29 de maio de 2014

Copa: após falha no Rio, Exército assume segurança de aeroportos, hotéis e deslocamentos

Apoio extra na Copa foi acertado na reunião terça-feira no Rio com o ministro da Justiça e o coordenador de ações de defesa da Copa

O primeiro contingente de militares que vai atuar na Copa já chegou a Salvador: tropa estará nas 12 cidades-sede e nos 15 estados que vão abrigar os centros de treinamentos das seleções estrangeiras
Foto: Luciano da Matta/A Tarde
O primeiro contingente de militares que vai atuar na Copa já chegou a Salvador:
tropa estará nas 12 cidades-sede e nos 15 estados que vão abrigar
os centros de treinamentos das seleções estrangeiras 
Luciano da Matta/A Tarde
JAILTON DE CARVALHO
BRASÍLIA E VITÓRIA - Um dia após a presidente Dilma Rousseff reclamar das falhas na proteção do ônibus usado para transportar jogadores da seleção brasileira, o governo federal decidiu que as tropas do Exército assumirão a responsabilidade pela segurança dos aeroportos, dos hotéis e das ruas por onde deverão circular delegações com as equipes estrangeiras, representantes de governos estrangeiros e dos dois principais dirigentes da Fifa. O apoio extra dos militares no período da Copa do Mundo foi acertado na reunião de anteontem, no Rio, entre o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o coordenador de ações de defesa da Copa, general José Carlos De Nari, e o secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. O secretário extraordinário de Grandes Eventos, Andrei Passos Rodrigues, também participou do encontro.
A intervenção do Exército foi acertada a partir de uma sugestão da presidente. Pelo que ficou acertado, as tropas militares deverão marcar forte presença nas 12 cidades-sede e nos 15 estados que abrigam centros de treinamentos das seleções estrangeiras. A ideia é evitar brechas que exponham a risco ou a constrangimentos atletas e e representantes das delegações.
— Essa é a contribuição da presidenta aos estados — disse ao GLOBO uma das autoridades que participou das negociações.
A cúpula da segurança na Copa reafirmou também a importância da interação entre as autoridades federais e estaduais em cada um dos estados por onde passarão as delegações estrangeiras. Pelo acerto, generais, secretários de Segurança e superintendentes da Polícia Federal de cada estado deverão estar em permanente contato para facilitar deliberações, especialmente sobre o uso em larga escala de tropas militares. Essas autoridades civis e militares formarão grupos para resolver questões em tempo real e problemas complexos que necessitem do apoio das diversas estruturas de poder.
O governo federal decidiu mudar o desenho da segurança da Copa e atribuir papel mais abrangente aos militares um dia após o cerco do ônibus da seleção brasileira, no Rio, por professores que estão em campanha por reajuste salarial. A presidente não gostou de ver as imagens em que manifestantes se aproximaram com facilidade do ônibus e determinou a Cardozo e a De Nardi que viessem ao Rio para corrigir eventuais falhas.
O aumento das tropas já vinha sendo pensado como uma alternativa desde o ano passado, quando surgiram as primeiras ameaças de greve de agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal.
O Departamento de Comunicação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou que, desde a primeira reunião sobre a segurança da Copa do Mundo, foi definido que os batedores usados nos deslocamentos da seleção seriam da Polícia Federal. No entanto, a entidade disse não fazer distinção sobre o uniforme a ser usado e informou que a mudança não afetará a rotina da seleção brasileira.
Segundo a assessoria da CBF, dentro da Granja Comary, em Teresópolis, o controle é feito por 30 seguranças particulares contratados pela entidade. A entidade lembrou ainda que na apresentação da seleção brasileira, na última segunda-feira, a equipe se deslocou do Rio de Janeiro para Teresópolis, num percurso de cerca de 90 quilômetros, escoltada por batedores e um helicóptero da Polícia Federal.

No espírito santo, esquema já em ação
No Espírito Santo, o Exército vai atuar na defesa da seleção da Austrália, que chegou ontem à noite e ficará hospedada no estado durante a Copa. Ontem, 120 militares foram distribuídos em pontos estratégicos de Vitória por onde a delegação passou, segundo o secretário estadual de segurança pública André Garcia. O Exército também enviou nove homens exclusivamente para acompanhar o comboio das delegações que ficarão em território capixaba. A equipe conta com um veículo e oito motos.
Outros 24 militares do Exército já fizeram revistas antiterroristas no Aeroporto de Vitória, hotéis, centros de treinamentos e outros locais da Região Metropolitana que serão frequentados pelas delegações de Austrália e Camarões. A delegação da Austrália ficará hospedada no Hotel Ilha do Boi e treinará no Estádio Engenheiro Araripe, em Cariacica. A delegação de Camarões ficará hospedada no Hotel Sheraton, na Praia do Canto, em Vitória, e treinará no Estádio Kleber Andrade, também em Cariacica. Os camaroneses chegarão no próximo dia 7.
O Globo/montedo.com

3 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma vez somos usados como tapa furos dos órgãos de segurança pública, lembro que, conforme previsto na Constituição Federal e em nossos regulamentos internos, não é essa nossa função, pelos diversos motivos já sabidos, como não termos essa formação, não é nossa atividade fim, não temos poder de polícia, ou seja estaremos na rua como aqueles guardas de vilas militares, meramente para dissuadir, para sermos os antipáticos, coibindo justas reivindicações de professores, e demais categorias que buscam divulgação de seus pleitos de salários achatados, enquanto isso somos usados sem que para isso tenhamos uma compensação, somos deslocados de nossas cidades, nossas famílias que se explodam, mas somos militares 24 horas por dia, 365 dias por ano, com um salário achatado por sucessivos governos, mas claro que teremos a compensação financeira para sermos usados como se PM fôssemos À PRINCÍPIO receberemos entre 27 e 54 reais por dia com uma folga de dia sim e outro também, mas é isso que nossos COMANDANTES gostam é obedecer e ponto.

Anônimo disse...

UMA PENA QUE NÃO TENHA NINGUÉM PARA OLHAR POR NÓS, E A MISSÃO ERÁ DIRETA SEM FOLGA POR MAIS DE 40 DIAS, PORQUÊ NÃO PAGAM AJUDA DE CUSTO OU DIÁRIA? FICA AÍ PARA QUEM QUIZER COMENTAR. FORTE ABRAÇO

Anônimo disse...

Será que nossos nobres estrelados e refrigerados lá de Brasília quando forem fazer inspeção nas sedes da copa irão ganhar polpudas diárias? Não acredito. Para dar moral a tropa não ganharão diárias, comerão carne de monstro e dormirão da mesma forma que seus inferiores. Brasil Acima de Tudo.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics