29 de novembro de 2016

Aviões da FAB levarão parentes das vítimas de acidente com Chapecoense

Resultado de imagem para Embraer-145 (C-99)
Alex Rodrigues
A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou quatro aeronaves e uma equipe especializada para auxiliar nos trabalhos de resgate e no transporte dos parentes das vítimas do acidente aéreo em que morreram 75 pessoas, a maioria, jogadores e dirigentes da Chapecoense, além de jornalistas de diversos veículos. O avião seguia para a Colômbia.
Um jato Embraer-145 (C-99) decolou do Rio de Janeiro indo para Chapecó, em Santa Catarina, de onde seguirá para a Colômbia transportando parentes das vítimas, representantes do clube catarinense e autoridades brasileiras.
Outras duas aeronaves C-130 Hércules estão à disposição em Manaus (AM) e no Rio de Janeiro, preparados para partir conforme a necessidade. O Ministério da Defesa não forneceu mais detalhes sobre a quarta aeronave ofertada, mas garantiu, por meio de sua assessoria, que toda a ajuda necessária será prestada.
A FAB também acionou o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (Para-SAR), que está de prontidão em Campo Grande (MS), mas cujo envio à Colômbia ainda não foi decidido.
Além disso, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) também se colocou à disposição das autoridades colombianas de investigação de acidentes aéreos.

Parentes das vítimas terão assistência
No Recife, onde participa da cerimônia militar que marcará o envio do 25º Contingente Brasileiro de Força de Paz da Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (Minustah), o ministro da Defesa, Raul Jungmann informou que, desde as primeiras horas do dia, a FAB e o Ministério da Defesa estão tomando as providências necessárias para acompanhar e dar suporte aos parentes das vítimas.
A Chapecoense disputaria a primeira partida da final da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira (30), contra a equipe colombiana do Atlético Nacional. A aeronave da empresa boliviana Lamia partiu de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com destino ao município colombiano de Medellín. Oitenta e uma pessoas estavam a bordo, entre jogadores, dirigentes esportivos e jornalistas, além dos nove tripulantes.
Durante a escala em Santa Cruz de la Sierra, a comitiva deixou o avião em que viajara desde São Paulo e embarcou no avião da Lamia. No início da madrugada de hoje (29), o avião desapareceu do radar pouco antes de tentar um pouso forçado em Cerro Gordo, nas proximidades da cidade de La Unión, na Colômbia. A aeronave estava a apenas cinco minutos de voo do aeroporto mais próximo, mas o piloto decidiu arriscar o pouso.
Agência Brasil/montedo.com

Um comentário:

Léo disse...

Aí,sim,a Força Aérea tem o apoio total do povo brasileiro.É para isto que pagamos nossos impostos.Para que o poder público dê sua contra-partida ao povo, em horas como esta.Não para ex-ministro canalha, safado, embarcar, sozinho ou acompanhado com os seus, em nossos aviões, aviões do povo, para ir passar finais de semana em sua cidades natal.E ainda ter a cara de pau, e sem pudor, achando que o povo é idiota,otário, de dizer que o fez, que viajou muitas vezes, de graça, nos aviões da Força Aérea, aviões do povo brasileiro, em viagens particulares, para preservar sua segurança pessoal.Pois que pague , que frete aviões particulares.Cadeia nele, Dr Sérgio Moro.A hora dele hora vai chegar!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics