11 de setembro de 2014

Parceria vai alavancar indústria de defesa no Brasil e no Chile

Acordo bilateral
Entre assuntos abordado entre dois países, estão defesa cibernética e cooperação na área espacial
Divulgação/PH Freitas
Representantes dos ministérios da Defesa do Brasil e do Chile estão reunidos em Brasília para empreender e impulsionar as iniciativas previstas em acordos já assinados entre os dois países. Um dos objetivos do encontro é o desenvolvimento de ações conjuntas no sentido de alavancar a Base Industrial de Defesa de ambas nações.
“As ações desenvolvidas por esse acordo bilateral certamente terão como consequência direta a geração de empregos, a capacitação cientifico-tecnológica e o desenvolvimento dos setores de ponta”, disse o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi, durante a abertura do VII Encontro do Grupo de Trabalho Bilateral de Defesa Brasil-Chile.
O general falou sobre os projetos empreendidos pelos dois países, desde o acordo de cooperação firmado em 2009, e ressaltou o fato de Brasil e Chile estarem em “estágios semelhantes de desenvolvimento”. De Nardi falou ainda sobre a importância das parcerias que a Defesa nacional tem firmado com os países vizinhos da América do Sul. “Esses ganhos não seriam possíveis por meio de ações isoladas”, disse.
Dentre os temas debatidos no encontro destacaram-se os das áreas de defesa cibernética, catalogação, doutrinas conjuntas, cooperação na área espacial, monitoramentos ambiental e meteorológico e desenvolvimento tecnológico e industrial de defesa.
Para o vice-chefe de Assuntos Estratégicos, vice-almirante José Carlos Mathias, esse encontro, que acontece a cada dois anos, é fundamental para estabelecer a confiança mútua entre Brasil e Chile.
“Essas reuniões nos trazem novas oportunidades, não só para aumentar a confiança entre os dois países, como também para desenvolvermos mecanismos de defesa e a nossa base industrial de defesa”, disse.
Estiveram presentes no encontro, o subsecretário de Defesa do Chile, Sr. Marcos Robledo Hoecker, embaixador do Chile no Brasil, Jaime Gasmuri Mujica e chefe do Estado Maior Conjunto, vice-almirante José Miguel Romero. Pela comitiva brasileira, o Chefe de Operações Conjuntas (CHOC), almirante de esquadra, Ademir Sobrinho, chefe de gabinete do EMCFA, general-de-divisão Roberto Severo Ramos e Subchefe de Assuntos Internacionais, general-de-divisão Décio Luís Schons.
Na parte da tarde, o grupo se dividiu em subgrupos para debates específicos. A Comitiva Chilena permanece no Brasil até o dia 11 cumprindo agendas na área de tecnologia e Defesa.
Fonte: Ministério da Defesa
Portal Brasil/montedo.com

Um comentário:

Anônimo disse...

E o salario que é bom nada....

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics