29 de dezembro de 2013

Intocada, previdência dos militares gasta mais do que o Bolsa Família

Esse é um tema bumerangue: vai e volta. Está na Folha de São Paulo de Hoje.  O assunto interessa a todos os militares e o direcionamento é muito claro. A comparação com o Bolsa Família é de uma desonestidade intelectual inacreditável. Mas funciona. Para ter acesso à página é necessário fazer um cadastro (gratuito). Que tal deixar também seu comentário lá? Participe do debate e ajude a esclarecer a opinião pública. Faça sua parte!

Preservada das reformas que atingiram os setores público e privado, a previdência dos militares mantém gastos em alta e superiores a, por exemplo, os do Bolsa Família.
Segundo o boletim de pessoal do Ministério do Planejamento, as despesas com aposentadorias e pensões militares somaram R$ 24,5 bilhões no período de 12 meses encerrado em agosto.
Principal programa de combate à miséria da administração petista, o Bolsa Família tem um orçamento de R$ 24 bilhões neste ano, destinado a 13,7 milhões de beneficiários.
Os aposentados e pensionistas da previdência militar não chegam a 300 mil.
Como os servidores públicos civis, os militares ativos e inativos contribuem com valores muito abaixo do necessário para custear as despesas previdenciárias: a receita fica em torno dos R$ 2 bilhões ao ano.
A diferença é que, desde fevereiro, os novos servidores civis foram submetidos a um novo regime de previdência, com um teto de aposentadoria equivalente ao do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), de R$ 4.159 mensais.
Para receber acima desse valor, é preciso contribuir para um fundo de pensão, que, apesar das vantagens oferecidas, tem despertado resistências nas corporações, como a Folha noticiou hoje.
A permanência de privilégios para os militares tem sido justificada pelas condições especiais da carreira, que incluem possíveis riscos de vida, disponibilidade permanente e a sujeição constante a mudanças de residência.
Mas, no próprio Ministério da Defesa há queixas contra o volume de despesas com aposentadorias e pensões, que restringe as verbas disponíveis para investimentos.
A previdência militar consome cerca de 35% dos recursos da pasta e supera os gastos com os militares da ativa. (R. A. e Ivonete)

Dinheiro Público (Folha)/montedo.com

Alguns comentários sobre a matéria no site da Folha
Suzana Souza comentou em 29/12/13 at 12:21 
Sim,faltou informar que militar desconta para a previdência mesmo depois que está na reserva ou reformado,que o teto da profissão,o generalato,recebe em torno de 15 mil.Na ativa não existe hora— extra e a disciplina é diferenciada.A ordem é trabalhar até cair e eles o fazem.Comparar uma categoria que contribui e sustenta seu efetivo com bolsistas é questionável.Não seria mais adequado comparar com os servidores do Legislativo,por exemplo?
Dinheiro Público & Cia comentou em 29/12/13 at 12:34Suzana,
A informação de que os inativos também contribuem foi acrescentada ao texto.

Marcos comentou em 29/12/13 at 12:26
Esta é mais uma das desigualdades e incoerências que o governo insiste em manter para uma pequena elite. Enquanto isso o trabalhador que contribui por 35 anos ganha uma miséria que não paga nem um convênio decente.
Paulo Pinto comentou em 29/12/13 at 12:44Chamar os militares de “pequena elite” é uma piada. A remuneração dos militares é altamente defasada em relação ao funcionalismo público federal. Não recebem hora extra. Estão sujeitos frequentemente a mudar de cidade, por necessidade do serviço.
As pensionistas filhas de militares, que constituem família mas não abrem mão do benefício, essas sim são um problema. Mas não se pode condenar a categoria por completo.

Eliseu comentou em 29/12/13 at 12:38
No passado, os militares recolhiam para a previdência de modo separado do orçamento do Governo Federal. Na crise da dívida, o governo confiscou os recursos depositados das aposentadorias dos militares, que passariam a se aposentar pelo setor público.

Artur Atoxa comentou em 29/12/13 at 12:42
O BRASIL têm que ser passado a limpo , inclusive com a ajuda dos militares.
Ha a necessidade de formar cidadãos com o serviço militar i que está sendo impedido por falta de verbas para as forças armadas
CIDADÃO aliste-se nesta luta

antonio comentou em 29/12/13 at 12:45
o militar trabalha 24 horas por dia, não FGTS, não recebe hora extra,coloca a vida em risco a todo momento e se for dispensado sai com uma mão atrás e outra na frente, sem nada, e os críticos querem que ele ganhe igual um trabalhador que folga todo feriado e final de semana. Porque os servidores do legislativo e judiciário ganham 4 vezes que o executivo e ninguém critica. Isso ninguém observa.

Luiz Clemente comentou em 29/12/13 at 12:45
Pois é Suzana, o jornal prestando mais um serviço de desinformação, comparando coisas diferentes, penalizando o aposentado, tentando nivelar por baixo. A bolsa família é esmola e a aposentadoria é um direito conseguido com muitos anos de serviço e de contribuição.

16 comentários:

Subão disse...

Militares das Forças Armadas não têm previdência. Simples assim, qualquer especulação no assunto é simples besteira de quem não sabe o que fala.
O desconto no contracheque referente a pensão militar é para pagar os beneficiários do militar falecido. Os militares da reserva remunerada recebem dos mesmos "cofres" dos militares da ativa (Tesouro Nacional). Desafio qualquer pessoa a mostrar em que legislação exista alguma coisa escrita sobre previdência dos militares!!!!

Tito disse...

Coloquei um comentário que foi retirado pela Folha.
Apenas fiz uma conta simples e concluí que se fosse verdade o valor gasto com a previdência, o salário médio dos militares seria R$ 6805,00. E que o próprio governo disse que a média era em torno de 4000 reais.
Como eu provei que era uma falácia, o meu comentário foi retirado.

Anônimo disse...

Provavelmente a comissão da "verdade" conclua que o mensalão é uma herança da ditadura.
Matéria contra militares, sempre com "meias-verdades" ainda são bem vindas nos jornalecos, quando esses não têm nada para informar.
Dividir para reinar.
Mass

milico velho disse...

QUEM ESCREVEU O ARTIGO DEVE SER UM REVOLUCIONARIO, QUE ADORA CUBA, AMA FIDEL, MAS NUNCA FOI A ILHA, ADORA MESMO É FICAR TOMANDO UM CHOPINHO EM BARZIHO, SE DIZENDO COMUNO/SOCIALISTA, MAS NÃO ACEITA A IDÉIA DE MORAR EM CUBA OU NA COREIA DO NORTE. QUANDOENTRA DE FERIAS VAI PARA OS USA, FAZER COMPRAS E ADORA DOLAR. FALA MAL DOS MILITARES MAS É SÓ O ESGOTO EXPLODIR QUE CAI DE JOELHOS AOS PÉS DOS MILITARES PEDINDO AJUDA. POSSUEM UMA TREMENDA DOR DE COTOVELO POR SEREM DADOS COMO INCAPAZES EM SELEÇÕES MILITARES, NUNCA TB PRESTARAM CONCURSO PARA UMA ESCOLA MILITAR POR SABEREM QUE SERIAM REPROVADOS. COMO NÃO POSSUEM MERITOS SO RESTA ATACAR QUEM LIMPA SEU ESGOTO. ISSO ÉQUE É UMA TREMENDA DOR DE COTOVELO, NADA FAZEM PARA OS OUTROS, A NÃO SER FALAR MAL. OS MILITARES ESTÃO NA PIOR MAS FALAR MAL DELES FAZ BEM AO EGO. SERA QUE O REPORTER ACEITARIA TROCAR SEU HORARIO DE TRABALHO E SALARIO COM UM TENENTE? NÃO COLOCO PRAÇA POIS ESTES JA ESTÃO PROXIMOS DO BOLSA FAMILIA E TENENTE É UMA PATENTE INTERMEDIARIA NA ESCALA DA HIERARQUIA MILITAR

Anônimo disse...

Comentar na Folha de SP ou qq outro meio de imprensa q compactua com este governo é perder tempo. Jamais publicarão algo q importe, a ñ ser q vá ao encontro dos interesses por detrás das reportagens.

Bom, nossa prvidência é diferenciada, sim, dos demais servidores, até mesmo em sua classificação. O direito previdenciário classifica os fundos de pensão como sendo Regime Geral de Previdência Social (RGPS) e Regime Púb de PS (RPPS). A primeira abarca os funcionários celetistas enqto a segunda contempla os servidores estautários. Existe, tb o Regime de Previd Complem (RPC). A nossa previd ñ se enquadra em nenhuma das 2 primeiras.

O fato é q ter uma previd diferenciada das demais ñ nos coloca em situação de vantagem. Se assim é, decorre da atividade exercida e desempenhada por nós, militares. Ademais, se esta ñ existisse, qq resquício de i teresse pela carreira militar q ainda há se desapereceria por completo.

Mas, ainda q tenhamos uma previd diferenciada, pagamos por ela - e pagamos caro! Descontamos qdo da reserva/reforma e ñ usfruímos de vantagens trabalhistas q os demais trabalhadores possuem, desnivelando nossa condição. Portanto, deixem q a imprensa marrom ladre. Ñ creio q passará de latidos...

Maj QCO Leonardo

milico velho disse...

o militar tem que trabalhar por decadas para se aposentar e desconta para a pensão militar ate sua morte. a bolsa familia é para quem não gosta de trabalhar. comparar os dois é uma grande maldade. e os privilegios militares são limpar os pinicos quando explodem? quer trocar de profisão?

postei este comentario na folha de s. paulo, veremos seiram publicar.

milico velho disse...

MONTEDO, ESTAO CAINDO DE PAU NO JORNAL, ABRA O LINK E CONFIRA.
o jornal não se deu bem com esta materia. já são n comentarios contra o q foi escrito.

Anônimo disse...

Aq na GU de Ugn-RS, tem um Advogado fazendo fama sob as lambanças dos médicos peritos militares, o tal do incapaz b2, inchando a nossa folha com vários reintegrados, muitos mais saudáveis do que eu, que estou tirando sv nas 72 nesse fim de ano. enfim, a maquina esta muito pesada com esses carrapatos que só sugam nosso sistema, e nem se quer contribuem com o FUSEX. Ta FO...A aqui....

Anônimo disse...

Alguma outra categoria faz JURAMENTO do sacrifício da própria vida? Acho que só esse diferencial já retira QUALQUER tipo de comparação.

Anônimo disse...

É dose o cara trabalhar 30 anos ou mais, não ter vantagens e gratificações em seus salários, tem IR retido na fonte, paga pensão até a morte e ainda é comparado aos beneficiários do bolsa-família, que não contribuem com nada, recebem dinheiro do governo sem trabalhar, e tudo pago pelo imposto de quem trabalha!! Tem milhares de militares das Forças Armadas que são excluídos do Minha Casa porque ganham um pouquinho acima, pagam as casas para esse pessoal e moram de aluguel, porque não conseguem comprar uma casa financiada devido aos empréstimos em contracheque!! Beleza!!!

Anônimo disse...

O autor da matéria talvez não saiba que não possuímos previdência e que os pagamentos de pensões não são custeados pela União e sim pelos próprios militares.

Há muitos anos tínhamos o montepio militar, que se existisse nos dias de hoje, permitiria proventos superiores aos que recebemos ao passarmos para inatividade. O que acontece é que o Governo, olho grande, se apoderou do montepio com a promessa de garantir a cobertura dos pagamentos dos inativos com os recursos do Tesouro Nacional.

Respeitando opiniões diversas, acho que este tipo de matéria pode ser "plantada" para que exista pressão com intuito de perdermos o pouco que ainda temos ...

Rogério Gomes-1º Sgt disse...

Se comparar com os valores desviados pela corrupção no Governo do PT, o gasto com a Previdência dos Militares, é gorjeta.

Anônimo disse...

Uma das medidas que poderiam ser implementadas hoje seria a extinção do direito de pensão para a FILHA do(a) militar mesmo para quem desconta os minguados 1,5% de pensão militar e, consequentemente, o direito ao uso do FUSEX.
Este direito na verdade foi uma "gambiarra" que deixaram permanecer na MP 2215/01 (MP do MAL) mas que socialmente não possui fundamento algum, notadamente pelo fato de tratar os filhos de maneira desigual e por ser um dispositivo machista num período social em que as mulheres já ganharam sua independência financeira e ocupando até mesmo autos postos nas Forças Armadas (General) e na via pública como Presidentes da República, Senadoras, Ministras, Ministras do STF etc.
Não tardará e a PGR impugnará o dispositivo da MP do MAL que permitiu a manutenção dos privilégio de pensão para as filhas.

Anônimo disse...

Mentira, esse pessoal do PT são mentirosos, só pensam em tirar dinheiro do trabalhador, eles não tem visão de empreendedores, administradores, empresários, para se governar um País é necessário, em primeiro lugar, ser inteligente e investir para crescer. Não precisa ser matemático para fazer uma simples conta, todos os militares contribuem em média com 400 reais todo mês, faça a soma e multiplique por 30 ou 35 anos, coloque juros sobre juros mais correção monetária, este montante é o suficiente e ainda sobra para pagar os da reserva, reformados e pensionistas mesmo porque eles continuam contribuindo.

Anônimo disse...

A rádio Jovem Pan saiu repetindo a reportagem hoje, uma pena, eu gostava do jornal da JP de manhã.

Acredito que outros jornais saíram repetindo o assunto.

Edson Gomes disse...

Compara com os gastos dos políticos corruptos em viagens e diárias e os desvios de verbas sempre recorrentes. Quem quiser trocar sua carreira de jornalista que fala o que quer por vinte quatro horas de serviço, cursos operacionais de 8 dias sem dormir, exaustão ao extremo para sobreviver em ambiente de selva , caatinga e operações especiais, é só falar comigo..lembro que não tem hora extra não viu e nem vem com historinha de escolher quando vai tirar férias ok.Tem mais uma coisinha...mesmo sem querer..com sua vida toda estruturada..esposa trabalhando, filho passou em concurso, parentes com tratamento de saúde específico, você pode ser convidado a mudar de cidade .....já pensou como seria senhor jornalista??? Ei não é opção não viu...é ordem, então cumpra-se, isso é sinônimo de disciplina. E assim vamos servindo em diversos Estados do Brasil. Então antes de falar do Exército e das Forças Armadas, é necessário conhecer nosso trabalho. Quero ver vossa senhoria passar 2 anos em um Pelotão Especial de Fronteira...terminou o expediente..não tem chopinho...shopping..cinema, só tem a selva(graças a Deus) e a União entre todos os militares, familiares e comunidades próximas. Graças a Deus, a Amazônia ainda nos pertence, lutamos para conquistá-la e é dura a tarefa de mantê-la sobre nossos domínios.

Sou autêntico e não posto como anônimo pois pra mim quem não tem coragem de colocar seu nome é porque reclama , reclama , mas no final , só se preocupa com a carreira, são meros leões de alojamento.

1º Ten Edson

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics