17 de julho de 2014

Inquérito do Exército sobre morte de militar em RR deve sair em 14 dias

Felipe Lima era militar do exército e pertencia ao 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva (Foto: Arquivo Pessoal)
Felipe Lima era militar do exército e
pertencia ao 10º Grupo de Artilharia
de Campanha de Selva
(Foto: Arquivo Pessoal)
Felipe Lima morreu após ser atingido por tiro durante ação da Polícia Militar.
Os sete policiais estão atuando na área administrativa da corporação.

Valéria Oliveira
Do G1 RR
O inquérito instaurado pelo Exército Brasileiro em Boa Vista que vai apurar a morte do soldado Felipe Lima, de 18 anos, durante uma ação da Polícia Militar deverá ser concluído em 14 dias. Até esta terça-feira (15), conforme a assessoria de comunicação do Exército, seis policiais militares e uma outra testemunha havia sido ouvidos.
Foram anexados ainda, nos autos de investigação, o laudo cadavérico da morte do militar e a perícia realizada nos armamentos utilizados pelos policiais no dia da ação. Após encerradas as investigações, o processo será remetido à Justiça Militar em Manaus. Além do inquérito instaurado pelo 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva, a Delegacia Geral de Homicídios também apura o caso.
De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), as investigações estão em andamento e, até a próxima segunda-feira (21), os laudos de comparação balística, que vão determinar de qual arma saiu o disparo que atingiu o militar, deverão ser entregues ao delegado responsável pelo caso.
Ainda segundo a Sesp, na época do ocorrido, todas as armas usadas pelos policiais militares foram apreendidas. Para identificar o responsável pelo crime, várias testemunhas participaram de oitivas. Algumas pessoas serão ouvidas novamente, conforme informou a Sesp.
Leia também:
Roraima: soldado do Exército morre após levar tiro em ação da PM
Policiais envolvidos no caso
Segundo a Polícia Militar, na noite do ocorrido havia duas equipes na abordagem do militar do exército. Os sete policiais que atuaram na ação estão sendo investigados pela Corregedoria da corporação, que deverá apurar o procedimento utilizado.
A assessoria de comunicação da PM informou que os envolvidos no caso foram afastados dos serviços de patrulhamento e estão atuando na área administrativa. Além disso, eles passam por tratamentos biopsicosociais.
O Ministério Público também atua no caso. De acordo com o promotor de Justiça, Carlos Paixão, foi requisitado da Polícia Militar a instauração e apuração do inquérito em caráter de urgência. A partir dos resultados, o órgão deverá ingressar ou não a ação penal.

Familiares
Além das ações criminais em andamento, a família de Felipe Lima, ingressou com uma ação civil pública contra o estado. O advogado que atua no caso, Warner Velasque, explicou que houve desproporcionalidade entre a conduta da vítima e a atuação policial. "Isso gera uma indenização à família pela perda do ente querido", explicou.

Lembre o caso
Felipe Lima morreu após ser atingido por um tiro durante um acompanhamento tático da Polícia Militar, na madrugada do dia 6 de junho. Segundo informações do major Arcanjo, coordenador de operações da PM, o caso ocorreu na Rua Cerejo Cruz, no Centro de Boa Vista. O pai do jovem relatou que a causa da morte foi um tiro na altura do pescoço, conforme laudo do Instituto Médico Legal (IML).
G1/montedo.com

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics