11 de janeiro de 2017

Corpo de coronel da FAB que desapareceu em alto-mar há 6 dias é encontrado

Max de Carvalho Dias estava desaparecido desde quinta-feira (5/1). Ele saiu do Iate Clube de Natal para praticar pesca esportiva e não retornou
Otávio Augusto
Após três dias de buscas, foi encontrado o corpo do coronel da Força Aérea Brasileira (FAB) de Brasília Max de Carvalho Dias, no início da manhã desta quarta-feira (11/1), segundo informações do Iate Clube de Natal. O militar estava desaparecido desde quinta-feira (5/1), em Natal (RN), quando saiu para praticar pesca esportiva em alto-mar.
O corpo estava boiando no litoral norte potiguar, nas redondezas da praia de Caiçara do Norte, distante 120km de Natal. Uma equipe do Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte está no local e acompanha a identificação oficial e a remoção do cadáver.
A principal suspeita do Iate Clube de Natal é a de que tenha ocorrido um naufrágio. "Ao amanhecer, recebemos a notícia que o corpo dele estava boiando. É muito triste. Ainda tínhamos esperança de que poderia ter havido uma pane elétrica na lancha e que eles estavam à deriva no mar", disse ao Correio o comodoro em exercício do Iate Clube de Natal, Kaleb Freire. 
O outro tripulante — um pescador que não teve a identidade relevada — e a lancha de 8,5 metros ainda não foram localizados. "Isso reforça a suspeita de naufrágio. Não há vestígios da embarcação na água", explica Kaleb Freire. A Marinha do Brasil, responsável pela fiscalização da área marítima, ainda não comentou o caso.
Max morava em Brasília e trabalhava na Secretaria de Aviação Civil do Ministério do Transporte, Portos e Aviação Civil. Familiares do coronel estão em Natal e preferem não comentar o caso no momento.

Passeio para pescar
Max e o pescador saíram para praticar pesca esportiva por volta das 8h da última quinta-feira. Geralmente, o coronel ia ao Iate Clube de Natal para fazer a manutenção de sua embarcação. Segundo o relato de pessoas da região, ele gostava de pescar nas proximidades da costa de Tabatinga, distante 45km de Natal.
A falta de localizador na embarcação foi uma das dificuldades encontradas durante as buscas. O resgate também foi prejudicado porque eles não respondiam ao rádio. A Marinha vasculhou uma área de mais de 13,5 mil quilômetros quadrados, entre as praias dos municípios de Baía Formosa, no extremo Litoral Sul potiguar, até a praia de Macau, na região Central do Rio Grande do Norte.
Há três anos, a mesma dupla, segundo Iate Clube de Natal, saiu num feriado para pescar e chegaram a desaparecer. Naquela ocasião, eles estavam em um barco inflável com motor. A embarcação afundou e por mais de 24 horas eles ficaram a deriva. Em 2013, o resgate ocorreu em Santa Rita, município vizinho de Natal.
Correio Braziliense/montedo.com

5 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Montedo, favor publicar essa nota do Ministro dos transportes:
Confira nota:

É com grande pesar que recebi a notícia da morte do Coordenador-Geral de Gestão da Navegação Aérea Civil do Ministério dos Transportes, Max de Carvalho Dias, na manhã desta quarta-feira (11.01). Coronel da Força Aérea Brasileira, Max trabalhou na Secretaria de Aviação Civil desde sua criação, em 2011, onde teve notado protagonismo na formulação de ações de segurança para o espaço aéreo brasileiro. Neste momento de dor, quero me solidarizar com os familiares, amigos e colegas.

Maurício Quintella Lessa

Ministro dos Transportes, Portos e Aviação

Obs: Não precisa publicar o meu comentário só a matéria. Fonte: http://www.metropoles.com/brasil/corpo-de-coronel-da-fab-e-encontrado-no-nordeste

Anônimo disse...

Penso que muitas mortes poderiam ser evitadas, se as pessoas vestissem coletes logo na saida para o mar. No nordeste, morrem muitos pescadores por falta de equipamentos (boias e coletes) em alto mar.

Anônimo disse...

Vídeo da Tv Local .... estava sem colete.

http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/rntv-2edicao/videos/v/corpo-encontrado-no-mar-no-rn-e-de-coronel-da-fab-desaparecido/5571922/

ALMANAKUT BRASIL disse...

Os militares do Brasil estão morrendo e a mídia pouco se preocupa!

E quanto aos militares assassinados no cotidiano, não há nem indignação pública por parte dos superiores das Forças Armadas!

Anônimo disse...

Descanse em paz nobre amigo! Que Deus o acolha no paraíso eterno.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics