30 de julho de 2014

Explosão em quartel do Exército atinge residências e causa pânico no RS

Estilhaços de explosões atingem santanenses
Moradores da vila Emília foram os mais atingidos pelos artefatos. Há o registro de pessoas feridas
Estilhaços atingiram residências (Marcelo Pinto/AP)
Duas explosões foram ouvidas no final da tarde de ontem, em Livramento. Os moradores do bairro Vila Emília foram os mais atingidos pelos artefatos que voaram pelos ares. Alguns objetos com mais de 30 centímetros atingiram tetos, estouraram janelas e perfuram casas. A comunidade ficou apavorada e a equipe da rádio RCC FM e do Jornal A Plateia acompanhou os momentos de medo da população.
Moradora com estilhaço do artefato
(Marcelo Pinto/AP)
Já passados alguns minutos depois da explosão, ainda era possível sentir o cheiro da fumaça nos arredores das casas atingidas. Os moradores confirmaram que as explosões e os artefatos vieram de atividades desenvolvidas de dentro do quartel. Pouco mais de 30 minutos depois, o Major André Leite confirmou que as explosões fizeram parte de treinamentos. A primeira transcorreu com tranquilidade e apenas a segunda explosão causou os transtornos com os moradores. Um Major do 7° RC Mec também confirmou que dentro do quartel não houve feridos.
O morador Ari Rodrigues confirmou que teve parte da casa atingida pelos estilhaços da explosão. Ele estava no pátio da casa na Rua Sétimo Nocchi, sendo que o metal rasgou a lata da casa e feriu o morador que teve que ser socorrido e levado ao hospital. Jacira, esposa de Auri, ainda trêmula, contou que por pouco os estilhaços não atingiram sua filha de seis anos que assistia à televisão na sala da casa.
Na Rua Darci Trindade Barbosa, outro pedaço de metal, muito semelhante ao utilizado em munição pesada, atingiu a residência do morador Chila da Rosa que por muito pouco não feriu o senhor de 80 anos.
Janelas e portas de vidros foram estilhaçadas e na residência do líder comunitário Camilo Alves, até partes de um banheiro foi destruído pelas explosões. A primeira explosão aconteceu por volta das 17h e a segunda aconteceu às 17h40min e muitas pessoas em toda a cidade confirmaram ter ouvido as explosões.
Em declaração feita ao vivo na rádio RCC FM durante o programa Conversa de Fim de Tarde, o Major André Leite informou que um Inquérito será aberto para apurar o que realmente aconteceu e o que deu de errado na segunda explosão.
(Marcelo Pinto/AP)
Poucas horas após o contato do Jornal A Plateia com o 7ºRCMec, foi divulgada uma nota de esclarecimento à comunidade.

NOTA DE ESCLARECIMENTO – 7º RCMec
O Comando do 7º Regimento de Cavalaria Mecanizado, “Regimento Brigadeiro Vasco Alves Pereira”, vem esclarecer à população da “Fronteira da Paz” o que se segue:
1.Em 28 de julho de 2014, estava sendo realizada, em área de instrução do Regimento, a destruição de engenhos falhados. A atividade foi realizada por militares da 3ª Companhia de Engenharia de Combate Mecanizada (tropa especializada neste tipo de procedimento) e militares do 7º RC Mec.
2.As detonações foram executadas de acordo com as Normas Técnicas, Manuais de Instrução e procedimentos de segurança atinentes a este tipo de atividade.
3.A primeira detonação ocorreu dentro do previsto, sem qualquer tipo de incidente.
4.Após a segunda e última detonação, esta Organização Militar veio a saber que ocorreram danos materiais em algumas residências e que um cidadão sofreu um pequeno corte na região abdominal, sem maiores gravidades, conforme foi constatado pelo médico da Organização Militar, deslocado de imediato para o provável local de atendimento a possíveis feridos.
5.O Comando da Unidade mandou, imediatamente, instaurar um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as circunstâncias em que o fato ocorreu.
6.O 7º RC Mec solicita àquelas pessoas que, comprovadamente, tenham sofrido danos, que procurem o Regimento, munidos de provas materiais (fotografias e outros meios que possuam) para que possam ser enviados militares ao local de suas residências, a fim de verificar danos e que medidas devem ser tomadas para contornar a situação, tudo dentro da legalidade que se faz necessário neste tipo de incidente.
7.Cabe ressaltar que as atividades realizadas pelo 7º RC Mec visam cumprir programas de instrução e atividades previstas para o ano, sempre com o compromisso de que tudo seja realizado na esfera da responsabilidade e dentro das normas vigentes, buscando evitar qualquer tipo de transtorno à população e à comunidade santanense da qual seus integrantes fazem parte e sempre foram motivo de apoio, confiança e cooperação, atributos trabalhados diuturnamente.
Santana do Livramento – RS, 28 de julho de 2014.
JUAREZ GUINA FACHINA JUNIOR – Tenente Coronel

A PLATEIA/montedo.com

2 comentários:

Anônimo disse...

http://www.eb.mil.br/web/midia-impressa/noticiario-do-exercito?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-4&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=3&_56_groupId=16541&_56_articleId=5683151#.U9raA_ldVqV

Anônimo disse...

Infelizmente devem ter esquecido que além de distância de segurança contra pessoal, existe a distância de segurança para evitar danos às instalações.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics