30 de abril de 2013

Soldado do Exército morre com suspeita de Gripe A no RS

Um soldado do Exército morreu na noite de ontem (29), no Hospital Vida e Saúde, de Santa Rosa, RS.
A suspeita é de que ele tenha sido vitimado pela Gripe A.
O o militar de 18 anos era natural de Crissiumal e servia no 19º R C Mec, de Santa Rosa.
Após o óbito, foi coletado material e enviado para o Laboratório do Central do Estado (Lacen), para identificação da causa da morte.

Depois da seca, as chuvas: Exército apoiará prefeitura de Maceió em caso de acidentes

Exército garante apoio à Prefeitura de Maceió
Rui Palmeira firma parceria com o 59º BMtz para atender acidentes em encostas e grotas

Prefeito Rui Palmeira lembrou que está sendo feito trabalho preventivo em áreas de risco
Prefeito Rui Palmeira lembrou que está sendo feito
trabalho preventivo em áreas de risco (Secom/Maceió)
A grande incidência de chuvas na capital alagoana levou o prefeito Rui Palmeira (PSDB) a recorrer ao Exército brasileiro. Quedas de barreiras, encostas e demais acidentes, que estão ocorrendo em decorrência das fortes chuvas estão levando medo e desespero as famílias, que residem em áreas de risco, por exemplo.
Do coronel Carlos Feitosa, comandante do 59º Batalhão de Infantaria Motorizada, o prefeito recebeu a garantia de apoio efetivo aos esforços de socorro do Executivo municipal. Feitosa colocou o Exército à disposição da Prefeitura e afirmou que a instituição manterá contato permanente com a Defesa Civil para agir em caso de emergência.
“Se houver necessidade, vamos apoiar as ações da Prefeitura. É importante que haja planejamento para definir as atividades”, disse o oficial.Rui Palmeira salientou que a parceria com o Exército é importante, já que o início do período chuvoso tem deixado a Prefeitura em alerta. “Com as chuvas, já nos deparamos com muitos problemas, principalmente nas encostas e grotas”, salientou.
O prefeito deixou claro que a Defesa Civil, em parceria com outras secretarias, está desenvolvendo ações preventivas nas áreas de risco em Maceió. “Temos uma grande preocupação com os moradores dessas regiões e estamos trabalhando para isso. Estamos trabalhando com planejamento de prevenção”, frisou Rui Palmeira.
Dináio Lemos, coordenador municipal da Defesa Civil, confirmou que, em caso de emergência, as tropas seriam para ajudar na remoção das famílias atingidas pelas chuvas. “Esse período nos preocupa bastante e essa parceria será de fundamental importância para o trabalho da Defesa Civil”, afirmou Lemos. Leia mais.
Tribuna Hoje/montedo.com

Copa das Confederações: FAB e Exército montam operação para controlar os céus de Brasília

Céus da capital sob vigilância

Jirlan Biazatti
Exército e Aeronáutica reforçarão a defesa aérea e antiaérea em 15 de junho. Para controlar os céus de Brasília, a Força Aérea Brasileira criou três áreas de exclusão com tamanhos e acessos de níveis diferentes, a partir do Estádio Nacional. Elas terão vigência no período compreendido entre uma hora antes até quatro horas depois da partida entre Brasil e Japão.
A área branca vai abranger 100km; a amarela, 13km; e a vermelha, 7,4km. As permissões para ingresso nesses espaços só serão dadas para o transporte de autoridades e delegações, aeronaves militares e de segurança pública e aeronaves comerciais de operação regular doméstica e internacional.
Os caças supersônicos Mirage 2000 do 1º Grupo de Defesa Aérea, situado na Base Aérea de Anápolis (GO), ficarão responsáveis por interceptar e até mesmo abater qualquer aeronave suspeita que ultrapasse esses limites. Em terra, o Exército pretende posicionar baterias antiaéreas e mísseis em pontos próximos ao estádio para derrubar qualquer avião ou artefato que invada o espaço aéreo.
SuperEsportes/montedo.com

Em entrevista, General Santos Cruz fala sobre a missão no Congo

General Santos Cruz sobre o Congo: "Temos autorização para neutralizar os grupos armados"
O general Carlos Alberto dos Santos Cruz conversou por telefone com Zero Hora sobre a instabilidade política na República Democrática do Congo e a importância da intervenção

Guiherme Mazui
guilherme.mazui@gruporbs.com.br
Após chefiar a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti, o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz recebeu um novo desafio:repetir o trabalho em terras africanas. Gaúcho de Rio Grande, aos 60 anos o militar comandará mais de 20 mil homens que tentam estabilizar a República Democrática do Congo (RDC).
Batizada de Monusco, a missão tenta pacificar um país com 63,6 milhões de habitantes, que há duas décadas convive com ataques de grupos armados e instabilidade política. Comandante no Haiti entre 2007 a 2009, Santos Cruz atuava no momento como assessor especial de Defesa na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Em Brasília, o general conversou com Zero Hora. Confira os principais trechos.

Zero Hora – A missão na África é mais difícil do que a do Haiti?
Carlos Alberto dos Santos Cruz – Tenho 44 anos de Exército e pensei que o Haiti seria o grande desafio da minha carreira, mas esta nova missão é algo maior. O convite veio graças ao bom desempenho do Brasil em outras missões. É um reconhecimento internacional.

Zero Hora – Qual a diferença da nova missão para a do Haiti?
Santos Cruz – Cada missão tem sua característica, mas o Congo é um país gigante, com quase 70 milhões de habitantes, enquanto o Haiti é pequeno. Muda a forma de agir. Mas o que importa é que precisamos resolver o problema, que é igual em todos os lugares: o sofrimento das pessoas, as mortes causadas pela instabilidade do país.
Leia também:
Após levar 'carona' para a quarta estrela, general brasileiro é convidado para comandar missão da ONU no Congo
ZH – Quando o senhor pretende desembarcar na África?
Santos Cruz – O convite formal para o governo brasileiro chegou hoje [em 24 de abril]. É preciso vencer uma etapa burocrática antes de viajar. Espero resolver tudo o mais rápido. É possível que em maio já esteja no terreno de combate.

ZH – Em que região do país o senhor ficará?
Santos Cruz – O quartel-general da ONU é na capital (Kinshasa), mas os conflitos mais graves são no leste do país. O comandante tem de estar junto de seus homens, nos locais de maiores dificuldades. O risco vem embutido no pacote.

ZH – A região é assolada por movimentos armados, como o M23. A missão tem autorização para ocupar territórios?
Santos Cruz – A ONU criou uma brigada de intervenção. Temos autorização para neutralizar os grupos armados. Não é apenas tomar territórios ocupados por esses grupos, mas também precisamos controlar informações, evitar fluxo de armas e munições, fazer patrulhamentos, permitir que a população civil possa se deslocar pelo país.
ZERO HORA/montedo.com

29 de abril de 2013

Coreia do Norte poderia estar preparando teste militar em grande escala

O fechado regime comunista da Coreia do Norte poderia estar preparando um teste militar em grande escala por terra e ar no litoral do Mar Amarelo (Mar Ocidental), segundo revelou hoje uma fonte do governo sul-coreano à agência “Yonhap”.
“Não há forma de adivinhar quando começará o teste, mas existe uma possibilidade de que o Norte opte por lançar mísseis de curto alcance como parte de sua demonstração de força”, disse a fonte.
Segundo as informações divulgadas pela inteligência sul-coreana, há sinais que fazem pensar que o regime de Kim Jong-un realizará o exercício militar com forças aéreas e terrestres na base norte-coreana naval de Nampo, na província de Pyongyang do Sul (oeste do país).
A manobra acontece em um momento de forte tensão na península, depois que a Coreia do Norte iniciou uma dura campanha de ameaças e hostilidades bélicas contra Estados Unidos e Coreia do Sul, como resposta a seu recente exercício militar anual Foal Eagle, que considera um teste de invasão de seu país.
No entanto, outras fontes militares consultadas pela “Yonhap” consideraram que apesar de terem sido detectados sinais de movimento no norte, isso não significa que vá acontecer um teste iminente.
“Uma grande parte do Exército norte-coreano se mobiliza para trabalhos de ajuda durante o período de colheitas de primavera, embora o Sul permaneça em guarda, perante a possibilidade de acontecer um ataque relâmpago”, finalizou a fonte. (da Folha de São Paulo)
Agora MS/montedo.com

França suprimirá vinte mil postos nas Forças Armadas até 2019

França suprimirá 20.000 novos postos nas Forças Armadas

PARIS, 29 Abr 2013 (AFP) - Vinte mil novos postos serão suprimidos nas Forças Armadas francesas até 2019, informou neste domingo uma fonte próxima na véspera da entrega do Livro branco da Defesa ao chefe de Estado.
Em 2008, o então presidente Nicolas Sarkozy programou o corte de 54.000 funcionários na Defesa entre 2008 e 2015. O livro branco de 2013 contempla a continuação das reduções de pessoal previstas até 2015 e a supressão de outros 20.000 cargos ao longo dos quatro anos seguintes, informou a fonte.
Por outro lado, o orçamento da Defesa para 2014 será mantido em 31,4 bilhões de euros, tal como tinha anunciado o sucessor de Sarkozy, o atual presidente François Hollande, em 28 de março. E 179,2 bilhões de euros constantes serão destinados à Defesa entre 2014 e 2019, segundo a fonte.
BOLNOTÍCIAS/montedo.com

28 de abril de 2013

Exército chinês desmantela sistema de uso inadequado de automóveis militares

Terril Yue Jones

A nova liderança da China busca desmantelar um sistema de privilégios que tem permitido aos motoristas de veículos militares fazerem o que querem nas rodovias.
Neste domingo, os militares chineses começaram a substituir as placas de seus carros e caminhões para restringir legiões de veículos, muitos deles de marcas de luxo, que rotineiramente infringem leis de trânsito e abastecem com combustível grátis.
O Departamento de Logística Geral do Exército de Libertação Popular começou a supervisionar a remoção das atuais placas militares que irão vencer na terça-feira, relatou o jornal do Exército, PLA Daily.
Sedãs de luxo e veículos utilitários esportivos com placas do Exército e da Polícia Armada Popular ultrapassando faróis vermelhos, piscando os faróis ou tocando sirenes para afastar os carros da frente é uma visão comum na China.
O presidente recém-nomeado, Xi Jinping, que também é o presidente da Comissão Militar Central e além disso, a maior autoridade militar, vem tentando fazer do combate à corrupção um pilar de sua administração, dizendo que ele irá atrás de autoridades corruptas de alto ou baixo escalão.
Carros de luxo alemães, norte-americanos e japoneses e SUVs com placas militares --frequentemente concedidos a amigos ou a membros da família como favores --são uma das muitas manifestações de corrupção na China que regularmente aborrecem os cidadãos comuns.
Membros das famílias de autoridades militares aposentadas e que possuem placas militares têm inclusive reivindicado gasolina grátis.
O novo sistema de licenciamento deve eliminar as placas militares falsas, utilizando uma tecnologia eletrônica integrada, informou a agência estatal Xinhua.
Reuters/montedo.com

Ex-soldado do Exército procurado por duplo assassinato é preso no Recife

Soldado do exército procurado por duplo homicídio foi preso

O soldado do Exército Vladson Almeida Gomes, 19 anos, está detido sob custódia no Hospital da Restauração. Ele estava sendo procurado desde o final do ano passado depois de matar a ex-sogra Estela Farias de Moura, 36, e o vizinho dele Diogo Bezerra do Monte, durante uma festa de Natal no Conjunto Habitacional Via Mangue I, no bairro do Pina.
Na ocasião, a namorada de Vladson se desentendeu com a ex-sogra do rapaz. As duas acabaram brigando quando Diogo Bezerra tentou separá-las. Na confusão, o militar teria sacado a arma e disparado vários tiros. Um deles atingiu o pescoço de Diogo. E na sequência, Gomes também deu três tiros na ex-sogra.
Leia também:
Soldado do Exército é suspeito de duplo assassinato em Recife
Neste sábado, mais de quatro meses depois desse duplo homicídio, de acordo com a Polícia Militar, o soldado, acompanhando de um homem sem identificação, estaria indo cometer um crime no Coque quando os dois foram abordados pelos policiais. Vladson e o colega reagiram e atiraram contra os a equipe do Gati. Um dos PMs ficou ferido. Expedito Rodolfo Mendonça fo baleado na perna e está internado no HR.
Vladson levou três tiros. Os policiais informaram que quando ele receber alta, deverá ser encaminhado para o Cotel.
Com informações da TV Clube
DIÁRIOdePERNAMBUCO/montedo.com

Comissão Nacional da Verdade vai ao STM pedir digitalização de processo. Ou: 'Santa coincidência, Batman!'

CNV se reúne com ministro presidente do STM
Comissão pede que tribunal digitalize parte de processo contra integrantes do PCB

A Comissão Nacional da Verdade se reuniu no início da tarde de hoje com o ministro presidente do Superior Tribunal Militar, o General de exército Raymundo Nonato, para falar sobre a digitalização de parte do acervo do STM que engloba o período e o tema de interesse da CNV. O encontro aconteceu no gabinete do Ministro do STM, em Brasília.
O coordenador da CNV Paulo Sérgio Pinheiro, acompanhado de dois assessores e do Procurador Regional da República de São Paulo Marlon Alberto Weichert, pediu que o STM digitalize e disponibilize 25 volumes de um processo aberto em 1964 para investigar integrantes do Partido Comunista Brasileiro, o PCB.
O Brasil Nunca Mais foi um projeto criado no final de década de 70, coordenado por Dom Paulo Evaristo Arns e pelo Pastor Jaime Wright, que organizou um grupo de 30 pessoas, entre elas diversos advogados, para recolher, fotocopiar e sistematizar clandestinamente informações contidas em mais 700 processos à época armazenados no STM. Eram informações, em sua maioria, a respeito de presos políticos ou que relatavam torturas e abusos da força prisional.
A Comissão Nacional da Verdade apoia o projeto Brasil Nunca Mais Digital, feito pelo Ministério Público Federal de São Paulo, em parceira com Arquivo Público de São Paulo e Armazém da Memória. O projeto pretende digitalizar e disponibilizar na internet todo o acervo que hoje está microfilmado.
CNV/montedo.com

Comento:
Sempre deixei minha posição sobre essa famigerada Comissão da (in) Verdade muito clara em minhas postagens.  A esquerda derrotada após 1964 armou um grande circo, cujos palhaços são os militares. É  uma comissão que pretende apurar a 'verdade' de um lado só, por isso, não vejo nela legitimidade alguma. Esta é minha opinião como cidadão, e tenho todo o direito de externá-la. 
Já as autoridades militares silenciam constrangidamente, enquanto assistem a história ser reescrita na versão dos vencidos de então, deixando à deriva os companheiros de ontem, enquanto tentam sobreviver agarrados em seus cargos.
Dito isto, porém, não posso deixar de registrar minha estranheza em relação ao - digamos assim -  'entorno' da notícia. E vocês notarão que tenho meus motivos. Senão, vejamos:
- A reunião ocorreu na tarde de sexta-feira (26).  Curiosamente, até o momento em que escrevo, não há uma linha sobre o ela no site do STM. 

- Por outro lado, aparece no topo da seção Destaques a notícia sobre um Ato Normativo do Presidente do STM, datado de 5 de abril, que determina o fechamento e a interdição imediata das instalações da Seção de Arquivo do Superior Tribunal Militar, em caráter emergencial, pelo prazo de 120 dias. O motivo seria "a infestação de fungos nos depósitos de documentos das instalações da Seção de Arquivo - SEARQ, subordinada à Diretoria de Documentação e Divulgação, o que pode colocar em risco a saúde de servidores e usuários em geral".

- Até aí, tudo bem. Ocorre que a versão em PDF do tal Ato Normativo é de 22 de abril (http://www.stm.jus.br/destaques/docs-conc/ato_fechamento_searq_22abr2013.pdf) e foi divulgada no Diário da Justiça Eletrônico na mesma sexta-feira (26) em que ocorreu a reunião com os integrantes da Comissão da Verdade. A publicação oficial só ocorre amanhã (29).
Robin, o menino-prodígio, exclamaria: Santa coincidência, Batman!

27 de abril de 2013

Capitão do Exército destrata policiais ao ser preso em blitz da Lei Seca em Manaus

Capitão do exército se altera ao ser preso dirigindo embriagado durante blitz
Segundo os agentes de trânsito, o capitão dirigia em zigue-zague e destratou policiais e os agentes de trânsito

BRUNO STRAHM
Um capitão do exército brasileiro, identificado como João Crimato Vieira, foi pego durante a bltiz da Lei Seca realizada pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), durante a madrugada deste sábado (27) realizada na Avenida Santos Dumont, na Zona Norte de Manaus.
Segundo os agentes do Detran, por volta de 4h30 da madrugada o capitão Vieira dirigia seu Chevrolet Agile preto, placa EPL-3171, em zigue-zague quando parou na barreira formada pela blitz. O capitão estava bastante alterado e apresentou nível alcoolemia de 0.65 mililitros no teste do bafômetro. Por conta da Lei Seca, o militar foi encaminhado ao 18º Distrito Integrado de Polícia (DIP) para prestar esclarecimentos.
Na delegacia o capitão se mostrou contrariado e destratou os policiais presentes e os agentes do Detran. Vieira teria afirmado que "era um militar e não precisava obedecer civis". Segundo informações da polícia, o delegado plantonista do 18º DIP, Alexandre Moraes, também foi destratado pelo oficial do exército que alegou que o delegado não tem autoridade policial.
O capitão só teria se acalmado após uma ligação do próprio comandante maior do exército no Amazonas exigindo que o militar colaborasse com a polícia.
Ele foi flagranteado por embriaguez ao volante e ainda aguarda para ser ouvido no 18º Distro Integrado de Polícia (DIP).
acrítica/montedo.com

Nota do editor:
Trata-se do Capitão QCO/Enfermagem João Clímaco Vieira, do Hospital Militar de Área de Manaus

Clube dos Subtenentes e Sargentos do Exército vai à leilão no RJ


CLUB ESPORTIVO NO ROCHA
A sede carioca do Clube dos Subtenentes e Sargentos do Exército será leiloada na próxima terça-feira (30), as 13h, na sede da Justiça Federal do Rio de Janeiro. 
Juntamente com o prédio de cinco andares, com elevador, quadra poliesportiva, piscina, departamento médico, cantina, salão e várias salas, avaliado em R$ 4.000.000,00, também vai à leilão um terreno medindo 469 metros quadrados na Rua 24 de Maio, 165, onde atualmente funciona uma escolinha de futebol do Flamengo, avaliado em R$ 609.700,00.

montedo.com, com informações de Schulman Leilões

Exército vai pavimentar ruas de Manaus

Asfalto esburacado: Prefeitura recorre ao Exército para resolver situação de Manaus
Prefeitura recorre ao Exército para ajudar a resolver situação de Manaus, que tem solo arenoso e precisa de trabalho na base

STEFFANIE SCHMIDT
Retorno em frente á Ufam, no início de abril: em um mês, obra que tinha sido entregue já apresentava sinais de deterioração
Retorno em frente á Ufam, no início de abril: em um mês,
obra que tinha sido entregue já apresentava sinais de deterioração 
(Evandro Seixas)
O Exército passará a atuar na pavimentação das ruas de Manaus a partir de junho, dentro de pacote de obras de verão, anunciado na última quinta-feira pelo Prefeito Artur Neto. Dois editais de licitação deverão ser lançados na próxima semana: um para aluguel de equipamentos e máquinas pesadas e outro para contratar empresa para elaborar o projeto básico de recapeamento de 200 km de vias que deverá ser executado nos quatro anos de governo. O orçamento para o projeto é de R$ 11 milhões, segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (Seminfh).
Esta é a segunda vez que a administração municipal conta com a parceria dos militares. Em 1989, durante o primeiro mandato de Arthur Neto como prefeito de Manaus, os militares atuaram na limpeza de ruas da cidade.
O emprego da engenharia militar em benefício do Estado decorre da Lei Complementar nº 117, de 2 de setembro de 2004, que diz que cabe ao Exército “[...] cooperar com órgãos públicos(..) e, excepcionalmente, com empresas privadas, na execução de obras e serviços de engenharia, sendo os recursos advindos do órgão solicitante”.
Onde as técnicas e materiais empregados nas obras são executados pelo Exército, as fundações são largas, a rodovia é construída com uma camada superior de 22 centímetros de concreto, a exemplo da BR-101, que liga Recife à Natal. A obra executada em 2009 foi considerada uma das mais caras e mais difíceis de ser feita, no entanto, a estimativa de vida útil é de 40 a 50 anos, ao passo que uma rodovia convencional tem vida útil de dez anos, isso, considerando a manutenção adequada.
De acordo com o 2º Grupamento de Engenharia do Comando Militar da Amazônia (CMA), o retorno para as forças militares se dá com o adestramento da tropa, que se torna mão de obra qualificada para o mercado de trabalho.
A partir do momento em que o Exército recebe solicitação formal para realizar obras de cooperação com órgãos públicos , elabora-se um estudo de viabilidade técnica e ambiental que contribui para definir o modo como a Engenharia Militar poderá realizar o trabalho.
No pacote anunciado pela Prefeitura, o Exército executará ações na Ponta Negra e avenida Pedro Teixeira, na zona Oeste, em um total de sete quilômetros, o que poderá ser ampliado. Além disso, estão previstos o recapeamento de vias principais como Djalma Batista e Constantino Nery, que ficará a cargo do Governo do Estado, em um total de 50 km. A Prefeitura será responsável por outros 55 km, número que deve ser ampliado.
Segundo o prefeito Artur Neto, estudos da prefeitura mostram que 90% dos veículos existentes na cidade passam ao menos uma vez por dia em uma das cinco avenidas que serão recuperadas.
Leia mais.
acrítica/montedo.com

Sinalização náutica: praças da Marinha tentam regularização através da MP dos Portos

Força Militar: Caso pode entrar na MP dos Portos

Com a demora do Ministério da Educação (MEC) para responder aos questionamentos de sargentos e suboficiais que travam batalha para serem reconhecidos como sinalizadores náuticos, a categoria tem se movimentado na tentativa de incluir na legislação do setor itens que permitam a prática da função apenas pelos técnicos. A mudança vai de encontro à decisão da Marinha de delegar o serviço apenas a oficiais e pessoal de Nível Superior.
A demora para resposta do MEC, informam fontes da coluna, evidencia o tamanho do impasse entre o ministério e a Marinha sobre a Norma da Autoridade Marítima (Normam-17) — que regulamenta a atividade de sinalização nos portos brasileiros.
Como havia sido publicado pela coluna na primeira semana de fevereiro, a Marinha não tem a intenção de mudar a Normam-17 e é categórica ao afirmar que apenas ela tem autoridade para alterar a regulação da sinalização náutica — posicionamento obtido através de nota.
Na esperança de conseguir prestar os serviços de sinalização nos portos privados após chegar à reserva, uma fonte da coluna enviou ofício ao deputado Eduardo Braga (PMDB-AM), da Medida Provisória 595/12, a chamada MP dos Portos, solicitando a anulação dos Artigos 0410 e 0411 da Normam-17, que dá o direito à sinalização apenas aos oficiais e engenheiros.

Leia também:
Norma da Marinha restringe trabalho de praças na sinalização náutica
Ainda sobre os faroleiros da Marinha
Apesar de portaria do MEC, Marinha não muda regras e mantém restrições para praças praticarem sinalização náutica no meio civil
FALSIDADE IDEOLÓGICA
Preocupado com a situação dos praças que podem perder o direito de atuar na sinalização náutica, fonte alega que a Marinha tem “defendido o exercício ilegal da profissão, o que caracterizaria falsidade ideológica por parte dos oficiais que trabalham na área”.

POLÊMICA
Praças que tem travado batalha para ter o direito ao trabalho reforçam que a Marinha, ao criar a Normam-17, passa por cima do parecer jurídico interno da instituição, que não aprova artigos que dão apenas a oficiais o direito de exercício da função.
O Dia Online/montedo

26 de abril de 2013

Sai dessa, combatente...

RS: Exército deve reativar hospitais militares fechados em 2009

Outubro de 2009: manifestantes abraçam o hospital militar de Uruguaiana em protesto contra o fechamento
(Imagem: ZH)
É aguardada com expectativa em Santo Ângelo, Cruz Alta e Uruguaiana a chegada de uma comitiva de oficiais da Diretoria de Saúde, cuja finalidade é colher dados para rever a decisão tomada no final de 2009, que extinguiu os hospitais militares daquelas guarnições, transformando-os em Postos Médicos.
A previsão é de que os Hospitais de Guarnição possam ser reativados a partir do segundo semestre de 2013.
Leia também:
EXÉRCITO EXTINGUE TRÊS HOSPITAIS NO SUL E PREJUDICA DEZESSEIS MIL PESSOAS
O fechamento dos três hospitais foi uma das medidas tomadas na esteira da reestruturação do sistema de saúde do Exército. À época, o General Odilson Sampaio Benzi, comandante da 3ª Região Militar, justificou a decisão como necessária "para aumentar o atendimento em outras áreas onde a demanda é maior". Cerca de dezesseis mil pessoas, entre militares da ativa, inativos, dependentes e pensionistas foram prejudicadas pelo ato do Comando do Exército.

Tropas americanas defenderão Japão em caso de ataque norte-coreano


eua, exército, yokota, base militar, japão, coreia do norte

Tropas norte-americanas vão defender o Japão contra a Coreia do Norte

As tropas norte-americanas estacionadas no Japão estão prontos a agir se a Coreia do Norte atacar, afirmou o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas dos Estados Unidos, Martin Dempsey.
“Acordamos com os nossos aliados japoneses em defender os nossos cidadãos e os cidadãos japoneses, assim como as nossas instalações e as suas”, disse o comandante no discurso que proferiu perante os soldados na base aérea dos EUA Yokota, perto de Tóquio.
As declarações de Dempsey surgem após o agravamento da situação na Península Coreana.
VOZ DA RÚSSIA/montedo.com

ONU quer levar ao Congo experiência brasileira no Haiti

Luis Kawaguti
Da BBC Brasil em São Paulo

General Santos Cruz (Foto: Felipe Barra / Ministério da Defesa)
Brasileiro comandará a maior missão de paz da ONU
A experiência prévia à frente de operações militares no Haiti fez o general de divisão brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz ser convidado pela ONU para comandar sua maior missão de paz: a Monusco, na República Democrática do Congo.
Embora se torne responsável por uma tropa de mais de 20 mil capacetes azuis, sua tarefa mais delicada será conduzir uma unidade militar criada há menos de um mês, de uma forma sem precedentes na história das missões da paz da ONU.
A "Brigada de Intervenção" foi estabelecida com uma "autorização especial" da cúpula da ONU para adotar "qualquer medida necessária" para derrotar o M23 (Movimento 23 de Março), o FDLR (Forças Democráticas para Libertação de Ruanda) e o LRA (Exército de Resistência do Senhor), e ao menos outros quatro grupos rebeldes locais e internacionais que operam especialmente no leste do país.
Na prática, isso significa que o Departamento de Missões da Paz da ONU criou uma estrutura para possibilitar a realização de ofensivas militares mais robustas no âmbito de uma missão de paz convencional, sem ferir a legislação e os princípios das Nações Unidas.
A brigada, sediada na cidade de Goma, é composta por dois batalhões de infantaria, um de artilharia, um de forças especiais e uma companhia de reconhecimento. Santos Cruz e um grupo de oficiais brasileiros comandarão um contingente formado principalmente por soldados africanos.
"Há uma grande variedade de grupos rebeldes no leste do país. Eu me considero pronto para enfrentar até o pior cenário. O objetivo será aliviar o sofrimento da população", disse Santos Cruz à BBC Brasil.
A escolha dele foi motivada pelo papel que exerceu como chefe militar da missão de paz no Haiti entre os anos de 2007 e 2009, segundo fontes ouvidas pela BBC Brasil.
Na época, o general autorizou seus coronéis e subordinados a planejar e executar ações de força, que finalizaram o processo de desmantelamento de grupos rebeldes e gangues que dominavam a favela de Citè Soleil – o último grande bastião rebelde do país.
Segundo militares ouvidos pela BBC Brasil, assim como seus antecessores, Santos Cruz sofreu grande pressão de diplomatas da ONU para endurecer as ações no Haiti naquela ocasião.
Porém, de acordo com diplomatas do Itamaraty, ele teve versatilidade para balancear o uso da força – fazendo com que as operações em Porto Príncipe atingissem seus objetivos sem descumprir a legislação internacional ou ferir direitos humanos.
Além disso, o general ganhou a confiança do embaixador Edmond Mulet, que à época chefiou a parte civil da Minustah e hoje é o assistente do secretário-geral da ONU para operações de paz.
Ou seja, segundo fontes no Itamaraty, não houve um esforço diplomático brasileiro específico para assumir a missão na RDC, mas um reconhecimento da ONU sobre o papel que o Brasil exerceu na pacificação do Haiti que foi recompensado.
"Trata-se de uma homenagem pelo excelente trabalho que ele desempenhou à frente da Minustah e um novo sinal de reconhecimento internacional à atuação dos militares brasileiros", disse em entrevista o ministro da Defesa Celso Amorim, que ocupava a chancelaria durante a maior parte da permanência de tropas brasileiras no Haiti.
Santos Cruz já havia sido colocado na reserva quando começou a ser sondado para a missão na RDC. Vinculado atualmente a um órgão civil do governo federal, está sendo trazido de volta à ativa no Exército para assumir o cargo internacional.
Ele disse à BBC Brasil acreditar que a percepção e a experiência com situações dinâmicas adquiridas no Haiti serão de grande ajuda na RDC. Porém, afirmou que são missões muito diferentes, principalmente em relação ao tamanho do país de 71 milhões de habitantes (o Haiti tem 8 milhões) e da diversidades das forças que disputam o poder.

Crise
Situação na República Democrática no Congo começou a se agravar em 1994
A situação na região da RDC começou a se agravar após o genocídio de Ruanda, em 1994, quando mais de 1,2 milhão de hutus (muitos deles milicianos envolvidos no massacre de tutsis em Ruanda) cruzaram a fronteira leste da RDC, o antigo Zaire – em uma área tradicionalmente habitada por tutsis e outras etnias.
Ali, os hutus se aliaram a forças do governo do então Zaire em uma campanha militar contra os tutsis congoleses. Mas uma coalizão de tropas de Ruanda e Uganda com forças rebeldes congolesas, lideradas por Laurent Désiré Kabila, invadiu o país e derrotou o Exército do então presidente Mobuto Sese Seko, tomando a capital, Kinshasa, em 1997 e colocando Kabila no poder. Um ano depois, Kabila enfrentou uma rebelião que também teve a intromissão de nações vizinhas.
Em 1999 a ONU promoveu um cessar-fogo entre a RDC e Angola, Namíbia, Ruanda, Uganda e Zimbábue. Uma força de capacetes azuis foi então enviada ao país.
Eleições livres foram realizadas, mas conflitos continuaram irrompendo em diversas províncias da RDC. Em 2010, a ONU endureceu a missão do país, mas abusos de direitos humanos e violência sexual continuaram a ocorrer.
Um vácuo de poder no leste do país possibilitou aos grupos rebeldes ameaçar o governo central. A reação das Nações Unidas foi endurecer ainda mais o mandato da missão de paz e criar as condições para a organização da Brigada de Intervenção.
Essa unidade especial funcionará durante um ano. Santos Cruz ainda não tem uma data definida para assumir o comando. Seu envio depende de uma autorização formal da presidente Dilma Rousseff - que deve ocorrer em breve, segundo analistas.
O Brasil deve então enviar uma equipe de oficiais das Forças Armadas à RDC para integrar a equipe do general.
Segundo fontes do Itamaraty não há por enquanto intenção de enviar um contingente de militares combatentes à RDC. Isso porque a característica principal das tropas que integram a Monusco é uma forte participação africana.
O Brasil participa de uma série de missões de paz da ONU. As principais delas ocorrem no Haiti, onde o país tem, além do comando, uma batalhão com cerca de 1.200 homens e no Líbano, onde o país mantém um contra-almirante que chefia a Força Tarefa Naval da ONU e uma fragata com mais de 300 tripulantes.
BBC/montedo.com

25 de abril de 2013

Soldado do Exército desaparecido é encontrado morto em uma pedreira

Soldado desaparecido é encontrado morto no Retiro

Andressa Paganini
andressa.paganini@diariovale.com

Corpo encontrado no Retiro pode ser de militar desaparecidoVolta Redonda - O militar da Aman Otávio Henrique Araújo de Assis, conhecido como "Ramon", de 19 anos, foi encontrado morto na manhã de hoje (25), numa vala, em uma pedreira desativada na Rua Garibaldi, no Retiro. Ramon estava desaparecido desde domingo (21), e foi encontrado pelo próprio irmão.
A suspeita é de que Ramon tenha sido arremessado da parte superior da pedreira, de uma altura de aproximadamente 10 metros. O local de onde o jovem pode ter sido jogado faz parte do bairro Belo Horizonte.
Segundo o tio da vítima, Elias Bernardo de Araújo, de 48 anos, Ramon foi encontrado pelo irmão.
- O irmão dele cismou de vir aqui na pedreira porque uns colegas do Ramon vinham aqui. Quando ele chegou viu muitos urubus e quando se aproximou encontrou o corpo dele. A gente realmente não entende o que pode ter acontecido, porque ele era um garoto tranquilo, morava colado na minha casa e nunca vi nada de errado, ele não tinha problema com ninguém, não era namorador, sempre foi muito contido, quieto e querido por todos - disse Elias enquanto olhava para o penhasco tentando compreender o crime.
Até o fechamento desta matéria o corpo ainda não havia sido submetido a perícia, portanto não foi possível saber se o jovem apresentava ferimentos provocados por tiro ou faca. Somente o laudo da perícia poderá dizer se Ramon foi arremessado do penhasco ou apenas deixado no local. A Polícia Civil da 93ª DP está investigando o caso

[....]
Leia também:
Soldado da AMAN está desaparecido há quatro dias
O desaparecimento
De acordo com informações de familiares de Ramon saiu de casa por volta de meio dia no domingo, dizendo que iria a uma lan house. A tia do jovem contou ao DIÁRIO DO VALE, que uma pessoa disse tê-lo visto por volta de 14 horas na Rua Santa Rita, no Retiro, como se esperasse por alguém.
Ramon morava na Rua Margarida Sheffer, no Retiro - localizada há poucos metros da pedreira onde o corpo foi encontrado. Ele estava de malas prontas para se apresentar na Aman, onde servia desde fevereiro deste ano. Na rede social, o sumiço de Ramon causou comoção e gerou quase quatro mil compartilhamentos.
Diário do Vale/montedo.com

Soldado do Exército é internado com hipotermia no Paraná

Soldado é internado com hipotermia após treinamento militar, diz Exército
O recruta passou mal logo após uma das etapas das simulações intensivas.
Rapaz de 18 anos passa bem e será reavaliado pelos médicos do Exército.



Do G1 PR, com informações da RPC TV Foz do Iguaçu
Um soldado de 18 anos está internado desde a noite de quarta-feira (24) em um hospital de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, segundo o Exército. O rapaz precisou ser socorrido logo após um treinamento militar intensivo pelo qual estão passando os novos recrutas da fronteira. Ele foi internado por volta das 22h com hipotermia – quando a temperatura do corpo fica abaixo dos 35°C.
De acordo com o médico do 14º[34º] Batalhão de Infantaria Motorizado, tenente Nildo Rayzel Junior, assim que terminou a atividade, o soldado tremia e estava com dificuldades para respirar e para falar. “Essa é uma condição frequente nos treinamentos, e para a qual estamos preparados. Apesar disso, sempre é um susto e uma preocupação. Ele foi levado ao hospital e passa bem”, comentou.
videoDurante as manobras militares que estão sendo realizadas em uma mata na área rural de Foz do Iguaçu, os soldados simulam situações de guerra e recebem treinamento de sobrevivência na selva. Apesar do incidente, o comando local do Exército adiantou que as atividades programadas não serão alteradas.
Na manhã desta quinta (25), o batalhão garantiu que o rapaz, que não teve o nome divulgado, passou bem durante a noite, mas continua em observação. Ele está internado no Hospital Ministro Costa Cavalcanti. Assim que receber alta, o soldado passará por avaliação do departamento médico do Exército e quando for liberado, será reincorporado às atividades normais do batalhão.
G1/montedo.com

Policiais federais e Exército do Paraguai trocam tiros na fronteira

Militares paraguaios apreenderam metralhadora que estava com policiais federais (Foto: Site Última Hora)
Militares paraguaios apreenderam metralhadora que estava
com policiais federais (
Foto: Site Última Hora)
Militares do Exército paraguaio e dois agentes da Polícia Federal de Naviraí trocaram tiros por volta das 21 horas desta quarta-feira (24) na fronteira entre Japorã, em Mato Grosso do Sul. A região fica próxima de Salto Del Guairá, no Paraguai.
De acordo com informações apuradas pelo Campo Grande News, os policiais federais entraram no território do Paraguai durante perseguição a um veículo. Eles estavam em uma viatura descaracterizada sem a logomarca da Polícia Federal.
Em entrevista ao jornal paraguaio Última Hora, o chefe de polícia, comissário Atilio Ferreira, contou que o confronto envolveu dois policiais e dois soldados paraguaios foram para a área onde estavam os brasileiros. O confronto aconteceu a 30 quilômetros de Salto Del Guairá, no posto Paineriña.
Além dos policias federais, segundo Ferreira, agentes de outras organizações de segurança brasileira estavam na van. "Posteriormente, os ocupantes do veículo reagiram a tiros e houve um confronto entre os dois setores", contou o comissário paraguaio.
Os brasileiros fugiram a pé para o lado do Brasil.
Segundo o Última Hora, no veículo havia coletes aprova de bala com a inscrição Polícia Federal, uma metralhadora, granadas e rádios comunicadores. Todo material foi encaminhado para a unidade do Ministério Público de Salto Del Guairá.
Após o confronto, a perícia da Polícia da Federal esteve no local fazendo levantamento de informações.
O Campo Grande News tentou contato a Polícia Federal de Naviraí, mas o responsável pela comunicação não estava na unidade.
O superintendente regional da PF em Mato Grosso do Sul, o delegado Edgar Paulo Marcon, foi procurado, mas não foi localizado para falar sobre o incidente. O Consulado do Brasil já foi comunicado, segundo o Última Hora.
Campo Grande News/montedo.com

Primeira coluna de Lula no NYT

"Eu não sei de nada!"

STM condecora Vaccarezza, aquele do 'você é nosso, nós somos teu'.

Autoridades recebem comenda do Superior Tribunal Militar
img2_condecoracao.JPG
O Superior Tribunal Militar (STM) condecorou, nessa terça-feira (23), cinco autoridades com a medalha da Ordem do Mérito Judiciário Militar (OMJM).
Foram agraciados com a comenda os ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Napoleão Nunes Maia Filho e Francisco Cândido de Melo Falcão Neto – também corregedor nacional de Justiça. Receberam também a distinção: o embaixador Fernando José Maroni de Abreu; o deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP) e o general-de-Exército Araken de Albuquerque.
img3_condecoracao.JPG
Os homenageados foram condecorados no grau Alta Distinção, pelo presidente da Corte, o ministro Raymundo Nonato de Cerqueira. A solenidade ocorreu no edifício-sede do STM, e contou com a presença de ministros, servidores e militares. A comenda foi criada em 12 de junho de 1957, para celebrar os 150 anos da Justiça Militar da União, fundada em 1º de abril de 1808, e destina-se a agraciar integrantes da Casa, instituições e personalidades civis e militares, brasileiras ou estrangeiras, que prestaram reconhecidos serviços à Justiça Militar.
STM /montedo.com

Comento:
Tá bom, eu sei que essa é uma ação institucional e necessária, que faz parte de uma estratégia  do STM para manter canais abertos com os mais diversos setores da República, com maior razão ainda nestes tempos em que a Justiça Militar entrou na alça de mira de Joaquim Barbosa. É assim que a banda toca, assim é que se deve dançar.
Mas agraciar logo o deputado Cândido Vaccarezza? 
Este senhor, além de ter tido uma das mais desastradas atuações de um líder do governo na Câmara, protagonizou o tristemente célebre episódio retratado nestas imagens:
Vaccarezza e o 'torpedo' famoso: 'Você é nosso e nós somos teu (sic)'

Para relembrar, convém ler a notícia abaixo, publicada em 18 de maio de 2012, no site Congresso em Foco:
Petista é filmado prometendo blindagem a Cabral na CPI
O deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP) foi flagrado ontem, durante sessão da CPI do Cachoeira, garantindo blindagem do PT ao governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), que corria risco de ser convocado a depor. As imagens da troca de mensagens de celular entre Vaccarezza, um dos principais articuladores da base governista na CPI, e Cabral foram registradas por um cinegrafista e exibidas na edição de ontem do “Jornal do SBT”.
“A relação com o PMDB vai azedar na CPI. Mas não se preocupe, você é nosso e nós somos teu [sic]“, escreveu Vaccarezza a Cabral. O petista afirmou à Folha que se tratou “de uma troca de mensagens entre dois amigos” e que respeita “o cinegrafista que posicionou bem a câmera” e flagrou seu celular. A assessoria do governo do Rio não se manifestou até a conclusão desta edição.
A intenção (bem-sucedida) era vetar a possibilidade de que se aprofundassem as investigações da chamada CPMI do Cachoeira sobre a atuação da Empreiteira Delta, de Fernando Cavendish, amigo do peito de Cabral e patrocinador da famosa 'Turma do Guardanapo'. Mas voltemos ao foco.
Cá pra nós, o STM poderia ter escolhido um homenageado melhorzinho, né?
E mais, precisava ter submetido o General Araken, Tríplice Coroado, ao constrangimento de fazer parte da 'mesma turma' desse cidadão?
Que tempos, estes! Que tempos!


'Xerife' do Senado compra briga com GSI

[diretor da Polícia Legislativa, Pedro Ricardo Araújo Carvalho]
'Xerife' Pedro Ricardo
‘Xerife’ do Senado compra encrenca com o Planalto
O diretor da Polícia Legislativa, Pedro Ricardo, o “xerife” do Senado, comprou briga com o GSI, o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência. O GSI reclama que ele quer impor esquema próprio de segurança para governantes que visitam o Congresso. 
É uma velha disputa: os militares da segurança da Presidência e dos dignitários estrangeiros não reconhecem autoridade na Polícia Legislativa.

Otoridade
Na última visita da presidenta Dilma ao Congresso, o “xerife” Pedro Ricardo teria ameaçado oficial do Exército com voz de prisão.

Espionagem
Promovido ao cargo há sete anos por José Sarney, Pedro Ricardo já foi acusado de vigiar gabinetes e até acessar e-mail de senadores.

Não me toques
Segundo funcionários do Senado, o diretor da Policia Legislativa, um contador, fica muito irritado quando questionam sua qualificação.
Cláudio Humberto/montedo.com

Forças Armadas preparadas para garantir segurança ao Papa Francisco

JMJ: papa será protegido pelas Forças Armadas

JMJ: papa será protegido pelas Forças Armadas
O esquema de segurança montado para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada de 23 a 28 de julho, no Rio, contará com a ocupação, pelas Forças Armadas, de instalações consideradas estratégicas, como as usinas nucleares de Angra dos Reis, no litoral sul do Estado, a termelétrica de Santa Cruz, subestações de energia elétrica, a Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), além da estação de tratamento de água do Guandu e da Adutora do Lameirão, que abastecem cerca de 9 milhões de moradores do Grande Rio. O objetivo é evitar sabotagens que prejudiquem o evento e levem pânico à população.
Caberá a militares da 9ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército ocupar estes locais. Ao longo dos seis dias da JMJ, serão empregados cerca de 8.500 militares na segurança - 7 mil do Exército e 1.500 da Marinha. As Polícias Civil e Militar fluminenses ainda não fecharam o efetivo que será usado. Em 27 e 28 de julho, quando serão feitas, respectivamente, a vigília e a missa de encerramento em Guaratiba, na zona oeste da capital, com a presença do papa Francisco, 4 mil soldados trabalharão. Nestes dois dias, será decretada garantia da lei e da ordem (GLO), o que assegura às Forças a responsabilidade constitucional pela segurança pública. A GLO funcionará em Guaratiba e nas instalações planejadas que serão ocupadas pela tropa.
"As Forças Armadas vão coordenar a segurança apenas no terreno em Guaratiba onde ocorrerão os dois grandes eventos. Nos outros locais da cidade e no restante dos dias da Jornada, o patrulhamento será responsabilidade da Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos (Sege), do Ministério da Justiça", afirmou o general de divisão José Alberto da Costa Abreu, coordenador do Centro de Defesa de Área e Segurança do Exército.
O planejamento inclui patrulhamento e monitoramento por terra, mar, ar e até internet. O quartel-general da proteção da JMJ funcionará no prédio do Comando Militar do Leste (CML), no centro da cidade. Lá, exercerão as funções os Centros de Coordenação Tático Integrado (CCTI) e de Defesas de Área (CCDA) e Cibernética (CDCiber), que será transferido de Brasília para o Rio.
"O CCTI vai contar com representantes de todas as instituições envolvidas no esquema de segurança, como Forças Armadas e Polícias Federal (PF), Civil e Militar, nos mesmos moldes da Rio +20 (Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável). A partir de lá, será monitorado todo o trabalho de patrulhamento", afirmou Abreu. Já o CDCiber visa evitar ataques de ciberpiratas e a sistemas de energia, telefonia e internet.

Segurança do papa
A escolta próxima de Francisco será feita por agentes do Núcleo de Segurança de Dignatários da PF. Por causa da magnitude do evento, cujas previsões giram em torno de 2,5 milhões de participantes, ele receberá tratamento de chefe de Estado considerado de alto risco, normalmente dispensado a governantes de países com histórico de guerras, ataques terroristas e/ou instabilidade política.
Cerca de 750 homens da PF participarão do plano de segurança de Francisco e do séquito papal, que deve contar com 15 integrantes, entre ministros de Estado, secretários particulares e agentes do Corpo da Gendarmaria do Estado da Cidade do Vaticano e da Guarda Suíça Pontifícia (responsáveis pelo resguardo do sucessor de São Pedro na chefia da Igreja Católica).
A maior parte dos agentes fará, em esquema de rodízio, o suporte dos locais onde Francisco ficará ou passará, como a residência oficial da Arquidiocese do Rio, no bairro do Sumaré, zona norte do município, lugar em que ele dormirá. A equipe que acompanhará Francisco nos deslocamentos pelo Rio será fixa, com os mesmos 15 homens durante toda a permanência dele na capital fluminense. Um deles será o "sombra". O guarda-costas deve estar preparado para qualquer tipo de ação hostil, até mesmo para se pôr à frente do pontífice romano e tomar um tiro no lugar dele, como nos filmes.
"O objetivo em manter a equipe fixa é criar uma identidade visual do pontífice com os agentes", afirma um delegado da PF que acompanha o planejamento. A maioria dos 15 policiais federais já participou da assistência próxima dos papas João Paulo II e Bento XVI, quando eles estiveram no Brasil, em 1997 e 2007, respectivamente. Longos deslocamentos de Francisco pela capital serão feitos de helicóptero. Pequenas distâncias serão percorridas no papamóvel, que é blindado. Caças C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) vão a Roma buscar dois veículos (um ficará de reserva).

Ministros do STM apresentam sugestões para novo Código Penal Militar

O presidente do STM (Superior Tribunal Militar), ministro Raymundo Nonato de Cerqueira, e a vice-presidente, ministra Maria Elizabeth Rocha, visitaram, na segunda-feira (22/4), o senador Pedro Taques (PDT-MT), relator da comissão especial criada na Casa para analisar o sistema penal brasileiro e o projeto de lei do novo código penal.
O objetivo da visita foi apresentar sugestões relacionadas à legislação penal militar. Durante o encontro, os ministros do STM apresentaram ao senador os resultados dos trabalhos da comissão interna da Justiça Militar criada para a reforma do Código Penal Militar e do Código de Processo Penal Militar.
Taques informou aos ministros do STM que a discussão sobre o sistema penal brasileiro e o projeto do novo código penal está numa comissão especial no Senado, composta de onze senadores e em fase de audiências públicas até o próximo dia 17 de julho. O relator disse também que está aberto a receber as sugestões do STM e da comissão interna para o aprofundamento das questões referentes aos crimes militares. "Sei que os códigos penais militares são de 1969, sei também da especialidade da Justiça Militar, suas peculiaridades e queremos ouvi-los sobre isso".
O senador disse ainda que vai sugerir a realização de audiências públicas para discutir a especialidade da Justiça Militar no tratamento de matérias sobre crimes de guerra e crimes contra os direitos humanos.
A ministra Maria Elizabeth afirmou que a Justiça Militar da União está ciente da necessidade de se rever a legislação do Direito Militar. "A reforma do Código Penal Militar está praticamente finalizada e teve a participação de diversas instituições, além de professores, juristas, ministros, inclusive com audiência públicas", afirmou. Ela informou ao relator que o Tribunal já pediu ao presidente do Senado a criação de comissões de senadores para analisarem as reformas do Código Penal Militar e do Código de Processo Penal Militar.

Fim da pena de morte
Na audiência com o Senador Pedro Taques, a ministra Maria Elizabeth também informou que seria interessante o Congresso Nacional rever a única possibilidade de aplicação da pena de morte no país, prevista na Constituição Brasileira. Segundo a ministra, há um movimento em diversos países do mundo, principalmente na Europa, em que se deseja suprimir a pena de morte em caso de guerra. "E isso também poderia ser levado em discussão para se abolir também no Brasil. Até porque o Brasil nunca a aplicou", disse.
Ela também explicou que não há no mundo, como se fala, um movimento de se extinguir também as justiças militares, como muito se propaga. "O que se extinguiu por aí foram cortes marciais, como na Argentina, Uruguai e na França. A Justiça Militar no Brasil é diferente. Ela está na Constituição como integrante do Poder Judiciário desde 1934, uma das constituições mais liberais que o país já teve. Nos outros países, as cortes marciais eram tribunais administrativos, sem vinculação ao Poder Judiciário", disse.
A magistrada explicou também que existem dez princípios das Nações Unidas para a existência de justiças militares no mundo. "E o Brasil preenche todos os princípios da ONU. A nossa Justiça Militar é avançada, inclusive para os Estados Unidos, que tem corte marcial. Nosso tribunal não é de exceção e julgamos seguindo todos os ritos da Justiça brasileira. Nosso avanço em Direito Militar é elogiado, inclusive, pela maior potência bélica do planeta", finalizou.
STM/montedo.com

Soldado da AMAN está desaparecido há quatro dias

Família procura por militar da Aman desaparecido

Volta Redonda
O soldado da Amam (Academia Militar das Agulhas Negras) Otávio Henrique Araújo de Assis, conhecido como "Ramon", de 19 anos, morador do bairro Retiro, está desaparecido desde o último domingo (21).
Segundo informações de familiares de Ramon, ele saiu de casa por volta de meio dia dizendo que iria a uma lan house e não retornou para casa. A tia do jovem contou ao DIÁRIO DO VALE, que uma pessoa disse tê-lo visto por volta de 14 horas na Rua Santa Rita, no Retiro, como se esperasse por alguém.
Ramon, que mora na Rua Margarida Sheffer, no Retiro, estava de malas prontas para se apresentar na Aman. O rapaz é pardo, magro, tem cerca de 1,70m, e trajava blusa preta e calça jeans.
Informações sobre o paradeiro de Ramon podem ser fornecidas a polícia através do numero 197 ou a familiares nos telefones: 3346-7726, 3346-1099 ou 9938-5255.
Diário do Vale/montedo.com

24 de abril de 2013

Após levar 'carona' para a quarta estrela, general brasileiro é convidado para comandar missão da ONU no Congo

Nota: a manchete acima é do editor do blog.

General do Brasil é convidado para comandar missão de paz no Congo
Santos Cruz, de 60 anos, foi comandante da missão da ONU no Haiti.
Ele chefiará tropa de imposição da paz que deverá 'neutralizar' rebeldes.

Tahiane Stochero
O general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz, de 60 anos, foi convidado pela Organização das Nações Unidas para comandar a missão de paz no Congo (Monusco), que possui o efetivo de mais de 23,7 mil homens, tem caráter de imposição da paz e é a única atualmente com autorização para intervir em um conflito.
carlos alberto dos santos cruz (Foto: Logan Abassi/ONU)
General brasileiro Santos Cruz, ex-chefe da missão
da ONU no Haiti (Foto: Logan Abassi/ONU)
O ministro da Defesa, Celso Amorim, foi informado na manhã desta quarta-feira (24) do convite, que foi feito diretamente pela ONU a Santos Cruz em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo Exército na missão de manutenção da estabilidade no Haiti (Minustah), comandada pelo Brasil desde 2004.
Santos Cruz foi o comandante das forças da ONU no Haiti entre 2006 e 2009, chefiando mais de 12 mil homens. Ele foi o general brasileiro que mais tempo ficou no posto.
“Recebi o convite e estamos na fase administrativa, em que é necessário o envio de documentação e alguns acertos devem ser feitos com o governo brasileiro. O processo ainda está em andamento para oficialização. É com honra que pretendo representar o Brasil na missão, pois o convite representa um reconhecimento ao trabalho das Forças Armadas brasileiras”, disse Santos Cruz ao G1.
O general Santos Cruz trabalhou no Haiti em conjunto com o representante da ONU na Minustah, o guatemalteco Edmond Mulet, no processo de pacificação das regiões mais violentas do país caribenho, como Cité Soleil, em que foram necessárias operações robustas para que os capacetes azuis recuperassem áreas dominadas por grupos armados.
"É uma missão extremamente complexa, em um país muito grande, com 70 milhões de habitantes, rico em recursos naturais e uma história marcada pela violência. O contexto é bem diferente do Haiti. A experiência no Haiti vai ajudar, mas é necessário uma percepção dos problemas no terreno"

Carlos Alberto dos Santos Cruz, 
general brasileiro
Atualmente Mulet é subchefe do Departamento de Missões de Paz das Nações Unidas (DPKO). Em setembro de 2012, em entrevista exclusiva ao G1 no Rio de Janeiro, Mulet afirmou que havia feito a Amorim o pedido para que o Brasil enviasse tropas para outra missão de paz no mundo, além do Haiti.
O processo de negociação para que soldados do Exército integrem a força no Líbano começou em 2013, após a ONU consultar o Brasil se um batalhão poderia ser enviado.
"É um desafio muito grande. É uma missão extremamente complexa, em um país muito grande e com mais de 70 milhões de habitantes, rico em recursos naturais e uma história marcada pela violência. O contexto é bem diferente do Haiti. A experiência no Haiti vai ajudar, mas é necessário uma percepção dos problemas no terreno", disse Santos Cruz ao G1.
Santos Cruz é general de divisão, tendo passado para a reserva do Exército em novembro de 2012, após não ter sido promovido à mais alta patente da Força. Atualmente, integra a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República.
"A decisão da ONU se deve ao conceito do Brasil no exterior. Eu só represento o trabalho que o governo, a diplomacia e a defesa brasileira estão fazendo", acrescentou ele.

ONU quer 'neutralizar' rebeldes
Tanque das Forças Armadas de Congo passa pela cidade de Goma, onde o aeroporto foi tomado pelos rebeldes   (Foto: Phil Moore/AFP)O conflito no Congo teve início após o genocídio em Ruanda, em 1994, segundo a ONU, e em seu período mais sangrento, entre 1996 e 2003, teria resultado em 4 milhões de mortes.
Desde então, diversos grupos rebeldes se ramificaram pelo país. O maior deles é o Movimento 23 de Março (M23), formado por ex-militares e que, em 2012, tomou o controle de diversas áreas do país. Desde julho de 2010, quando a missão foi criada, 55 soldados da ONU morreram em ataques rebeldes.
Em 28 de março de 2013, uma resolução do Conselho de Segurança, em uma situação inédita na história da ONU, deu à Monusco um mandato para ocupar territórios dominados por grupos rebeldes, em especial o M23, acusado de ataques contra a população, abusos aos direitos humanos, exploração sexual e violação ao direito internacional. A ONU determinou que fosse adicionada à tropa atual no terreno uma “brigada de intervenção”, que terá três batalhões de infantaria, uma artilharia e uma companhia de Forças Especiais.
O objetivo da tropa será “neutralizar” os grupos armados no país, tendo direito a usar “todos os meios necessários” para recuperar as áreas dominadas pelos rebeldes, prendê-los e garantir a paz. A missão tem caráter ofensivo e pró-ativo e foi criticada por rebeldes disseram que a ONU estava perdendo a imparcialidade.
No mandato da Monusco que criou a brigada de internveção, o Conselho de Segurança diz que o caso tem "base excepcional", "não cria precedente" e também não prejudica os princípios que gerem as missões de paz.
G1/montedo.com

MPM denuncia fraude em processo seletivo para dentista do Exército na Bahia

PJM Salvador denuncia fraude em processo seletivo de dentista na 6ªRM

A Procuradoria de Justiça Militar em Salvador ofereceu denúncia contra cinco militares e um civil pelo crime de corrupção passiva, previsto no artigo 308, §2º, do Código Penal Militar. Os denunciados estão envolvidos em fraude no processo seletivo de dentista realizado pela 6ª Região Militar em 2010.
Em desacordo ao que estabelece a Lei 5.292/67, o Decreto 63.704/68 e a portaria 251/DGP, a terceira classificada na seleção de dentistas para a especialidade periodontia foi convocada antes das duas primeiras colocadas para a realização do Estágio de Adaptação e Serviço (AES), a ser cumprido no Hospital Geral de Salvador.
A primeira classificada na seleção foi quem representou na PJM Salvador, objetivando a apuração dos fatos. Nas investigações, descobriu-se que a convocada é filha de um engenheiro que mantém relações próximas com um militar da reserva da 6ª RM. Foi o ex-militar quem encaminhou o currículo da dentista que foi entregue à Comissão de Seleção do certame, realizado entre setembro de 2010 a fevereiro de 2011.
O militar reformado, além de deter um cargo em Fundação ligada à empresa do engenheiro, é diretor-executivo da Associação Guardião da Apa do Pratagi (AGIR), localizada em Ibirapitanga/BA, composta em grande parte por militares da reserva e detentora de acordos de cooperação firmados com o Exército. Outros dois denunciados também integram a Agir. Entre 2008 e 2011, a Associação recebeu recursos financeiros superiores a R$ 6 milhões da Fundação ligada ao engenheiro.
Trechos de conversas gravadas e depoimentos de envolvidos confirmam a formação de um esquema para burlar a ordem de classificação da seleção.
Para o MPM, o presidente da Comissão de Seleção Especial infringiu seu dever funcional ao ceder a pedido dos outros quatro denunciados para que convocasse e incorporasse a civil no cargo de dentista/periodontista do Exército. Assim, todos os denunciados, inclusive a dentista e seu pai, praticaram o delito de corrupção passiva.
MPM/montedo.com

Nota do editor:
Bahhhh!!!! Que baita 'viagem' do Procurador. Todo mundo sabe que essas coisas não acontecem no EB.

Soldado do Exército morre em acidente de trânsito no RS

Soldado do Exército morre em acidente em Júlio de Castilhos
Elivelton Zanon Mazzaro tinha 21 anos

Um militar morreu, na noite desta terça-feira, depois que bater a moto contra uma caminhonete, em Júlio de Castilhos, na região Central do Estado. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o acidente ocorreu no km 267 da BR-158. O soldado do Exército Elivelton Zanon Mazzaro, de 21 anos, pertencente à 13ª Companhia Depósito de Armamento e Munição, de Santa Maria, morreu na hora. O passageiro da moto teve ferimentos leves e o condutor da Tucson não se feriu.
Rádio Guaíba/montedo.com

Oficial morto na Primeira Guerra Mundial é enterrado quase cem anos depois

Tenente da 1ª Guerra é enterrado quase cem anos depois de morrer
Bracelete permitiu identificar estos mortais de John Harold Pritchard.
Cerimônia com honras militares aconteceu nesta terça (23) na França.
Da AP
Soldado tem funeral com honras militares cem anos depois de morrer (Foto: AP)
Tenente tem funeral com honras militares quase cem anos depois de morrer (Foto: AP)
Quase cem anos depois de ser morto em combate na Primeira Guerra Mundial, o tenente John Harold Pritchard pôde ser enterrado com honras militares.
Os restos mortais de Pritchard só foram encontrados em 2009 graças a um bracelete de prata com seu nome gravado. A cerimônia aconteceu em um cemitério da cidade de Ecoust-St-Mein, na França, nesta terça (23).
Pritchard morreu no dia 15 de maio de 1917 durante combate perto da cidade francesa de Bullecourt.
Família faz enterra parente soldado quase cem anos depois de sua morte (Foto: AP)


Homem vestido de soldado da 1ª Guerra Mundial assiste enterro de Pritchard (Foto: AP)

G1/montedo.com

Operação Águia mobiliza Exército no triângulo mineiro

Operação Águia é realizada em Uberlândia para oficiais [militares] do Exército
Objetivo é preparar efetivo para operações e desenvolver aptidão.
350 militares de Uberlândia vão trabalhar na Copa das Confederações.

Vanessa Duarte
Centenas de oficiais [militares] do 36º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMTz) e do 2º Batalhão de Aviação do Exército de Taubaté participaram, nesta terça-feira (23) em Uberlândia, da Operação Águia, que simulou situações de emergência na Usina Hidrelétrica de Amador Aguiar II.
Oficiais do Exército fazem treinamento (Foto: Reprodução/TV Integração)
Imagem: Reprodução TV Integração
O objetivo foi preparar o efetivo profissional para fazer operações, além de desenvolver a aptidão de liderança e comando em todos os níveis. Principalmente porque 350 militares de Uberlândia vão ser enviados para Brasília para ajudar na segurança da Copa das Confederações.
De acordo com o capitão da Infantaria de Taubaté, Claúdio Marcos Dias Peixoto, parela à Águia, outra operação denominada Atena também acontece até sexta-feira (26). "É um treinamento de pilotagem tática, que consiste no tipo de voo realizado de 3 a 5 metros de altura do solo. É uma técnica passiva de proteção", ressaltou.
As atividades da Operação Águia foram desenvolvidas em duas fases. Na primeira, os militares do 36º BIMTz e integrantes da 3ª Brigada de Infantaria Motorizada de Cristalina, em Goiás, receberam instruções sobre as técnicas aeromóveis. Já a segunda fase foi composta por um exercício simulado de ocupação da Usina Hidrelétrica de Amador Aguiar II (Capim Branco II), com a utilização de seis helicópteros.
Em relação a segunda fase, Claúdio informou que a hidrelética foi tomada por uma força adversa, que teve a intenção de desestabilizar a ordem pública, tomando o fornecimento de energia elétrica e água da população. "Para recuperar a usina, o Exército brasileiro, através da força de helicópteros da tropa, abordou o local e inicialmente fez o isolamento da área. Posteriormente, começou a fase de negociação para recuperar a área de forma pacífica. Estavamos preparados, em último caso, para fazer o uso moderado da força para retomar o controle da usina", explicou.
Serão oferecidas instruções sobre técnicas aeromóveis (Foto: Reprodução/TV Integração)
Foram oferecidas instruções sobre técnicas aeromóveis (Foto: Reprodução/TV Integração)
O capitão Peixoto disse ainda que a Operação Águia aconteceu para manter o elevado nível de treinamento das tropas federais do Exército Brasileito para, em caso de necessidade, eles tenham condições de manter a segurança da população.
"Temos grandes eventos que ocorrerão no Brasil, como a Copa da Confederações, com a participação do Exército, que vai contribuir com a segurança pública. Helicópteros da equipe estarão presentes em todas as sedes da Copa e esse Batalhão também estará presente também na Jornada Mundial da Juventude, que contará com a presença do Papa", declarou.

Papa Francisco e Forças Armadas: tudo a ver!

Plano de proteção ao papa terá Forças Armadas
Por Marcelo Gomes - Agencia Estado
O esquema de segurança montado para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada de 23 a 28 de julho, no Rio, contará com a ocupação, pelas Forças Armadas, de instalações consideradas estratégicas, como as usinas nucleares de Angra dos Reis, no litoral sul do Estado, a termelétrica de Santa Cruz, subestações de energia elétrica, a Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), além da estação de tratamento de água do Guandu e da Adutora do Lameirão, que abastecem cerca de 9 milhões de moradores do Grande Rio. O objetivo é evitar sabotagens que prejudiquem o evento e levem pânico à população.
Caberá a militares da 9.ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército ocupar estes locais. Ao longo dos seis dias da JMJ, serão empregados cerca de 8.500 militares na segurança - 7 mil do Exército e 1.500 da Marinha. As Polícias Civil e Militar fluminenses ainda não fecharam o efetivo que será usado. Em 27 e 28 de julho, quando serão feitas, respectivamente, a vigília e a missa de encerramento em Guaratiba, na zona oeste da capital, com a presença do papa Francisco, 4 mil soldados trabalharão. Nestes dois dias, será decretada garantia da lei e da ordem (GLO), o que assegura às Forças a responsabilidade constitucional pela segurança pública. A GLO funcionará em Guaratiba e nas instalações planejadas que serão ocupadas pela tropa.
O planejamento inclui patrulhamento e monitoramento por terra, mar, ar e até internet. O quartel-general da proteção da JMJ funcionará no prédio do Comando Militar do Leste (CML), no centro da cidade. Lá, exercerão as funções os Centros de Coordenação Tático Integrado (CCTI) e de Defesas de Área (CCDA) e Cibernética (CDCiber), que será transferido de Brasília para o Rio.
"O CCTI vai contar com representantes de todas as instituições envolvidas no esquema de segurança, como Forças Armadas e Polícias Federal (PF), Civil e Militar, nos mesmos moldes da Rio +20 (Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável). A partir de lá, será monitorado todo o trabalho de patrulhamento", afirmou Abreu. Já o CDCiber visa evitar ataques de ciberpiratas e a sistemas de energia, telefonia e internet.
A escolta próxima de Francisco será feita por agentes do Núcleo de Segurança de Dignatários da PF. Por causa da magnitude do evento, cujas previsões giram em torno de 2,5 milhões de participantes, ele receberá tratamento de chefe de Estado considerado de alto risco, normalmente dispensado a governantes de países com histórico de guerras, ataques terroristas e/ou instabilidade política.
"O objetivo em manter a equipe fixa é criar uma identidade visual do pontífice com os agentes", afirma um delegado da PF que acompanha o planejamento. A maioria dos 15 policiais federais já participou da assistência próxima dos papas João Paulo II e Bento XVI, quando eles estiveram no Brasil, em 1997 e 2007, respectivamente. Longos deslocamentos de Francisco pela capital serão feitos de helicóptero. Pequenas distâncias serão percorridas no papamóvel, que é blindado. Caças C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) vão a Roma buscar dois veículos (um ficará de reserva).
Tribuna de Minas/montedo.com

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics