6 de junho de 2014

Roraima: soldado do Exército morre após levar tiro em ação da PM

Felipe Lima era militar do exército e pertencia ao 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva (Foto: Arquivo Pessoal)
Felipe Lima pertencia ao 10º Grupo de
Artilharia de Campanha de Selva
(Foto: Arquivo Pessoal)
Em RR, soldado do exército morre após levar tiro durante ação da Polícia
Major da PM informou que um inquérito da Polícia Civil vai apurar o caso.
Pais da vítima pedem Justiça; Exército Brasileiro também vai apurar o fato.

Neidiana Oliveira
Do G1 RR
O soldado do Exército Brasileiro Felipe Lima, de 18 anos, morreu após ser atingido por um tiro durante um acompanhamento tático da Polícia Militar (PM). De acordo com informações do major Arcanjo, coordenador de operações da PM, o caso ocorreu na madrugada desta sexta-feira (6), na Rua Serejo Cruz, no Centro de Boa Vista. O pai do jovem relatou que a causa da morte foi um tiro na altura do pescoço.
O major da Polícia Militar detalhou que, durante a madrugada o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciops), foi acionado para averiguar um assalto na região e de imediato os policiais foram informados para acompanhar os possíveis assaltantes.
"Um dos carros da PM identificou dois homens em motos e com as características repassadas. Com isso, fizeram o acompanhamento tático para a abordagem tão somente para saber se eram os mesmos envolvidos no crime, mas eles fugiram do bloqueio policial", afirmou.
Ele disse ainda que um dos motociclistas conseguiu fugir e o outro [Felipe Lima] ao ver a rua fechada com uma viatura acabou avançando contra o carro da polícia, momento em que foi efetuado o disparo de arma de fogo por um policial. "O motociclista caiu", relatou Arcanjo, acrescentando que todos os procedimentos foram feitos no local pelo major responsável pela ocorrência.
"O isolamento do local foi feito, foi acionada a perícia e colhido todo o material, inclusive as armas dos policiais, para fazer a verificação da balística e se, porventura, há projétil no corpo do motociclista. Isso para saber se o corte foi do disparo da arma ou se foi devido à queda, pois o capacete ter cortado o pescoço do rapaz. Também foi instaurado um inquérito da Polícia Civil, que vai apurar o ocorrido", informou o major.

Família
A mãe de Felipe Lima, a funcionária pública Lindalva Lima contou que segundo relatos do esposo, o rapaz foi até à casa dela e emprestou a motocicleta do padrasto para ir a uma festa do quartel e desde então não retornou mais. "O Felipe sempre foi um menino bom, estudioso e obediente. Ele terminou os estudos e ingressou na carreira militar. Era o sonho dele ser do exército e servir a pátria", contou emocionada a mãe, que pede Justiça. Conforme informações de familiares, o rapaz não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH).
Ela comentou que o jovem estava há quatro meses no exército e no próximo dia 10 iria receber a boina. "Meu filho iria completar 19 anos no mês de novembro. Eu quero Justiça porque até então ele não era nenhum bandido. Enquanto tem muitos bandidos perigosos e ninguém faz nada. Não que eu queira que tire a vida de outras pessoas, mas estou reivindicando meus direitos de mãe, pois meu filho não era nenhum pilantra e tiraram a vida dele dessa forma".
O pai da vítima Djalma de Lima relatou que Felipe há dois anos estava morando com ele e que o jovem era "tímido e não guardava rancor". Ainda de acordo com o pai, que teve acesso ao laudo pericial do Instituto Médico Legal (IML), a causa da morte foi um tiro. "Eles falaram que foi um homicídio. Ele sofreu um tiro no pescoço em que uma artéria foi rompida e isso foi a causa da morte. Não me deixaram ver o corpo dele, alegaram que o médico responsável não permitiu", afirmou.
A família está revoltada com a atuação da Polícia Militar e pede Justiça. "Nossa situação ficou difícil, pois não estávamos preparados para isso. Nunca imaginávamos que iria acontecer uma coisa dessas com ele. Sempre o aconselhava quanto aos acidentes de trânsito, mas isso não. Esses homens deveriam estar preocupados em proteger a sociedade e não matar os filhos da gente, pessoas inocentes. Eles são despreparados. Os profissionais precisam de reciclagem para que a população viva tranquila e segura de verdade", desabafou o pai emocionado.

Exército Brasileiro
Em nota, o Exército Brasileiro informou que Felipe Lima era militar do Efetivo Variável da 1ª Brigada de Infantaria de Selva e pertencia ao 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva. Conforme a nota, o jovem sofreu perseguição, por motivo ainda desconhecido e foi alvejado por disparo de arma de fogo na altura do pescoço.
Ainda de acordo com a nota, as circunstâncias da perseguição e da morte do militar estão sendo apuradas pela Polícia Judiciária (Polícia Civil) e pela perícia. Além disso, o 10º Grupo de Artilharia de Campanha de Selva vai instaurar Inquérito Policial Militar para acompanhar e elucidar o fato. O corpo do jovem foi liberado para o sepultamento.
G1/montedo.com

Um comentário:

Anônimo disse...

Como sempre acontece,o PM que atirou vai virar coitado e o Soldadinho do EB o bandido. Polícia mal formada e suas ações transgressoras e criminosas, a diferença é que o PM é concursado (custou R$ para o estado) e o Soldado não tem valor nenhum, nem para o estado e nem para a pátria...
Que vergonha EB.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics