei conforme a conveniência - vide absurdos que aparecem diuturnamente na mídia. Pobres pais das vítimas daquela tragédia.

Anônimo disse...

Por isso sempre digo a familiares e amigos, o Brasil acabou !!!!!!
Este país tinha de tudo para dar certo, podemos até dizer que é um verdadeiro paraíso na terra, porém não deu certo e a culpa é exclusiva deste povo medíocre.
A terra certa para o povo errado !!!!!

Anônimo disse...

Mas o MP não é o bastião da honestidade e correção. Os infalível que só dizem a verdade? Se é isso? Não há do que reclamar. Como gostam de dizer: um crime não elimina o outro. Que o MP seja glorificado em toda a sua santidade.

Anônimo disse...

Promotores Joel Dutra e Maurício Trevisan, contem outra piada! Dizer que não existe corporativismo é estar brincando com o povo brasileiro; pior ainda, é chamar brasileiros de BURROS. Podem até prender o subtenente, mas vai ser uma coisa IMORAL. No Brasil, só se prende o cidadão de bem. Há um incentivo para que seja marginal neste país e isto tem de acabar. VERGONHA! ...

Paulo, RJ.

Anônimo disse...

Que Deus proteja essas famílias dessas brutalidades que estão passando e que o Juiz possa dar ganho de causa ou absolve_los. ..no nosso país é assim mesmo, mexer com gente importante acontece isso mesmo infelizmente. ..quem sabe aparece um MORO por ai e os ajude.

Anônimo disse...

Isso é Brasil! Terra de bananas!

Anônimo disse...

Estamos perdidos! Políticos corruptos; justiça corporativa; chefes covardes...Só por Deus mesmo!

Anônimo disse...

Todo o apoio ao Sub Ten Sérgio da Silva que luta por justiça. O mal não prevalecerá!

Anônimo disse...

Forças ao companheiro. tem fé em Des. Este é uma Brasil onde os valores são invertidos. O meu colega Oficial QAO tem um irmão que nunca quis nada com nada na vida, ficou toda vida na farra e orgia, e teve avc, ficou cego e na cadeira de rodas. Agora a cunhada entrou na Justiça pedindo pensão alimentícia para os filhos, sobrinho do QAO, alegando que o cunhado é oficial e conseguiu. Absurdo isto. Revolta total.

Anônimo disse...

Nem todo promotor é paladino da justiça como querem parecer. Posso falar por experiência própria: há alguns anos apresentei uma notícia-crime no Ministério Público Militar por falsificação de documento, e no Ministério Público Federal por abuso de autoridade, contra um comandante déspota, criminoso e muito possivelmente corrupto, mas... como em ambos os órgãos os promotores eram maçons, assim como esse comandante, a notícia-crime não deu em nada, não houve nem uma simples averiguação dos fatos narrados. Inclusive, esse comandante ganhou uma medalha, LOGO EM SEGUIDA À NOTÍCIA-CRIME, do Ministério público Militar... esse comandante logo estará sendo promovido à General, e eu continuo como Subtenente, depois de quatro vezes no quadro de acesso. Como confiar numa instituição dessas?

Anônimo disse...

Sejam bem-vindos ao Brasil, um projeto de país!

Anônimo disse...

O que domina o país são interesses dos poderosos e o poder financeiro. As leis são apenas para os mais pobres e impotentes... mas ela vingará no final.Acredito nisso.

Anônimo disse...

Servi como o Subtenente Sergio Silva e o conheço bem, servíamos
na mesma companhia, no 29ºBIB. Após o incêndio na boate Kiss e todo esse imbróglio envolvendo o nome do presidente e vice-presidente, não havendo mais perspectiva da justiça ser feita, aconselhei o mesmo a buscar reparação através da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República(aonde fui vinculado)no qual está sendo feito.Sergio Silva se queixou pra mim, que muitos militares de carreira, evitam lhe cumprimentar e até mesmo quando o ver na rua mudam o itinerário. Todo esse procedimento é para evitar polêmicas ou até mesmo prejudicar o dito "conceito profissional" do militar que não quer cumprimentar o Sergio Silva.
Quem dúvida da amizade com o Subtenente que está sendo denunciado, visita meu facebook e para aqueles que dizem que me conhece que sou "embusteiro" e por ai vai, por favor não vocifera sem saber dos fatos concretos, e não usa do anonimato.

Mendes Visqueira, " lenda do 29º BIB"


Anônimo disse...

https://falandoverdades.com.br/2017/01/13/em-plena-crise-desembargadores-ganhando-mais-de-300-mil-por-mes-dentro-da-lei/

São os mais corruptos e ainda sangue azul! Só no brasil mesmo!

Anônimo disse...

Muito triste está situação! Ver pessoas que fazem crimes terríveis e continuam soltos ... livres totalmente ... agora ver um pai destroçado pela tristeza de perder o filho ser preso!!! Realmente só posso crer que no Brasil o Diabo venceu! Também se percebe o medo de todos até de comentar sobre o fato, face aos poucos comentários e da mídia não mostrar nada!!!

Magno disse...

Essa é a ditadura do judiciário!

Anônimo disse...

Pjm é uma piada de mau gosto!

Anônimo disse...

Senhores temos que lutar para tirar o poder da mão destes politicos, juizes, generais corruptos que estão matando o país, pois só pensam em si, temos que pedir o para este judiciário corrupto e omisso a defender a população e não o seus interesses pessoais, no rio grande do sul ninguém pediu a renuncia do governador corrupto por nomear um secretário de segurança que foi culpado pela morte de 242 pessoas sem responder por nada e segue sendo aclamado onde via como homem de bem enquanto as pessoas afetadas até hoje não recebem nem um apoio nem o reconhecimento pela sua luta ou mudamos o Brasil ou afundamos com ele e fica a aqui um frase dos anos da redemocratização que nunca houve no Brasil pois ficou cade vez pior "Brasil Ame-o ou deixo-o" tem que ir para luta para acabar com estes corruptos desonestos que se apoderam em prol de seu direitos, cade o juiz do caso bernardo que foi condescendente como os criminosos, SÉRGIO CONTINUE LUTANDO ESTAMOS CONTIGO SAIBA QUE NÃO ESTÁ SOZINHO NESTA LUTA UM ABRAÇO acredite em DEUS este é o juiz Maior.

Anônimo disse...

A justiça no Brasil, assim como o resto das instituições é um LIXO!!!!

Anônimo disse...

As leis, nesse bananistão lixo, são interpretadas de acordo com a conveniência. Vide impeachment da Dilma, em que lhe preservaram os direitos na "cara dura". Não me venham com essa de que o MP é o bastião da justiça porque não é. Aliás, deve estar bem longe disso. O subtenente e os demais tentaram ir contra o sistema, estão sofrendo o revés. Tomara que não desistam.

EM TEMPO: O principal pilar dessa baderna judiciária que vemos no dia a dia, é essa CF/88, que além de ser uma constituição dúbia, só da direitos pra quem anda errado.

Anônimo disse...

Admiro este homem! No Brasil nada funciona, quem puder deve ir embora o quanto antes.

ergio da silva fernandes disse...

Justiça brasileira,politicos,ja estão todos sem credibilidade,eles parecem que são os donos da verdade, mas eles esquecem da justiça divina que demora mas não tarda.

Anônimo disse...

Força companheiro Sérgio, que deus te ilumine, o MP está cada vez pior.

Anônimo disse...

A Maria da Penha também não teve seus direitos reconhecido aqui no Brasil. Quando foi feito recurso na Corte Internal de Direitos humanos a situação mudou. Graças a garra de coragem de lutar contra os gigantes como fez Davi hoje no Brasil existe a "Lei Maria da Penha" para proteger a mulheres que vivem situações semelhantes... CORAGEM E FE EM DEUS!!!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics