27 de maio de 2015

Justiça militar condena soldado do Exército que matou colega com tiro acidental

Militar que matou colega dentro do quartel é condenado
Baleado Exército Juiz de Fora (Foto: Reprodução/TV Integração)
Acidente foi no QG da 4ª Brigada de Infantaria Leve, em julho de 2014
Foto: Reprodução/TV Integração
Juiz de Fora (MG) - Foi julgado na última quinta-feira (21) o caso do soldado Rodrigo Luís de Paula Souza, 19 anos, morto com um tiro de fuzil, em julho passado, dentro da 4ª Brigada de Infantaria Leve (Montanha). De acordo com informações da 4ª Auditoria da Justiça Militar de Juiz de Fora, o réu de 20 anos, que também servia na unidade militar, foi condenado a dois anos e oito meses de detenção pela prática do crime de homicídio culposo, ou seja, aquele sem a intenção de matar. Conforme a Justiça Militar, a decisão foi unânime e o réu irá cumprir a pena inicialmente no regime aberto. O jovem tem o direito de recorrer da sentença.
Leia também:
Tiro acidental: colega foi o autor do disparo que matou soldado do Exército em MG.
Rodrigo foi alvejado no corpo da guarda, onde ficam os militares responsáveis por controlarem a entrada e saída da unidade. No momento do disparo era feita a troca de turno dos militares, e o jovem iria assumir o serviço.
As investigações do Ministério Público Militar apontavam na época que o militar que atirou estaria manuseando fuzil de forma inadequada. O caso foi tratado como acidente. (R. A.)
Tribuna de Minas/montedo.com

Um comentário:

Anônimo disse...

Infelizmente duas vidas prejudicadas, alem de suas familias, uma vida que foi perdida pela morte e outra atraves dos problemas que este ex militar tera pelo resto da vida pela morte acidental do colega.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics