30 de novembro de 2015

Aedes aegypti faz governo federal colocar Exército à disposição de PE

MARINA DIAS
DE BRASÍLIA
Após o Governo de Pernambuco decretar situação de emergência no Estado a partir de terça-feira (1º) devido ao aumento de casos de chikungunya e zika, transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) colocou as Forças Armadas à disposição do Estado para ajudar na prevenção das doenças e na conscientização da população local.
Segundo o ministro Gilberto Occhi (Integração Nacional), cerca de 800 homens do Exército de Pernambuco vão agir como apoio ao governo estadual atuando, inclusive, como agentes de saúde —em visitas às casas— e palestrantes em escolas.
Nesta segunda-feira (30), Occhi e o ministro Marcelo Castro (Saúde) estarão em Pernambuco para, ao lado do governador do Estado, Paulo Câmara (PSB), lançar um programa para conscientizar e ajudar a prevenir, entre outras doenças, a microcefalia, malformação em que os bebês nascem com o crânio reduzido, prejudicando o desenvolvimento do cérebro.
Neste sábado (28), o Ministério da Saúde confirmou que há relação entre o surto da doença no Nordeste e o zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. Só em Pernambuco, foram constatados 487 casos de microcefalia nas últimas semanas, mas o Palácio do Planalto tem em mãos projeções que apontam para sensível piora do quadro até o início do ano que vem.
"O Exército vai servir de apoio em Pernambuco. Temos que mostrar que não se pode deixar água parada, córregos e esgotos precisam estar devidamente tratados, etc. Nosso apoio com as Forças Armadas é no sentido de ajudar as prefeituras e o governo do Estado em um grande mutirão", afirmou Occhi à Folha.
Ainda de acordo com o ministro, por enquanto não há necessidade de enviar reforço mas, se o quadro se tornar mais grave nas próximas semanas, haverá o deslocamento de homens do Exército dos estados de Alagoas e Paraíba para Pernambuco.
Com o decreto do estado de emergência, o Estado tem mais liberdade para acessar crédito para uso em medicamentos, equipamentos e até contratos temporários para combater os focos de mosquito, sem precisar passar por licitação.

REUNIÃO COM DILMA
Desde que o surto de microcefalia foi detectado no Nordeste, há duas semanas, Dilma tem sido aconselhada por seu núcleo político mais próximo a viajar para a região, mas a presidente tem preferido cautela e dito que quer ter "certeza do que está acontecendo" na região.
Ao voltar de sua viagem a Paris, onde participa da COP21, Dilma vai reunir os governadores dos Estados mais atingidos pela microcefalia para monitorar a situação e pedir a colaboração para a ação conjunta que ela pretende desenvolver no país e, segundo auxiliares, deve viajar ao Nordeste na sequência.
Folha de São Paulo/montedo.com

14 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia, até quando vamos aguentar sermos empregados em situações que órgãos específicos deveriam efetuar seus trabalhos, esta muito fácil, se der certo beleza, e se não funcionar, estão colocando a gente em cheque, e mais nossas reivindicações passam longe de serem colocadas em pauta, vamos ajudar sim, pois tb fazemos parte desse NE querido, mas acho que primeiramente outros órgãos deveriam ser acionados e depois o nosso EB.

Anônimo disse...

E reajuste do salário ZERO!

Anônimo disse...

Avisem ela que não é aconselhável ir ao nordeste, pois pode passar próximo a um aparelho de tomografia e aparecer o diagnóstico e ACEFALIA crônica congênita, o que não há conhecimento cientifico para tratamento.
IV

Anônimo disse...

Para esses governadores, quanto mais desgraça, melhor. É assim que funciona, nenhum trabalho de prevenção, desvio de foco para os reais problemas.
Mesmo assim, para ajudar a população abandonada, sugiro olhar em locais de matas também. Descobri muitos focos em tocos de árvores que rebrotam após o corte. Na base da árvore cortada fica um "berço" arredondado onde a água acumula.

Anônimo disse...

Severinoooo!

Exército me faz lembra aquele Desenho...
Super Gêmeos Ativar!
Forma de um Agente de Saúde...
Forma de coleta de mantimentos para desabrigados...
Forma de Polícia Pacificadora...
Forma de Entrega de Água à população...

Sabem que o exército sempre cumpre a missão, então chama o Severino da Nação.

Nada contra as atribuições que nos colocam, agora ser mal pagos e não ser reconhecidos é o grande problema.
E quando pedir aumento salarial ou gratificações: militar só fica trancado no quartel coçando, fazendo TFM ou falando de futebol...

Anônimo disse...

Questões para próxima RACE: 1 - Será exigido ECEME para os comandantes dos batalhões de catadores de lixo? 2 - Quem comandará as operações de captura de mosquitos, o cmt da brigada ou os secretários das prefeituras?

Anônimo disse...

E lá se vão os "SEVERINOS", pau pra toda obra, que chamam de "missão". Com os cortes "adicionais" anunciados, preparem-se para muitas "missões". Enquanto isso, as secretarias responsáveis que deveriam ter trabalhado para evitar os mosquitos, estão só pensando em aumentar os salários. essa estória de "corte" no final do ano sempre aconteceu e não passa de faz-de-conta. Gastam o que tem e o que não tem e depois vem a público dizer que vão economizar. Tratando-se do governo Dilma, a credibilidade é zero.

Anônimo disse...

Faltou polícia? Chama o exército!
Faltou o IBAMA? Chama o exército!
Faltou o DNIT? Chama o exército!
Faltou bombeiros? Chama o exército!
Faltou agente penitênciario? Chama o exército!
Faltou lixeiros? Chama o exército!
Faltou saneamento básico? Chama o exército!

Aumento de salários no exército????

Cri. cri cri cri.....

Anônimo disse...

Vão embora. Parém de sofrer. Incompetentes. Não conseguem nada melhor. Eu amo o que faço. Vão embora.

Anônimo disse...

Retratos de um país completamente falido!

Anônimo disse...

O soldo já é de mata-mosquito mesmo...

Anônimo disse...

Será que vão chamar os "SEVERINOS" para raspar a lama do rio doce até o oceano?

Anônimo disse...

Anónimo das 12:25 h . Não dá idéia...

Anônimo disse...

E o aumento?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics