29 de abril de 2016

Capitã de 27 anos é 1ª mulher a entrar para infantaria do Exército dos EUA

Kristen Griest entrou no Exército como policial militar em 2011.
Ela concluiu treinamento de planejamento tático de infantarias.
Do G1, em São Paulo
Kristen Griest, de 27 anos, fez história no ano passado ao ser uma das duas primeiras mulheres a se formarem na Ranger School, escola de elite do Exército americano com um pesado programa de treinamento de combate. Agora, ela concluiu um novo treinamento de carreira de capitães, que ensina planejamento tático de infantarias, e se tornou a primeira mulher capaz de liderar uma unidade de soldados de infantaria em combate.
Griest é de Orange, no estado de Connecticut, e entrou no Exército como uma policial militar em 2011. No ano passado foi uma das 19 mulheres a tentar a Ranger School, quando o serviço abriu para a participação de mulheres.
Em agosto, ela e Shaye Haver, piloto de helicóptero, se tornaram as duas primeiras mulheres a se formarem nos Rangers. Na época, Griest comentou que estava interessada em ver as novas portas que se abririam para as mulheres no Exército.
“Como qualquer outro oficial que deseja uma transferência de ramo, a capitã Griest solicitou uma exceção à política do Exército para transferência da polícia militar para a infantaria”, disse o porta-voz do Centro de Manobras de Excelência da base Fort Benning, na Geórgia, de acordo com o jornal “The Washington Post”. “Sua transferência foi aprovada pelo Departamento do Exército, e agora ela é uma oficial de infantaria”.
Lisa Jaster, a terceira mulher a se formar nos Rangers, em outubro do ano passado, disse ao “Washington Post” que Griest sempre almejou a infantaria. Ela “falava sobre querer estar na infantaria desde o primeiro momento que a conheci”, afirmou ao jornal, depois da confirmação de Griest no novo cargo.
“Estou orgulhosa de ela seguir seus sonhos e dar exemplo para os futuros soldados homens e mulheres”, disse Jaster.
Em dezembro, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ash Carter, anunciou que os empregos militares no país seriam “abertos” às mulheres, inclusive os postos de combate.
A infantaria é um ramo do Exército que por muito tempo foi considerado o último bastião de funções de combates de homens, segundo o jornal “New York Times”. Com essa mudança, segundo análise do jornal, o Exército atravessa mais uma barreira em sua promessa de aceitar as mulheres em todas as suas funções.
G1/montedo.com

21 comentários:

Anônimo disse...

Montedo, nos USA, o culto a patria é enorme, mas por aqui querem anula-lo, veja o q fizeram com com o nosso passaporte:

http://mujahdincucaracha.blogspot.com.br/2016/04/e-ilegal-expedicao-de-passaportes-sem-o.html

a estampagem, na Capa do Passaporte de sinalização visual de cunho ideológico, com um foice estilizada por um risco ou arco que se encontra à esquerda do cruzeiro do sul, sinalização que é utilizada pelo Foro de São Paulo, Organização que não respeita os princípios de Soberania Nacional do Brasil conforme os princípios insculpidos na Constituição Federal.

Anônimo disse...

Sou contra e sempre serei contra as mulheres nas forças armadas do Brasil como militares, se quiserem que sejam como servidoras civis, pois cansei de ver problemas de cunho etico, hierarquico e de postura de mulheres militares. Esta é a minha opinião. Não sei a fundo como funciona nos EUA, porem no Brasil sempre tem as peixadas onde mulher faz TAF diferenciado, Não tira serviço. só missões de boa, missões boca podre só para homens, cursos de PQD e Guerra na selva com regalias e mamatas diferente dos homens, acham que em uma operação real vai ter isso? Sou a favor da mulher nas forças armadas desde que façam tudo igual ao homem ou seja prestadoras de serviço nas OM como civis.

Anônimo disse...

O que a reportagem não conta é que o curso Ranger onde esta senhora supostamente passou foi fraudado por ordens superiores para permitir a aprovação das duas oficiais, DEPOIS de elas terem fracassado. Ou seja, simples política para agradar os chefes civis em busca de votos do movimento feminista.

Anônimo disse...

Tanto o os EUA quanto o Reino Unido, abriram todas as formações militares para as mulheres no anos passado. Este é mais um atributo da modernidade. Resta esperar para ver quando estiverem no front.

Anônimo disse...

Parabéns grande Guerreira !

Enquanto isso por aqui, só reclamações nos alojamentos e cada um por si, olhando apenas para os seus umbigos.

Anônimo disse...

O quê vc acha que vai acontecer na AMAN e nas escolas de Sargentos? Vão se formar indo para campo diferenciado no qual a maior dificuldade será carregar a bateria do celular para tirar selfie fardada fazendo bico de pato. As instrutoras? Tenentes do QCO!!! Isto mesmo...do QCO!!!...Nada contra mulheres, mas nem tudo que é bom para os EUA necessariamente signifique uma verdade absoluta.

Ubirajara Felix disse...

Sejam bem vindas minhas futura CMT!

Anônimo disse...

Sabe de nada, inocente! Essa mulher foi acochambrada no curso para se formar. Quero ver em missão real quando o bicho pegar e a patrulha tiver de carregar a doida, como aconteceu na Maré.

Anônimo disse...

A mulher ja tinha o seu espaço no QCO e na Saúde. Esse foi mais um sapo que a terrorista Dilma nos fez engolir para espinafrar o EB.

Eu disse...

Quem pensa bem, faz menos força.

daniel camilo disse...

Não tenho dados estatísticos científicos, apenas observação da vida real. De cem mulheres, existem umas dez com aptidões masculina, sem perder a feminilidade. E, de cem homens, existem uns dez com aptidões feminina, sem perder a masculinidade. Exs: mulheres: que são pedreiras, que são motoristas de caminhões pesados,...e homens cozinheiros, arrumadores, costureiros,....
Dizer que todas as mulheres militares serão guerreiras infantes é absolutamente irreal até pela natureza sensível da mulher.

Anônimo disse...

Quanto mais mulheres no exército deles, melhor...

Sgt Melo disse...

Fico aqui lendo esses comentários, pensamentos retrógrados de meia dúzia de militares que pararam no tempo. Quando tiverem no front???? Quem aqui já esteve no front??? Poucos ne? Um ou outro esteve em ação de verdade, e não me venham falar de mare, alemão e haiti não blz? estive lá e não é guerra se comparado ao que ta rolando no mundo por ai não! Mulher pode sim fazer absolutamente tudo que um homem faz, vamos acabar com esse pensamento medíocre, retrogrado e ignorante que em pleno século do desenvolvimento tecnológico coisas assim não tem mais espaço!!! Parabéns a essa e a todas as guerreiras do exército, marinha, aeronáutica, policia militar enfim todas!!! Parabéns!!! E quero é mais mulher no exército sim!!!

Anônimo disse...

Meu escantilhão de tropas de elite está diminuindo cada dia mais, começou com B INF PQDT, Selva, entre outras, acrescento agora Ranger. Nem adianta começar a defesa...claro que existem excelentes combatentes mas, eu conheci uns muito, muito ruins, e até algumas mulheres que não aguentam seguram um peido! Tropa não se faz com meia dúzia. Minhas orações agora vão para a BOpEsp,não se entreguem.

Anônimo disse...

Pena que vai demorar as mulheres começarem a ser promovidas a general...
As mulheres geralmente são mais atenção ao lado humano das questões, acho que elas podem valorizar mais os recursos humanos, vão retornar os direitos subtraídos na MP 2215, a MP do Mal ou da trairagem...
Vão dar prioridade a construção de novos PNR e pagar auxílio moradia pra quem estiver na fila de PNR...
Vao mandar reajustar a indenização de transporte das transferências, há mais de 15 anos congeladas...
Quem viver verá...

Anônimo disse...

Isso é uma piada, mulher ser combatente...
Não passa de politicagem seja a onde for e no qual pais for...
Mulher não tem a mesma resistencia fisica do homem jamais, e não pode se comparar a este em atividade fisica.
Sem contar que mulheres são acometidas por mestruação, TPM e problemas de estupro em situação real e ai como fica a situação? Alguem me diria?
Sem combate e tendo mulheres somente em atividades não combatentes já temos problemas, imagina combatentes...
Sou a favor de mulheres como servidoras civis somente como o anonimo acima disse, cada um na sua.

Anônimo disse...

Já começa que aqui no Brasil as mulheres jamais cortariam o cabelo raspado, kkk. Depois que o curso seria acomchambrado para dar ibope e dizer que tem mulher operacional e quando colocasse esta a frente da tropa faria feio, pois não faria o mesmo TAF, TFM, e serviços operacionais masculinos...
Me desculpe mas não é para o seguimento feminino isso.

Anônimo disse...

[]"Sgt Melo disse... Mulher pode sim fazer absolutamente tudo que um homem faz"[]

É mesmo? Se eu botar dezoito mulheres, com mosquetão, mochila carregada, num exercício de subida e descida de um 5 toneladas em movimento, quantas delas vão conseguir? E se eu pedir que elas troquem o pneu do mesmo caminhão, elas conseguem?

Anônimo disse...

Kkkk...vc não quer uma mulher general, vc quer uma santa milagreira...kkkk...melhor piada do blog...adorei o humor do comentário.

Marechal Macho disse...

Aqui, no BRA, elas entram na Infantaria (e outras armas) casando com Of carente ou QAO caquético. Pois casar-se com praça é chafurdar na missão de bem acomodar-se.

Eu disse...

No filme cyborg, o Jean Claude Van Dame carregou uma mulher.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics