30 de agosto de 2013

Mercedes e Volks vão fabricar caminhões para o Exército

Contrato de 532,9 milhões de reais prevê entrega da encomenda no fim de 2014
Caminhões VW Worker 15.210 4x4, da Volkswagen
A Man (Volkswagen) vendeu para o Exército 860 VW Worker 15.210 por 266,6 milhões de reais
Saulo Pereira Guimarães
A Man (Volkswagen) vendeu para o Exército 860 VW Worker 15.210 por 266,6 milhões de reais
São Paulo – O Exército Brasileiro encomendou 1.600 caminhões a Mercedes-Benz e Volkswagen. A informação foi divulgada no site da Man, fabricante de caminhões da Volkswagen. A ser assinado nas próximas semanas, o contrato de 532,9 milhões de reais prevê a entrega dos veículos dentro de 15 meses – de acordo com o Valor Econômico.
Segundo o jornal, cada empresa irá receber 310 mil reais por caminhão. No caso da Man, são 860 unidades. Já a Mercedes irá produzir 730 veículos. Realizada em 30 de julho, a licitação de compra teria dado preferência às ofertas de menor preço.
A Man informou que os VW Worker 15.210 fornecidos ao Exército irão contar com tração nas quatro rodas e capacidade de até 5 toneladas. Os veículos serão usados em diversas situações – como ações de combate à seca e na missão de paz do Haiti. A medida também faz parte dos incentivos dados pelo governo à indústria de caminhões.
EXAME/montedo.com

4 comentários:

milico velho disse...

TEREMOS MILHARES DE CAMINHÕES, MAS NÃO TEMOS SALARIO,COMIDA, ARMAS OU MUNIÇÃO. ASSIM COMO A FAB VIROU AEROTAXI, SEREMOS UMA TRANSPORTADORA PARA OS PREFEITOS.
PERGUNTO QUAL RANCHO OS CUBANOS ESTÃO USANDO NAS INSTALAÇÕES DO EB? QUEM ESTA FAZENDO A FAXINA DOS ALOJAMENTOS? QUAL OS ALOJAMENTOS USADOS? PEDEM RESPONDER.
MONTEDO, RESPOSTAS A ESTAS PERGUNTAS MUITO NOS DIRA SOBRE O FUTURO, POR FAVOR PUBLIQUE.

Anônimo disse...

Alguém tem que gastar esse dinheiro. O salário dos militares não é contemplado então, vai para os pregões.

Anônimo disse...

Bem colocado no primeiro comentário. Parabéns companheiro.
É só pirotecnia mesmo; é só para impressionar trouxa.
Estão enchendo os quartéis de caminhão para carregar ferro-velho, soldado mal treinado, mal equipado, com fome e sem munição. O que precisamos é material bélico moderno e eficaz para fazermos frente ao combate moderno dos dias atuais, principalmente quem tem um país rico e de dimensões continentais como é o nosso.
Os carros de combate que temos é uma piada. Venham visitar uma Unidade Militar de Combate na Fronteira Sul, e verão que atraso. É DE CHORAR. Inclusive, andaram comprando o Leopard, sucata que a Alemanha já havia atirado no lixo e que fizeram o maior alarde.
A nossa defesa aérea é fictícia, é coisa de conto de fadas. Não vão comprar nenhum avião de combate novo, nem agora, nem daqui a 10 anos, pois já arrumaram uma solução, vejam só o "pulo do gato:"
Compraram aviões de segunda mão, onze F-5 jordanianos (fab americana) que atualmente passam por um processo de modernização na Embraer, para "quebrar o galho" por mais 15 ANOS, já que 12 Mirages F 2000 serão aposentados no fim do ano. Entenderam o jeitinho? Os aviões de segunda mão terão que durar MAIS DEZ ANOS! Pronto, solucionado o problema de defesa aérea.
Como já disse o companheiro comentarista, a FAB virou mera empresa de táxi aéreo da cafajestada política que deita e rola na mordomia. A nossa soberania
aérea não tem a mínima importância, não é mesmo? Afinal, o que importa mesmo é o bem- estar da "cumpanherada."
E a Marinha? Depois da compra dos cascos-sucatas de submarino da Inglaterra, é bom ficar por aqui, aí vira tortura.

Anônimo disse...

Enquanto isso, na maioria das OMs, faltam motoristas, devido à defasagem do nosso salário frente ao da iniciativa privada.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics