26 de setembro de 2014

Generais de quatro estrelas da reserva lançam manifesto contra Comissão da Verdade.

Manifesto de generais de alta patente da reserva ataca Comissão da Verdade
Os generais, ex-integrantes do Alto Comando do Exército e antigos comandantes de importantes unidades militares de todo o Brasil, justificam a necessidade do manifesto, lembrando que militares da ativa não podem dar declarações políticas, mas que os da reserva, que podem falar, "têm justos motivos para replicarem com denodada firmeza" para que não pareça estar em vigor o famoso ditado 
"Quem cala consente!".
O manifesto reforça e endossa declaração já dada, no início da semana, pelo excomandante Militar da Amazônia, o também general quatro estrelas da reserva Augusto Heleno, que reiterou que, em nenhum momento, as Forças Armadas reconhecem a tortura ou pediram desculpas e que este gesto veio do ministro Celso Amorim.
No manifesto, assinado pelos ex-ministros Leonidas Pires Gonçalves (do Exército, no governo Sarney) , Zenildo Zoroastro de Lucena (do Exército, no governo Itamar e Fernando Henrique) e Rubens Bayma Denys (da Casa Militar, no governo Sarney), quatro ministros do Superior Tribunal Militar e outros 20 quatro-estrelas da reserva, os militares ressaltam que existe uma lei da Anistia em vigor que a Comissão da Verdade insiste em desconsiderá-la.
Os generais lembram ainda que viveram "uma época de conflitos fratricidas, na qual erros foram cometidos pelos dois lados". E prosseguem: "nós, que vivemos integralmente este período, jamais aprovamos qualquer ofensa à dignidade humana, bem como quaisquer casos pontuais que, eventualmente surgiram". 
Citam também que "os embates não foram iniciados" por eles "pois não os desejávamos" e que não se pode esquecer do "atentado no aeroporto de Guararapes". Eles se referem à explosão de uma mala que matou 16 pessoas no local onde o avião do ex-presidente Costa e Silva iria pousar e não o fez por uma pane no aparelho.
Os generais criticam a Comissão da Verdade, afirmando que "a credibilidade" dela vai  gradativamente se esgotando pelos inúmeros casos que não consegue solucionar, tornando-se não somente um verdadeiro órgão depreciativo das Forças Armadas, em particular do Exército, como um portal aberto para milhares de indenizações e "bolsas ditadura", que continuarão a ser pagas pelo erário público, ou seja, pelo povo brasileiro". Afirmam ainda que "falsidades, meias verdades,
ações coercitivas e pressões de toda ordem são observadas a miúdo, e agora, de modo surpreendente, acusam as Forças Armadas de não colaborarem nas investigações que, em sua maioria, surgem de testemunhas inidôneas e de alguns grupos, cuja ideologia é declaradamente contrária aos princípios que norteiam as nossas instituições militares".
Ainda no manifesto, os generais lembram que "o lado dos defensores do Estado  brasileiro foi totalmente apagado", sugerindo que ali "só existem criminosos e torturadores". Mas destacam que, "por outro lado, a comissão criou uma grei constituída de guerrilheiros, assaltantes, sequestradores e assassinos, como se fossem heroicos defensores de uma "democracia" que, comprovadamente, não
constava dos ideais da luta armada, e que, até o presente, eles mesmos não conseguiram bem definir". E ironizam: "seria uma democracia cubana, albanesa ou maoísta? Ou, talvez, uma mais moderna como as bolivarianas?" 

Íntegra do MANIFESTO À NAÇÃO BRASILEIRA, assinado pelos militares
"Nós, Generais-de-Exército, antigos integrantes do Alto Comando do Exército e antigos Comandantes de Grandes Unidades situadas em todo o território nacional, abominamos peremptoriamente a recente declaração do Sr. Ministro da Defesa à Comissão Nacional da Verdade de que as Forças Armadas aprovaram e praticaram atos que violaram direitos humanos no período militar. Nós, que vivemos integralmente este período, jamais aprovamos qualquer ofensa à dignidade
humana, bem como quaisquer casos pontuais que, eventualmente surgiram. Vivíamos uma época de conflitos fratricidas, na qual erros foram cometidos pelos dois lados. Os embates não foram iniciados por nós, pois não os desejávamos. E, não devemos nos esquecer do atentado no aeroporto de Guararapes.
A credibilidade dessa comissão vai gradativamente se esgotando pelos inúmeros casos que não consegue solucionar, tornando-se não somente um verdadeiro órgão depreciativo das Forças Armadas, em particular do Exército, como um portal aberto para milhares de indenizações e "bolsas ditadura", que continuarão a ser pagas pelo erário público, ou seja, pelo povo brasileiro. Falsidades, meias verdades, ações coercitivas e pressões de toda ordem são observadas a miúdo, e agora, de
modo surpreendente, acusam as Forças Armadas de não colaborarem nas investigações que, em sua maioria, surgem de testemunhas inidôneas e de alguns grupos, cuja ideologia é declaradamente contrária aos princípios que norteiam as nossas instituições militares.
A Lei da Anistia - ratificada em decisão do Supremo Tribunal Federal e em plena vigência - tem, desde a sua promulgação, amparado os dois lados conflitantes. A Comissão Nacional da Verdade, entretanto, insiste em não considerar esse amparo legal. O lado dos defensores do Estado brasileiro foi totalmente apagado. Só existem criminosos e torturadores. Por outro lado, a comissão criou uma grei constituída de guerrilheiros, assaltantes, sequestradores e assassinos, como se fossem heroicos defensores de uma "democracia" que, comprovadamente, não constava dos ideais da luta armada, e que, até o presente, eles mesmos não conseguiram bem definir. Seria uma democracia cubana, albanesa ou maoísta? Ou, talvez, uma mais moderna como as bolivarianas?
Sempre que pode a Comissão Nacional da Verdade açula as Forças Armadas, exigindo que elas peçam desculpas. Assim, militares inativos, por poderem se pronunciar a respeito de questões políticas, têm justos motivos para replicarem com denodada firmeza, e um deles é para que não vigore o famoso aforismo "Quem cala consente!". Hoje, muitos "verdadeiros democratas" atuam em vários níveis de governo, e colocam-se como arautos de um regime que, paulatinamente, vai
ferindo Princípios Fundamentais de nossa Constituição. O que nós, militares fizemos foi defender o Estado brasileiro de organizações que desejavam implantar regimes espúrios em nosso país. Temos orgulho do passado e do presente de nossas Forças Armadas. Se houver pedido de desculpas será por parte do ministro.
Do Exército de Caxias não virão! Nós sempre externaremos a nossa convicção de que salvamos o Brasil!"

GENERAIS-DE-EXÉRCITO SIGNATÁRIOS
LEONIDAS PIRES GONÇALVES (*); ZENILDO DE LUCENA (*); RUBENS BAYMA DENYS (*), JOSÉ ENALDO RODRIGUES DE SIQUEIRA (**); JOSÉ LUIZ LOPES DA SILVA (**); VALDÉSIO GUILHERME DE FIGUEIREDO (**); RAYMUNDO NONATO CERQUEIRA FILHO (**); PEDRO LUIS DE ARAÚJO BRAGA; ANTÔNIO DE ARAÚJO MEDEIROS; FREDERICO FARIA SODRÉ DE CASTRO; LUIZ GONzAGA SCHOROEDER LESSA; GILBERTO BARBOSA DE FIGUEIREDO; RÔMULO BINI PEREIRA; CLAUDIO BARBOSA DE FIGUEIREDO; DOMINGOS CARLOS DE CAMPOS CURADO; IVAN DE MENDONÇA BASTOS; PAULO CESAR DE CASTRO; LUIZ EDMUNDO MAIA DE CARVALHO; LUIZ CESÁRIO DA SILVEIRA FILHO; CARLOS ALBERTO PINTO E SILVA; JOSÉ BENEDITO DE BARROS MOREIRA; MAYNARD MARQUES SANTA ROSA; RUI ALVES CATÃO; AUGUSTO HELENO RIBEIRO PEREIRA; RUI MONARCA DA SILVEIRA; AMÉRICO SALVADOR DE OLIVEIRA; e GILBERTO BARBOSA ARANTES.
(*) - ANTIGOS MINISTROS DE ESTADO
(**) - ANTIGOS MINISTROS DO STM"
ESTADÃO/montedo.com

22 comentários:

Anônimo disse...

A convicção de terem salvado o Brasil me parece coisa de filme estilo Forest Gump.....
Esqueceram mesmo foi de terem salvado a tropa do atual quadro lastimável em que se encontram. Endividados, atolados em empréstimos consignados, a mercê dos agiotas e do FAM. Salários extremamente defasados e um desespero no semblante, particularmente, dos Sargentos......Esse manifesto só servirá para aguçar a ânsia de vingança dessa Comissão. Os senhores, agora, estão sentindo o peso da mochila que sempre colocaram nas costas dos Sargentos....Agora não tem como atribuir a culpa às praças....Desejo aos senhores uma boa colheita.....Agora é tarde!!!!! Essa "injustiça" que os senhores tanto falam, é a mesma que uma praça sente no decorrer de 30 anos de serviço....Parabéns pela plantação que fizeram quando comandavam........Como fizeram tanto pelos seus subordinados colherão uma boa safra de joio.....É a Lei do retorno......

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o companheiro do comentário de 23h:36min.....Esses Generais fanfarrões e parlapatães, no auge da concentração do poder, deveriam ter feito a transição Econômica do Estado antes da Política, assim os militares estaríamos sendo lembrados como merecem.
Não adianta ficar fazendo pesquisa de opinião para caracterizar a confiança da população, se o salário não condiz com a realidade.....Muito bonitinha a carta!!!!! Penso que os militares desejam algo mais....Ação, atitude, postura firme!!!! Esse Exército tem Comandante??????

Anônimo disse...

Infelizmente viveram de muita hipocresia, bajulação e pouca verdade...sempre sugando os praças e deleitando-se em privilégios imorais... assim é a vida dos Ofiças...ao final da vida todos somos iguais..vamos pra mesma vala... agora recebem a Proteção do seu circulo...ou seja nenhuma..cada um correndo atrás do seu...Infelizmente queria acreditar em um Exército com homens de valores...que na verdade não passa de pilantragens...PS: cuidados com suas aposentadorias...poderão ser cassadas!

Anônimo disse...

quando na ATIVA, o que manisfetaram?

Anônimo disse...

Parabens ao comentario ai em cima...
Vale LEMMBRAR que aos que estão aqui,
UM DIA IRÃO PARA A RESERVA TAMBÉM...
E O PESO DA MOCHILA AO QUAL O COMPANHEIRO AI ESTÁ FALANDO SERÁ INEVITÁVEL....
PENSE NISSO!!!!!
SO LEMBRETE QUEM SEMEIA O "MAL"...
COLHE O "MAL" T DA MALDADE....!!??


Anônimo disse...

Só uma perguntinha, vale apenas chutar cachorro morto?

Anônimo disse...

Só tem leão...

Anônimo disse...

Acho que matei a charada dessa reação extemporânea. Os generais parecem ter sentido frio na espinha pela ameaça da CNV de cassar a aposentadoria de alguns... Medinho!!!

Anônimo disse...

É bom lembrar a quem faz dividas,empréstimos e vivem atolados respondem individualmente por suas ações e isso não tem nada a ver com aumento de salário que é um justo ganho para todo grupo.Quem não consegue carregar a mochila não deveria vestir farda. Estamos no mesmo barco e se furarem o casco todos vão afundar.O manifesto está correto.

Selva!

Anônimo disse...

Salvadores da pátria. Ahã.

Anônimo disse...

Concordo em parte com os Generais. Só lamento que na época que poderiam fazer alguma coisa pelas Forças Armadas não o fizeram. Tenho 30 ANOS DE Sv e sempre ví superiores preparando o colchão pra quando fossem pra reserva terem indicações par secretarias, gabinetes, etc. Agora realmente é colher o que não plantaram. É a "LEI DA AÇÃO E REAÇÃO", não tem como evita-la.
Subão!

Anônimo disse...

Comentário de 10:24h.
O Sr deve ser um daqueles ecêmicos que sempre estiveram nas mordomias dos gabinetes em busca de uma desculpa para ferrar praça.....Viva com um salário de um 3º, 2º, 1º Sgt ou ST, com filhos adolescentes cheio de potencial pra ver se você não ser obrigado a se endividar para proporcionar a melhor educação pra eles. Quando o colega cita a situação financeira, não se trata de responsabilidade individuais, se trata de um quadro de DESGRAÇA na vida das praças que precisam manter suas famílias e dar o melhor para a família, pois é previsto em regulamento. A mesma necessidade de um 1º Sgt ou ST é a mesma do Major, TC, mas a realidade é diferente.....Então camarada, essa é a metáfora da mochila que o colega fala......Pesa muito mais para as praças!!!!

Anônimo disse...

Quando estavam no poder, a grande maioria se aposentava e ocupava cargos nos diversos órgãos públicos em todas as suas esferas (Governador, prefeituras, estatais, etc). Eu quando sai Sgt em 1974 e fui para a tropa pude perceber quantos sangue azul existiam. Muitos sequer dirigiam a palavra para nós, muitos nos deixavam mofando fora do expediente sem motivo algum, no HCE existiam salas de espera separadas (Oficiais e Praças), e outras humilhações. Com o passar dos tempos a mentalidade foi mudando um pouco e alguns chefes deixaram de lado essa besteira de sangue azul e se aproximaram mais das praças e realmente o tratamento melhorou muito. Porém novamente fui surpreendido em 2000 com a tal da MP 2215 que foi elaborada quando muitos desses senhores que assinam o manifesto ainda estavam na ativa e já tinham mais de 30 anos de serviço e não foram afetados pela mesma. No meu caso graças a muitos desses senhores depois de quase trinta anos me suprimiram três anos de Gratificação de TS, Me tiraram um posto acima faltando nove dias para ter direito ao mesmo, me tiraram uma Licença Especial que esperei quase dez anos para goza-la. Em suma em todos esse tempos de carreira, não foram os governos atuais e anteriores que me prejudicaram e sim os senhores, fato esse que levo comigo até o final da minha vida. O que desejo para os senhores é que curtam bastante todas as gratificações que obtiverem e peço que nos esqueçam, pois, pelo andar da carruagem não será pelas mãos dos senhores que obteremos alguma coisa e somente as alcançaremos se tivermos uma boa representação política que nos apoie. Vão com Deus.

Anônimo disse...

Apenas aproveitando o gancho sobre baixos rendimentos: sou praça, tenho 17 anos de EB e o soldo, na verdade, nunca foi o maior problema pra mim. Na maioria das vezes, aliás, ele nunca esteve sequer na lista dos problemas(e, acreditem, são muitos) que encontrei na Instituição. Lamento, companheiros, mas a verdade é que a falta de planejamento(em todos os aspectos), a ignorância completa no que diz respeito a educação financeira e o consumo por impulso(ou para amenizar frustrações pessoais) é quase uma regra. Conheço pessoas que ganham menos que eu e vivem melhor que muitos oficiais. E, infelizmente, conheço outros que, por pura falta de visão, se arrastam em dívidas desde o período da ESA. Ostentar é para quem pode!

Existem problemas bem mais sérios que comprometem significativamente a Instituição como um todo e que poderiam/deveriam ser analisados com urgência! Um exemplo, só pra começar? Que tantas reuniões acontecem na "alta cúpula" que ainda não repensaram esse arcaico e ultrajante RDE?!

Quanto ao manifesto, não me fede nem me cheira. Na verdade, só penso que aqueles que cometeram excessos(e HOUVE EXCESSOS, de ambos os lados) assumam o que fizeram e paguem por isso, se for o caso.

Anônimo disse...

Realmente, em parte eles têm razão. Mas como não fizeram nada quando na ativa, perde a credibilidade este manifesto apenas quando já estão na reserva. Vale lembrar que existem muitos que estão na reserva e não assinaram este tal manifesto, pois no momento estão em alguma boquinha no MD ou em alguma secretaria, ou mesmo nestas fundações criadas para cabide na reserva. Nem mesmo os Ministros do STM em exercício assinaram, apenas os que se aposentaram. Assim é fácil ladrar....

Ten Reis disse...

Olhem só quem são os primeiros que encabeçam a lista...será que não tem vergonha de berrar agora? quem é mais antigo sabe do que estou falando

Anônimo disse...

Eu voto em quen me deu aumento!!!!

Anônimo disse...

Hum......quando a aposentadoria pode entrar na reta.....
De qualquer forma, agradecemos o empenho, dos grandes e pequenos também, chefes, empenho em nos legar a maravilha que foi a MP 2215,o famoso "soldao", a perda do posto acima, a gratificação de tempo de serviço, as LE. Muito obrigado....

Anônimo disse...

Nada Justifica essa atitude, com certeza não é por conta dos baixos soldos, pois imagine se todos os Brasileiros que ganham pouco fosse transportar drogas. Uma Vergonha, pois esta sendo manchetes em toda a Imprensa Nacional.

Anônimo disse...

Montedo. Se desejar publicar, publique... acho que não escreverei nada que prejudique o seu blog... de todos os generais que assinaram o manifesto considero apenas o General Heleno. Esse a maioria da tropa deve ter a opinião de uma carreira irrepreensível... e manifestou-se, ainda na ativa, sobre a "caótica" política indigenista no Brasil em rede nacional de televisão. Como militar creio que não fez um PNR para os Praças, mas pelo menos andou ao lado dos Sd... Sobre os demais é sofrível lembrar do nome deles... aos que possuem ou beiram os 30 anos de serviço sabem que existem pessoas que ali assinam que, inclusive, possuem índole duvidosa...

Anônimo disse...

Quando aparecer um "manifesto" assinado por aqueles que detêm as chaves dos paiois, das reservas, dos hangares e o poder de mandar subir as âncoras dos couraçados, aí sim eu boto fé.
Como já disseram, leão sem dente não põem mais tanto medo assim.

O inimigo é mal e ardiloso, não teme mais nada, pois quem já dominou todas as instâncias do poder, não é fraco, ao contrário, tem que atacar utilizando o princípio da massa, tem que mostrar o arsenal, as garras, o inimigo já mostrou que e capaz das piores artimanhas para se perpetuar no poder....
Acham que blablabla do clube do pijama mete medo a quem assalta discaradamente os cofres públicos, a quem se loclupeta das riquezas da nação sem se preocupar com as conseqüências?
Nem vou entrar no mérito também, no grande "prestígio" que alguns signatários contam com os militares de hoje que os conheceram na ativa.
Estão colhendo o que plantaram ...

Anônimo disse...

1. "Eu voto em quen (sic) me deu aumento!!!!"...que aumento??

Poxa, ninguém me avisou de aumento nenhum! Aí, Montedo, me diga que aumento é esse?;

2. "É bom lembrar a quem faz dividas,empréstimos e vivem atolados respondem individualmente por suas ações e isso não tem nada a ver com aumento de salário que é um justo ganho para todo grupo.Quem não consegue carregar a mochila não deveria vestir farda. Estamos no mesmo barco e se furarem o casco todos vão afundar.O manifesto está correto"

"Conheço pessoas que ganham menos que eu e vivem melhor que muitos oficiais. E, infelizmente, conheço outros que, por pura falta de visão, se arrastam em dívidas desde o período da ESA. Ostentar é para quem pode!"

Meus queridos irmãos de armas, com todo o respeito, em que mundo e realidade os senhores vivem? Esses seus discursos nos levam a crer que "uma vez militar, sempre pobre" e "uma vez praça, sempre miserável". Todos nós temos dívidas. As minhas são para garantir, por exemplo, um aluguel de um imóvel decente, pois sou militar e poderia até morar próximo ao esgoto, mas meus familiares não são militares, são gente, são pessoas civilizadas, são cidadãos! Não sei em que cidades os senhores moram, mas como um 3º Sgt vai pagar um aluguel de R$ 950,00 e mais condomínio e taxas de R$ 250,00?? E me refiro a aluguel na periferia. Pesquisem o mercado imobiliário atual. Mas, imagino que os senhores querem que as praças aluguem palhoças e casas de tapumes...pois são as únicas que podem ser encontradas ao valor de R$ 300,00 o aluguel.

Senhores, acordem!!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics