31 de outubro de 2013

Acidente entre caminhão do Exército e caminhonete deixa feridos em MS

Ainda não há informação sobre número de vítimas, segundo bombeiros.
Trânsito está lento no local e pista parcialmente interditada, diz PRF.

Do G1 MS
Acidente entre um caminhão do Exército Brasileiro e uma caminhonete deixou feridos na manhã desta quinta-feira (31), na BR-267, entre Nova Andradina, a 297 km de Campo Grande, e o distrito de Nova Casa Verde.
Segundo o Corpo de Bombeiros do município, duas pessoas ficaram gravemente feridas, mas ainda não há informações sobre o número total de feridos e se as vítimas são militares ou passageiros da caminhonete.
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está no local do acidente e informou ao G1 que o trânsito está lento no trecho, pois a pista da rodovia está parcialmente interditada. Ainda segundo a PRF, o caminhão teria colidido na traseira da caminhonete.
G1/montedo.com

"Cabeça do cachorro":Operação não encontra registro de tráfico na fronteira, revela general

Segundo Exército, ação militar que durou um mês na área da ‘Cabeça do Cachorro’ foi um sucesso

Clarice Manhã . portal@d24am.com

Militares fizeram o patrulhamento na região da ‘Cabeça do Cachorro’, que abrange três municípios do AMManaus - A Operação Curare 3 foi encerrada com sucesso, na avaliação do general de brigada Sergio Luiz Goulart Duarte, que comanda o Batalhão de Infantaria de Selva na área de fronteira com a Colômbia e Venezuela. Em um mês, o patrulhamento intensivo percorreu 295.600 quilômetros quadrados na fronteira, uma área equivalente ao tamanho da Inglaterra.
“Tivemos um excelente resultado. Durante a operação, não tivemos registro de tráfico, um indicativo de que o patrulhamento surtiu efeito e causou um grande prejuízo para quem lucra com este comércio”, disse o general.
Duarte ressaltou que o primeiro objetivo da operação, fazer o patrulhamento intensivo, foi alcançado com a colaboração do Comando Militar na Amazônia (CMA). Ele também destacou o apoio com fornecimento de helicóptero e tropas especiais.
“É importante lembrar a extensão da área, que praticamente não tem estradas”, disse. A operação foi concentrada na região da ‘Cabeça do Cachorro’ e abrangeu os municípios de São Gabriel da Cachoeira, Santa Izabel do Rio Negro e Barcelos.
Outra meta atingida foi a interação entre o Exército e outras agências do Estado, como a Fundação Nacional do Índio (Funai), Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade (Icmbio) e Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dseis). “Essa parceria foi fundamental e deve continuar mesmo com o fim da nossa operação”, analisou.
A operação Curare mobilizou 1260 homens, entre militares e servidores dos órgãos federais. Durante as atividades, foram totalizadas 100 horas voadas, 10 mil quilômetros de rios navegados e 400 embarcações revistadas. Também foram identificadas algumas pistas não homologadas. “Encontramos ainda dois civis pescando em área de reserva indígena”, contou o general.
O nome da operação faz referência ao termo indígena ‘curare’, um veneno usado nas flechas para caça de subsistência. O curare é extraído de casca de cipós de plantas encontrados na selva amazônica. A substância tem intensa e letal ação paralisante, assim como o objetivo do Exército nesta operação, que era paralisar as atividades criminosas na regiões da fronteira.
D24am/montedo.com

Sisfron: projeto piloto começa a ser implantado

Empresa pede licença para instalar sistema de segurança na fronteira
Sisfron (Imagem:AEL Sistemas-montedo.com)
Lidiane Kober
A Savis Tecnologia e Sistemas S.A., empresa líder do Consórcio Tepro, contratada pelo Exército Brasileiro, pediu ao Ibama licença para iniciar a implantação do Sisfron (Projeto Piloto do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras) em Mato Grosso do Sul, Paraná e Mato Grosso.
Leia também:
Sisfron: consórcio ligado a Embraer é escolhido para implementar monitoramento das fronteiras
Para conseguir a licença, a empresa contratou estudos a fim de obter Relatório de Controle e Plano Ammonbiental. De acordo com o Exército Brasileiro, o Sisfron, orçado em R$ 12 bilhões, é “o maior sistema de vigilância de fronteiras em fase de implementação no planeta”. Ele vai cobrir os 16.886 km do país, cerca de 27% do território nacional, 570 municípios e 11 estados.
O objetivo do sistema, previsto para ser implantado em 10 anos, é reduzir crimes na faixa de fronteteira. A primeira fase está sendo montada em Dourados, sob responsabilidade do Comando Militar do Oeste. Serão mais de 600 km de fronteira. Em novembro de 2012, o Exército firmou contrato com um consórcio nacional por R$ 839 milhões para bancar a fase.
Já foram empenhados R$ 80 milhões de um total de R$ 160 milhões previstos para 2013. O Exército espera o aporte de mais R$ 460 milhões para 2014 a fim de manter o cronograma dentro dodos prazos estipulados. (R. A.)
Campo Grande News/montedo.com

Em campanha contra a extinção da Justiça Militar, STM condecora presidente da Câmara dos Deputados

Presidente da Câmara dos Deputados recebe a mais alta comenda da Justiça Militar da União

Presidente da Câmara dos Deputados recebe a mais alta comenda da Justiça Militar da União
General Cerqueira condecora o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Henrique Alves (PMDB/RN)
O Presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), recebeu nesta quarta-feira, 30, a mais alta comenda da Justiça Militar da União (JMU), a Ordem do Mérito Judiciário Militar no grau Grã-Cruz.
A solenidade de entrega da comenda ocorreu no edifício-sede do Superior Tribunal Militar (STM), em Brasília. A condecoração foi entregue pelo presidente do Tribunal, ministro Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, na presença de todos os ministros da Corte e de servidores.
Ao entregar a medalha, o ministro-presidente Raymundo Cerqueira disse que era uma honra para a Justiça Militar outorgar ao presidente da Câmara dos Deputados a comenda, oferecida pelos relevantes serviços prestados pelo parlamentar ao Brasil e pela consideração que ele sempre teve com este ramo da justiça brasileira.
Em seu discurso, Cerqueira afirmou que a Justiça Militar da União tem feito o seu trabalho, julgando com celeridade. O magistrado disse também que essa justiça especializada decorre da própria existência das Forças Armadas do país, as quais têm sido empregadas, a todo instante, em todo o território nacional e no exterior.
“Dessa injustiça que os senhores sofrem, nós também 
sofremos, mas que faz parte do jogo político brasileiro”
Deputado Henrique Alves, presidente da Câmara

Ao receber a homenagem, o presidente da Câmara Federal disse que a comenda reconhece a sua história, o seu trabalho, mas considera que o homenageado é o Poder Legislativo. “Pela importância que ele tem na prática democrática deste país, que envolve com muito respeito as Forças Armadas. São elas que asseguram, em tempo de conflito e em tempo de paz, a segurança, tão importante e tão reconhecida hoje, não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro”.
Para Henrique Eduardo Alves, a Justiça Militar da União, que faz parte do Poder Judiciário desde 1934, tem cumprido o seu papel constitucional. “Ela dá a segurança para que as Forças Armadas possam manter a disciplina. Assino embaixo o discurso do presidente Cerqueira. A Justiça Militar, neste momento de paz, de estabilidade que este país vive, é quem dá segurança para que as Forças Armadas possam manter a disciplina e a ordem dessas instituições, que são hoje orgulho do país no cenário internacional.”
Deputado em um 'momento família' no Maracanã (Ele chegou lá num jatinho da FAB)
Alves finalizou dizendo que a Câmara dos Deputados é parceira da Justiça Militar na preocupação com os rumores de extinção dessa justiça especializada. “Dessa injustiça que os senhores sofrem, nós também sofremos, mas que faz parte do jogo político brasileiro”, ponderou.
Ele também comentou sobre um possível aumento de competência da Justiça Militar da União para ações cíveis e administrativas. As modificações legais envolveriam processos relacionados às Forças Armadas que hoje estão sob responsabilidade da Justiça Federal, a exemplo dos recursos para punições administrativas disciplinares.
Alves ponderou que este é um assunto que tem de ser discutido, analisado, aprofundado, permitindo haver uma conciliação de tendências. “É um tema de muita sensibilidade que envolve a Justiça Militar da União e as Forças Armadas como um todo. É um tema que o Legislativo brevemente vai apreciar, sendo o Congresso o local adequado para estas discussões e a Casa está aberta e é parceira para se chegar a um consenso".
STM/montedo.com

MP diz que Exército deve aceitar tecnólogos no concurso ao QCO

Concurso do Exército deve aceitar diploma de tecnólogo, diz MPF/AM
Recomendação sugere ainda que seja dada a oportunidade de participar do certame a todos que preenchem os requisitos legais, inclusive os candidatos com cursos de tecnólogo.

Com informações de assessoria . portal@d24am.com
Crédito: EB
Manaus - O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) recomendou ao Departamento de Educação e Cultura do Exército (Decex) que solucione as irregularidades no edital do Concurso de Admissão 2013 para o Quadro Complementar de Oficiais do Exército e permita a participação de candidatos com curso superior de tecnólogo no certame.
A medida foi tomada após conclusão de inquérito que apurou irregularidades no edital do concurso. De acordo com o edital, uma das condições para realizar as inscrições seria apresentação de diploma de bacharelado ou licenciatura plena, excluindo os diplomas nível tecnólogo.
No documento enviado ao Decex, o MPF recomenda que seja dada a oportunidade de participar do certame a todos que preenchem os requisitos legais, inclusive os candidatos com cursos de tecnólogo, que é legalmente qualificado como Ensino Superior, e se abstenha em ocasiões futuras de realizar discriminações não permitidas pela legislação.
Conforme a recomendação, para todos os efeitos legais, os cursos de tecnólogos são considerados como de Ensino Superior, desde que, sejam reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC), conforme disposto no Decreto 5.773/06, que regulamenta a Lei 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional).
Para o órgão, a restrição prevista no edital fere o princípio da isonomia por discriminar os indivíduos com formação de tecnólogo, distinção que a lei não faz.
“Atos normativos administrativos não são idôneos, segundo a Constituição Federal, para estabelecer condições de ingresso nas funções públicas sem a devida autorização legal”, cita trecho da recomendação.
O Departamento de Educação e Cultura do Exército deve responder sobre o acatamento da recomendação no prazo de 15 dias, a contar da data de recebimento.
D24am/montedo.com

Fuzileiros navais fazem simulação de guerra no entorno do DF

Operação Formosa 2013 é considerada um dos maiores treinamentos já feito pelas Forças Armadas no País

Imagens: Reuters




Terra/montedo.com

Cruzex: Nordeste recebe maior exercício de guerra aérea da América Latina

Exercícios militares com 9 países começam semana que vem no Nordeste
Cruzex 2012 - Um belo registro feito durante o voo do Media Day a bordo de um C-130 da FAB  durante a Cruzex: uma formação 
de um A-1B da FAB, um Rafale B da França e um  F-16C da USAF. 
(Foto: S1 Silva Lopes / FAB)
As bases aéreas de Natal e Recife receberão a partir da próxima segunda-feira o maior exercício de guerra aérea da América Latina, com a participação de sete países da América Latina, Estados Unidos e Canadá, no chamado Cruzex 2013, informou nesta terça-feira a Força Aérea Brasileira.
Aviões e helicópteros realizarão práticas para missões que envolvem o combate aéreo entre caças, assim como o salto de paraquedistas das forças especiais, uma das novidades deste ano.
Participarão dos exercícios Brasil, Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Equador, Uruguai e Venezuela.
Segundo a Força Aérea Brasileira, este exercício pretende treinar a boa coordenação entre as forças armadas dos diferentes países parceiros para atuar conjuntamente.
EFE/montedo.com

Tropa que vai para o Haiti testa blindado Guarani em Campinas

SP: militares testam blindado que pode ser levado à Missão de Paz no Haiti
Cerca de 1,2 militares de diversos países fazem últimos treinamentos em Campinas antes de embarque ao país caribenho
Blindado Guarani substituirá frota do Exército e está em fase final de testes Foto: Rose Mary de Souza / Especial para Terra
Blindado Guarani substituirá frota do Exército e está em fase final de testes
Foto: Rose Mary de Souza / Especial para Terra
Rose Mary de Souza
Direto de Campinas
O Exército Brasileiro está testando no interior de São Paulo o Guarani, novo blindado que pode ser empregado na Missão de Paz no Haiti, que embarca no começo de dezembro para o pais caribenho. O veículo é avaliado em R$ 2,6 milhões e está em fase final de treinamento entre os fuzileiros da missão da Organizações das Nações Unidas (ONU).
Os 1,2 mil soldados estão concentrados na reserva militar da Fazenda Chapadão, área restrita do Exército, em Campinas. Eles se apresentaram voluntariamente e vêm de vários municípios do interior de São Paulo, além de países como Chile, Uruguai, Paraguai e Canadá. Boa parte da tropa é formada por especialistas, que irão atuar como médicos, enfermeiros, advogados, veterinários, religiosos e tradutores poliglotas.
Dos 1,2 mil militares em treinamento, apenas 12 são do sexo feminino. Cerca de 300 militares integram o quartel do Batalhão de Infantaria Leve de Campinas, local onde está sediada a tropa que seguirá para Porto Príncipe, capital do Haiti. Segundo o coronel Anísio David de Oliveira Júnior, comandante do Batalhão de Infantaria de Força e Paz (Brabat 19), esse é o 19º grupo de soldados a desembarcar no país caribenho desde que foi criado intercâmbio de pacificação, em 2004.
Os equipamentos começam a ser enviados no final de novembro e, no começo de dezembro, ocorrerá a troca da equipe na área de pacificação. A expectativa é que a permanência dos soldados no Haiti seja de seis meses a um ano.
Militares inspecionam torreta de armamentos do Guarani
Guarani
O Guarani é fabricado em Sete Lagoas (MG) pela montadora Iveco do Brasil. O projeto de concepção e execução do novo blindado é uma parceria com o Exército Brasileiro. O veículo é usado para o transporte de soldados e pode levar 11 pessoas, sendo oito fuzileiros, um motorista, um atirador na torreta e o comandante.
O capitão Mozer conta que o Guarani tem se mostrado muito capaz, já que sua eficiência é superior à do Urutu, blindado do Exército fabricado desde os anos 1970. O Guarani leva vantagem por contar com um sistema de proteção anti-minas terrestre capaz de suportar um impacto de até 6 quilos do explosivo. "Nesse caso, o Urutu sofreria um rombo e o Maruá (utilitário também utilizado pelo Exército) sairia do chão", comentou o capitão.
Entre os itens de segurança também há assentos presos ao teto e cintos de segurança de cinco pontos, que proporcionam menor incidência de risco para a tripulação. Anfíbio, o Guarani pode boiar na água e atravessar zonas de alagamento e rios.
Seu sistema automático de enchimento de pneus foi desenhado para aumentar a mobilidade do veiculo e rodar em diferentes tipos de aderência, em terrenos que necessitem de rolamento com calibragem variável.
"A suspensão é independente, é 6X6, tem ar condicionado, e está preparado para suportar ataques químico, biológico e nuclear", conta o militar. Outro sistema que chama a atenção é o dispositivo que garante a visão noturna.
O blindado tem proteção contra tiro de fuzil 762 e de demais munições perfurantes, além de ser capaz de receber mais outra camada de blindagem. Por sua vez, tem três opções de armamentos. A sua torre, com vidro de blindagem de cerca de 10 centímetros, pode abrigar um atirador com metralhadora .50, uma MAG 7,62 milímetros ou, ainda, um lançador de granada 40 milímetros.
O capitão Mozer relata que o Guarani tem autonomia de 600 quilômetros, fruto de um tanque com capacidade de 480 litros, que pode rodar tanto com óleo diesel quanto com querosene de aviação.
Militares que atuam na Missão de Paz da ONU utilizam os tradicionais capacetes azuis Foto: Rose Mary de Souza / Especial para Terra
Militares que atuam na Missão de Paz da ONU utilizam os tradicionais capacetes azuis
Foto: Rose Mary de Souza / Especial para Terra
Treinamento
O treinamento dos militares que atuarão no Haiti foi dividido em oficinas práticas, com testes das condições de reação da tropa frente aos eventos que podem ocorrer. "O treinamento consiste em uma série de ações que eles vão executar no Haiti. São intervenções sociais aliadas ao treinamento militar", destacou o coronel Anísio David. Dentre os tipos de situações que o soldado pode encontrar focadas pelo treinamento estão as patrulhas urbanas com abordagens de civis, revistas de veículos e patrulhamento urbano.
"Nosso dever é manter o ambiente seguro e estável", disse o coronel. Porém, como a missão é humanitária, os soldados são preparados para dar suporte de segurança e em especial durante a realização das eleições. "Vamos chegar lá na época das eleições, agora começo do ano, período de grande estresse para a população local, e é preciso dar um suporte para que tudo transcorra sem ocorrências de violência", comentou.
Os soldados são agrupados em equipes. Aqueles que estarão na área de saúde acompanharam situações de emergência real dos socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Campinas. Em um acidente de ônibus com dezenas de vitimas e chamados de socorro pelo 193, puderam acompanhar o andamento dos primeiros socorros. Casos práticos e teóricos de traumas, ataques de animais peçonhentos, emergências clinicas, convulsões, hipoglicemias e queimaduras também foram estudados.
Terra/montedo.com

Cabo do Exército é preso após invadir residência e assaltar família no interior de SP

Cabo do Exército é preso após assaltar casa em S. José dos Campos
Suspeito foi encontrado com material roubado em terreno abandonado.
Crime aconteceu na madrugada desta quarta-feira (30), no Jardim Colonial.
Drogas - Cabo Exército (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Material apreendido foi encontrado com criminosos em terreno abandonado (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Do G1 Vale do Paraíba e Região
Um cabo do Exército foi preso após assaltar uma casa na madrugada desta quarta-feira (30), em São José dos Campos. Segundo a Polícia Militar, ele e um outro homem entraram armados em uma casa no Jardim Colonial e levaram celulares, televisão, notebook, bolsas, dinheiro e o carro da família.
De acordo com a PM, após a ação, a dupla fugiu e deixou os objetos roubados em um terreno abandonado. A PM informou que quando o cabo voltou para buscar o material, foi abordado por policiais que faziam ronda no local e teve prisão declarada. O suspeito foi levado para delegacia de plantão e encaminhado para o presídio militar do Exército. O outro assaltante fugiu no momento da abordagem policial e não foi encontrado.
O cabo vai ser investigado na justiça comum e na justiça militar. Se condenado, ele pode ser exonerado do Exército.
G1/montedo.com

STM mantém absolvição de civil denunciada por injúria em hospital militar


O Superior Tribunal Militar (STM) decidiu pela absolvição de uma civil denunciada por se dirigir de maneira ofensiva à honra de duas sargentos do Exército, enfermeiras que trabalhavam no hospital militar de Porto Alegre (RS). A ré, que acompanhava uma paciente no local, foi denunciada pelo crime de injúria, previsto no artigo 216 do Código Penal Militar.
Segundo a denúncia do Ministério Público Militar (MPM), uma das sargentos teria pedido a ajuda da acompanhante para dar banho na paciente quando a ré se irritou e insultou a equipe de militares com palavras de baixo calão informando que essa era uma obrigação das enfermeiras e que elas “eram muito bem pagas pelo trabalho”.
Em 20 de fevereiro deste ano o caso foi julgado na primeira instância da Justiça Militar da União pela Auditoria Militar de Porto Alegre. O Conselho de Justiça absolveu a ré por falta de provas e o MPM recorreu ao STM.
Por falta de materialidade nas provas e pelas controvérsias nos depoimentos das testemunhas, a ministra relatora Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha decidiu manter a absolvição da civil.
Segundo a magistrada, a única testemunha no caso seria a filha da paciente que teria escutado a conversa do lado de fora do quarto e a própria defesa alegou que não se pode comprovar de fato que a testemunha tenha escutado as ofensas.
Uma divergência de horário nos depoimentos das sargentos e da filha da paciente colocaram em dúvida a veracidade dos fatos. A boa conduta da acusada que nunca apresentou esse tipo de comportamento também pesou na decisão.
O Tribunal decidiu por unanimidade acompanhar o voto da relatora e negar provimento ao recurso do Ministério Público.
STM/montedo.com

Nova arma do Exército dos Estados Unidos: uma pedra!

Matheus Gonçalves
soldier-catapult_1570450i
Calma, não é bem por aí. Estamos falando de uma nova arma de espionagem! Depois que a CIA tentou criar adoráveis espiões felinos em um projeto que custou US$ 20 milhões, culminando na conclusão de que gatos tem outros interesses que não este tipo de emprego, os militares americanos agora buscam um meio mais controlável e confiável. Sim, uma pedra.
Assim, pensando de forma imediata, uma pedra não parece ser lá o melhor dos espiões do mundo. Além de ser imóvel (a não ser que alguém resolva arremessá-la), existe ainda o termo do próprio inglês que diz: “Burro feito uma pedra” (Dumb as a rock). Por outro lado, uma rocha é onipresente, imperceptível, e não larga o posto pra correr atrás de um rato.
A Lockheed Martin, uma empresa de tecnologia avançada com estudos de defesa e segurança aeroespacial, desenvolveu uma rede de vigilância chamada Self-Powered Ad-hoc Network (SPAN. Não confundir com SPAM). Trata-se de uma rede sem fio, com auto-alimentação de energia, que conta com dispositivos pequenos o suficiente para caber em uma pequena pedra falsa. Com cor, textura, padrão de formato e tudo mais.
Em filmes americanos a gente costuma ver os personagens escondendo uma chave reserva de casa embaixo de uma pedra no quintal, certo? Então, é mais ou menos isso que o Exército está fazendo, em uma escala muito maior.
SPAN3_Lockheed
Os sensores se organizam, conversam automaticamente entre si e podem realizar uma série de tarefas quando ativados, como ligar uma câmera ou, veja só, acionar um drone que esteja nas proximidades. Eles possuem um custo de produção bem baixo, o que significa que os militares poderiam espalhá-los aos montes. E até esquecê-los lá, vai saber. Ao menos até que um deles seja ativado pelos sensores.
Acredito que o pensamento predominante na criação de sistemas de coleta invisível de informações ainda seja o desenvolvimento de veículos aéreos não tripulados. Mas o que pode ser mais discreto que uma pedra? Talvez, nenhuma pedra? Ok, nenhuma pedra. Mas não é nada complicado fazer uma pedra se tornar “invisível“, convenhamos.
Ainda não está claro quando nem onde esta rede será colocada em atividade. Afinal, estamos falando de um serviço de espionagem e não faria sentido publicar tais localizações. Eu aposto em uma competição entre crianças, de arremessos de pedras pra ver quem atira mais longe. Ou empresas de construção civil com carregamentos de pedras sendo espalhados sem que ninguém perceba que uma delas é na verdade um aparato de espionagem. Nunca se sabe.
A pergunta que eu faço é: O que impediria os EUA de usar pedras no seu jardim para espionagem do seu bairro. De sua cidade? De seu país? Ahhh… os EUA não fariam uma coisa dessa, certo? ;)
Fonte: Wired.
MeioBit/montedo.com

STM anula ação penal contra capitão acusado de desviar alimentos

Ação penal contra capitão acusado de desviar alimentos é anulada pelo STM

Uma ordem de habeas corpus (HC) para anular o recebimento de denúncia contra um capitão em ação penal foi concedida na quinta-feira (24). R.O. e outros oito militares são acusados de desvio de gêneros alimentícios do próprio batalhão. A Defensoria Pública da União (DPU) no Amazonas atuou no caso junto ao Superior Tribunal Militar (STM).
No pedido, a defesa argumentou que o capitão sofria coação por ilegalidade na existência do processo. De acordo com o habeas corpus impetrado pela DPU, a denúncia se limita apenas a narrar fatos controversos, sem determinar nenhuma conduta ilícita e sem prova ou indício de que o capitão tenha se apropriado ou desviado qualquer produto.
Os ministros do STM decidiram, por unanimidade, conceder a ordem de habeas corpus e anular a ação penal, com base nos requerimentos apresentados em um HC impetrado, coletivamente, pelo defensor público federal João Thomas Luchsinger e os estagiários de Direito da DPU Dayse Azevedo, Eduarda Furtado, Ernandes Saraiva, Giovanni Reis, José Mário Pereira, Taís Bezerra e Valéria Nakashima, que participaram da elaboração do documento.
Âmbito Jurídico/montedo.com

30 de outubro de 2013

"Da bolsa" e "do bolo": general Gonçalves Dias volta ao centro do poder

General que chefiou segurança de Lula volta ao governo

Marco Edson Gonçalves Dias (Foto: Mateus Pereira/AGECOM)
General Edson Gonçalves Dias
(Mateus Pereira-agecom)
MARCELO SPERANDIO
Ex-chefe da segurança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o general de Divisão Combatente Marco Edson Gonçalves Dias, o G. Dias, volta lentamente ao centro do poder federal. Na semana passada, ele foi nomeado para o cargo de Assessor Especial da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. É um movimento importante, para quem estava na trincheira com a presidente Dilma Rousseff. Em fevereiro do ano passado, G. Dias desagradou a presidente ao confraternizar com policiais militares que faziam greve na Bahia. Na ocasião, ele era o condutor da negociação com os grevistas. Depois do episódio, o general foi exonerado do comando da 6ª Região Militar e ocupou cargos na burocracia do Exército.
Felipe Patury (ÉPOCA)/montedo.com

General 'da bolsa' 
Carregando bolsas de Lula e Dilma em 2010




General 'do bolo'
Confraternizando com PMs grevistas na Bahia no dia de seu aniversário, em 2012
Foto: Roberto Viana

RS: soldado do Exército é preso por assassinar rival

RS: jovem é morto por enviar carro de telemensagem a namorada de soldado

Dois homens foram presos na manhã desta terça-feira, no bairro Restinga, na zona sul de Porto Alegre, por suspeita de terem matado um jovem a tiros no dia 30 de julho, no mesmo bairro. O crime foi motivado por uma vingança amorosa: André Luiz dos Santos Leal, 24 anos, foi assassinado momentos depois de ter enviado um carro de telemensagem à namorada de outro rapaz, um soldado do Exército de 23 anos.
O namorado da jovem resolveu se vingar pela demonstração afetiva do rival. Após o fim da homenagem pública, o soldado e o padrasto, de 58 anos, perseguiram o carro de telemensagem e o encurralaram.
O motorista e um funcionário da empresa fugiram, e o homem de 58 anos atirou em André, que morreu na hora. No celular da vítima, policiais encontraram vídeos da declaração à garota feita antes do crime.
Segundo a Polícia Civil, André era ex-namorado da jovem e tentava reatar o relacionamento. A garota, porém, já estava namorando com o soldado, que se irritou com as investidas de André e pediu ajuda ao padrasto para matá-lo. Antes do assassinato, a vítima já havia recebido várias ameaças.
De acordo com o delegado Rodrigo Garcia, da 4ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (4ª DPHPP), os dois suspeitos devem ser indiciados por homicídio qualificado. O soldado foi enviado à Polícia do Exército e o padrasto dele, ao Presídio Central.
Jornal do Brasil/montedo.com

Vai faltar munição para os Fuzileiros Navais



FALTARÁ MUNIÇÃO

Fuzileiros fazem simulação de guerra em Formosa (GO), com munição real. Como a Marinha anda numa pindaíba de dar dó, trabalhando só 4 dias por semana para economizar no rancho, seu paiol vai ser zerado.

DIÁRIO do PODER/montedo.com

O Brasil que dá certo: rodovia duplicada, sem pedágio e sem buracos.

Registro feito pela leitora Gisele Moraes, no trecho da BR 101, entre Natal e João Pessoa, feito pela Engenharia do Exército
video

Dependência tecnológica brasileira vai demorar para ser reduzida, diz general

Exército: Brasil vai demorar a reduzir dependência tecnológica

:: Ana Paula Lobo

A indústria nacional de equipamentos como roteadores, switches e de núcleo de rede - para falar apenas em infraestrutura de comunicação - não está preparada para atender a demanda do governo e do próprio mercado, disse o general José Carlos Santos, chefe do Centro de Defesa Cibernética. Ele defendeu a criação de uma Agência Nacional da Segurança Cibernética. "As agências reguladoras atuais não estão preparadas para enfrentar esse desafio", decretou.
Ao falar sobre a dependência tecnológica - colocada como um fator crítico à infraestrutura nacional de TIC - o general Santos reiterou que não há como, nesse momento, evitar o uso de equipamentos de fornecedores estrangeiros. Ele lembra que a Marinha do Brasil está com uma licitação em curso para a contratação de 25 mil roteadores. "Há a busca de equipamentos nacionais, mas há problemas a serem superados", disse.
O chefe do Centro de Defesa Cibernética do Brasil salientou que o país está 'atrasado' em relação às potências no combate ao cibercrime. "O escritor Richard Clake, conhecido pelo livro Guerra Cibernética, deixou claro que os roteadores da Cisco e da Huawei são absolutamonmente iguais. E o são porque o presidente Clinton abriu os dados para os chineses", advertiu.
Para o estabelecimento de regras mais claras para o combate à guerra cibernética - iniciada com o studnex, malware criado em 2010 para ataques à instalações de sistemas nucleares e governamentais - o General Santos defende a criação de uma Agência Nacional de Segurança Cibernética. "Precisamos ter um padrão. Discutir ação padronizada de defesa cibernética. Hoje nenhuma agência reguladora está preparada para conduzir uma politica nacional", frisou o chefe do Centro de Defesa Cibernética.
Com relação às ações de espionagteem dos Estados Unidos, o General Santos - numa visão militar - diz que a atuação da agência de segurança norte-americana, a NSA, foi, dentro da lei americana, correta. "Eles defendem os EUA e usam as ferramentas que têm à mão. Cabe a nós contestar o uso delas para pegar dados nosso", disse.
E perguntado sobre o efeito global da espionagem, disse que as informações liberadas pelo ex-técnico da CIA, Edward Snowden, foram uma 'bomba cibernética', com impacto semelhante ao doda bomba nuclear de Hiroshima, detonada pelos EUA, durante a Segunda Guerra Mundial. "O mundo mudou com a bomba atômica. Também será diferente pós-Snowden", decretou. O general José Carlos Santos participou nesta terça-feira, 29/10, do evento Cyber Security, organizado pela Network Eventos, no Rio de Janeiro.
:: Convergência Digital/montedo.com

MG: homem é detido com arma furtada de sargento do Exército

Jovem é detido com arma furtada de sargento do exército em Uberaba
Ele foi encontrado em casa, após uma denúncia anônima.
Pistola furtada do militar, um revólver 38 e munições foram apreendidas.

Do G1 Triângulo Mineiro
Um jovem, de 26 anos, foi detido na madrugada desta terça-feira (29) por porte ilegal de armas. Ele foi encontrado em casa, no Bairro Jardim Metrópole, em Uberaba, após uma denúncia anônima. Com ele foram apreendidos um revólver calibre 38 e uma pistola calibre 380 com um carregador, 16 munições calibre 38 e 19 munições calibre 380.
Segundo a Polícia Militar, a pistola apreendida foi furtada da residência de um sargento do Exército em agosto deste ano. Na ocasião, ladrões invadiram a casa do sargento no Bairro Estados Unidos e, além da arma, furtaram uma televisão. O jovem e as duas armas apreendidas foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil.
G1/montedo.com

29 de outubro de 2013

Treinamento: Marinha testa segurança para a Copa em Manaus

Marinha testa segurança para Copa durante simulado
Uma das etapas foi uma busca e salvamento nas proximidades do rio Negro – foto: Ricardo Oliveira
Uma das etapas foi uma busca e salvamento nas proximidades do rio Negro – foto: Ricardo Oliveira
Uma série de treinamentos e definições de linhas de ação para a Copa do Mundo está em andamento pelas Forças Armadas no Amazonas. No último sábado, a Marinha do Brasil iniciou sua participação no treinamento com a primeira operação piloto de segurança para o mundial.
O exercício envolveu verificação dos Postos de Segurança Estatística (PSE), localizados na termoelétrica de Mauá, no cais das Torres e no porto organizado de Manaus, além de visita ao Comando e Controle da Força Naval Componente (FNC - 462) e acompanhamento de uma simulação de busca e salvamento nas proximidades do rio Negro com a entrada do rio Tarumã-Açu.
Para este treinamento, foram empregados 211 militares, um destacamento de fuzileiros navais do Batalhão de Operações Ribeirinhas, o navio-patrulha fluvial Raposo Tavares, lanchas da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental e dois helicópteros do 3º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral.
De acordo com o comandante do 9º Distrito Naval, vice-almirante Domingos Savio Almeida Nogueira, o objetivo do treinamento é tornar a Marinha apta para garantir a segurança durante a Copa.
“Neste primeiro treino, organizamos uma força-tarefa para acertar detalhes sobre operações de busca e salvamento durante o evento, caso seja necessário”, explicou.
Segundo ele, mais exercícios devem ser realizados até a Copa do Mundo, não apenas pela Marinha, mas também por equipes do Exército e da Aeronáutica.
“Os procedimentos serão comandados pelo Centro de Defesa de Áreas (CDA) e devem envolver todas as Forças Armadas, com 300 profissionais, sendo 150 fuzileiros navais e outros 150 militares do exército e da aeronáutica”, detalhou.

Outras ações
As ações de treinamento iniciaram na última quinta-feira, 24, e se estenderam até ontem. Além das Forças Armadas, participaram Polícia Militar (PM), Polícia Civil, Guarda Municipal, Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans), entre outros órgãos.
emtempo/montedo.com

Estado-Maior do Exército apresenta a adidos militares o planejamento de segurança de grandes eventos


O Estado-Maior do Exército já apresentou a adidos militares estrangeiros o planejamento de segurança dos grandes eventos que ocorrerão no Brasil até 2016. Segundo informações divulgadas pelo Exército, o encontro, que ocorreu na semana passada e teve como objetivo a divulgação internacional a ser feita pelos adidos militares, foi iniciada com a apresentação das estruturas de Coordenação dos Grandes Eventos, conduzida pela Assessoria Especial para os Grandes Eventos (Aege-EB).
Os adidos militares estrangeiros tomaram conhecimento das atividades desenvolvidas pelo Ministério da Defesa, pelo Comando de Operações Terrestres (Coter), pelo Centro de Coordenação de Defesa de Área de Brasília (CCDA-BSB) e pelo Centro de Operações do Comando Militar do Planalto (COP-CMP), informou também o Exército.
Os adidos também assistiram a uma demonstração de ações contraterrorismo e de defesa química, biológica, radiológica e nuclear conduzida pelo Comando de Operações Especiais, em Goiânia.
Agência Brasil/montedo.com

MS: Exército Brasileiro e Polícia Civil debatem projeto de vigilância de fronteiras

Exército Brasileiro e Polícia Civil debatem projeto de vigilância de fronteiras

Fonte: Policia Civil/ Assessoria
General explica os objetivos e detalha as fases já implementadas do Sisfron  (Foto: Pedro Peralta)
General Elias (Foto: Campo Grande News)
O mais arrojado projeto de vigilância das fronteiras brasileiras, desenvolvido pelo Exército Brasileiro, esteve em debate na Acadepol (Academia de Polícia Civil de Mato Grosso do Sul), na sexta-feira (25), durante a palestra proferida pelo General de Brigada Elias Rodrigues Martins Filho. Trata-se do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron).
O piloto do estratégico projeto do Exército brasileiro, que tem por objetivo aumentar a vigilância e a proteção das fronteiras brasileiras, já vem sendo desenvolvido em Dourados (MS) e está previsto para ser instalado em sua totalidade até 2025, na área de 16.886 quilômetros que se estende por dez Estados brasileiros e faz divisa com 11 países.
Durante a palestra que contou com a presença do Secretário Estadual de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini, do Delegado-geral da Polícia Civil Dr. Jorge Razanauskas Neto, de delegados, oficiais do exército e outras autoridades, o General Elias explicou que o Sisfron é baseado em uma rede de sensores e radares colocados sobre a linha de fronteira e interligada a sistemas de comando e controle, que por sua vez, estarão interligados às unidades operacionais com capacidade de dar resposta, em tempo real, aos problemas detectados.
"O Sisfron trabalha em conjunto e alimenta com dados e informações em tempo real as Polícias Federal, Rodoviária Federal, Civil, Militar e órgãos de fiscalização municipal, estadual e federal como a Secretarias de Fazenda, IBAMA (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) e Ministério da Agricultura, por exemplo", destaca o General Elias.
Segundo o General Elias, atualmente, o projeto está em fase de implantação em Dourados, na área da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada. Nesta fase, é monitorada uma faixa de 600 quilômetros na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a Bolívia. "Com investimentos de R$ 11 bilhões, a previsão é de que o Sisfron leve dez anos para ser totalmente implantado", explica.
"O Exército vem trabalhando para apresentar o projeto às autoridades estaduais e municipais, à classe empresarial, entidades educacionais e demais setores que tenham interesse em conhecer a forma pela qual o sistema vai trabalhar em prol da sociedade brasileira", conclui o General.
Corumbá News/montedo.com

Incursões marítimas chinesas ameaçam paz, diz ministro japonês

Área 'cinza' será discutida no Conselho Nacional de Segurança.
China multiplicou incursões nas águas territoriais das Ilhas Senkaku.

Da France Presse
'Zona Cinza' é disputada por Japão e China (Imagem: Poder Naval)
O ministro japonês da Defesa, Itsunori Onodera, disse nesta terça-feira (29) que as incursões marítimas chinesas nas águas territoriais japonesas em torno das Ilhas Senkaku ameaçam a paz na região.
"Penso que as incursões da China nos territórios (águas territoriais) em torno das Ilhas Senkaku constituem uma zona cinza entre tempos de paz e uma situação de urgência", afirmou Onodera à imprensa. "Esta zona cinza será discutida no Conselho Nacional de Segurança, que se reunirá em Tóquio", acrescentou o ministro.
No sábado (26), por ocasião de um desfile das Forças de Autodefesa (SDF), o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, advertiu que Tóquio "não tolerará qualquer mudança pela força do status quo" do arquipélago.
Os chineses multiplicaram suas incursões nas águas territoriais das Ilhas Senkaku após a nacionalização do arquipélago, comprado pelo governo japonês de um proprietário particular em setembro de 2012.
Leia também:
EUA e Japão fazem exercícios militares perto da China
As Ilhas Senkaku - ou Diaoyu para os chineses - estão situadas 200 km a nordeste da costa de Taiwan - que também reivindica o arquipélago - e 400 km a oeste de Okinawa, no sul do Japão.
Além de sua posição estratégica, suspeita-se que há importantes reservas de petróleo na área.
G1/montedo.com

Haiti: Mujica pensa em retirar tropas uruguaias da MINUSTAH



Uruguai analisa possibilidade de retirar forças armadas de missão de paz no Haiti
País mantém cerca de 850 militares na ilha caribenha, cem a menos do que no início da participação
O presidente do Uruguai, José Mujica, analisa a permanência de suas forças armadas na Missão de Estabilização para o Haiti (Minustah), liderada pelo Brasil, segundo informações divulgadas nesta segunda-feira pela imprensa local.
De acordo com a imprensa uruguaia, Mujica disse a seus ministros que o Uruguai deveria retirar suas forças armadas da ilha caribenha quando outros países, como o Brasil, recolherem seus efetivos.
A partir de março deste ano, o Brasil iniciou uma redução de seu contingente militar no Haiti. O Uruguai mantém atualmente no país cerca de 850 militares, principalmente do Exército, cem a menos do que no início de sua participação na missão.
Perguntado na noite desta segunda-feira se o Uruguai atuará de acordo com a decisão brasileira, Mujica respondeu que: "Dependemos de nós mesmos". Na semana passada, o chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, se reuniu com o presidente uruguaio em Montevidéu.
A Minustah foi criada pelo Conselho de Segurança da ONU em 2004, após a crise que levou à saída do então presidente haitiano Jean Bertrand Aristide e desencadeou uma onda de violência. O contingente militar da Minustah é formado por militares de Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Filipinas, Guatemala, Indonésia, Jordânia, Nepal, Paraguai, Peru, Sri Lanka e Uruguai.
O Conselho de Segurança da ONU decidiu no último 10 de outubro reduzir a missão de paz das Nações Unidas no Haiti a um máximo de 5.021 soldados. Até o momento, o efetivo era de 6.233. A decisão está inserida no marco de seus esforços para diminuir a presença do organismo internacional em zonas onde a situação de segurança tenha melhorado.
AFP/montedo.com

Militares americanos recorrem à lipoaspiração para evitar serem expulsos

Os soldados norte-americanos têm receio de serem expulsos ou de não serem promovidos por causa do excesso de peso.

Carolina Reis
Peritos defendem que as tabelas do Pentágono, para medir a gordura aos soldados, estão desatualizadas
 Peritos defendem que as tabelas do Pentágono,
para medir a gordura aos soldados,
estão desatualizadas 
(Getty)
Há cada vez mais militares americanos a fazer lipoaspirações de modo a poderem passar nos testes praticados pelo exército dos EUA que incluem a medição do peso.
A agência de notícias AP conta que os militares costumam procurar, com urgência, o cirurgião plástico Adam Tattelbaum, a quem pedem que lhes retire gordura na zona da cintura.
"Chegam em pânico com medo de serem expulsos ou de terem alguma menção de demérito que os prejudique na carreira", disse o médico à AP.
Os soldados argumentam que não têm outra hipótese porque o método do Pentágono para a avaliar a gordura corporal também conta a flacidez e a parte muscular.
Peritos de fitness e médicos ouvidos pela AP sugerem ao Pentágono que mude as suas tabelas de avaliação, afirmando que estão desatualizadas e não refletem a realidade americana.
A Defesa americana, por sua vez, diz que são poucos os soldados com peso a mais que conseguem ser bem sucedidos.
Expresso XL/montedo.com

28 de outubro de 2013

Roraima: sargento do Exército perde dedo em acidente com explosivos

Sargento do Exército perde dedo durante treinamento, em Roraima
Incidente ocorreu na manhã desta segunda (28) no 7º Bis, em Boa Vista.
Sargento foi encaminhado ao HGR, onde permanece internado.
PF esteve no 7º BIS nesta segunda-feira (28) (Foto: Vanessa Lima/G1)
PF esteve no 7º BIS nesta segunda-feira (28) (Foto: Vanessa Lima/G1)
Natacha Portal e Vanessa Lima
Do G1 RR
Na manhã desta segunda-feira (28) um 2º sargento do 7º Batalhão de Infantaria de Selva (Bis) de Boa Vista, de 36 anos, teve o polegar da mão direita amputado ao sofrer um acidente durante treinamento. Durante instruções para manuseio de explosivos, um artefato explodiu, segundo informações da instituição.
Segundo informações do major Rodrigo Luiz, oficial de comunicação social do Exército, o sargento foi encaminhado para o Pronto-Socorro Francisco Elesbão do Hospital de Geral de Roraima (HGR). Médicos da Brigada prestaram os primeiros socorros e o militar foi conduzido à unidade médica em uma ambulância da instituição.
Peritos da Polícia Federal (PF) estiveram no local do acidente e um inquérito policial militar vai ser instaurado, conforme determinação do comandante do 7º bis, tenente-coronel Carlos Mercês.
"O local foi preservado e as circunstâncias em que ocorreu o acidente serão apuradas. O material era apenas para disparar e acabou explodindo. O artefato teve um mau funcionamento", declarou o comandante.
A reportagem do G1 entrou em contato com a Superintendência da Polícia Federal em Roraima, mas em função do feriado do dia do servidor público não houve expediente na assessoria de comunicação da PF. (R. A.)
G1/montedo.com

A classe esquecida: inexistente no período de FHC, reajuste dos militares é pífio na era petista

A manchete aí em cima é do blogueiro. Segue a matéria da Folha:
Salários no serviço público ainda crescem, mas ritmo dos anos Lula ficou para trás
Reajuste dos militares ficou apenas 2,5% acima do INPC
Um dos setores da sociedade mais beneficiados na era de crescimento econômico mais acelerado dos anos Lula, o funcionalismo público mantém hoje vantagens salariais, mas com progressos mais modestos ou perdas de rendimento.
A pesquisa de emprego feita pelo IBGE nas seis maiores regiões metropolitanas do país (São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre) mostra que, depois de uma escalada de ganhos entre 2002 e 2010, os salários no serviço público ainda crescem, mas em ritmo inferior ao da renda _mais baixa_ do trabalho no setor privado.
Trata-se de uma consequência da estagnação da economia a partir do início do mandato da presidente Dilma Rousseff. Com o consumo e o investimento andando a passos mais lentos no país, perdeu fôlego também a arrecadação de impostos e a capacidade de conceder reajustes salariais aos servidores.
Os dados do IBGE contemplam empregados em todas as esferas de governo, mas é no Executivo federal, cujas informações sobre o quadro de pessoal são mais completas e detalhadas, que estão os melhores exemplos do impacto da freada econômica sobre a progressão dos salários.
Carreiras de elite, caso de delegados, auditores-fiscais, procuradores e diplomatas, que tiveram aumentos de até 69% em seu poder de compra durante os dois mandatos de Lula, receberam reajustes abaixo da inflação no governo Dilma.
Carreira de nível superior mais numerosa, os professores universitários mantiveram ganhos reais de salários, embora estejam longe dos mais de R$ 20 mil mensais pagos na elite do funcionalismo.
Uma das bases políticas e sindicais mais influentes no PT, os servidores civis do Executivo federal conseguiram, no governo Lula, reduzir sua desvantagem salarial em relação ao Judiciário e ao Legislativo.
Se considerados os mais de dez anos da administração petista, os gastos por servidor cresceram em todos os Poderes, mas o aumento foi muito maior no Executivo.
Dinheiro Público & Cia (Folha)/montedo.com

Cadete da AMAN morre em acidente de trânsito em MG

O carro da vítima ficou bastante danificado  (Foto: PRF/Divulgação)
O carro do cadete ficou bastante danificado (Foto: PRF/Divulgação)
O cadete Dellane Cherene, que cursava o 4º ano da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), faleceu em acidente de trânsito nesta madrugada em Juiz de Fora. Segundo informações do site G1-Juiz de Fora, o Gol conduzido pelo militar desgovernou-se numa reta e chocou-se contra um paredão de rocha, capotando em seguida. O acidente ocorreu no quilômetro 794 da BR 040, na altura do restaurante Curral. (Com informações do G1 e Kelma Costa, via Facebook)

PMB (Partido Militar Brasileiro) negocia candidaturas em dez estados

‘Partido Militar’ prepara ofensiva para eleições 2014
Sem registro no TSE, PMB negocia com o PRTB candidaturas em dez Estados brasileiros

Rodolfo Borges, do R7
"Vamos participar ativamente das eleições", diz fundador do PMBReprodução/Facebook
O PMB (Partido Militar Brasileiro) não conseguiu o registro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a tempo de participar das eleições de 2014, mas nem por isso deixará de lançar candidatos. Graças a uma parceria com o PRTB, os militares planejam apresentar ou apoiar candidaturas ao governo de 11 Estados no próximo pleito.
Fundador do PMB, o Capitão Augusto Rosa disse ao R7 que “as conversas estão bem adiantadas“ com o PRTB e os detalhes da parceria devem ser encaminhados em reunião marcada para o dia 4 de novembro. Em contrapartida, o PRTB deve ajudar os militares a conseguir as assinaturas que faltam para registrar o PMB.
Entre os Estados mirados pelos militares estão Paraná, Tocantins e São Paulo, onde eles devem apoiar a candidatura do deputado estadual Major Olímpio Gomes (PDT) ao Palácio dos Bandeirantes. Também está nos planos do PMB disputar vagas no Senado e na Câmara, de acordo com Rosa.
— Vamos participar ativamente das eleições do ano que vem. Ou lançando candidatos ou apoiando candidaturas. Estamos afinando o discurso.

Afinidades
Segundo o capitão, que é primeiro-suplente na Câmara dos Deputados pelo PV, o PRTB partilha dos mesmos ideais de direita que embasam a criação do PMB e, portanto, foi a escolha natural para a parceria em 2014. Presidente nacional do PRTB, Levy Fidelix confirmou as afinidades ao R7.
— O PRTB vai se transformar em partido de centro-direta declarado, defendendo família, nacionalismo, valores pátrios. Não é ‘ultraconservador’, mas conservador num aspecto de origem, capital, desenvolvimentista. Além disso, nosso ‘ritmo’ agora é segurança em primeiro lugar.
Como muitos militares da ativa estão interessados em disputar cargos em 2014, boa parte das candidaturas só deve ser definida em junho do próximo ano — prazo limite para que eles se licenciem e se filiem a algum partido —, explica o Capitão Rosa, que, enquanto negocia a aliança para 2014, segue tentando viabilizar o PMB para as eleições de 2016.
— Acredito que, até fevereiro, a gente tenha todas as assinaturas, porque estão faltando apenas 180 mil fichas.
R7/montedo.com

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics