30 de abril de 2015

Ex-Comandante do Exército é substituído no Conselho de Administração da Petrobrás

EB fora da Petrobras
Novo Conselho de Administração da Petrobrás (Reprodução: montedo.com)

O Exército está mesmo "prestigiado" no desgoverno Dilma: perdeu ontem o posto que tradicionalmente ocupava no Conselho de Administração da Petrobras.
Nelson Carvalho, professor da USP especializado em contabilidade e auditoria, Segen Estefen, da Coppe/UFRJ, e Roberto da Cunha Castello Branco, ex-diretor de Relações com Investidores da Vale e hoje na Fundação Getulio Vargas (FGV) fazem parte do novo Conselhão da companhia.
Também foram aprovados os outros quatro nomes já antecipados pela União: Murilo Ferreira, presidente da Vale, e que vai presidir o Conselho de Administração, Luciano Coutinho, presidente do BNDES - conselheiro desde 2007 -, Aldemir Bendine, presidente da Petrobras, e Luis Navarro, da Veirano Advogados. (R. A.)
Alerta Total/montedo.com

Nota do editor
O General Fancisco Roberto de Albuquerque, ex-Comandante do Exército no primeiro governo Lula, ocupava uma vaga no conselho desde abril de 2007.

11 comentários:

Anônimo disse...

Que judiaria, esses generais merecem a máxima contrapartida do governo, por tudo o que calaram, omitiram, sufocaram e fizeram que não viram. De que adianta sacrificar tanto a tropa se nossas excelências não receberem suas merecidas recompensas?

Anônimo disse...

Se fosse um trabalho voluntário, esse general ficaria no cargo durante oito ano?
O que trouxe de bom para a nação? O que acrescentou para os militares? Será que durante esse período fez alguma coisa para evitar os descalabros que hoje chegam ao conhecimento do povo brasileiro? E como fica a cabeça daqueles que foram submetidos ao seu comando? Aí fica a pergunta. Devemos acreditar naqueles que ficam nos palanques, enquanto a tropa agoniza no sol?
O último não se esqueça de apagar a luz.

.

Anônimo disse...

Imagine ....aprovar uma compra de uma refinaria nos EUA...logo os EUA que entra em guerra por Petróleo! O qual cidadão acreditaria que esse negócio não era maracutaia? " ...até tu brutus...?"

Anônimo disse...

Tive a oportunidade de ímpar de paticipar de uma palestra desse general, quando servi em Manaus e ele ainda era o cmt do EB. Quanta bobagem ouvida...

Anônimo disse...

É, as boquinhas só são eternas para alguns!

Anônimo disse...

O preço da subserviência era este, está pago.

Anônimo disse...

E, ainda tem general que continua a acreditar nas promessas de governo.O que estaria acontecendo com a visão "estratégica" desses homens que deveriam estar preparados para liderar? Viram serviçais do PT e pisoteados quando a Dilma bem entende. Triste exemplos.

Anônimo disse...

Como assim o EB tá fora?
Com todo o respeito esse senhor estava unicamente se beneficiando do robusto salário que percebia. Não havia qualquer ligação dele com a tropa ou qualquer benesse que ele tenha conseguido em favor do EB por ocupar o cargo do qual foi destitído.

Anônimo disse...

A grande especialidade e feito do general Albuquerque, como comandante do EB e membro do conselho da Petrobras foi fazer avião da TAM parar para ele embarcar, dando uma carteirada. Insignificante.

Anônimo disse...

o exército será mais sadio no dia em que depois de ir para reserva os genereais 4estelas, forem proibidos de exercerem cargo comissionado e afins

Anônimo disse...

Subsídio e comissões podem fazer os vencimentos de um conselheiro da Petrobrás ir a R$ 100 mil reais num mês, dependendo do período. Esse Sr. ocupou o cargo por 8 anos, façam as suas contas. Não se preocupou com a tropa quando foi Ministro, entre 2003 e 2007, quando poderia ter se esforçado em reverter os efeitos da MP do mal do EMFA e do FHC junto ao recém-empossado LULA, que beneficiou a todos os demais servidores, MENOS os militares; não seria na reserva mamando nas tetas da Petrobrás que esse Sr. se preocuparia.
P.S: tenho gravado no celular um Cel que na época trabalhou na segurança do LULA dizendo que, ao reclamar com o então Presidente dos vencimentos dos militares, o barbudo teria dito que estava dando tudo que os servidores pediam, mas que os militares simplesmente não pediam...está explicado o porquê, não é, Sr. Ex-Ministro e ex-Conselheiro?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics