31 de janeiro de 2013

Legião Estrangeira

Com extinção do BRABATT 2, Brasil inicia redução de tropas no Haiti

Brasil inicia redução gradual de tropas na missão da ONU no Haiti

O governo brasileiro anunciou nesta quarta-feira uma redução gradual de suas tropas na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), conforme foi estipulado pela ONU, informou o Ministério da Defesa.
A redução gradual, segundo um comunicado, ocorre três anos depois do terremoto que deixou mais de 230 mil mortos no país caribenho. "Com a nova troca de contingentes, que deverá ser concluída na primeira semana de junho, o Brasil voltará a contar com um único batalhão na capital Porto Príncipe", disse a nota.
Atualmente, o Brasil conta com 1.910 militares no Haiti e com o fim do Batalhão de Infantaria da Força de Paz (Brabatt 2) o efetivo militar se reduzirá para 1.450 integrantes, o mesmo contingente de antes do terremoto de 2010.
O único batalhão que permanecerá no país ficará sob o comando do coronel Zenedir da Mota Fontoura, que desembarcará no Haiti com a tropa militar no dia 7 de junho..com
Terra/montedo

Cabo Fuzileiro Naval é preso transportando cocaína no Pará

Militar da Marinha é preso com droga no aeroporto de STM
Ele teria vindo da Colômbia e iria para Belém.

Santarém - Um cabo fuzileiro naval está detido no quartel do 8º Batalhão de Engenharia e Construção, após ser flagrado ontem (29) pela Policia Federal no aeroporto de Santarém quando tentava embarcar para Belém com cocaína.
Por se tratar de um militar da Marinha a situação foi repassada a Capitania Fluvial de Santarém.
O cabo fuzileiro naval Vitor Alexandre de Paula Álvares, de 27 anos, foi preso por volta das 6 horas da manhã de ontem. Com ele, a polícia encontrou 332 gramas de cocaína.
“Infelizmente, trata-se de um militar fuzileiro naval que servia no Rio de Janeiro e estava em trânsito para servir no nono Distrito Naval. Nesse período de tempo ele aproveitou para fazer esse ato ilícito. (...) A polícia fez a prisão em flagrante, depois foi conduzido todo esse material até o juíz federal que homologou a prisão dele. Nós o conduzimos até o oitavo BEC porque não temos instalações apropriadas para esse tipo de prisão aqui. Ele encontra-se a disposição da Justiça Federal”, informou o comandante da Capitania Fluvial de Santarém, capitão José de Fátima Andrade.
O militar teria vindo da Colômbia e iria receber dinheiro pela droga.
O inquérito que investiga a conduta do cabo da Marinha deve demorar até 30 dias. Informações recentes dão conta de que o militar é natural de Pernambuco e foi transferido para o Amazonas.
Redação Notapajos com informações de Márcia Andrade
notapajos/montedo.com

30 de janeiro de 2013

A quebra da integralidade e da paridade: da ingenuidade à perfídia

“A supressão da remissão permitirá que a regra da paridade continue sendo aplicada para os militares que vierem a se inativar, bem como para seus pensionistas, diferenciando os militares dos servidores civis quanto a esse aspecto”.
Do relatório da EC nº40-A, de 2003 - Reforma da Previdência Social.
Relator - Dep José Pimentel.

Synésio Scofano Fernandes*
Nem mesmo começaram a se produzir todos os efeitos deletérios, para a Família Militar, preconizados na Lei nº12.702, de 7 de agosto de 2012 e nos Projetos de Leis nº4369/2012 e nº4371/2012, recentemente remetidos pelo Poder Executivo ao Congresso Nacional, já se iniciaram conjecturas com o objetivo de conceder, aos militares federais em atividade,benefícios para suportarem a atual situação remuneratória degradante em que se encontram, que, seguramente, será agravada pelas conseqüências dos diplomas legais acima enunciados. Situação que os coloca muito abaixo da Administração Direta, categoria civil mais mal remunerada em todo o serviço público federal: de acordo com dados divulgados nas páginas 87 e 88, do Boletim Estatístico de Pessoal nº197, de setembro de 2012, publicação do MPOG, a remuneração média mensal per capita dos militares federais equivale a 69,00% daquela da Administração Direta, quando, em 2004, essa relação era de 102,50%.
O Projeto de Lei nº4369/12, remetido ao Congresso Nacional, preconiza, para os militares federais, um aumento anual de 9,14% nos valores dos soldos, por três anos consecutivos (2013, 2014 e 2015). Esses valores estão muito abaixo do que se poderia esperar como uma iniciativa para recuperar o poder aquisitivo da classe militar, que, atualmente, se encontra no mais baixo nível, desde 2000, de acordo com dados oficiais, resultado de uma política salarial perversa adotada desde 2004 em que a relação despesa com pessoal/PIB para os militares federais passou de 1,18, em 2003, para 0,94, em 2011, enquanto a mesma relação, no mesmo período, foi de 1,32 para 1,38, no que se refere à Administração Direta, e de 2,63 para 2,70, no que diz respeito aos servidores públicos civis federais.
O pior é que, com as medidas previstas na Lei nº 12.702/12 e nos PL, acima citados, a situação iníqua dos militares, sob o ponto de vista remuneratório, em relação a todas as categorias de servidor público federal, se tornará mais aguda ainda.
Portanto, nesse quadro, ocorre a possibilidade de implementar-se, cumulativamente, benefícios de modo a compensar “o pessoal da tropa”, diminuindo a dimensão do impacto financeiro da despesa, que seria maior se houvesse um aumento nos valores dos soldos, de modo a corrigir, realmente, a situação iníqua dos militares sob o ponto de vista salarial. Essa é a lógica que sustenta a manobra engendrada.
A desgraça é que as medidas compensatórias cogitadas, apenas para os militares ativos, implicam a quebra das regras da paridade e da integralidade, institutos, árdua e penosamente, conquistados desde a Constituição de 1988 e mantidos nas Reformas da Previdência Social de 1998 e de 2003.
A história nos mostra que, no passado, em diferentes momentos, antes do advento das regras da integralidade e da paridade, inativos e pensionistas viveram situações de extremas dificuldades, nas quais, a maior parte dessas categorias, era impelida, já nas suas velhices, a exercer outras atividades remuneradas para subsistir. Incontáveis militares - de coronel a praças - após dedicarem mais de trinta anos ao Exército e ao Brasil, tornaram-se motoristas de táxi, vendedores de livros, corretores de seguro, convivendo com suas doenças e os ainda presentes encargos familiares. Não que o exercício dessas atividades fosse algo depreciativo, mas vinha em um momento inapropriado, quando a idade já dificultava a adaptação a esses novos papéis sociais. Nessas épocas, os proventos chegaram, em média, a corresponder a 60% dos valores das remunerações dos militares em atividade e as pensões a 2/3 dos proventos.
Portanto, em nenhuma hipótese, sob qualquer pretexto, os militares podem promover, concordar ou facilitar estudos ou debates sobre temas que possam conduzir a iniciativas que levem a quebra das regras da paridade e integralidade. Uma atitude favorável a esses temas revela ingenuidade, fraqueza e mesmo traição para com a Família Militar, ex-chefes e companheiros, que, em diferentes momentos, lutaram pelo advento e pela manutenção das regras da integralidade e da paridade, colocando em risco as situações confortáveis de que desfrutavam.
Pois bem, hoje em dia, insistentemente e em diferentes fóruns, se apresentam, reiteradamente, propostas no sentido de separar, sob o ponto de vista da remuneração, o militar em atividade dos inativos e dos pensionistas, rompendo com os institutos da integralidade e da paridade.
Essas propostas apontam para a previsão de novas parcelas (gratificações, adicionais, auxílios e outras), que passariam a integrar a estrutura remuneratória em vigor: auxílio moradia, gratificação de tropa, gratificação de instrutoria, gratificação de atividades especiais etc. A especificidade dessas parcelas é que, em razão de suas naturezas, seriam percebidas apenas pelos militares em atividade, o que configuraria a quebra da regra da paridade, pois a definição dessa regra é a seguinte:
“...........os proventos de aposentadoria e as pensões serão revistos na mesma proporção e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividade, sendo também estendidos aos aposentados e aos pensionistas quaisquer benefícios ou vantagens posteriormente concedidos aos servidores em atividade.....” (Art 7º da Emenda Constitucional nº41, de 2003).
A idéia subjacente a essas proposições compensatórias é conceder um aumento diferenciado (somente para o pessoal da ativa), de modo a produzir o menor impacto financeiro possível.
Presentemente, cogita-se de agregar, à atual estrutura remuneratória dos militares federais, o auxílio moradia, parcela prevista na lei nº 8237, de 30 de setembro de 1991 e existente até o início da vigência da MP nº2215-10, de 31 de agosto de2001, diploma legal que regula, atualmente, a remuneração dos militares federais.
A motivação dessa iniciativa decorre da previsão do nº 2) da letra i) do inciso IV do artigo 50 da lei nº6880, de 9 de dezembro de 1980 (Estatuto dos Militares), que estabelece, como direito do militar a moradia para si e para seus dependentes “em imóveis sob a responsabilidade da União, de acordo com a disponibilidade existente”.
Ocorre, no entanto, que as disponibilidades de Próprios Nacionais Residenciais (PNR), na maioria das guarnições militares, estão muito aquém das necessidades, de modo que o auxílio moradia surge como uma solução para o problema.
No entanto, o restabelecimento do auxílio moradia, nos termos em que era definido na citada lei nº 8237/91, trará, em consequência, como dano para os militares federais a perda da paridade e da integralidade, pois se estaria instituindo uma nova parcela remuneratória a ser percebida, apenas, pelo militar em atividade, afrontando o artigo 10 da MP nº 2215/2001, que estabelece o marco definidor da integralidade e da paridade, pois o cálculo dos proventos está precisamente delimitado naquele diploma legal, ou seja: “Os proventos na inatividade remunerada são constituídos das seguintes parcelas:”
Portanto, a única maneira de restabelecer o auxílio moradia, sem romper com as regras da paridade e da integralidade, é considerar, apenas, o seu caráter indenizatório. Nesse caso, essa parcela não se incorporaria à remuneração, constituindo-se, apenas, no ressarcimento de uma despesa realizada. Aliás, esse é o entendimento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) - Resolução CNJ nº 13 de 21/03/2006, do Tribunal de Contas da União (TCU) e o que sustenta a concessão desse benefício aos servidores públicos federais (artigo 60-A da lei nº8.112 de 11/12/1990 com a redação dada pela lei nº 11.490/2007).
Em decorrência dessa nova compreensão, devem ser ressaltados alguns aspectos diferenciais ao antigo entendimento do conceito de auxílio moradia:
- a concessão desse benefício tem em vista indenizar o militar por despesa efetivamente realizada com o pagamento de aluguel, comprovada mediante contrato;
- não poderá perceber auxílio moradia o militar que ocupar PNR, pois esse fato é a efetivação de um direito do militar previsto em lei. Portanto, não há o que recolher à organização militar responsável pelo imóvel.
Torna-se relevante, a essa altura, considerar, também, as motivações que poderiam ter conduzido à decisão de excluir, da estrutura remuneratória, prevista na MP nº2215/2001, o auxílio moradia. Não há dúvida de que o núcleo central dessas motivações residia na dificuldade em operacionalizar a aplicabilidade do conceito de auxílio moradia, que, no decorrer do tempo, tornou-se evidente, conduzindo a problemas administrativos e, por vezes, disciplinares, que recomendaram a extinção do auxílio moradia como parcela remuneratória, o que de fato ocorreu.
Mas o aspecto central a ser focalizado diz respeito ao dilema: obedecer a um princípio ou atender a necessidades situacionais.
O que é mais relevante: manter as regras da integralidade e da paridade ou minimizar, por intermédio do auxílio moradia, os efeitos de uma disfunção administrativa, que impede o oferecimento de residências aos militares, como preceitua a lei?
As necessidades situacionais são mais concretas e, por isso, aos míopes e inconseqüentes, são urgentes e necessárias. Mas, na verdade, são limitadas no seu alcance.
A obediência a princípios e a valores ocorre em nível de abstração elevado, mas tem todo o poder de orientar a conduta humana.
O que acontecerá se descartarmos a paridade e a integralidade? Qual será o futuro da Família Militar? Reproduzirá o seu passado sombrio? Quem garantirá a sua sobrevivência, considerando que, nas condições atuais de remuneração, se situa muito abaixo da categoria civil mais mal remunerada em todo o serviço público federal?
Por outro lado, e o mais importante, o retorno do Auxílio Moradia, sob qualquer forma em que ressurja, provavelmente, ensejará questionamentos jurídicos por parte de inativos e pensionistas, exigindo a aplicação das regras da integralidade e da paridade.
A ocorrência desses questionamentos poderá submeter o próprio instituto da paridade e da integralidade, aplicada aos militares federais, a apreciações quanto a sua legalidade, reabrindo uma questão já ultrapassada e pacificada.
Resta uma última pergunta: esse desfecho provável é do interesse da Família Militar ou de outros setores?
*Gen Div Rfm

Soldado do Exército é preso em Manaus, suspeito de integrar quadrilha de assaltantes

Soldado do Exército é preso suspeito de realizar assaltos em Manaus
Delegado informou que militar foi reconhecido por vítima de roubo.
Outros três homens foram detidos pela polícia suspeito dos crimes.

Um soldado do Exército, de 19 anos, foi preso suspeito de fazer parte de um grupo de assaltantes na Zona Leste de Manaus. A prisão foi realizada na madrugada desta quarta-feira (30) após os supostos comparsas dele serem detidos por policiais da 25ª Cicom.
Segundo o delegado titular do 9° Distrito Integrado de Polícia (DIP), Tiago Tenório, a polícia deteve dois suspeitos de assalto - um homem de 20 anos e um adolescente de 15 anos - na Rua Padre Oscar Romero, no bairro Zumbi 2, Zona Leste da capital. Com a dupla, os policiais apreenderam um revólver calibre 38, duas munições, R$ 573, oito celulares e duas motos.
Durante a abordagem policial, os dois acabaram revelando o local onde estaria o integrante mais velho do bando, um homem de 25 anos. Ao chegar no local indicado, a polícia encontrou tanto o suspeito indicado pela dupla quanto o soldado do Exército. Levado para o 9° DIP, o militar acabou sendo denunciado por uma mulher como vítima do assalto sofrido por ela na semana passada, de acordo com o delegado.
Membro da polícia do Exército, o soldado foi levado para o batalhão das Forças Armadas, onde permanecerá preso, segundo o delegado. Os outros dois suspeitos continuarão detidos no 9° DIP, enquanto o adolescente será encaminhado para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DeeaiI).
G1 AM/montedo.com

Cinco militares da FAB morreram no incêndio da boate em Santa Maria

Não havia encontrado a informação, até agora.
Os militares da FAB mortos no incêndio da boate Kiss em Santa Maria são o sargento Luiz Carlos Ludin de Oliveira e os soldados Giovani Krauchemberg Simões, Leandro Nunes da Silva, Rodrigo Dellinghausen Bairros Costa e Rhuan Scherer de Andrade, todos da Base Aérea local.

Ex-sargentos condenados por fraudar concurso da EsSA recorrem ao STF

Ex-militares condenados por fraudar concurso pedem anulação de julgamento

Chegaram ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de Habeas Corpus (HC 116606 e 116607) de dois ex-militares condenados por vender gabaritos das provas do concurso público para o Curso de Sargentos do Exército de 2002, no Rio de Janeiro. Eles foram julgados pelo Superior Tribunal Militar (STM), que fixou pena de dois anos, quatro meses e 24 dias de reclusão para cada um, em regime aberto. Além disso, foram excluídos dos quadros das Forças Armadas.
De acordo com a denúncia do Ministério Público Militar, os dois 3º sargentos teriam praticado, juntamente com outros militares, os crimes de estelionato e violação do dever funcional com a finalidade de obter lucro, previstos no Código Penal Militar. Ainda de acordo com a acusação, os dois sargentos teriam coordenado um encontro em um shopping, onde venderam os gabaritos a sete candidatos por R$ 5 mil cada um.
Leia também:
GABARITO DE PROVA PARA DENTISTA DA FAB É ENCONTRADO COM FILHA DE OFICIAL. CONCURSO É ANULADO.
STM absolve capitão do Exército em caso de fraude nas provas da EsSA
MILITAR CONDENADO PELO STM POR VENDA DE PROVAS DO CFS É ABSOLVIDO NO STF
A defesa alega que os acusados foram “condenados injustamente pelo STM” porque não teria sido comprovada a acusação de que receberam o gabarito antecipadamente e o venderam, nem no inquérito policial militar tampouco na instrução criminal. O STM reformou a sentença do Conselho Especial de Justiça da 4ª Auditoria da 1ª Circunscrição Judiciária Militar, que havia absolvido ambos com base no artigo 386, III, do Código Penal. O STM considerou caracterizado o crime de estelionato.
No STF, os advogados sustentam, ainda, que os autos não apresentam elementos que possibilitem a identificação da autoria e do local da violação do gabarito das provas. Afirmam também que eles sofrem constrangimento ilegal e abuso de poder em razão da falta de provas, uma vez que não há nos autos degravação de conversas telefônicas, imagens do circuito interno do shopping ou qualquer outro material hábil a demonstrar a efetiva participação dos acusados no delito.
A partir desses argumentos, a defesa pede que seja concedida liminar que determine o imediato retorno dos ex-militares aos seus postos funcionais e, no mérito, pede a anulação do acórdão do STM e a consequente cassação da decisão que os condenou.
Links relacionados:
STF/montedo.com

29 de janeiro de 2013

"Ele morreu como herói", diz amigo sobre tenente do Exército morto no incêndio em Santa Maria

"Ele morreu como herói", diz amigo sobre militar carioca que voltou para socorrer vítimas em boate

Felipe Martins
O corpo do tenente Leonardo Machado de Lacerda, 28, está sendo velado desde a manhã desta terça-feira (29) no Cemitério Memorial do Carmo, no Caju, zona portuária do Rio.
O militar do Exército foi uma das vítimas da tragédia na boate Kiss em Santa Maria, Rio Grande do Sul, na madrugada do último domingo (27). Seu corpo será cremado às 17h40.
O amigo da família Marcelo Moreira, 65, contou que o rapaz voltou três vezes a Kiss para resgatar sobreviventes, dentre elas o seu superior e duas amigas.
"Ele morreu como herói tentando salvar vidas. Salvou o capitão dele e duas amigas", disse.
"Era um menino muito estudioso. O filho que todo pai queria ter. Sempre quis dedicar a vida ao Exército", completou.
Ainda segundo o amigo da família, o tenente foi à boate Kiss comemorar a transferência para a cidade de Santa Maria, onde já estava há quinze dias depois de um período na cidade de Rosário também no Rio Grande do Sul.
O coronel Mário Fonseca, representando o Comando Militar do Leste, informou que o tenente era oficial de cavalaria do Primeiro Regimento de Carros de Combate.
"Ele tentou salvar os companheiros, uma atitude esperada de qualquer militar. Esse instinto de salvamento é inerente à profissão. Infelizmente, perdemos oito companheiros", disse.
O coronel disse ainda que a família dispensou as honras militares "por já estarem consternados, os parentes entenderam que a cerimônia acabaria se tornando mais um sofrimento".
Na quarta-feira (30) acontece o velório da capitão Daniele Matos, 36, também vítima do incêndio na boate de Santa Maria, no Cemitério de Inhaúma, na zona norte da cidade programado para as 8h. O enterro está previsto para as 14h.
UOL/montedo.com

Atrasadinho: Amorim coloca Forças Armadas à disposição de Santa Maria

Celso Amorim coloca Forças Armadas à disposição de Santa Maria

O ministro da Defesa, Celso Amorim, emitiu nota de pesar na manhã de hoje (28) lamentando o episódio ocorrido em Santa Maria (RS), onde um incêndio em uma boate deixou ao menos 231 mortos e dezenas de feridos. De acordo com Amorim, as Forças Armadas estão à disposição para prestar apoio contínuo.
“Expresso, em nome do Ministério da Defesa, a firme disposição das Forças Armadas de prestar contínuo apoio aos esforços para amenizar os efeitos desse triste episódio, do qual, estou seguro, todos sairemos mais fortes”, disse o ministro, em nota.
Ontem (27), a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para transportar equipes médicas do Rio de Janeiro à cidade do Rio Grande do Sul. Outras aeronaves também poderão ser utilizadas caso sejam necessárias como unidades de tratamento intensivo (UTI).

Agência Brasil/montedo.com

Comento:
As Forças Armadas - as notícias postadas no blog atestam - estão atuando desde o primeiro momento para amenizar a dor e o sofrimento das vítimas e familiares em Santa Maria, dentro daquilo que está ao seu alcance. Essa manifestação de Amorim é extemporânea e desnecessária.

Clarim: toque silêncio!

Tenente do Exército morreu no hospital, após salvar vítimas do incêndio

Tenente morto na tragédia em boate se formou na Aman, em Resende

O tenente Leonardo Machado de Lacerda (foto), de 28 anos, morto no incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria (RS), neste fim de semana, é formado pela Aman - Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende. O jovem, da turma de cavalaria, concluiu o curso em 2007.
Segundo relato dos Bombeiros, o tenente morreu tentando salvar vidas. Ele chegou a escapar da fumaça e salvou algumas pessoas. Leonardo acabou debilitado, foi hospitalizado, não resistiu a fumaça tóxica e morreu no hospital.
Ele tinha sido transferido para a cidade há 15 dias.
RioSul Net/montedo.com

Sargento da FAB morto no incêndio é sepultado em Santa Maria

Sargento morto em Santa Maria é enterrado com honras militares
Luiz Carlos Ludin de Oliveira, 45 anos, foi vítima do incêndio na boate Kiss.
Velório na capela da Base Aérea da cidade gaúcha teve saraivada de tiros.
Sargento morto em Santa Maria é enterrado com honras militares (Foto: Roberta Lemes/G1)
Luiz Carlos Ludin de Oliveira morreu durante incêndio na boate Kiss (Foto: Roberta Lemes/G1)
Roberta Lemes
Luiz Carlos Ludin de Oliveira morreu durante incêndio na boate Kiss (Foto: Roberta Lemes/G1)
O corpo do primeiro sargento Luiz Carlos Ludin de Oliveira, uma das vítimas do incêndio na boate Kiss durante uma festa universitária no domingo (27), foi enterrado na tarde desta segunda-feira (28) com honras militares. O velório ocorreu na Capela da Base Aérea de Santa Maria, no município da Região Central do Rio Grande do Sul, e o corpo foi sepultado por volta das 16h no Cemitério Santa Rita, na mesma cidade.
Ainda na base, foi dada uma saraivada de tiros pelos cadetes da Aeronáutica. Depois, após o pedido de um toque de silêncio, o caixão foi coberto com uma bandeira do Rio Grande do Sul. A bandeira foi dobrada e entregue à viúva Núria.
Formado em Odontologia, Oliveira morava com a mulher e um filho dela na Vila Militar de Santa Maria, onde trabalhava na Base Aérea. Deixou três filhos, que não moravam com ele.
Núria estava em Tramandaí, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, e foi a Santa Maria quando soube do incêndio. Uma vizinha do casal que estava no enterro contou como era o militar. "Eram excelentes vizinhos", lamenta Carla Tarrago. "Viviam os três juntos. Eles tinham um cachorro, e ele vivia na rua brincando com o cachorro. Era uma alegria", conta. Leia mais.
G1/montedo.com

Soldado do Exército que morreu resgatando vítimas da tragédia é sepultado em Santa Maria

Soldado morto ao resgatar vítimas de incêndio em Santa Maria é enterrado nesta segunda-feira
Militar, que estava em dia de folga, foi sufocado pela fumaça
MISTER SHADOW/ESTADÃO CONTEÚDO
O corpo do militar Leonardo de Lima Machado foi sepultado nesta segunda-feira (28), no Cemitério Ecumênico Municipal, em Santa Maria, a 300 quilômetros de Porto Alegre (RS). Soldado do 1º Regimento de Carros de Combate de Santa Maria, ele morreu sufocado pela fumaça ao ajudar, em seu dia de folga, a socorrer as vítimas do incêndio na Boate Kiss. Na tragédia, ao menos 231 pessoas morreram.
Leonardo estava entre os oito militares mortos durante o resgate. O Comando da 3ª Divisão de Exército confirmou a lista e informou que as famílias estão recebendo todo o apoio necessário.
Os corpos das vítimas começaram a ser enterrados na manhã desta segunda-feira. Ao todo, 34 serão sepultados no cemitério municipal e 23 no cemitério Santa Rita.
R7, com Estadão/montedo.com

Corpos da capitão e do tenente do Exército mortos em incêndio chegam ao RJ

Corpos de militares mortos durante incêndio em boate chegam ao Rio

FLAVIO ARAÚJO
Rio - Os corpos dos militares cariocas mortos na tragédia de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, foram liberados no Aeroporto do Galeão na madrugada desta terça-feira, onde chegaram na noite de segunda. Os restos mortais da capitão médica cardiologista Daniele Dias de Mattos seguiram para o Hospital Central do Exército, onde ela trabalhava e ficará no necrotério da unidade até que a família, que está fora do Rio, providencie o sepultamento. Muito abalados, os familiares do primeiro tenente Leonardo Machado de Lacerda, de 28 anos, foram ao Galeão, mas não quiseram se identificar.
"Por favor, respeitem o nosso luto. Precisamos superar esse momento de dor", disse o irmão de Leonardo. Outro parente, que também não quis dar o nome questionou a forma como o tenente morreu. "A voz da família está muda neste momento por causa da dor e do sofrimento, mas é preciso que vocês da imprensa ajudem a evitar que uma nova tragédia como essa ocorra no Brasil. Quantas casas de shows nesse país têm saídas de emergência", questionou.
O corpo de Leonardo seguiu para ser preparado pela funerária e, de lá, seguiria para o Cemitério Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuária, onde será velado e cremado nesta terça-feira à tarde. Os familiares seguiram para Copacabana, na Zona Sul, onde moram, para acompanhar o velório por volta das 4h desta terça.
O Dia Online/montedo.com

Soldado da FAB é baleado na porta de casa em Belo Horizonte

Atualizado: 22:50h de 29 jan
Soldado da aeronáutica é baleado na porta de casa

Luana Cruz -
Um soldado da aeronáutica foi alvo de tiros no fim da noite de domingo na porta de casa no Bairro Jardim Vitória, Região Nordeste de Belo Horizonte. O militar José Luciano do Santos Cardos , 21, e o primo Ramon Domiciano Rodrigues, 24, moram juntos e estavam no portão da residência na Rua João Procópio de Carvalho, quando foram surpreendidos pelos atiradores.
Segundo a Polícia Militar (PM), três homens chegaram de carro, desceram e efetuaram os disparo sem dar chance de reação ao soldado e ao primo dele. José Luciano foi atingido na coxa e canela esquerdas e Ramon ferido no pé direito. Os dois foram socorridos para o Hospital Odilon Behrens e os atiradores fugiram.
De acordo com a PM, as vítimas conhecem os autores do atentado e disseram que os criminosos estão envolvidos com roubos de veículos. Os primos informaram para militares que os atiradores estão em guerra com todos os moradores daquela rua. A PM tentou localizar os bandidos, mas não encontrou.

500 dias para a Copa: General De Nardi detalha ações da Defesa

500 DIAS PARA A COPA: DEFESA DETALHA AÇÕES DAS FORÇAS ARMADAS
"Em todas as sedes, cada responsável pela cidade na área de Defesa terá à disposição, no mínimo, 1.500 homens para, se necessário, apoiarem e atuarem"

A 500 dias da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014, o planejamento de segurança do país para os grandes eventos esportivos está praticamente pronto, segundo o Chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi. Para ele, a experiência adquirida na Rio+20 e o teste que a Copa das Confederações representará serão fundamentais para garantir que o Mundial e os Jogos Olímpicos de 2016 ocorram de maneira tranquila. A integração entre o Ministério da Defesa e o da Justiça é vista como crucial no planejamento. A Defesa tem orçamento projetado de R$ 700 milhões para cuidar de ações como defesa aeroespacial e controle do espaço aéreo, defesa marítima e fluvial, segurança cibernética e prevenção ao terrorismo. Em cada cidade-sede, haverá 1.500 homens de prontidão para dar suporte em caso de necessidade. Confira, nessa entrevista, as principais ações na área.
Copa 2014/montedo.com

28 de janeiro de 2013

Herói: cabo do Exército morre após salvar duas pessoas na tragédia de Santa Maria

O Cabo Lucas Leite Teixeira (ao centro na foto) morreu após salvar duas pessoas (Do Facebook: Frases do Exército)

O cabo do Exército Lucas Leite Teixeira (21 anos), do 3º Grupo de Artilharia Autopropulsado (Regimento Mallet), estava na boate Kiss na madrugada do último domingo e conseguiu salvar duas pessoas da tragédia. O militar sucumbiu ao retornar ao local para tentar socorrer uma terceira vítima.

Brasil prepara troca do contingente militar no Haiti

Brasil prepara troca de tropas militares em Missão de Paz

THIAGO GOMES
 Embarque de tropas para o Haiti em novembro último Foto: Correio do Estado /Arquivo
O Exército está iniciando a preparação do novo efetivo brasileiro que será enviado ao Haiti a partir de maio. Trata-se do 18º contigente do Batalhão de Infantaria de Força de Paz (Brabat 18) de “boinas azuis”. Apesar de o País ter anunciado a redução de suas tropas, de forma equilibrada e gradativa, a Missão de Paz à serviço da Organização das Nações Unidas (ONU) prossegue.
Segundo o Centro de Comunicação Social do Quartel General do Exército, em Brasília, informou ao Correio do Estado, por liderar o componente militar da missão, o Brasil é o país que conta com o maior efetivo militar na nação caribenha.
Atualmente, o contigente brasileiro em território haitiano é composto por 1.910 militares, sendo formado por três organizações militares. Um deles é o 1º Batalhão de Infantaria de Força de Paz (Brabat 1), com efetivo total de 810 militares, sendo 581 do Exército, 249 da Marinha e 29 da Força Aérea, além de 31 das forças armadas do Paraguai e um do exército peruano.
Correio do Estado/montedo.com

FAB transporta feridos no incêndio em Santa Maria

Sete feridos de Santa Maria chegam à Capital em aeronaves da FAB
Três vítimas foram encaminhadas ao Hospital Cristo Redentor
Três pessoas foram levadas ao Hospital Cristo Redentor
Crédito: Ricardo Giusti
Sete pessoas feridas no incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, que matou ao menos 231 pessoas na madrugada desse domingo, foram transferidas para hospitais de Porto Alegre com o auxílio de aviões e helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB). O transporte chegou ao Aeroporto Salgado Filho por volta das 4h50min desta segunda-feira.
Segundo informações, das sete vítimas transportadas, três foram encaminhadas ao Hospital Cristo Redentor, na zona Norte de Porto Alegre. Barbara Aline Soltate, Ingrid T. Goldani e Natalia Graef da Silveira foram levadas por ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Elas se juntarão a Juliano Almeida da Silva e Pedro Falcão Pinheiro, que já estão internados no complexo hospitalar.
Outras duas vítimas, Eduardo Felipetto Trein e Gabriela França Abreu, chegaram a Porto Alegre num avião da FAB e foram levados ao Hospital de Pronto Socorro. Os nomes de dois sobreviventes que foram trazidos para Capital ainda não foram divulgados, assim como o hospital que irá atendê-los.
Correio do Povo/montedo.com

Caminhões frigoríficos do Exército guardam corpos à espera das famílias

Corpos que ainda aguardam a chegada das famílias serão abrigados em caminhões frigoríficos
Pelo menos 12 jovens serão encaminhados ao veículo para que não entrem em estado de decomposição
Corpos que ainda aguardam a chegada das famílias serão abrigados em caminhões frigoríficos Emerson Souza/Agencia RBS
Caminhões frigoríficos do exército estão recebendo os corpos que não foram retirados do ginásio durante o dia Foto: Emerson Souza / Agencia RBS
Sâmia Frantz
samia.frantz@diario.com.br
Pelo menos 12 corpos de vítimas do incêndio da boate Kiss estão sendo abrigados em caminhões frigoríficos estacionados no pátio do Centro Desportivo Municipal (CDM) para enfrentar a madrugada. A medida foi tomada para evitar que eles entrem em estado de decomposição antes de seus familiares chegarem a Santa Maria para buscá-los. Todos já estão identificados.
Este é um procedimento-padrão do Instituto-Geral de Perícias. A informação foi divulgada na noite deste domingo pelo titular da Delegacia Regional de Santa Maria, Marcelo Mendes Arigony.
Zero Hora/montedo.com

27 de janeiro de 2013

Oito militares estão entre os mortos em boate de Santa Maria

O Comando da 3ª Divisão de Exército confirmou a morte de oito militares na tragédia registrada na boate Kiss, em Santa Maria. Dos oito identificados, quatro já haviam sido incluídos na primeira lista de mortos divulgada perto das 18h pelo governo gaúcho. Estes são os nomes e as patentes
Brady Adrian Silveira – 2° Tenente
Daniela Dias de Matos – Capitã Médica
Diego Silvestre – 3° Sargento
Leonardo de Lima Machado – Soldado
Leonardo Machado de Lacerda – 1° Tenente
Lucas Leite Teixeira – Cabo
Luciano Taglia Pietra Espiridião – Soldado
UOL/montedo.com

Morri em Santa Maria hoje...


Compartilho com vocês um texto do Carpinejar, que acredito retrate muito bem a perplexidade e a dor que tomou conta dos gaúchos neste domingo.

Volto amanhã.

A maior tragédia de nossas vidas
Fabrício Carpinejar
fabricio.carpinejar@zerohora.com.br
Morri em Santa Maria hoje. Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça.
A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta.
Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa.
A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27 de janeiro de 2013.
As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada.
Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa.
Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio.
Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda.
Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência.
Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa.
Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram.
Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo?
O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista.
A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados.
Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro.
Mais de duzentos e quarenta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos.
Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal.
As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso.
Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu.
As palavras perderam o sentido.
Zero Hora/montedo.com

Sargento do Exército morre em acidente de trânsito no RS

Acidente mata duas pessoas em Osório
Gol saiu da pista na ERS 030 e colidiu contra árvore
Acidente na ERS 030 mata duas pessoas em Osório 
Crédito: Claudio Neres de Oliveira / Divulgação CP
Um acidente deixou dois mortos e dois feridos na ERS 030, em Osório, no Litoral Norte, na madrugada deste sábado. Conforme o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), um militar conduzia um Gol no sentido Osório-Tramandaí quando saiu da pista no km 88 e se chocou contra uma árvore no canteiro central. Pedro Henrique Oliveira Dambrowiski, de 22 anos, que era sargento, e Jéssica de Souza Rodrigues, carona de 22 anos, morreram no local.
Outros dois ocupantes se feriram, entre eles outro integrante do Exército. O homem, que seria sargento, foi levado ao Hospital São Vicente de Paulo, no município, em estado grave. A mulher ferida se encontra em estado regular.
As vítimas ainda não foram identificadas. O CRBM acredita que o condutor possa ter dormido na direção, já que a colisão ocorreu por volta das 5h.
Correio do Povo/montedo.com

Para a Comissão da Verdade renunciar à mentira: o filme 'Reparação'

Reinaldo Azevedo
O filme é sereno, rigoroso, sem proselitismo. Não obstante, foi absoluta-mente ignorado pela imprensa, como se nunca tivesse existido. O vídeo tem quase uma hora e meia. Veja tão logo possa.
Há aí vasto material para reflexão.O filme "Reparação", do cineasta Daniel Moreno, está no Youtube, na íntegra. Assista quando tiver um tempo. Não se trata, é evidente, da defesa da ditadura, da tortura ou da violência do estado. Ao contrário: o que se tem ali, na voz de todos os entrevistados, é a defesa enfática da democracia. Só que ele optou, à diferença do que se costuma fazer quando se retratam os embates entre as esquerdas e o regime militar, pelo rigor histórico. O fio condutor do debate é a história de Orlando Lovecchio [...], que perdeu a perna num atentado praticado pela ALN, de Carlos Marighella. O terrorista foi saudado como herói pela Comissão de Anistia. Bilhões foram concedidos em indenização. Lovecchio recebe um pensão de R$ 500 — um dos que ajudaram a pôr a bomba no Conjunto Nacional, em São Paulo, que o vitimou, é um "anistiado" e recebe pelo menos o triplo.

"Uma nação pode sobreviver aos idiotas e até aos gananciosos, mas não pode sobreviver à traição gerada dentro de si mesma. Um inimigo exterior não é tão perigoso, porque é conhecido e carrega suas bandeiras abertamente. Mas o traidor se move livremente dentro do governo, seus melífluos sussurros são ouvidos entre todos e ecoam no próprio vestíbulo do Estado. E esse traidor não parece ser um traidor; ele fala com familiaridade a suas vítimas, usa sua face e suas roupas e apela aos sentimentos que se alojam no coração de todas as pessoas. Ele arruína as raízes da sociedade; ele trabalha em segredo e oculto na noite para demolir as fundações da nação; ele infecta o corpo político a tal ponto que este sucumbe".
(Discurso de Cícero, tribuno romano, 42 a.C.)

26 de janeiro de 2013

E aí, alguém se habilita a tirar Dona Dilma para dançar?


O Presidente Barack Obama dança com a Sargento Margaret  Herrera. O par da primeira-dama Michelle Obama é o Sargento Fuzileiro Naval Elidio Guillen (a foto é de 2009)
Michelle Obama dançando com o Sargento Fuzileiro Naval Timothy Easterling e Barack Obama com a Sargento da Força Aérea Bria Nelson (a imagem é de 2013)

'Pow-pow' faz escola.

Treinamento do exército. No Mali, pessoal, no Mali...

Afinal, uma coisa dessas jamais aconteceria nas forças armadas da sexta/sétima economia do mundo, não é mesmo?

25 de janeiro de 2013

Soldado do Exército morto em treinamento é sepultado em Goiânia

‘O sonho dele era seguir carreira no Exército’, lamenta amiga de militar
Soldado de 20 anos morreu após se afogar em treinamento, em Goiânia.
Exército instaurou inquérito para investigar as causas da morte do militar.
video

A família do militar Kevin Alexandre Vaz dos Santos, de 20 anos, acredita que a morte dele foi uma fatalidade. Ele morreu na noite de quarta-feira (23), após se afogar enquanto fazia um exercício na piscina da Brigada de Operações Especiais do Exército, no Jardim Guanabara, em Goiânia. Amiga da vítima, Vanderli Viana afirma que ele era saudável e sabia nadar. “O sonho dele era seguir carreira no Exército”, lamenta.
Familiares, amigos e colegas de farda acompanharam o velório de Kevin Alexandre. Ele foi sepultado na quinta-feira (24), no Cemitério Vale da Paz, em Goiânia. A assessoria de imprensa do Exército afirmou que uma equipe está apoiando a família do jovem.
Leia mais:
Militar do Exército morre afogado em treinamento da Brigada de Operações Especiais
Investigação
O Exército instaurou um inquérito para apurar a causa da morte do militar. Segundo o assessor de imprensa da Brigada de Operações Especiais do Exército, Major Luis Gustavo Stumpf, o laudo deve ser divulgado em um mês.
O departamento informou que a instrução de natação é uma atividade prevista no programa de treinamento dos militares. Além disso, uma equipe médica acompanhava a execução do exercício, ressaltou o major.
“Sempre temos uma equipe médica, com ambulância, em qualquer atividade de risco nossa. Tentaram fazer a reanimação, como não conseguiram, ele foi encaminhado imediatamente ao Hospital Santa Genoveva. O militar chegou com vida à unidade de saúde, mas não resistiu”, afirmou Luis Gustavo Stumpf.
Kevin Alexandre estava lotado na Brigada de Operacões Especiais havia dois anos. Conforme a assessoria de imprensa da unidade, o militar havia passado por exames anuais de rotina.


Base da FAB é furtada no Rio de Janeiro


Base Aérea de Santa Cruz
 Força Aérea Brasileira informou nesta sexta (25) que a Bease Aérea de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi invadida e furtada no último dia 6. Segundo a FAB, vários objetos foram levados, dentre eles, aparelhos de televisão e 28 quilos de carne. Um Inquérito Policial Militar foi aberto para apurar o ocorrido.
Cláudio Humberto/montedo.com

Soldado do Exército morre baleado por PM durante perseguição no Mato Grosso

Soldado do Exército morre ao ser baleado por PM em perseguição no Santa Helena
Reprodução G1
Um motorista foi morto por policiais durante uma perseguição policial que começou na MT-251, que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães, e terminou no bairro Santa Helena, na capital.
Segundo a Polícia, o soldado do Exército, Maxwell Henrique Moura Borges, 19, e outros 3 rapazes estavam em um veículo Fiat Palio, de cor branca, e não teriam parado na barreira policial. Foi quando iniciou-se a perseguição ao veículo, que não obedecia as ordens de parada.
A perseguição começou e só parou quando o motorista foi baleado, na rua Luiz Carlos Ribeiro, no bairro Santa Helena, perdeu o controle do carro e bateu em um poste. O jovem não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
Os outros 3 ocupantes do veículo sofreram escoriações pelo corpo, foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhados ao pronto-socorro de Cuiabá.
Polícia irá investigar o motivo dos jovens não terem parado na barreira policial. As primeiras informações são de que o Pálio onde estavam os jovens era furtado. Os 3 feridos devem prestar depoimento na manhã de hoje.
O Documento/montedo.com

O 'cara' é ele! Comandante muda fachada de prédio histórico sem autorização

Nota do editor: a notícia é de 12 de janeiro.

Alteração na fachada do 3º B Log é irregular
Mudança no letreiro teria ocorrido sem autorização dos órgãos competentes

Fernanda Mendonça

Divulgação/FS Fachada anterior

As obras que estão sendo feitas no 3° Batalhão Logístico - Batalhão Presidente Médici (3º B Log), desde a última quarta-feira, continuam intrigando não só a população da cidade como o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental do Município de Bagé (Compreb).

Antonio Rocha -  Inscrição 12º Regimento de Cavalaria foi trocado por 3º B Log

O presidente do Compreb, Guilherme Rodrigues Bruno, conversou com a reportagem da FOLHA do SUL e afirmou que a intervenção na fachada do prédio é ilegal, pois o local é tombado pelo patrimônio histórico e sem autorização do Conselho, nenhuma reforma podia ter sido feita. “Para se fazer uma obra em qualquer prédio é preciso encaminhar um projeto para a prefeitura. Quando é o caso de ser um local protegido, o projeto tem que ter a autorização do Compreb.”
Bruno conta que um pedido de autorização para a realização da obra no quartel, chegou de maneira informal, sem ser protocolada, na manhã do dia 9, ao conhecimento do órgão. Porém, na tarde do mesmo dia, as mudanças na sede do 3º Batalhão já estavam em andamento. “Na noite de quarta-feira, na reunião do Compreb, o pedido foi apresentado, mas resolvemos não aprovar”. Porém já era tarde demais.
O que pode ser alegado, de acordo com o presidente, é que o município não tem jurisdição sobre os prédios federais, mas quando se trata de prédios do patrimônio histórico, a alegação é inválida. “O exército sempre colaborou com a conservação do patrimônio. Não acredito que tenha sido de má fé”, pondera.
Apesar da declaração, ele relata que recebeu um telefonema do comandante tenente-coronel, Davi Rodrigues de Oliveira, há umas três semanas, quando foi questionado sobre o procedimento para realizar a reforma. Mesmo sendo avisado em relação dos trâmites, a mudança foi feita sem autorização legal. Além disso, rumores de que o comandante queria fazer a revitalização tinham chegado até o presidente, mas nada pode ser feito até o fato se concretizar.
O presidente ainda comenta que o quartel depende muito da sua história para se manter vivo e que a retirada do letreiro para alteração do nome é uma forma de falsificar os fatos históricos. “O letreiro que estava escrito 12º Regimento de Cavalaria, feito em argamassa, foi quebrado para a inscrição do nome atual do B Log.”.
Outra integrante do Conselho, Heloísa Beckman, diz que para mudar uma fachada seria preciso que a instituição apresentasse um projeto visual, elaborado por profissionais especializados. “O prédio faz parte do patrimônio do município, que é reconhecido por preservar a sua história, e a instalação de tantos quartéis também conta essa tradição de lutas”, afirma Beckman.

O que diz o comandante
O comandante do Batalhão Logístico - Batalhão Presidente Médici (3º B Log), tenente- coronel Davi Rodrigues de Oliveira, que vai passar o comando no próximo dia 16, conversou por telefone com a reportagem da FOLHA do SUL. A autoridade argumentou que estão sendo feitas diversas reformas no local e que essas visam à preservação do prédio. É o caso das janelas, para quais existe um projeto que prevê verba para revitalização dos objetos com o mesmo material do qual elas foram construídas.
Especificamente sobre o caso da fachada, ele confirmou que alterou o nome da corporação. “Um quartel não pode ficar com o nome de outro. Quando um local é desativado e outro quartel é sediado ali, é lógico que se troque o nome, pois ele não pode ficar com o nome que não é seu”, destaca o comandante.
Ele também argumentou que não houve uma afronta às leis municipais, nem à população e nem ao patrimônio, mesmo não tendo procurado nenhum órgão competente, a não ser o prefeito Dudu Colombo, que segundo Oliveira, teria dado a autorização para a obra. Porém, sem nenhum documento por escrito. O comandante comenta que sempre foi parceiro, juntamente com o seu Batalhão, do movimento de preservação da história bageense. “Não foi feita uma alteração do prédio e sim uma adequação do nome na fachada, que serviu para que os bageenses identificassem o quartel como B Log e não mais como o 12º Regimento de Cavalaria”, explica.
Sobre o prefeito ter autorizado tal obra, o secretário de Coordenação e Planejamento, Gustavo Moraes, declarou que Dudu não seria leviano a esse ponto e conclui que o que pode ter acontecido é uma conversa entre os dois, Dudu e o comandante, mas não a permissão. Além do mais, Moraes acrescenta que seria preciso um documento por escrito para qualquer alteração no prédio do quartel.
A tentativa de contato com o prefeito não teve êxito.

Procedimentos legais
Diante do fato concreto da alteração da fachada, o presidente do Compreb relata que o letreiro deverá ser reconstruído ou a reminiscência deverá ser preservada, ou seja, as ruínas do letreiro devem permanecer, mesmo que embaixo da outra inscrição. “O letreiro, que continha o nome do 12º fazia parte do prédio, da sua constituição arquitetônica, portanto não poderia ter sido alterado. O fato pode conduzir a uma mentira histórica”, afirma o presidente.
O procedimento legal seria feito através da Secretaria Municipal de Coordenação e Planejamento (Scoplan), que intimaria o responsável pela alteração do prédio, já que a obra não está regularizada. Em conversa com o secretário da pasta, Gustavo Moraes, ele confirmou que a obra é irregular, já que não existe nenhum pedido de autorização na sua secretaria. Sendo assim, o acionamento dos responsáveis pela mudança no letreiro deve ser feito pelo próprio Conselho, que entrará em contato com a instância municipal máxima do exército.
Folha do Sul/montedo.com

Comento: são resquícios do arcaico R/Quero. Eu posso, eu quero, eu faço. O cara sou eu! 
Há alguns anos atrás, fizeram o mesmo com o antigo quartel do 14 RC, em Dom Pedrito. E assim, a preservação da História vai indo para o ralo.
Lamentável.

'Severinos' vão reformar escolas em Pelotas

Paula busca apoio da 8ª Brigada para manutenção de escolas
Foto: Eduardo Beleske
Foto: Eduardo Beleske
Na tarde desta terça- feira (22), a vice-prefeita e secretaria interina da Educação e Desporto Paula Mascarenhas manteve audiência com o general Okamura, da 8º Brigada de Infantaria Motorizada, para firmar parceria na manutenção e na recuperação das escolas da rede municipal de ensino.
Uma carta de intenção formalizará o propósito do encontro. A estreia da parceria deve ocorrer na pintura externa da EMEF Cecília Meireles. Pelotas tem 90 escolas entre os ensinos fundamental e infantil, além de uma de ensino médio, o Colégio Pelotense.
A pouco mais de um mês do início das aulas, Paula vê a necessidade de um planejamento para que o poder público supere suas limitações. Para ela, em termos de manutenção, o desafio é melhorar as condições físicas das escolas.
Okamura solidarizou-se com a secretária e colocu-se à disposição para o que for necessário, dentro das possibilidades dos recursos disponíveis.
Pelotas/montedo.com

24 de janeiro de 2013

Militar do Exército morre afogado em treinamento da Brigada de Operações Especiais

Militar morre após se afogar em treinamento do Exército, em Goiânia
Em nota, Exército diz que acidente ocorreu durante sessão de natação.
Jovem de 20 anos chegou a ser levado para hospital, mas não resistiu.

Gabriela Lima
Um militar do exército morreu durante um exercício de treinamento, na noite de quarta-feira (23), na Brigada de Operações Especiais da corporação, no Jardim Guanabara, em Goiânia. Segundo a assessoria de comunicação da brigada, o rapaz de 20 anos se afogou durante uma instrução de natação, no complexo aquático do local.
O afogamento ocorreu por volta das 17h. Ele chegou a ser levado para o Hospital Santa Genoveva, mas não resistiu, e morreu às 18h40.
Por meio de nota, o Exército informou que abriu um inquérito policial para apurar o caso. Disse que “todas as medidas de primeiros socorros possíveis no momento do ocorrido" foram tomadas e alega estar prestando assistência à família do jovem.
Centenas de pessoas, entre parentes, amigos e militares, acompanham o velório, realizado na Igreja Maria Mãe Santíssima, no Setor Boa Vista, região noroeste de Goiânia. O enterro do militar está marcado para as 17h desta quinta-feira (24), no cemitério Vale da Paz.
G1 GO/montedo.com

Militar da FAB fica gravemente ferido em acidente em Goiás

Militar sofre acidente em rodovia entre Anápolis e Pirenópolis, em GO
Homem bateu em um carro e depois foi atingido por um carreta, na BR-414.
Primeiros socorros foram prestados ainda no local; estado de saúde é grave.

Um militar da base aérea de Anápolis, a 55 km de Goiânia, sofreu um grave acidente enquanto saía do trabalho. A colisão aconteceu no perímetro urbano de Anápolis, na BR-414, que liga a cidade a Pirenópolis, a 125 km da capital.
video
Dois carros se chocaram e o militar, que vinha atrás em uma moto, não conseguiu frear e também bateu. Com o impacto, ele foi parar na pista contrária e acabou sendo atingido por uma carreta bitrem, sendo arrastado por cerca de dez metros.
Os primeiros socorros foram prestados ainda no local. Logo em seguida, o militar foi encaminhado para o Hospital De Urgências de Anápolis (Huana).
Segundo informações do hospital, o estado de saúde do paciente é grave e ele está passando por exames.

(Nota do editor: o militar ferido é Leonardo de Souza, de vinte anos)

Caveira & Batom: mulheres farão parte das tropas de elite americanas

EUA abrem posições de combate a mulheres militares
Alguns postos deverão estar disponíveis já neste ano e o objectivo é ter o processo concluído até 2016.
As mulheres acabam por participar em situações de combate PATRICK BRAZ/AFP
Os Estados Unidos vão abrir as posições de combate a mulheres, que até aqui estavam impedidas de ter algumas funções dentro das forças armadas
A medida, que deverá ser em breve anunciada pelo secretário da Defesa Leon Panneta, abre caminho a que as mulheres possam participar na primeira linha de combate e fazer parte de unidades de elite.
Desde 1994 que uma regra definida pelo Pentágono impede elementos femininos neste tipo de posições, muito embora várias mulheres acabem por participar em situações de combate nos diversos tipos de função que podem exercer. De acordo com o New York Times, 800 mulheres militares americanas ficaram feridas e 130 morreram nas guerras do Iraque e do Afeganistão.
Segundo uma fonte da equipa de Leon Panneta ouvida pelo USA Today, a decisão é apoiada unanimemente pelas cúpulas das várias forças armadas, que poderão, porém, pedir excepções para os casos em que considerem a inclusão de mulheres mais difícil. Alguns dos postos até aqui interditos deverão ser abertos a mulheres já neste ano, mas o início do recrutamento para forças de elite como os Seals (que mataram Osama Bin Laden) ou a Delta Force deverá ser mais demorado.
O processo deverá estar concluído até 2016, avança ainda o USA Today.
PÚBLICO/montedo.com

Rearmamento? Tudo bem, mas uma benzedura sempre ajuda...

Fica a sugestão aos comandantes militares, enquanto os novos fuzis não vêm.
G1/montedo.com

23 de janeiro de 2013

Foto de soldado francês com máscara de caveira viraliza na web

Bandana com caveira estampada é um produto vendido para fãs do jogo Call of Duty; o exército francês não achou nada divertido

Uma fotografia - genial, por sinal - tirada por um fotógrafo da agência AFP está percorrendo a internet. A imagem é de um soldado francês que participa da ocupação de Mali, na África, para combater forças terroristas… usando uma bandana com estampa de caveira sobre o rosto, integrando o uniforme militar.
Com tanques de guerra ao lado e raios de luz entre as árvores, a fotografia ganhou um aspecto que vai além do inusitado, simbolizando a morte que vem com a guerra. Mas isso é apenas uma interpretação, já que a bandana é apenas um acessório vendido para fãs do jogo "Call of Duty - Modern Warfare 2" e representa o personagem "Ghost".
Issouf Sanogo, autor da fotografia, declarou, em uma postagem no blog da agência, que a imagem foi completamente espontânea - ou seja, o soldado não estava posando.
"Estava anoitecendo. Raios de luz eram filtrados pelos ramos das árvores e uma nuvem de poeira foi levantada pelo helicóptero. Era uma bela luz. Vi um soldado usando uma bandana e tirei a foto. Naquela hora eu não achei aquilo particularmente extraordinário ou chocante. O soldado não estava posando", diz. Não demorou muito para a imagem circular pelas redes sociais.
O exército, por outro lado, não reagiu de maneira tão amistosa. "Este é um comportamento inaceitável. Essa imagem não representa a ação da França em Mali", afirmou o Coronel Thierry Burkhard.
Para a sorte do soldado, o fotógrafo não o identificou, nem é possível saber quem respira por trás da bandana de Ghost.
Administradores/montedo.com

Exército apresenta Simulador Nacional de Operações Cibernéticas


O novo software dará mais dinamismo e qualidade aos treinamentos
de militares (Airton Soares/Exército)
Brasília - O Centro de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército (Ccomgex) – em parceria com a Decatron, empresa integradora de soluções em tecnologia da informação – apresentaram nesta terça (22) o primeiro Simulador Nacional de Operações Cibernéticas (Simoc). O software dará mais dinamismo e qualidade aos treinamentos de militares em 2013 e está alinhado com a Estratégia Nacional de Defesa.
Segundo o chefe do Ccomgex, general Santos Guerra o simulador é resultado de um ano de trabalho de uma equipe de 30 militares. “Procuramos competência, com pesquisas em universidades. [O Simoc] é o melhor, se comparado aos simuladores estrangeiros”. Para ele a resposta no mercado foi “mais satisfatória do que vimos em outros países”.
O simulador funciona desde novembro do ano passado e, em março deve entrar em uma nova fase. O software permite ensinar situações de ataque e defesa, porém não detecta ações. É um equipamento de treinamento. O software poderá ser adotado em faculdades e universidades de todo o país. “Estará disponível para a entidade que solicitar. O fato é que tem de se tomar cuidado com quem se treina. A pessoa [precisa] ter um perfil adequado, ser um hacker do bem”, disse o general.
Para o coordenador executivo do Decatron, Bruno Melo, o Simoc é um produto flexível que permite planejar e criar treinamentos variados. “Os militares poderão treinar em cenários reais, podendo criar qualquer cenário tanto de ataque quanto de defesa”. Os treinamentos contêm exercícios dos mais simples aos mais avançados. “É um simulador virtualmente ilimitado”.
O Exercito Brasileiro vai atuar em situações colocadas pelo Ministério da Defesa e pelo Governo. “A atuação na defesa cibernética se dará dentro das situações [postas] pelo Ministério da Defesa ou quando o governo determinar que [seja] constituída uma equipe para atuar na defesa”, disse o coronel Marcio Fava, do Ccomgex. Ele revelou que o Exército compôs uma equipe que atuou no ano passado na Rio+20 e que existe a possibilidade de atuar neste ano na Copa das Confederações.
Santos Guerra explicou que a defesa cibernética é um desafio enorme para a indústria brasileira. “Promove a tecnologia nacional e o crescimento da economia, gerando emprego e renda”.
Agência Brasil/montedo.com

Novidade: 'Severinos' irão combater a dengue em Campinas, para reparar incompetência da administração

Jonas vai pedir ajuda do Exército no combate à dengue em Campinas
Funcionários que fazem o trabalho deixarão os postos até março.
Cidade teve 972 casos da doença em 2012 e este ano são 3 confirmados.

Prestes a perder toda a equipe de combate à dengue em Campinas (SP), o prefeito Jonas Donizette (PSB) vai pedir ajuda do Exército nas ações preventivas contra a doença na cidade. Segundo a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), Brigina Kemp, a colaboração é “extremamente necessária” para evitar um surto na cidade.
A equipe que trabalha na prevenção da doença, buscando focos do mosquito nos bairros da cidade, conta atualmente com cerca de 80 funcionários e é contratada por meio de um convênio entre a Prefeitura e o Hospital Cândido Ferreira. Todos vão ter de deixar os postos até março, a pedido do Ministério Público.
A diretora do Devisa não soube informar quantos homens do Exército a Prefeitura pedirá para o apoio. “Do ponto de vista epidemiológico, a situação é preocupante, de alerta”, disse Brigina. Em 2012, a cidade teve 972 casos confirmados de dengue. Este ano, são 3 confirmados e 72 suspeitos, segundo ela.
Segundo Brigina, a Prefeitura vai chamar 162 pessoas, de concursos públicos já homologados, para ocuparem os postos. Contudo, não há garantia de que os convocados vão aceitar assumir as funções. “A Prefeitura está priorizando a chamada desses profissionais”, disse a diretora do Devisa. Ela acredita que em março os novos servidores estarão em campo no combate à dengue.

Movimentos repetidos fazem seio crescer em soldados, dizem médicos

Uma tropa de elite do Exército da Alemanha está passando por um fenômeno inusitado: os seus membros estão desenvolvendo seios. Dezenas de soldados do Wachbataillon (Batalhão de Guarda - foto acima) participam de apresentações que, de acordo com um relatório médico, estimulam as glândulas mamárias masculinas.
Os movimentos repetidos de levar com força o fuzil ao lado esquerdo do peito durante as apresentações e os exercícios militares estão fazendo com que as glândulas sejam estimuladas a produzir hormônios. Isso leva ao crescimento do seio (ginecomastia) em apenas um lado do peito, como mostra a foto abaixo:

"Há uma ligação bem significativa entre as atividades do Batalhão de Guarda e o desenvolvimento de seio no lado esquerdo do peito dos soldados", disse Bjorn Krapohl, diretor de cirurgia plástica do Hospital Militar de Berlim, de acordo com o "Austrian Times".
Trinta e cinco integrantes do batalhão foram operados após apresentarem o problema.
page not found/montedo.com

MP denuncia sargento da Aeronáutica por dois estupros no RJ

Sargento da Aeronáutica é denunciado por dois estupros pelo Ministério Público
O sargento Edvaldo, na delegacia
O sargento Edvaldo, na delegacia Foto: Fabiano Rocha / Extra
O sargento da Aeronáutica Edvaldo Silva Rodrigues Júnior, que confessou ter abusado sexualmente de dez mulheres na Zona Norte do Rio após ser preso, em dezembro do ano passado, já foi denunciado pelo Ministério Público por pelo menos dois destes crimes . Edvaldo responderá, num dos casos, por estupro, cuja pena varia de seis a dez anos de reclusão. A outra denúncia, por envolver uma adolescente, enquadra o sargento em estupro de vulnerável, já que a jovem tinha menos de 14 anos de idade. A pena é de oito a 15 anos de prisão.
Leia também:
A primeira denúncia trata de um estupro ocorrido no dia 6 de dezembro de 2012, por volta das 8h30m da manhã, no bairro do Engenho de Dentro. Edvaldo obrigou a vítima, abordada no condomínio onde morava seu namorado, a manter relações sexuais e também a praticar sexo oral. A mulher acabou “sendo levada para a escadaria do prédio, onde se praticou o ato bestial”, diz o texto da denúncia.
O caso envolvendo a menor de idade aconteceu no dia 22 de outubro do ano passado, em Todos os Santos, também na Zona Norte. De acordo com a denúncia, Edvaldo obrigou a jovem, então com 13 anos, a masturbá-lo em via pública. Eram por volta de 7h e a menor estava indo para o colégio. “Fica quieta e finge que está conversando comigo. Você vai ter que me ajudar num negócio. Vem caminhando junto comigo”, teria dito o sargento. O militar deixou a menina ir embora quando algumas pessoas se aproximaram, mas fez ameaças caso ela contasse algo para a polícia. Em ambos os casos, Edvaldo foi identificado através da placa de sua moto e reconhecido pela vítima.
Segundo o Ministério Público, como os estupros cometidos pelo sargento aconteceram em diversos pontos da Zona Norte, as denúncias serão feitas de maneira desmembrada. A expectativa é que Edvaldo responda a pelo menos dez acusações, cujas penas serão acumuladas em caso de condenação.

Extra/montedo.com

Atlético Paranaense construirá PNRs em troca de terreno do Exército

Atlético e Exército firmam parceria para obras

Fonte: Site Oficial do CAP
O Atlético Paranaense e o Exército Brasileiro assinaram nesta segunda-feira (21), um contrato em prol das obras da Arena, que sediará os jogos da Copa do Mundo de 2014 de Curitiba. Em evento realizado no Quartel General do Exército Brasileiro - Comando Militar do Sul - 5ª Divisão do Exército, foi assinado o Contrato de Promessa de Alienação do terreno situado na esquina da Avenida Getúlio Vargas (no 1.761), com a Rua Buenos Aires (no 1.190), no bairro Água Verde, ao lado da Arena.
O espaço, de posse da União Federal, é jurisdicionado ao Exército Brasileiro, sob a responsabilidade administrativa do Comando da 5a Região Militar e 5a Divisão de Exército (5ª RM - 5ª DE). Em contrapartida, o Atlético Paranaense construirá novos prédios às famílias que residem no local. Os novos apartamentos serão erguidos em outra área da União, sob a responsabilidade administrativa do 27o Batalhão Logístico - 27o B Log, na Avenida Prefeito Erasto Gaertner, nº 1874, no Bacacheri.
O contrato foi assinado pelo general de divisão, Williams José Soares, comandante da 5ª RM - 5ª DE, e pelo diretor superintendente do Atlético Paranaense, Dagoberto dos Santos. O contrato foi vistado também por outros representantes do CAP e do Exército.

Benefícios
A área adquirida será de grande importância para as obras de reforma e ampliação da Arena dos Paranaenses, já que o terreno fica ao lado do estádio. "É mais um passo importante. Esta área que conseguimos é fundamental e determinante para a conclusão da Arena", avalia o presidente do Atlético Paranaense, Mario Celso Petraglia. "Depois de cinco anos de trabalho, quando iniciamos essa aproximação com o Exército, pudemos assinar e sacramentar a permuta. É um dia feliz e gratificante", completou.
Para o presidente atleticano, outro ponto importante da parceria é o avanço para o Exército Brasileiro. "Todos ganham. Os prédios estavam com mais de 50 anos e superados. Vamos construir novos apartamentos melhores, maiores e mais modernos. Hoje é um dia muito feliz para nós, para as famílias dos militares, para Curitiba e para a Copa do Mundo", finaliza Petraglia.
O general Williams Soares passará o comando da 5ª RM - 5ª DE nesta semana e ficou satisfeito com a resolução do caso antes da sua saída. "Estou muito contente. Controlamos toda a parte patrimonial e das terras que estão sob a nossa guarda. A negociação dessa permuta que assinamos começou há anos e esta solução foi ótima", disse. "Estamos com um déficit de casa para os militares, quando são transferidos para Curitiba. Isso nos permitirá aumentar e melhorar as condições dos apartamentos, além de ajudar na preparação da Copa do Mundo".
Colaboração que foi exaltada também pelo coronel Tarquínio Marcondes de França, assessor de patrimônio da 5ª região militar. "Ficamos satisfeitos em poder colaborar com empreendimento tão grande e de interesse geral da nação. Não poderíamos ficar passivos nesta necessidade da Copa do Mundo", afirma.
Além de Mario Celso Petraglia e de Dagoberto dos Santos, participaram do evento desta segunda-feira (21), representando o Atlético Paranaense, Antonio Carlos de Pauli Bettega, presidente do Conselho Deliberativo do CAP, Lauri Antonio Pick, diretor financeiro da CAP S/A, Luiz Melo, diretor financeiro do CAP, Fernando Delek, diretor administrativo do Clube e Enan Ornaghi, diretor de suprimentos da CAP S/A.

Área adquirida
O terreno que foi adquirido pelo Atlético Paranaense fica na esquina da Avenida Getúlio Vargas, com a Rua Buenos Aires, ao lado da Arena. O espaço, que é administrado pelo Comando da 5a Região Militar - 5a Divisão de Exército, possui uma área de 2.292,67 m2. A área total construída no imóvel é de 2.786,52m², com quatro blocos e um total de 18 apartamentos.

Contrapartida
Como contrapartida, pela cessão do terreno, o Atlético Paranaense fica responsável pela construção de novos edifícios, que abrigarão as famílias que moram atualmente nos prédios vizinhos a Arena. Serão dois edifícios, com 12 apartamentos cada. As novas moradias ficarão na Avenida Prefeito Erasto Gaertner, nº 1874, no 27o Batalhão Logístico - 27o B Log. A área também é de domínio da União Federal.
"É um ganha-ganha. Ajudamos na ampliação do estádio, mas por outro lado teremos uma melhoria na carência de moradias para famílias de oficiais e sargentos. É uma chance para construir uma quantidade boa que nos ajudará. Serão 24 famílias morando em apartamentos modernos e dentro de um padrão condizente com a família militar", concluiu o coronel Tarquínio de França.
Furacão/montedo.com

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics