31 de janeiro de 2015

MG: aluno com a nota mais alta do Sisu na UFJF desistiu da carreira militar.

Com 814 pontos, Daniel Lana passou para o curso de medicina.
Ele era aluno da EpcAr, uma das principais escolas militares de Minas.
daniel lana1 (Foto: Daniel Lana/Arquivo Pessoal)
Daniel cursou o ensino médio na EpcAr entre 2011 e 2013 (Foto: Daniel Lana/Arquivo Pessoal)
Rafael Antunes
Do G1 Zona da Mata
Juiz de Fora (MH) - O mineiro Daniel Ferreira Lana e Silva, de 20 anos, estava prestes a entrar para a Aeronáutica, em 2013, depois de estudar em um dos principais colégios militares do país, a Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EpcAr), em Barbacena, no Campo das Vertentes. E ser aluno da EpcAr é enfrentar um processo seletivo pesado. Para se ter ideia, em 2014 foram mais de nove mil estudantes disputando as 180 vagas disponíveis, em uma bateria de testes que durou cerca de cinco meses, entre provas objetivas de diversas disciplinas, inspeção de saúde, teste físico, exame psicológico e concentração final. Depois de fazer os três anos do ensino fundamental na Escola Preparatória, Daniel jogou a toalha: deixou a carreira militar para trás e foi tentar o vestibular de medicina na Universidade Federal de Juiz de Fora(UFJF). Resultado: foi o aluno com a maior pontuação na instituição, somando 814,02 pontos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
O segredo para o sucesso, o estudante entrega sem rodeios: disciplina. “O mais importante é a disciplina, o foco nos estudos. Você precisa ter vontade de passar e colocar isso na cabeça”, disse.
E persistência. Porque este não foi primeiro vestibular da UFJF que Daniel encarou. Em 2013, o estudante conseguiu fazer 722 na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cerca de 90 pontos a menos do que precisava para garantir uma das 180 vagas disponíveis para a faculdade de Medicina. “Ali, o que me atrapalhou foi a redação. O estilo cobrado no Enem era diferente do que eu estava acostumado a fazer na escola”, disse.
A tentativa frustrada só serviu para estimulá-lo ainda mais. A redação, que foi uma decepção em 2013, agora teve um papel importante na conquista do estudante. Daniel conseguiu tirar 960 pontos, ficando a 40 pontos da nota máxima. "Para melhorar meu texto, procurei um cursinho com algum professor apto a trabalhar essa parte. Isso foi o que me ajudou e o que moldou minha redação." O agora universitário contou que precisou fazer vários textos para se acostumar a escrever para a prova. "Pelo menos uma vez por semana eu tinha que produzir um (texto). Às vezes, eu tinha que buscar temas de anos anteriores ou pesquisar assuntos atuais na internet", lembrou.
Daniel cursou o ensino fundamental em uma escola particular de Barbacena. Depois, foi para uma escola pública, onde concluiu os dois primeiros anos do ensino médio. Quando passou para a EpcAr, ele começou o primeiro ano novamente. Mesmo tendo perdido dois anos em relação aos colegas da mesma idade, o jovem sabe que a disciplina militar foi essencial. “A rotina pesada sempre me ajudou muito, principalmente na disciplina. Você se acostuma a fazer tudo no horário certo, inclusive estudar”, afirmou.
Medicina nem sempre foi a primeira opção do estudante. Ele chegou a cogitar seguir carreira na Aeronáutica. “Eu entrei com dúvidas. Em alguns momentos, queria continuar, em outros não. O que pesou foi a falta de afinidade com a carreira em si. O que me ajudou a decidir foi a orientação vocacional que tive com uma psicóloga da escola”, disse.
Assim que se formou na EpcAr, em 2013, Daniel começou a estudar por conta própria. Em alguns momentos, priorizava os estudos a todo custo e esquecia do lazer e da diversão. No entanto, viu que não conseguia render a mais por causa disso. Em 2014, não quis repetir os erros. Fez questão de tirar algumas horas por dia para passar com seus pais e suas duas irmãs.
As matrículas dos novos alunos da UFJF acontecem nos dias 2 e 3 de fevereiro e variam de acordo com o curso, conforme pode ser verificado neste link. O início das aulas está previsto para a primeira semana de março.
G1/montedo.com

22 comentários:

S Ten Pedro disse...

Vaia com Dios, sem medo de ser feliz!

Anônimo disse...

Só fez o certo!

Sargento Marcos Pinto disse...

Isto aqui vai ficar lotado de comentários de praça revoltadinho , quer ver só ? rssssssss , igual postagem que fala de aumento ...

Anônimo disse...

Bom dia, primeiro acho que o companheiro Sgt Marcos Pinto não interpretou direito, a decisão do ex-aluno da EPCAR, ele deixou a força não pelo lado financeiro e sim por verificar que não seria feliz na profissão militar e por decidiu sair para seguir outro caminho, momento algum ele falou em situação financeira, na realidade nosso lado financeiro está péssimo, na minha OM apenas 10% não tem empréstimo no conta cheque, fora limite de banco estourado e etc..., por isso vamos refletir como mudar esta situação crítica que estamos passando e principalmente nossos companheiros estão morrendo fazendo papel de policia para qual não somo formados e sendo pagos com mísera representação de 2% do soldo, por isso um abraço a todos.

Ten REIS disse...

Fez a coisa certa, agora não vai ter que aturar a podridão que ronda as FAs, e nem vai ficar de mimimi aqui no blog.kkkkkkkk

Anônimo disse...

Os praças também podem ir embora, não são obrigados a ficar. Além disso a necessidade de mão de obra não especializada neste Brasil amado.

Anônimo disse...

Acontece que há vinte anos, os jovens não tinham informação e nem acesso a educação superior, pois só rico estudava, sendo que, umas das únicas forma de conseguir emprego, era através de concursos militares. Hoje essa realidade mudou, os jovens tem uma infinidade de informação sobre concursos bons e acesso a uma infinidade de cursos de educação superior. VIVA A ERA DA INFORMAÇÃO!

S Ten Washington disse...

Podem ter certeza que foi a melhor coisa que ele poderia ter feito... na aeronáutica ele estaria arriscando a vida a troco de uma tal de "vocação"... aviões sem manutenção por falta de investimento é claro... pq os mecânicos são do mais alto gabarito profissional... e todos sabemos que o Titanic... digo...o Costa Concórdia... esta afundando... isso vale para as três Forças... com certeza lá na frente ele verá que fez a opção correta... felicidades a esse excelente e dedicado aluno...

Anônimo disse...

Como médico deve ter ganhos superiores a 30 mil reais, isso se for apenas clínico, se for cirurgião, pelo menos 50 mil. Quando um tenentinho vai ganhar isso, jamais, tem que esperar 20 anos pra ganhar 10 conto como coronel e olha lá, tendo que engolir sapo durante toda a carreira.

Anônimo disse...

Sábia decisão

Alexsandro 1 Sgt disse...

Mas... Depois de 4 anos contando a época da preparatória ele seria 2º Ten. Preferiu ser médico? Mas abriu mão do status de oficial aviador? Para ser médico? Mas um piloto de caça da FAB não ganha por volta de uns R$ 15.000,00 e não mora em casa da FAB? Sou 1º Sgt EB tenho o pior salário do executivo federal e nem penso em sair. Quando me formei falaram que seria major na reserva e subtenente com 17 anos de caserna. Hoje com 20 anos de casa sem punição e com duas fronteiras e algumas medalhas só vou pensar em sair sub véio com 22 anos de farda. E depois os meninos da AMAN me dizem: "Você sabia como era porque não estudou?" Respondo porque me enganaram. Agora depois que passei fome com a família pelo Brasil pagando aluguel caro em SP e no RS fui forçado, repito forçado a fazer concurso para passar pra ser segurança do TRT pra ganhar míseros R$ 7.800,00 e vou trabalhar dirigindo ford fusion 2015 de segunda a sexta de camisa e calça social. Queria tanto ficar ganhando R$ 3.900,00.

Anônimo disse...

Na certa o ex-futuro piloto viu a matéria no G1 (link no final do texto) em que mostra o trabalho do porteiro que 'tira a falta' dos Deputados Federais lá em Brasília.
O servidor em questão ganha de remuneração mais de 20 mil reais para fazer o o complexo trabalho de vigiar a entrada dos Deputados marcar a presença dos mesmos, algo que a tecnologia de que dispomos hoje poderia muito bem resolver, mas vamos deixar esse detalhe pra lá.
Pois bem, matando a cobra e mostrando o pau, informo que o servidor em questão chama-se RAIMUNDO NONATO DOS NASCIMENTO DIAS.
Quem tiver a curiosidade em certificar o que digo basta entrar no site http://www2.camara.leg.br/transpnet/consulta

Link da matéria do portal G1 sobre o porteiro da Câmara:
http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/01/conheca-o-homem-que-controla-os-bastidores-da-camara-federal.html

Aê, Montedo ! O Sr. pode até fazer uma matéria comparando a remuneração do servidor na atividade subalterna lá do Congresso com do um militar das Forças Armadas.

Anônimo disse...

Inteligência não serve apenas para estudar e passar em concursos, serve também para saber fazer as escolhas certas. Parabéns pela escolha, no cenário atual, não há dúvidas de que escolheu o melhor caminho. Boa sorte.

Anônimo disse...

Tá todo mundo metendo o pé! Quem ficar favor apagar a luz!!!

Anônimo disse...

Deve tá doido, trocar o salário de Ten pelo de médico, principalmente depois do AUMENTO "imenso" que tá para chegar em março!!! Interna logo que pode ser contagioso....Daqui a pouco não tem ninguém para pilotar as aeronaves da FAB!!!!

S Ten Pedro disse...

"Os praças também podem ir embora, não são obrigados a ficar. Além disso "a" necessidade de mão de obra não especializada neste Brasil amado."

"Há" também carência de analfabetos funcionais e de brasileiros que falem e escrevam corretamente na língua pátria oficial, o português.

Anônimo disse...

quanto ao comentarista que disse que foi enganado na sua época, concordo com ele, pura verdade.

realmente as pespectivas da carreira eram outras, nego dava baixa da PRF e PF para fazer ESA.

entretanto, da última década pra cá, os novos sgt não podem se queixar de que não foram avisados da 'boca podre'

pois, hoje os próprios sgt monitores da ESA e até alguns oficiais instrutores fazem o trabalho de alerta aos futuros sgt, ainda na condição de alunos do CFS.

os teimosos, quando não houve o bodão antes do CAS: se tudo der certo, não farei o CAS, o ouvem na própria EASA nos bancos escolares.

me formei em 2000, passou-se 15 anos, eu e minha turma só experimentaram uma promoção - 2º sgt - fora os baixos salários, política de mov lascada, sem PNR e aux moradia, etc...

Anônimo disse...

Não muda nada nesse blog, um recanto para lamúrias , briga entre praças e oficiais, militar usando o nome de outro para se esconder e tumultuar o ambiente, invejosos e ressentidos,trabalhem e estudem, quem sabe assim a situação melhora. Leo ( Motorista do STJ )

Anônimo disse...

cala sua boca motora do STJ, vc não faz mais parte do caldeirão militar....

aqui é o ambiente de discussão e exposição de pensamentos

fora!!!!

Anônimo disse...

Só não faço o mesmo porque não quero perder o status de "SARGENTO DO EXÉRCITO"...

Anônimo disse...

Eu acho o seguinte: Quem quer respeito não o pede, e sim faz por merecer. Nas nossas vidas nos acostumamos a ficar reclamando e apontando culpados como "quando entrei fui enganado", " esse governo não aumenta meu salário" , etc. Quem não está contente que procure meios de sair e crescer profissionalmente. A todos tenham muito cuidado para não deixaro inconformismo se tornar comodismo. ( Graduado da FAB e estudante de Direito)

Anônimo disse...

O rapaz fez a melhor opção mesmo! As pessoas tinham que tentar entender que quando optamos pela carreira militar, estamos abrindo mão de fazer qualquer outra coisa na vida, pois ficaremos restritos a uma coisa que chamam de "DEDICAÇÃO EXCLUSIVA". Isto nos impede de praticamente tudo que for diferente da vida militar por muito pouco salário, mesmo quando vamos para a reserva. Basta ver os militares que apesar de estarem na reserva estão sendo impedidos de lecionar em colégios públicos, embora a presidente Dilma tenha falado em prioridade para a Educação. Portanto, é muito melhor escolher uma carreira de característica civil e se manter nela, principalmente se o cara tem aptidão para uma boa carreira que é a de médico. Já foi tempo em que carreira militar prestava. Atualmente, faço tudo para minha filha nem pensar em seguir essa carreira. Outra coisa é que existe, neste governo, um plano para colocar as FFAA em terceiro categoria, ficando afastada numa insignificância para o país, atrás até das Guardas Municipais. Fiquem de olho!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics