30 de janeiro de 2014

Número de militares do Exército no AP vai passar de 830 para 3 mil

Exército Brasileiro desfila no Dia da Independência, em Macapá (Foto: Gabriel Penha/G1)
Crescimento será gradativo, diz comandante
(Foto: Gabriel Penha/G1)
Construção de nova brigada vai viabilizar aumento no efetivo de militares.

Dyepeson Martins
Do G1 AP
Até 2017, o Exército Brasileiro pretende aumentar de 830 para 3 mil o efetivo de militares atuando no Amapá. O crescimento será necessário por ocasião da construção de uma brigada militar no estado. No local, ficarão alojados soldados, técnicos e oficiais do Norte do país, conforme explicou o tenente-coronel Alexandre Ribeiro, que assumirá o comando do 34º Batalhão de Infantaria de Selva (34º BIS) nesta quarta-feira (29).
“As obras vão iniciar ainda em 2014. O comando militar do Norte está responsável pela Amazônia Oriental [Amapá, Pará e Maranhão] e dentro desse planejamento verificou-se a necessidade de criação de uma nova unidade para comandar diversos batalhões. O melhor lugar colocado pelo próprio comando foi o Amapá”, salientou o tenente-coronel, acrescentando: “o crescimento no número de militares será gradativo, mas representa um grande avanço para a segurança da Amazônia”.
A obra também vai oportunizar o crescimento no número de jovens que serão convocados para o exército. Anualmente, a unidade amapaense contabiliza mais de 8 mil alistamentos, mas apenas 200 são selecionados.
“É muito alto o número de voluntários que querem trabalhar no exército, mas temos que recusar grande parte por falta de um prédio que atenda a demanda”, complementa Alexandre Ribeiro.
G1/montedo.com

7 comentários:

Anônimo disse...

Excelente. Daqui a uns 15 anos as "otôridades" começarão a se preocupar com a construção dos PNR para apoiar essa indiazada toda.

Anônimo disse...

Não adianta aumentar quartéis, efetivos e continuar pagando mal.

Quem é a autoridade que está se empenhando junto ao Executivo e legislativo para por em votação a MP do Mal - A nefasta LRM ?

Vai continuar do mesmo jeito ?

O reajuste de março próximo já era, a inflação desde Mar 13 já comeu tudinho.

Tá todo mundo pendurado nas dezenas entidades que fazem empréstimos, principalmente junto a POUPEx.

O pessoal só fica renovando a cada 3 meses, pois o que ganhamos não dá para arcar com as despesas.

Cadê os novos PNR ou auxílio moradia, para aliviar o orçamento familiar ????

Fuiiiiiiiiiiiii !!!

Anônimo disse...

Não tem PNR pra todo mundo? Simples, ação na justiça para cobrir os gastos com aluguel:

DECISÃO DO STF SOBRE INDENIZAÇÃO DE ALUGUEL PAGO POR SARGENTO DO EXÉRCITO
SE - SERGIPE RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO Relator(a): Min. GILMAR MENDES Julgamento: 21/05/2013 Publicação PROCESSO ELETRÔNICO DJe-098 DIVULG 23/05/2013 PUBLIC 24/05/2013 Partes RECTE.(S) : UNIÃO ADV.(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO RECDO.(A/S) : ROSENILDO FERNANDES DE SOUZA ADV.(A/S) : SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS Decisão Decisão: Trata-se de agravo interposto contra decisão da Turma Recursal dos Juizados Especiais Federais do Estado de Sergipe que negou seguimento ao recurso extraordinário que impugna acórdão ementado nos seguintes termos: “RESIDÊNCIA. REMOÇÃO POR NECESSIDADE DE SERVIÇO. EXÉRCITO. PNR. INDENIZAÇÃO. ACOLHIDO. MANTÉM. Trata-se de recurso contra a sentença que acolheu o pedido de indenização por danos materiais, em virtude de a União Federal não ter disponibilizado imóvel funcional ao militar removido por necessidade de serviço. O valor da condenação referente aos alugueres foi arbitrado em R$ 20.534,67, conforme comprovantes em anexo. Segundo o requerente, ele foi removido por necessidade de serviço da cidade de Caicó/RN para Aracaju, no entanto, não lhe foi disponibilizado um imóvel ‘Próprios Nacionais Residenciais (PNR)’ durante o período compreendido entre janeiro de 2007 a dezembro de 2010. Os PNR´S são residências destinadas aos militares removidos por necessidade de serviço. Estabelece o art. 50 da Lei nº 6.880/80 Estatuto dos Militares: ‘Art. 50. São direitos dos militares: I - (...); IV - nas condições ou nas limitações impostas na legislação e regulamentação específicas: a) (...); i) a moradia para o militar em atividade, compreendendo: 1 – alojamento em organização militar, quando aquartelado ou embarcado; e 2 – habitação para si e seus dependentes; em imóvel sob a responsabilidade da União, de acordo com a disponibilidade existente’.

JUNTOS SOMOS FORTES
JUNTOS SOMOS FORTES

Anônimo disse...

Acho que não será necessário ação, pelo menos para o pessoal da nova Bda, pois eles começarão a construções pelos PNR de ST/Sgt e quando terminarem, construirão os quartéis.

Entretanto, acho que moradia não é necessário, afinal ganhamos muito bem e em março próximo, vamos lavar a égua ... he he he he ....

Anônimo disse...

Bah, há boatos que minha OM de Art vai sair do RS e ir pro AP ou RO. Tenho que pular da barca antes...

Anônimo disse...

Pergunta para o anônimo das 20:16: È sério que construirão os PNR dos ST SGT antes dos quartéis?

Anônimo disse...

Vão construir os PNR ANTES dos quartéis? Sem ofensa, meu amigo, mas eu DUVIDOOOOOO!!!!!!! Só acredito vendo. Não é cultura da nossa Força colocar o elemento humano em primeiro lugar, a não ser, obviamente, no "discurso das otôridades". Tomara que você esteja certo. Mas eu só acredito vendo e seria capaz de apostar 10 anos de (parco) soldo como isso não vai acontecer.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics