23 de junho de 2014

Tenente da Aeronáutica desaparecida passa a ser procurada pela Interpol

Com dados na "Difusão Amarela", militar será procurada em outros países.
Mírian Tavares, de 42 anos, desapareceu em Belo Horizonte em maio.
Militar do Sul de Minas desaparecida passa a ser procurada pela Interpol (Foto: Reprodução Interpol)
Militar do Sul de Minas desaparecida passa a ser procurada pela Interpol (Foto: Reprodução Interpol)
Lucas Soares
Do G1 Sul de Minas
A Interpol, Organização Internacional de Polícia Criminal, fez um alerta internacional para a busca da tenente da Aeronáutica de Varginha (MG), Mirian Márcia Tavares, de 42 anos, que desapareceu em Belo Horizonte (MG) no dia 3 de maio. Os dados da militar foram incluídos na "Difusão Amarela", uma lista do órgão que tem como objetivo localizar pessoas desaparecidas ou incapazes de identificar-se nos 190 países de alcance da Interpol. Na prática, a partir de agora, a tenente passa a ser procurada também em aeroportos e em outros países.
"Como a Mirian não aparece viva ou morta, por ela estar com depressão, ela pode ter surtado e seguido seu caminho sem rumo, podendo até ter ido para outros países. Por isso pedimos para a Polícia Federal e a Interpol que fizesse esse alerta", disse o jornalista Pérsio Tavares, irmão de Mirian.
Tenente Mirian Tavares foi vista pela última vez no sábado (3). (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Tenente Mirian Tavares foi vista pela última vez no
dia 3 de maio em BH. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Desde que desapareceu no início de maio, a família da tenente da Aeronáutica aguarda notícias ou informações do paradeiro da militar. O carro de propriedade dela, um Pálio Cinza Escuro com placas de Varginha (MG), também não foi encontrado. A família também entrou em contato com a Presidência da República solicitando ajuda, já que a tenente prestava serviços para as Forças Armadas.
"Na semana passada o Ministério da Justiça entrou em contato comigo pedindo informações de onde foi registrado o boletim de ocorrência, quem era o delegado responsável e eles disseram que iriam entrar em contato com a polícia para se inteirarem do caso. Agora estamos aguardando alguma posição", disse o jornalista.
Por telefone, o delegado Tiago Sairava, da Delegacia Especializada em Localização de Pessoas Desaparecidas, de Belo Horizonte, informou ao G1 que ainda não há novidades no caso e que a Polícia Civil segue investigando o caso. Ainda não há pistas do paradeiro da militar.

Desaparecimento
Conforme a família, Mírian teria saído de casa apenas com a roupa do corpo e o carro de propriedade dela, um Pálio cinza escuro, com placas de Varginha (MG), no sábado dia 3 de maio. Antes, ela fez um depósito no valor de R$ 30 mil para a irmã. O desaparecimento foi descoberto apenas dois dias depois, quando uma amiga que divide o apartamento com a tenente encontrou uma carta dizendo que ela iria para a estrada. Desde então, helicópteros da Polícia Civil e da Aeronáutica fizeram buscas pelas serras do Cipo, das Mangabeiras, do Macaco e também por rodovias de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia. No entanto, nada foi encontrado.
A Polícia também apurou uma denúncia que dizia que uma pessoa viu uma mulher com as características de Míriam na região da Serra do Cipó, mas a informação foi descartada após apuração.
G1/montedo.com

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics