11 de maio de 2017

O Sistema de Proteção Social dos Militares das Forças Armadas e um texto interessante

Artigo de um leitor do blog. Leia, interprete, pondere e comente.
Resultado de imagem para Sistema de Proteção Social dos Militares das Forças Armadas
Muito se tem falado a respeito da necessidade de se incluir os militares na reforma da previdência dos servidores públicos civis e cidadãos regidos pela CLT. E muito se tem falado também do tal Sistema de Proteção Social dos Militares das Forças Armadas.
Vejo muito marketing institucional sobre o tal sistema de proteção social, basicamente, enaltecendo que vários benefícios concedidos aos civis (carga horária limitada à 8 horas diárias, hora-extra/banco de horas, adicional noturno, insalubridade, periculosidade, FGTS etc) não são extensivos aos militares. Verdade! Mas, a meu ver, essas questões dão margem a refutações para quem está contra as Forças Armadas manterem um regime diferenciado, p.ex. FGTS também não é direito dos servidores públicos civis, assim como vários servidores civis recebem por subsídio e não contam com adicional de insalubridade ou periculosidade, p.ex. PRF e PF.
Não vejo muita eficiência no uso de argumentos emocionais e abstratos ao grande público (mencionar "Sistema de Proteção Social dos Militares"), acho que as Forças Armadas deveriam se contrapor às mudanças barganhando alguns benefícios que são desnecessários hoje, p.ex. a contagem de tempo fictício de serviço para quem serve na fronteira categoria “A” (art. 137, inciso VI do Estatuto dos Militares) e a pensão vitalícia para as FILHAS de militares mesmo daqueles(as) que optaram por contribuir com 1,5% do soldo a partir de 2001. Esta última opção por certo já reduzirá em muito no futuro – obviamente que só se aplicaria para quem não recebe ainda a pensão, pois quem já recebe já teria o direito garantido – o número de potenciais pensionistas filhas dos militares que ainda estão em serviço e daqueles que estão na reserva e ainda não faleceram.
Na discussão da possível reforma previdenciária no tocante aos militares eu ainda não vi nenhum marketing institucional abordando, por exemplo, as seguintes questões para a sociedade refletir:

1- À sociedade seria vantajoso ter um militar (ou policial), que é um profissional que deve ter higidez física acima da média do trabalhador comum - ao menos é o que se espera – atuar na segurança da sociedade com idade avançada de 55 ou 60 anos de idade (avançada para tal atividade)? Acho que a resposta certamente seria não, pois acho que assim como um cidadão não teria plena confiança na eficiência de um guarda costas ou vigia armado de 55 ou 60 anos de idade caso pudesse contratar um, também não poderia achar eficiente um serviço de SEGURANÇA ESTATAL (Forças Armadas e Polícias) ser realizado por cinquentenários ou sexagenários! Por favor, não tomem como exemplo as idades dos Coronéis e Generais que ainda estão na ativa, pois estes exercem atividades de direção e gerenciamento, não executando as atividades operacionais desgastantes. Atenham-se as atividades executadas pelo grosso da tropa, os de graduações e patentes mais baixas que são os que realmente se desgastam fisicamente.

2 – Em que pese haver militares que trabalhem na burocracia (é atividade meio, não é atividade fim), existem muitos outros que trabalham em atividades operacionais que causam grandes desgastes físicos e emocionais ao extremo – não estou excluindo e/ou menosprezando os operacionais ‘convencionais’, apenas destacando os que são mais operacionais – tais como: mergulhadores de combate (GRUMEC), paraquedistas, infantaria de selva, pilotos de combate (aviões de caça e helicópteros), grupos de forças especiais, grupos de ações de comandos do Exército e da Marinha (vulgo, “faca na caveira”), grupos de resgates que atuam inclusive em apoio à sociedade civil quando há quedas de aviões civis em áreas de difícil acesso por via terrestre (p.ex. grupo PARASAR da FAB atuou por ocasião da queda do avião da GOL em 2006). Todos esses militares não deveriam ter um tratamento igual ao de um servidor civil que tem hora para entrar e hora para sair e cujo risco máximo que corre na repartição pública em que trabalha é derramar café quente sobre o corpo ao tropeçar num carpete mal colocado sobre o piso da repartição pública ou prender o dedo na tampa da máquina de fotocópia. Seria justo um militar das forças especiais das Forças Armadas ter a obrigação cumprir o mesmo tempo de serviço que um servidor civil da União que, por exemplo, trabalha tomando conta de documentos no Arquivo Nacional?

3 – Outra questão relevante para se analisar e comparar é que no Regime Geral de Previdência Social (RGPS), ou seja, o regime previdenciário ao qual é vinculado o cidadão comum regido pelas regras da CLT, existe a figura da aposentadoria especial em que o trabalhador se aposenta aos 25, 20 ou 15 anos de serviço, a depender do maior ou menor grau de desgaste ou exposição a riscos químicos, biológicos, radiológicos ou ruídos. Citarei alguns exemplos de profissões que fazem jus à aposentadoria especial com 25 anos de serviço:
- Motorista de caminhão-tanque; motorista de ônibus; motorista de caminhão; eletricitário; piloto de aeronave (e tripulação); radiologista; enfermeiro; médicos; marceneiro; serralheiro; soldador; pintores à pistola; vigilante patrimonial; escolta armada; frentista; marítimos; trabalhador de posto de abastecimento de aeronaves; trabalhadores que trabalham com explosivos e verificação de detonações falhadas; trabalhadores da construção civil; operador de escavadeiras; engenheiro-químico, engenheiro metalúrgico; engenheiro de minas; técnicos em laboratórios químicos.
Verificando a relação acima, podemos identificar nela várias atividades – fiz questão de listar as mais comuns nos quartéis – que, além de serem executadas pelo civil, também fazem parte da realidade laboral dentro caserna. Ressalto, ainda, que várias delas também são executadas por bombeiros militares e em algumas polícias militares. Portanto, de acordo com a legislação vigente hoje os militares que ficam expostos às mesmas condições insalubres ou perigosas que os civis tem que trabalhar 5 anos a mais (total de 30 anos) do que seus assemelhados civis e ainda querem aumentar o tempo para 35 anos, ou seja, 10 anos a mais!

4 – Em sendo aceita a ideia de se aumentar o tempo de serviço dos militares – e policiais em geral – haverá um sério efeito colateral à eficiência dos recursos humanos nas atividades fins das forças de segurança, qual seja, um efetivo ‘velho’ que tenderá a aumentar dentro dos quartéis e delegacias ‘represando’ a entrada de integrantes mais jovens, pois para haver concurso os mais velhos terão que se aposentar primeiro para liberar mais vagas e, portanto, a renovação do efetivo ocorrerá em intervalo de tempo maior. É possível que cheguemos ao ponto de vermos uma parcela considerável do efetivo composta por cinquentenários ao passo que, inevitavelmente, aumentará a carga de trabalho sobre as costas dos mais jovens, pois alguém duvida que um Comandante ou Delegado de Polícia tenderá a delegar as atividades mais arriscadas e operacionais aos militares e policiais mais jovens? Nem estou considerando neste cenário a quantidade de militares e agentes policiais que possivelmente entrarão em licença médica por conta da idade/desgaste. Então chegaremos ao ponto em que teoricamente os quadros de pessoal estarão completos (pelo critério meramente estatístico), porém a força de trabalho efetiva disponível (com a higidez que se requer dos agentes da área de segurança) estará aquém do que a sociedade necessitará devido à relativa idade avançada dos integrantes das respectivas forças de segurança, sejam militares das Forças Armadas, bombeiros ou policiais.

Enfim, antes de opinar sobre assunto, considere você, cidadão, que a segurança pública é um serviço estatal cuja eficiência está diretamente relacionada à maior ou menor capacidade física (higidez) dos seus agentes para fazer sim o uso legítimo da força física (ou violência, como queiram) quando necessário e, para tal, quanto mais velho for o agente do estado, pior será o serviço prestado!

28 comentários:

Anônimo disse...

Putz! É por isso que perdemos tudo! Texto bem montado, com a seguinte mensagem: aceitem perder os anéis para não ficar sem os dedos! Enquanto outras categorias vão lá e metem o dedo na cara dos relatores da proposta e não perdem nada! E nossos representantes o que fazem? Ficam com textinhos no estilo "aceitem que dói menos"! Estamos a deriva.

Anônimo disse...

Parabéns.
Excelente explicação. O ideal é enviar aos nossos Chefetes, e para os e-mails dos parlamentares, bem como para o Ministro da Defesa.

Anônimo disse...

Enquanto isso, os DIGNOS MILITARES BRASILEIROS, na maioria do seu efetivo, foram levados a viverem na M com a pior remuneração do funcionalismo público, devido à SUBMISSÃO por parte de uma classe política corrupta, revanchista e com a OMISSÃO dos Comandantes Militares. Ainda chamam de CRISE os ROMBOS dos cofres público da nação, cometidos pelos políticos ladravazes, cínicos e mentirosos; e o que é pior, tudo isso, com os sacrifícios financeiros impostos a classe militar. Veja a famigerada MP 2215 (LRM), que usurpou direitos dos militares e seus pensionistas, que está enterrada nos porões do Congresso há mais de 15 anos, levando a perda do poder aquisitivo da classe em torno de 60%. Veja também, as correções MESQUINHAS de salários, como se fosse um cala-boca, sem contemplar os guardiões da nação com uma correção JUSTA, IGNORANDO O ART. 37, INC. X DA CONSTITUIÇÃO, que prevê a revisão anual dos soldos e pensões. Então vejamos: o vencimento de um CORONEL da ativa (Militar com 25 anos de serviços e com todos os cursos que a carreira impõe) é INFERIOR ao do MOTORISTA do Senado; onde o vencimento LÍQUIDO de um SUBOFICIAL, da ativa, com 30 anos serviço corresponde aos HUMILHANTES R$ 5.500,00; Bem menos que um soldado da PM-DF ou Policial Rodoviário Federal em INÍCIO de carreira, SENDO QUE O DINHEIRO VEM DA MESMA FONTE PAGADORA: A UNIÃO! Onde o vencimento de um GENERAL, com mais de 45 anos de serviço, é IGUAL ao salário de um AGENTE DE SEGURANÇA, de Portaria do Congresso. Sabidamente, os militares pertencem a uma categoria que não foi feita para viver na riqueza, na ostentação, mas em contrapartida, também NÃO JURARAM a viver na MENDICÂNCIA. O MILITAR JURA DEDICAR-SE INTEIRAMENTE AO SERVIÇO DA PÁTRIA E DEFENDÊ-LA COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA, MAS NÃO JURA A PASSAR PRIVAÇÕES, MUITO MENOS A SUA FAMÍLIA!

Anônimo disse...

Minha sugestão: Sugiro que os Comandos Militares em conjunto com as lideranças do Alto Comando das FFAA, ACERTE com o Presidente da República (Comandante Supremo das Forças Armadas), um reajuste JUSTO e DIGNO para a classe em caráter de URGÊNCIA, fins ao menos amenizar o quadro VERGONHO e HUMILHANTE da remuneração dos Guardiões da nação. Que não fique apenas na promessa do Ministro da Defesa, conforme foi anunciado recentemente, pois sabemos que só os santos vivem de promessas.
O pior disso tudo é que fica todo mundo pensando pequeno. Querem um plano de carreira decente, então copiem dos americanos. Dinheiro para custear? Feche a torneira da corrupção. Tá dada a receita o resto é balela!

Anônimo disse...

Podem responder ao questionamento?

O presidente, seus ministros, assessores e aspones pagam INSS?
Eles falam, falam e falam que não tem dinheiro e querem mais dinheiro/tempo do cidadão que trabalha normal.
Esta parecendo que a divisão entre renda e trabalho é feita meio a meio:
O cidadão trabalha, produz e eles ficam a renda.
tudo meio a meio.
Estou enganado?

Anônimo disse...

1 - Muito bem escrito o texto. Me parece que o autor tem um conhecimento profundo das atividade da caserna e correlatas, estudou o tema e foi feliz na sua análise, decompôs o todo em partes e chegou a uma conclusão.

2 - O texto eleva o padrão de discussão de questões aqui do Blog. Parabéns ao Montedo e seus leitores.

3 - Minha conclusão: o texto elaborado significa que nós, militares, devemos parar de nos preocuparmos com questões internas irrelevantes para a nossa categoria e que podem ser consertadas com treinamento específico. Devemos nos concentrar em previdência, proventos do nosso trabalho - R$, bons contratos licitatórios para serviços nas OM, melhorias no FuSEx, auxílio moradia condizente (ou PNR para TODOS), convênios com instituições de ensino para acesso de nossas famílias, continuidade dos estudos para os militares (não somente em escolas militares, com respectiva valorização do profissional), estudar (no sentido de escrever artigos científicos e em periódicos - Refletir sobre nossos problemas e buscar soluções) e melhoria de todo o material de emprego militar com doutrina equivalente. Este relato, creio ser um discurso único que aborda temas relevantes comuns.

4 - Por fim, sugiro a você leitor, a ambientação com a temática e o compromisso de se fazer presente, por intermédio do seu discurso, na sua OM, quando lhe for dada a palavra. Faz muito tempo que precisamos de mudanças e de cobranças naqueles responsáveis pela condução do Exército Brasileiro. E não tenha dúvida que os Generais têm grande parcela de culpa pelas nossas dificuldades atuais.

Sou filho de Praça, Montedo, com orgulho. Fiz a AMAN e uma faculdade civil. Creio que a AMAN, berço dos atuais decisores, pode e DEVE melhorar muito. Fique à vontade se quiser publicar e compartilhar.

Anônimo disse...

Não há muito que se possa fazer quanto às reformas que estão por vir... creio que haverá perdas (novamente) mesmo que os comandantes militares tentem "barganhar". Fariam mais pela tropa com medidas que não dependem da anuência dos civis: com uma canetada, o Cmt EB poderia fazer uma alteração no RISG prevendo a compensação de carga horária (dispensa) quando um militar tira serviço, volta de uma operação ou é liberado mais tarde por motivos diversos. Só isso já facilitaria muito o cumprimento dos anos a mais de serviço.

Anônimo disse...

Leve em conta q ao falar q não temos FGTS estamos nos referindo aoS militares temporários q após cumprir seis sete anos saem com ínfima indenização d um salario a cada ano, bem diferente do civil q recebe FGTS.

Anônimo disse...

Como os militares são impedidos de se manifestar por motivo legal, caberia então aos senhores oficiais generais, sobretudo os senhores comandantes, a nossa defesa.

Anônimo disse...

Não podemos esquecer de um grande detalhe. Para reter e atrair talentos, que toda instituição precisa, devemos dar MOTIVAÇÃO no trabalho, o que inclui bom plano de carreira e boa remuneração. Se entrarmos nesse processo contínuo de impor perdas salariais e na carreira dos militares, não será uma missão difícil de se fazer com os que já estão na força mas os objetivos estratégicos para a instituição e para o país serão seriamente afetados com o tempo, pois só atrairemos pessoas que embora fardadas NÃO terão compromisso com os valores cultuados em nossa instituição. O assunto é sério. Por exemplo, se tentarem impor perdas ao judiciário, uma das primeiras palavras deles será sobre não atrair talentos.

Anônimo disse...

Bom dia a todos!!
Bravíssimo!!!
Artigo brilhante!!
Tenho certeza que não foi escritos esperando aplausos mas...
Parabéns ao autor!
Att

Praça 93, no aguardo...

julio breder disse...

tenho filhos e por na epoca não saber o sexo da criança não tirei o 1.5 pago ate hoje desconto algo que não usarei

Anônimo disse...

Enquanto o salário dos militares permanecer abaixo da média do salário do funcionalismo público federal e estadual,o eterno e contínuo sacrifício da nossa categoria permanecerá gerando insatisfação na tropa e consequente evasão de mão-de-obra treinada e altamente especializada.Quem perde é o Estado,o povo brasileiro.

Anônimo disse...

Caro Montedo!

Os comandantes querem valorizar as praças?

- Acabem com o NPOR e CPOR e coloquem os mais bem valorizados nas fichas de valorização do mérito para comandarem pelotões...
- Parar com esse papo furado de que os temporários serão o contato civil do futuro. O exército tem que se modernizar e se preparar HOJE
- Todos nós sabemos que 2º sargentos comandam melhor e tem muito mais liderança em pelotões do que tenentes temporários, pois Sargentos tem mais conhecimento militar do que qualquer oficial temporário
- Acabem com a comissão de promoção do mal em Brasília e usem somente como base para a promoção a ficha de valorização do mérito
- Transformem a carreira do ST/Sgt em algo mais atrativo, com várias opções para subir de nível e não ficar essa coisa engessada que a gente vê no QAO hoje
- Ex: Os melhores avaliados como 2º Sgt (zero de turma por exemplo) saírem tenentes para comandar pelotões...
- Para os que sobram, carreira em Y... QEO para aqueles que tem formação superior em áreas de interesse da força e o QAO para os que forem mais bem avaliados
- Os que ficarem ST sair por antiguidade somente a 2º Ten.
- Não possuo dados para calcular a economia que o EB fará com a extinção da EsFCEx e os CPOR/NPOR, mas com certeza entra na casa dos milhões de reais
- O EB só tem a ganhar com isso, pois realmente teremos militares nessas funções e não paisanos de farda (QCO, e OF Temp). Militares motivados, preparados e disciplinados, pois serão os melhores selecionados, com certeza será um ganho pra Força.
- Enfim, que instituição não quer melhorar seus quadros e ainda obter uma economia com isso e optimizar seus gastos?
- Os Cmt tem que querer mudar e reformular as carreiras...Do jeito que tá, não dá mais!

Boa sorte EB!

lopes disse...

Eu não era um cara pessimista, mas depois de estar na ativa por mais de 32 anos (dia a dia) e ver a 'PREOCUPAÇÃO ESTAMPADA NA CARA DOS NOSSOS CHEFES", entendo hoje, mesmo que tarde, que no final de tudo isso, de todas essas "comissões e etc" nós sairemos perdendo - e feio - de novo!
Desculpem o pessimismo!

Anônimo disse...

E quando não restarem mais anéis para serem perdidos, vamos perder o que? Essa filosofia do "aceita que dói menos" beneficia a ninguém, todos perdem. Ao menos, perde quem não está de olho em cargos comissionados fora da força e soma na ponta do lápis as despesas do mês. Chega de hipocrisia. PM, PC, todos chutam porta, paralisam suas atividades quando na eminência de perca do mais simples direito, e estão atingindo patamares jamais sonhados pelas vira-latas Forças Armadas,em remuneração e condições de trabalho, dói dizer isso, mas é no que estamos nos convertendo, a classe mais mal paga de todas as carreiras, menos para nossos chefinhos em zona de conforto, BSB, que esperam cargos, secretarias e afins.

Anônimo disse...

Só esqueceu de falar que a PRF, PF fazem greve e tem um salário 19 vezes melhor que militares ne. Outra coisa faltou lembrar que as pensões das filhas estão diminuindo tendo em vista que acabou essa adesão em 2001, faltou lembrar que nos militares somos os únicos que contribuirmos mesmo na reserva com o seguro social e só paramos de contribuir quando morremos, ou seja a pensionista não paga mais.
Não comprem responsabilidades da prf, Policia Civil e PF com as dos militares, somos os mantenedores da constituição. O que essas polícias nao ganham dos direitos mencionados acima eles ganham no salário. Entre outras coisas mais. Mais um texto meia boca.

Léo disse...

A " Sociedade " ,ou seja, a classe política dominante- a mesma que arrombou,SAQUEOU,lavou dinheiro,sonegou impostos,formou quadrilhas e organizações criminosas para enriquecer às custas da miséria da população,em geral, e,em especial,dos mais pobres,a depender dela,nós militares das Forças Armadas,sucateadas,ridiculamente mal pagas receberíamos um salário mínimo como vencimentos mensais.O Ex-governador do Ceará,ex-ministro chama, publicamente- vejam no YouTube- o "todo-poderoso​" ministro chefe da casa civil,Eliseu Padilha, chama-o de ELIZEU QUADRILHA.E ainda afirma que o governo Temer é uma "Grande Quadrilha".Ora,partindo do princípio que o cearense sabe o que está falando- senão já estaria sendo processado,segundo ele mesmo- o que podemos esperar de justiça para conosco da " QUADRILHA" governamental ? Alguém em sanidade mental pensa que gente ordinária e safada, Criminosa e lixo,como o Sérgio Cabral e sua bandida se luxo estão preocupados com os contracheques de um Sargento do Exército? O Serginho é do PMDB,partido que hoje manda em tudo,decide tudo.Mas se o governo fosse do PT ,teríamos como exemplo o Zé Dirceu: bandido,réu confesso,criminoso safado e ladrão.Lembrem-se que o Zé Dirceu foi ministro da casa civil do Lula.Nada passa sem a caneta daquele Ministério,senhores!A balela,as falácias do atual ministro da Defesa de plantão são tão-somente , solamente para acalmar a tropa,ganhar tempo para que o seu governo mude várias leis que beneficiará,claro,toda a " Quadrilha " citada pelo Ciro Gomes.40 anos nos lombos é,sim,senhor,o que um Subtenente terá que suportar na vida Severina,se quiser ter o direito de receber 100% de seus ORDINÁRIOS, VEXATÓRIOS, HUMILHANTES E RIDÍCULOS VENCIMENTOS.Se ficar somente 35 anos- desculpem pelo somente- só receberá 75% dos míseros contracheques do último mês de escravidão,quando da ativa.É exatamente isto que está sendo discutido ,sim,senhores,em reuniões conjuntas.Aguardem e verão!Estamos ferrados,marcados e prontos para o abate!!!"... Eh,ô,ô,vida de gado.Povo marcado,êh,povo feliz...". Grande Zé!!! E não me refiro ao Dirceu,viu? Logo ,logo,toda a "Quadrilha" passará, evidentemente,um dia será substituída por outra "Quadrilha".Mas as marcas das suas digitais criminosas,revanchistas ficarão,como ficaram na MP DO MAL- em nossas esperanças de dias melhores.Infelizmente eu era criança ,em 31 de março de 1964.Toda a minha reverência ao General Castello Branco,um cearense de escol!!!

daniel disse...

Concordo plenamente com o comentário do anônimo das 12:49.

Anônimo disse...

Conheço três Ex-oficiais, hoje são Auditor da Receita Federal, Juiz de Direito e Delegado da PF. Todos foram de alto nível. Até hoje são amigos do EB. Sou a favor que aumente os CPOR e NPOR. Eles são melhores que os de carreira. Com certeza. O cara chega da ACADIMIA e sabe que vai até Tenente-Coronel. O Prefeito da minha cidade foi Capitão R2, uma pessoa nota 10. Não faem mal dos Temporários são eles que levam o EB.

Anônimo disse...

Olha o texto conta um pouco das atividade que os militares realizam, executam ou são responsabilizados pelas dezidia de suas ordens/fiscalização, fato este que eleva o stress emocional e psicologico do militar ao extremo, com reflexos, em sua familia, em que pese, normalmente termina sempre com problemas de cunho afetivo, pela pressão e constantes transferencias, ou seja, o militar termina a sua carreira sempre sem patrimonio, com dividas de um finaciamento da minha casa e minha divida, morando em alguma periferia qualquer.

Pergunto quem trabalha com armamento, munição, tecnicas e taticas de guerra, tira serviço, acossado pela possibilidade dessa guerrilha urbana interna de assaltantes, que tomam os civis de assalto e roubam e matam a vontade sem do ou piedade, e com estrutura empresarial, que não tem compromisso com nada, que cresce geometricamente, em relação a população economicamente ativa (que trabalha) REALMENTE SE ESSA É NOSSA REPRESENTAÇÃO DE SOCIEDADE HOJE, acredito que não é vantajoso ter militar ou policial com função de estado, pois esse tipo de pensamento pregado e implantado pelo marketin, me diz que somoS um PAIS GOVERNADO POR BANDIDO E LADRAO.

Essa teoria de que a previdencia vai quebrar é BALELA, e o resultado de GOVERNOS INCOSEQENTES, CORRUPTOS, QUE VEM APLICAR TEORIAS POLITICAS SEM RESULTADO PARA O POVO, depois vao embora e deixam a divida para nos pagar, e nada acontece a esses governantes, que a varios anos so tem projeto de poder, cujo unico objetivo é quebrar um o pais, para depois explorar a miseria do povo.

Então, um pais cujo governo cobra 40% de imposto direto, digamos do trabalhador comum, ja no campo de 100 bois de um fazendeiro, o governo é dono direto de 33 cabeças, na agricultura é semelhante, sem falar na industria, ou seja leva imposto em tudo, não tem nada, em contrapartida, como saude, segurança, estrada,emprego, trabalho.

Então previdencia, proteção social, ou beneficio de pensionista, isso tudo para mim é feijão com arrosz, salario é feijão com arroz, não adianta dizer que nos EUA, frança é 70 anos ou seila... MAS LA NÃO TEM IMPOSTO DE 40%, E AI MUDA A REGRA DA PREVIDENCIA OU PROTEÇÃO E OS 40% DE IMPOSTO PERMANECE, ENTÃO PRIMEIRO TERIAMSO QUE DIMINUIR O IMPOSTO PARA DEPOIS MEXER NA PREVIDENCIA... VOCES LEMBRAM DA CPMF, FORAM DEZ ANOS E SAUDE NADA. É USADO TE HOJE PARA POLITICA DE VOTOS.

TA FACIL DEMAIS PARA GOVERNO DE BANDIDO E LADRAO, QUE VOTAM LEIS A SEU FAVOR. CONTINUAR COBRAR 40% DE IMPOSTO, FAZER UMA RECEITA DIRETA EM CIMA DE TRABALHADOR DA ATIVA E APOSENTADOS, É FAZER CAIXA COM MARKETING E NOS DE OTARIOS. É BEM COISA DE PAIS SEM EDUCAÇÃO, PAIS SUBDESENVOLVIDO E CORRUPTO.

A culpa não é minha não é do vizinho, não é dos chefes militres, não é da polica, a culpa e da nossa representação social politica, que implantou a teoria do caos para se safar e transferir a conta para nos .

Hoje os govenos estaduais, estão desmantelando suas forças de segurança, não ha mais concursos, transferiram o problema para o governo federal que inventou a tal de força nacional.... que so serve para fazer politica de ajuda. entao o resultado dessa conversa é que o estado vai ficar na mao dos terceirizados, e vai levar 40% de imposto em tudo...... Eu quero estar ERRADO. POR FAVOR ME DIGAM QUE ESTOU ERRADO... QUE ESTOU LOUCO QUE A PRESSAO O STRESS DA CASERNA ME DEIXOU ASSIM, PARANOICO TENHO VISOES DEVO SER INTERNADO, SERA QUE DEVO ENTREGAR MEUS FILHOS PARA OS BANDIDOS PARA SER ESCRAVIZADO MORTO BALEADO. ACHO QUE ME RESTA EU IR EMBORA PARA A ANTARTICA, POIS LA VAGABUNDO BANDIDO NÃO SE CRIA NATUREZA SE ENCARREGA DELES.


Anônimo disse...

Ressaltaria ainda sobre o sóbrio texto, que muitas das funções listas que dão direito á aposentadoria com 25 anos de serviço aos civis, são muitas vezes executadas cumulativamente por vários militares. Por exemplo, o militar trabalha no posto de combustível (análogo ao frentista do meio civil) e toda semana tira serviço armado (análogo ao vigia armado do meio civil). Das duas uma, ou o governo e os parlamentares ao votarem a lei que mudará o nosso Estatuto considerem esse desgaste/risco da profissão tendo como parâmetro o próprio meio civil, ou que criem então mecanismos para que os militares que exercem atividades mais perigosas tenham um tratamento diferenciado dos demais. Pois como diz-se no texto, burocracia é atividade meio nas Forças Armadas, mas não seria justo um mergulhador ter que cumprir o mesmo tempo de serviço de uma marinheiro que passa a vida trabalhando numa diretoria cumprindo expediente atrás da tela de um computador.
Seria o caso então de o Estatuto dos Militares vir a conter dispositivos que permitissem uma contagem de tempo de serviço diferenciada por grupos de atividades mais arriscadas de modo a tratar os desiguais na medida das suas desigualdades (militar 100% burocrata X 100% operacional)?

Anônimo disse...

Bom texto, vale a divulgação ! E não se esqueçam : Somos os "Mantenedores da Constituição", apenas ...

Sgt Resenha

FláviFláv disse...

De mente contrária já estou cheia, quero ver tirar benefícios de políticos , membros do judiciário, essa reforma e para sobrar dinheiro para bancar mordomias de uma parte de políticos e remunerar bem alguns funcionário público da elite.CORRE A NOTÍCIA QUE OS DEPUTADOS FEDERAIS QUE ESTÃO TRABALHANDO NAS REFORMAS DA PREVIDÊNCIA PEDIRAM AO TEMER PRA TENTAR BARRAR ESSA PROPAGANDA DOS AUDITORES DA RECEITA FEDERAL, POIS A PRESSÃO AUMENTOU NO CONGRESSO, FAÇA SUA PARTE, MULTIPLIQUE ESSA INFORMAÇÃO. 👇👇

Anônimo disse...

Fica uma briguinha de ego entre temporários e de carreira, como se isto fosse a coisa mais importante hoje. Uma coisa eu já notei: quem é bom nunca fica tentando se exibir, os outros acabam notando. Então, essa história de "EU SOU O REI DA COCADA" que ficam colocando aqui não vale de P... nenhuma. Vamos parar com essa infantilidade e tratar de coisas sérias. Oh mundinho de quartel!!!

Anônimo disse...

Por que os mentirosos sempre citam o TRÊS? É sempre assim: "conheço três...", "isto já aconteceu três vezes...", "já estiveram aqui três vezes...", "é a terceira vez que sou roubado nesta rua..."; por aí vai.

Anônimo disse...

Comentarista de 11 de maio de 2017 09:30 - Excelente!!!

Em meus 28 anos de Sv só vi um Cmt dar para todos os 8 dias de dispensa como recompensa prevista no RISG. Em sua primeira reunião falou que daria essa dispensa e que os chefes imediatos controlariam como e quando seus subordinados queriam tirar a dispensa.

Anônimo disse...

olá gostaria de saber se oficial temporario tem direito a aposentadoria por invalidez no sistema de proteção social, ou somente os de carreira? como é feito caso o oficial temporario fique invalido permanentemente?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics