30 de novembro de 2014

Iraque descobre que tem 50 mil soldados fictícios no exército

País pagava salários a quase quatro divisões inexistentes
Investigação teve início com uma contagem rigorosa dos militares durante o último pagamento | Foto: Younis Al-Bayati / AFP / CP
Investigação teve início com uma contagem rigorosa dos militares durante o último pagamento | Foto: Younis Al-Bayati / AFP / CP
O primeiro-ministro iraquiano Haidar al Abadi anunciou neste domingo que intensificará a luta contra a corrupção depois de descobrir que o país pagava salários a 50 mil soldados fictícios, o que implica quase quatro divisões. A informação consta em um comunicado oficial.
A investigação teve início com uma contagem rigorosa dos militares durante o último pagamento. "Há dois tipos de soldados fictícios", explicou um oficial. "No primeiro caso, cada oficial é autorizado, por exemplo, a ter cinco soldados. Ele fica com dois e manda três para casa, e embolsa seu salário ou parte dele". "No segundo caso, acontece em nível da brigada. Um comandante de brigada pode ter 30, 40 ou mais soldados, mas a maioria fica em casa ou não existe". "O problema é que o comandante, para conservar seu posto, deve pagar subornos a seus próprios superiores", acrescentou.
Por este motivo, praticamente nenhum dos milhares de soldados que desertaram ou perderam a vida este ano no Iraque foram dados como baixa do exército. Em junho, no início da ofensiva do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), o exército iraquiano sofreu uma autêntica debandada. Desde que assumiu suas funções em setembro, Abadi destituiu ou aposentou uma parte da cúpula militar e agora pretende lutar contra a corrupção e o clientelismo que cresceu sob comando de seu antecessor, Nuri al Maliki.
CORREIO do POVO/montedo.com

4 comentários:

Anônimo disse...

Não espalhem esse tipo de notícia por aqui senão "alguns" acostumados a desvios vão montar algo parecido.Comparando com eles, o governo petista éum exemplo de lisura.

Anônimo disse...

Não vai muito longe.... Nós tivemos nossa Companhia fictica... Ou o Caso CPEX já foi esquecido...

Anônimo disse...

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/deutschewelle/2014/12/01/ex-guarda-expoe-atrocidades-do-regime-da-coreia-do-norte.htm

http://tribunadoceara.uol.com.br/noticias/segurancapublica/subtenente-nega-acusacoes-e-seu-advogado-acusa-esposa-de-assassinar-o-filho-para-culpar-militar/

http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2014/12/01/pericia-deixa-em-aberto-causa-de-morte-de-jango-e-nao-encontra-sinal-de-veneno.htm

http://www.forte.jor.br/2014/12/01/150-anos-depois-guerra-ainda-e-ferida-aberta-no-paraguai/

http://www.naval.com.br/blog/2014/12/01/contrato-de-inspecao-da-catapulta-de-vante-do-nae-sao-paulo/

http://www.naval.com.br/blog/2014/12/01/termo-aditivo-ao-contrato-de-modernizacao-dos-jatos-af-11a-da-marinha-do-brasil-pela-embraer/

Anônimo disse...

É que lá não tem o maravilhoso exame de pagamento realizado todos os meses por um oficial e sargentos...
Se tivesse nãi sei se sairia correto pois todos fazem a culha aqui tambem por não saberem e não ter conhecimento de administração, RH ou economia.
Se tivessem lá, já tinham plotado a tempos...

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics