29 de agosto de 2015

MS: Governo pede intervenção do Exército em conflito entre índios e produtores. Imagens inéditas mostram a destruição em fazenda invadida.

Caroline Maldonado

Produtores rurais se reuniram hoje com autoridades (Foto: Vanessa Tamires)
Campo Grande (MS) - Para evitar confronto em fazendas ocupadas por indígenas na região sul, o Governo do Estado solicitou a presença do Exército Brasileiro. Em reunião com produtores rurais e autoridades, nesta manhã, o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, disse que a preocupação é com a soberania nacional, em vista de relatos de produtores de que indígenas paraguaios fazem parte do movimento, que os índios classificam como “retomada” e inclui 95 propriedades em MS, contando com a fazenda Primavera, em Antônio João, ocupada no fim de semana.
O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) conversou com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, depois de solicitação do senador Waldemir Moka (PMDB). “O ministro disse que só poderia mandar o Exército com autorização do Governo do Estado. Então eu coloquei eles em contato e por telefone o governador fez essa solicitação. Isso se trata de invasão, pois ocupação é um termo para propriedades que não estão sendo usadas e não é o caso das fazendas de produtores que estão há anos ali”, disse Moka.
Segundo Riedel, o empenho do governo para resolver a questão e evitar conflitos é no sentido de articulação junto a bancada ruralista para aprovação da PEC 71 (Proposta de Emenda à Constituição), que prevê indenização, pela terra nua e benfeitorias, a proprietários de áreas declaradas terras indígenas.
“As invasões afetam não só a produção, mas o ambiente institucional, a democracia, pois há relatos de que índios do Paraguai estão vindo também. Na segunda-feira, o governador fará reunião com o Exército e a Polícia Federal, porque a polícia do MS está presente, mas precisamos de reforço”, disse.
Para os produtores e deputados que apoiam a indenização das terras, o grande problema é a omissão do Governo Federal em relação a causa. A deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB) esteve na reunião, que contou com representantes de 53 sindicatos rurais, na sede da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul). “Já estamos angustiados, desanimados, porque tudo que podemos a Assembleia Legislativa vem fazendo. Temos cobrado, pedido ajuda, porque não depende só da gente, mas do Governo Federal”, disse a deputada, que pretende propor uma CPI (Comissão de Inquerito Parlamentar) para apurar o apoio do Cimi (Conselho Indiegnista Missionário) no movimento de retomada de terras.

Manifestação
Proprietários rurais e caminhoneiros bloquearam, em dois pontos, a MS-384, na quinta-feira (27) para chamar a atenção dos governantes para a situação, agravada com a ocupação da fazenda Primavera.
A área dos guarani-kaiowá em Antônio João foi homologada em 2005 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, depois de duas décadas de reivindicação, mas o STF (Supremo Tribunal Federal) suspendeu a homologação e o caso está parado há 10 anos. Conforme o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), os índios já ergueram acampamentos nas fazendas Primavera, Pedro, Fronteira, Barra e Soberania.
CAMPO GRANDE NEWS/montedo.com

Nota do editor
As informações são bem mais preocupantes do que o relato da repórter Caroline Maldonado. Aproximadamente 200 pessoas estão em vigília no Sindicato Rural de Antônio João, onde a situação é caótica. No distrito do Campestre, pessoas brancas foram expulsas por índios que, munidos de galões de gasolina, ameaçam pôr fogo na cidade. O CIMI ( conselho indigenista missionário ) está trazendo índios do Paraguai e Bolívia pra reforçar as invasões.
As imagens abaixo registram a destruição promovida pelos invasores na fazenda Primavera, na última quinta-feira:



14 comentários:

Anônimo disse...

Realmente a questão indígena ta uma vergonha...não trabalham e querem tudo de mão beijada, e tem índios paraguaios aqui também!

Anônimo disse...

Hora dos militares serem lembrados, não é?

Anônimo disse...

Assim como o que ocorre na Venezuela que está aos frangalhos, começa por aqui também a se montar as "cortinas de fumaça" para tentar esconder a realidade do país, mais não vai dar certo, esse grupelho que comanda a nação atualmente vai cair.

Anônimo disse...

Aconteceu um fato parecido ano passado em ilhéus no sul da bahia e tropas da 10ª Bda Inf Mtz se deslocaram para lá,distante mais de 1200km e cumpriram muito bem a missão,mas pergunto onde está a PM????


Cap 2002.

Anônimo disse...

Porque não chamam a polícia ? Na hora de aumento de salário de militares estes políticos são os primeiros a puxar pra trás !

Anônimo disse...

Se não bastasse os nossos indios que já dão problema com terras e sempre querendo mais e não fazendo nada, ainda temos que dar conta dos estrangeiros...
Ta cada vez mais dificil o Brasil, todo mundo quer uma boquinha facil, já notaram que não tem governante e que todo mundo manda e poem a mão no que quiser.

S Ten Douglas disse...

Sempre por detrás dessas sandices produzidas pelos indígenas, existem essas ONGs travestidas de vários nomes, que recebem dinheiro do governo que as patrocinam, que não tem nenhum comprometimento com a causa indígena, o negócio delas é ganhar dinheiro e promover esses absurdos. Quando o Gen Heleno e outros disseram que a política indigenista desse país é ineficiente, calaram a boca dele e deram um cargo para ele em Brasília. Já tive oportunidade de conviver com essas ONGs em minhas passagens pela região Amazônica, piada, não estão nem ai para os índios. Isso é o reflexo das nossas políticas ineficientes que só fazem com que o país continue nessa mesmice e a nossa Presidente tentando tampar o sol com a peneira dizendo que: "A crise é grave, mas temos que ter amor no coração". Tenha a santa paciência.

Anônimo disse...

Chamem o Evo Morales, afinal eles que são índios que se entendam.

Anônimo disse...

É, acho que a ordem nesse país não vai ver o natal de 2015.

Anônimo disse...

Reflexão:

" Os homens e as nações só lembram de DEUS e do EXÉRCITO quando ameaçado sua sobrevivência... Passado o perigo, a maioria dos homens se esquecem de DEUS e as nações de seus Soldados."

Anônimo disse...

A Dilma é uma sogra mesmo! O Brasil está a casa da sogra. Isso que os índios fizeram me faz lembrar filmes de faroeste. Será que regredimos a tal ponto?! A presidente pede otimismo, mas não se pode esquecer da realidade.

Anônimo disse...

E a FUNAI? Saiu de mansinho? Onde estão os indigenistas que ganham para isso? Prevenir melhor que remediar. A Força Nacional e a PF não dariam conta disso? Brasil só anda aos trancos. Só vem alguma medida depois de acontecer algo grave. Isso é o pais da desGOVERNANÇA!

Lúcio disse...

Esse CIMI deveria ser imediatamente preso e processado.

Anônimo disse...

Isso tudo aí é parte do plano nefasto da esquerda brasileira e latino-ameriaca de implantar a guerra no campo para colher o COMUNISMO!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics