29 de outubro de 2015

Forças Armadas projetam suporte a atletas olímpicos para além de 2016

Imagem
O apoio que as Forças Armadas vem oferecendo aos atletas brasileiros de alto rendimento não será restrito aos Jogos Olímpicos Rio-2016. O Ministério da Defesa já prevê a manutenção dos investimentos, que incluem salários, assistência médica e estrutura de preparação, para a edição de Tóquio (JAP), em 2020.
Por meio do Programa Atletas de Alto Rendimento, a pasta, em parceria com o Ministério do Esporte, tem o objetivo de tornar o Brasil uma potência olímpica. O trabalho acontece em duas frentes: captação de atletas na base e apoio a esportistas de expressão, que podem utilizar os centros de treinamento de Exército, Marinha e Aeronáutica.
Para tanto, eles precisam ser aprovados numa seleção publicada em edital. O vínculo na maioria dos casos é temporário, com limite de oito anos e renovação a cada ano. Em contrapartida, eles representam as Forças Armadas em competições nacionais e internacionais. As medalhas conquistadas se convertem em pontos no processo de preenchimento de vagas.
Só na modernização de instalações, o governo federal já investiu mais de R$ 120 milhões. No caso da Marinha, que atualmente conta com 227 atletas de ponta, R$ 19,5 milhões serão repassados até os Jogos para reforma de quadras, piscinas e academias.
– Temos tido muitas conversas com o Ministério do Esporte e com as confederações, e a ideia é de longo prazo. Não estamos trabalhando só para 2016, mas para 2020. Acreditamos que o futuro do esporte está na base – disse ao LANCE! o Almirante Carlos Chagas, comandante do Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN) da Marinha.
A meta do Brasil é de que 100 atletas militares de alto rendimento disputem a Rio-2016 e conquistem 50% das medalhas da delegação. Com isso, as Forças Armadas saltariam de cinco láureas de um total de 17, obtidas nos Jogos de Londres (ING)-2012, para 10. Na última edição, 51 competidores eram militares.
– Talvez incorporemos novos atletas, mas o plano de trabalho prevê duas por ano. Acabamos de fazer uma, mas não tenho dúvida de que se pudermos ajudar mais algum atleta a disputar os Jogos estaremos sempre prontos – disse o Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Comandante da Marinha do Brasil, presente em cerimônia de incorporação de novos atletas nesta quarta-feira, no Cefan.
Neste ano, os atletas militares foram responsáveis por 48% das 141 medalhas obtidas pelo Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto (CAN). Foram 67, sendo 20 de ouro, 18 de prata e 29 de bronze. O país ainda ficou em segundo lugar nos Jogos Mundiais Militares da Coreia.
– O Programa olímpico mudou o esporte da Marinha. A disseminação das atividades esportivas é algo relativamente novo, e as Forças Armadas estão dando a sua contribuição. É um projeto bem sucedido, extremamente barato e que nos ensina em gestão e governança. É um desafio belo – falou o comandante.

Dueto do nado sincronizado é incorporado
Em cerimônia realizada nesta quarta-feira, no Cefan, as brasileiras Maria Eduarda Miccuci e Luísa Borges foram incorporadas ao Programa Olímpico da Marinha (Prolim). As atletas, agora na função de 3º sargento, se tornaram pioneiras no nado sincronizado na dedicação à carreira militar. A modalidade não constou no programa dos Jogos Mundiais Militares deste ano.
– Só irá somar na nossa preparação. A Marinha nos dará um auxílio forte em fisioterapia e biomecânica, na estrutura de piscina, musculação – falou Luisa, de 19 anos.
As duas treinam no Parque Aquático Maria Lenk, em torno de sete horas por dia, e já estão classificadas para a Olimpíada do Rio.
– Teremos outra piscina, assistência médica, a parte dos estudos biomecânicos que não tínhamos – falou Duda, de 18.
Terra, via Notimp FAB/montedo.com

12 comentários:

Anônimo disse...

Olha isso MOntedo: Opinião de 2006, espero não ter mudado de idéia!!

http://brasilsoberanoelivre.blogspot.com.br/2015/10/militar-e-diferente.html

Anônimo disse...

Inchando ainda mais a nossa folha de pagamento. Militar tira serviço, vai a campo e participa escalas diversas. Acho que chamar de militares estes atletas não seria o termo correto.

Anônimo disse...

Como estou orgulhoso da carreira que escolhi...todos os nossos problemas estão resolvidos...interstícios gigantescos para as praças (16 anos após a formação, com uma única promoção ..e quando vem a próxima o salário aumenta 300 reais...), não há alimentação decente para a tropa (exceto em visitas de comitivas, datas festivas, recepção de políticos e autoridades, mas...só para os convidados, o que exclui a tropa), SD PM ganhando mais que Sgt com 16 anos de SV, evasão massiva (praça é número, são considerados somente os nobres oficiais nas estatísticas, para parecer que "a coisa não é tão grave"), faltam PNR (praças), falta motivação, porém.... Teremos paisanos travestidos de militar nas próximas olimpíadas, engordando a nossa folha de pagamento, ocupando claros, sem nunca terem tirado um serviço, compondo uma fachada arquitetada pelas FA que beira a ilegalidade, por "contratar" atletas para competições fúteis, e assim justificar sua existência. Enquanto isso, as batalhas diárias seguem, a força respirando por aparelhos....tudo resolvido.....fechem a tampa do caixão.

SEGUNDÃO PQDT disse...

Isso mesmo, mais uma farsa no nosso EB, dar força p esse satletas que não somam nada em nosso trabalho, é puta jogada de COM SOC, vamos investir em nosso militares que dia-dia tiram serviço, cumprem expediente, esses sim são MILITARES-ATLETAS e não ATLETAS-MILITARES, estou vendo o fim das Forças Armadas !!!

Anônimo disse...

General Mourão EXONERADO do CMS, depois das críticas à presidente da República.

Justa a punição. Hierarquia e disciplina vale para TODOS e o exemplo deve vir de cima. Ou será que esse general admitiria que o sargento ou o cabo fizessem o mesmo com ele? As palavras convencem, mas o exemplo arrasta!

Anônimo disse...

Tá bom, mas eles vão concorrer a escala de sv, sindicancia, exame de pagamento, formaturas, etc...?? O EB está acabando!!!

Fardado Indignado disse...

Desvio de foco!!! O verdadeiro combate já começou!!! http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/10/1700280-defesa-vai-exonerar-comandante-militar-que-criticou-o-governo.shtml

Vejam e divulguem os dois videos do link abaixo:
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/omissao-da-imprensa-no-caso-da-agressao-ao-mbl-e-jornalisticamente-criminosa/

Qual é a semelhança dos agressores mostrados nos videos com as "brigadas populares da Venezuela"? Aliás, façam um pesquisa sobre brigadas populares no brasil e surpreendam-se...

Assim fica fácil quebrar um país, tem muita gente levando um qualquer pra empunhar um bandeira "social"!

A equação é fácil, Governo comuno-fascista + país quebrado + FFAA sucateada e desacreditada + convulsão popular = guerra fratricida!

Desejo a todos uma luta justa!!



Anônimo disse...

Não adiantas falar que esse pessoal não tira serviço, oficial esquece o significado dessa palavra logo aos 5 anos de tropa, pois após a promoção ao posto de capitão, adeus parada diária e pernoite na OM. Senhores, não venham falar do pseudo serviço de Sup de Dia.

Anônimo disse...

As Forças Armadas não tem nada mais sério para cuidar?

Anônimo disse...

Informex usando termos como "presidenta". Isso é ridículo, haja visto que só os políticos e puxa-sacos da "anta" costumam se expressar desse modo, usando uma palavra que distingue um título existente apenas no dicionário da mulher sapiens.

1º Sgt disse...

SÃO REALMENTE MUITO BONS!

COMO CONSEGUEM TAL DESEMPENHO COMENDO ARROZ FEIJÃO E UM PEITO DE FRANGO OU PORÇÃO DE CARNE MOÍDA TODOS OS DIAS?

Anônimo disse...

Peito de frango? Em que exército? Nunca houve por aqui peito de frango, quanto à carne moída, tudo certo.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics