28 de abril de 2015

Tenente do Exército é preso após atirar dentro de boate no ES

Militar foi ao local comemorar aniversário, na companhia do pai e de amigos.
Advogado da boate falou que estabelecimento não pode reter a arma.

Boate Next (Foto: Cedoc A Gazeta)
Boate Next (Foto: Cedoc A Gazeta)
Victoria Varejão e Ruhani Maia
Do G1 ES e de A Gazeta
Um tenente do Exército Brasileiro, de 26 anos, lotado no 38º Batalhão de Infantaria, na Prainha, em Vila Velha, Grande Vitória, foi preso por atirar dentro de uma boate, na madrugada desta segunda-feira (27), no bairro Itaparica. O militar foi à boate comemorar o aniversário, na companhia do pai e de amigos.
Procurado pelo G1, o advogado da boate Next, Roger Nolasco, informou que o estabelecimento não tem autoridade para reter a arma de quem está autorizado a entrar com ela. Segundo ele, a boate registra a entrada das pessoas autorizadas, mediante a apresentação do documento funcional, e elas assinam um documento em que se colocam responsáveis pela arma.
Juntamente a um oficial do Exército, os policiais militares conduziram o tenente para a 2ª Delegacia Regional.
Policiais militares que atenderam a ocorrência contaram que, ao serem informados sobre tiros dentro da boate, foram ao estabelecimento e, quando chegaram, um segurança da casa de shows os abordou, entregando uma pistola calibre 380.
A pistola era do tenente do Exército, que estava dentro da boate e algumas vezes havia sacado a arma, apontando-a para as pessoas que estavam no local.
Os PMs, então, abordaram o tenente, mas, segundo eles, o militar não soube explicar o que havia ocorrido. Os policiais ressaltaram que ele estava com a fala arrastada, sinais de desorientação, olhos avermelhados e hálito etílico, indicando sintomas de embriaguez.
Durante a abordagem, um dos PMs, que já estava com a pistola do tenente, chegou a perguntar a ele onde estava arma que portava. O militar, segundo o policial, afirmou que a pistola estava com ele, mas, como não a encontrou, disse que não sabia onde ela estava.
Um sargento do Exército, de 26, lotado no mesmo batalhão que o tenente, acompanhou a abordagem. Segundo os PMs, ele relatou que estava na boate, e, antes de o militar efetuar o disparo, chegou a perceber que a atitude do tenente era incompatível com a orientação da instituição. O sargento foi até os seguranças do estabelecimento, mas, enquanto ele os acionava, o tenente atirou.
G1/montedo.com

2 comentários:

Anônimo disse...

O Brasil Não Sabe Nada Sobre seus Soldados Suicidas
novembro 6, 2013

http://www.vice.com/pt_br/read/o-brasil-nao-sabe-nada-sobre-seus-soldados-suicidas

Anônimo disse...

Já vi esse filme.
Esse Sgt que deu entrevista será punido, pelos seguintes motivos:
- por não ter orientado o jovem oficial;
- estar em local incompatível ao pundonor militar e
- por ter permitido que o fato se consumasse.
Coitado.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics