25 de fevereiro de 2015

Militar perde o controle e colide carro contra poste em frente a batalhão do Exército.

Motorista bate e derruba poste na avenida São Jorge, em Manaus
Acidente ocorreu em frente ao batalhão do 1º BIS, Zona Oeste. Poste quebrou na base e só não caiu totalmente na via porque ficou suspenso pela fiação elétrica
Manaus (AM) - Um motorista perdeu o controle da direção do veículo, colidiu e derrubou um poste de energia elétrica no início da tarde desta quarta-feira (25) na avenida São Jorge, bairro São Jorge, no sentido Centro/bairro, na Zona Oeste de Manaus, em frente ao 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Bis).
O condutor não foi identificado pela reportagem, mas seria um militar que trabalha em uma unidade do Exército Brasileiro naquela região - o que será confirmado. O veículo, um Ford Fiesta Sedan de cor preta e placas JXR-3524, teve danos materiais, e ninguém ficou ferido.
Após a colisão, o poste quebrou na base e só não caiu totalmente na via porque ficou suspenso pelos fios de energia elétrica. Segundo o Manaustrans, apenas uma faixa naquele sentido da via ficou interditada e os veículos trafegavam passando debaixo do poste derrubado e suspenso.
Acionados, agentes da Eletrobrás Amazonas Energia foram ao local para retirar e trocar o poste e a fiação. A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do órgão, que ficou de responder se houve interrupção no fornecimento de energia naquela área devido a situação.
acrítica/montedo.com

7 comentários:

Anônimo disse...

Qual a velocidade em frente aos quartéis ? 20 ou 40 Km ?

Pra derrubar um poste esse militar estava nessa velocidade ?

Anônimo disse...

boa noite a todos do blog estou disponibilizando a resenha do Juremir machado do correio do povo vale como reflexão sobre o Brasil:

O perigo da venezuelização pela direita

Jamais a América do Sul se põe ao abrigo de quatro males: um golpe de Estado, uma ditadura de esquerda, uma ditadura de direita e uma goleada de uma seleção europeia. Há pouco, dizia-se que o Brasil corria o risco de uma venezuelização pela esquerda. O chavismo rondava o país. Agora, com a Venezuela dando mostras de que pode se tornar, de fato, uma ditadura, o Brasil corre o risco de uma venezuelização pela direita. Lá como cá o desejo da direita é de golpe de Estado pelas vias brandas, pero no mucho, do impeachment, de novas eleições ou de uma transição. Lá, pelo que parece, Maduro está caindo de podre. Aqui, Dilma está verdinha no segundo mandato. A oposição, porém, passadinha de lacerdismo não quer esperar mais longos quatro anos.

O lacerdismo é o mal do Brasil. Carlos Lacerda sonhava com golpes de Estado. Apoiou os que deram errado e foi cassado pelo golpe que ajudou a dar “certo”. A oposição brasileira que pede o impeachment de Dilma quer provas contra o prefeito de Caracas, preso por Maduro por suposta conspiração contra o governo. Por que não quer provas contra Dilma? Estou naquela fase em que não ponho a mão no fogo, pois sempre queima, claro, independentemente da honestidade ou desonestidade dos envolvidos. Maduro tem tudo para ser ditador. O prefeito de Caracas tem tudo para ser golpista tanto que já foi. O governo Dilma pode estar atolado no petrolão. Por que, num caso desses, o presidente do DEM, o pretenso moralizador José Agripino Maia, não estaria atoladinho no escândalo do Detran do Rio Grande do Norte? Não sei. Continuo acreditando em provas.

Sou bobo velho. Sei que, dependendo dos casos ou envolvidos, elas são um mero detalhe.

Maduro vai cair cedo ou tarde. Quando o vejo com aquele abrigo de treinador de futebol de quinta divisão com as cores da bandeira da Venezuela, torço que caia logo. Canastrão. Assim a Venezuela deixará de ser pauta. Os 90% de miseráveis retornarão às suas periferias, a democracia formal será restabelecida e ninguém mais se interessará por um país fulminado pela queda do preço do petróleo, que voltará a financiar apenas os ricos. Alguém fala do Haiti? A Coreia do Norte não sai da boca do povo. É uma ditadura nojenta dominada por um ditador maluco. A Arábia Saudita, outra ditadura nojenta, não atrai tanta atenção. Por que será? Deve ser pela mesma razão que o caso HSBC não dá tantas manchetes. Ou isso já é teoria da conspiração?

Por mim, derrubava todos. Ando louco da vida. A passagem do ônibus aumenta quase o dobro da inflação. A correção da tabela de imposto de renda, pouco mais da metade. O governo de esquerda quer engolir direitos trabalhistas, que a direita finge defender. É muito para a minha cabeça oca. Quero bola no chão. Quando será que direita e esquerda no Brasil vão se acostumar com a regra do jogo: perde, espera quatro anos, tenta de novo. O PSDB se parece cada vez mais com a UDN. Só falta um Carlos Lacerda.

O Corvo era um inescrupuloso brilhante. A turma de hoje só cabe no primeiro qualificativo.

Os interesses são os mesmos: tirar o “trababalhismo” do poder, mesmo que seja pelo golpe, e privatizar a Petrobras. A diferença é o tamanho dos escândalos. As cifras de hoje constrangem às de ontem.

sensato e bem apropriado pelo o que o país esta passando o povo é mero fantoche na mão dos senhores públicos.
abraço montedo excelente blog sucesso

Anônimo disse...

Pela forma da matéria era um oficial.

Anônimo disse...

É só ver a foto de perto. Onde aperece à frente do carro e o poste. Tem uma placa bem nítida mostrando o limite de 40 km/h.

Anônimo disse...

LICENÇA ESPECIAL NÃO GOZADA pode gerar INDENIZAÇÂO.
Matéria de muita discussão vem sendo a questão das licenças especiais não gozadas e a inutilidade da averbação de tempo de serviço em dobro para aqueles que permaneceram na ativa por mais de 30 anos.

Muitos militares que engajaram nas Forças Armadas, ainda na égide da antiga Lei de Remuneração dos Militares, viram naufragar vários direitos que restaram suprimidos pela reforma da Lei 3.765, de 4 de maio de 1960, com as alterações promovidas pela MEDIDA PROVISÓRIA No 2.215-10, DE 31 DE AGOSTO DE 2001

Um destes direitos que foi extinto era a denominada LICENÇA ESPECIAL (LE). Trata-se de uma licença remunerada de seis meses que deveria ser concedida a todos os militares, a cada período de 10 anos de efetivo serviço.

Ocorre que muitos militares não conseguiam usufruir imediatamente do benefício legal ao final dos turnos de 10 anos de serviço, e após a edição da MEDIDA PROVISÓRIA No 2.215-10, DE 31 DE AGOSTO DE 2001, foram ainda orientados a averbarem as LE não gozadas em tempo ficto de serviço, em dobro, para fins de reserva remunerada.

Tal perda passou a ser questionada judicialmente, especialmente por militares que acabaram sendo reformados sem gozarem a licença e por aqueles que passaram para a reserva remunerada somente após completarem mais de 30 anos de efetivo serviço, sem aproveitamento da averbação para reduzir a permanência nas FA.

Assim, levado o caso ao Judiciário, finalmente o Tribunal Regional Federal, em julho de 2014, confirmando a procedência de uma ação, em sólida decisão, declarou tratar-se não só de um direito adquirido, mas também, reconhecendo a inutilidade da averbação de tempo de serviço fictício, que os militares nestas condições deverão ser indenizados, sob pena de enriquecimento ilícito da União.

Todavia, o Tribunal também reconheceu que o direito em converter a LE em pecúnia está limitado ao prazo prescricional de cinco anos, cujo início da contagem é a data do licenciamento ou da reforma do militar.

Por fim, alerto os militares que já se encontram na inatividade, e que se enquadram na situação descrita, que não percam de vista o prazo prescricional para reivindicarem o seu direito pecuniário.

Outrossim, convido a fazerem contato sobre as medidas judiciais cabíveis.

UnifaxBrasil@gmail.com / Telefone (32) 9107-4912 (32) 8822-0240 - Atenciosamente, Kelma Costa

Anônimo disse...

Este BLOG é Ótimo! Trata com imparcialidade as notícias, expondo as coisas boas e ruins que cercam a nossa vida militar.

Muitos comentários de colegas são interessantes e produtivos... MAS

É impressionante que SEMPRE, mas SEMPRE tem algum frustado, para fazer comentários ridículos e fora de contexto como o companheiro acima que disse:

"Pela forma da matéria era um oficial"

O que que tem a noticia com o fato de ser oficial??? Eu como sargento não entendo isso! O que impede de ser um Sd, Cb, Sgt?!?!?

Por causa de militares com este pensamento que temos um mau ambiente de trabalho e que o bom sargento trabalha muito pois sempre tem um oficial ou sargento vagabundo encostado reclamando dos outros. Vagabundo e bom militar tem em todos os circulos!

Anônimo disse...

O poste é frágil, caiu por isso, pois o militar estava a 40 Km/h.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics