30 de agosto de 2013

Comandante confirma:mulheres na AMAN a partir de 2017

Por enquanto, só Material Bélico e Intendência
Comandante da Aman participa de entrevista no estúdio do RJTV

G1/montedo.com

16 comentários:

Anônimo disse...

Quem venham as mulheres. Porque não?

Anônimo disse...

Queria ser uma mosquinha para ver essas mulheres em um "cerimonial da SIEsp" a lá anos 90, em que cadete desmaiva, vomitava...teve cadete que até morreu....O Instrutor "Pato-Bola-macaco" mandando pagar 10 flexões, 10 polichinelos, 10 cangurus...

Anônimo disse...

LICENÇA PARA UMA CORREÇÃO:

NÃO É O RJ TV !!!!!
PODE ATÉ SER DE UMA AFILIADA GLOBO, MAS NÃO É RJTV.. Esse padrãozinho de reportagem é só de afilidas, no Rio é a emissora mesmo.

mulheres só se for pra fazer carinho nos cadetes !!!!

#ebemdeclinio

Anônimo disse...

Já imagino o que vai acontecer, baseado no que vi na EsSLog: em relação às atividades operacionais, vão chegar infantezinhas de cristal na tropa, que não sabem sequer fazer um ombro-arma, daí vão pegar os primeirões para comandar GC e pôr as lobinhas na seção. E eu que passei minha modernice na tropa, quando ficar antigo nela vou continuar. Isso sem falar na quantidade de reformadas e baixadas que não poderão tirar uma guarda mas que passarão todo 2º dia útil do mês para sacar a remuneração. As novas gerações criadas no leitinho de soja sabor morango com ovomaltine não salvam absolutamente nada, nem o segmento masculino. No que diz respeito às oficiais, afeitas à atividade administrativa, vislumbro certa melhora, tendo em vista que as mulheres são mais papironas que os homens, o que lhes dará maior conhecimento de causa no desempenho de suas funções. Há que se ressaltar que no quesito planejamento elas dão um banho no segmento masculino. Em resumo, mulheres na administração são bônus, na tropa ônus.

Anônimo disse...

Material bélico tende a ser visto como uma atividade burocrática. No entanto, as futuras aspiras de mat bel vão se deparar com um ambiente que eu considero hostil, já que nos campos, viagens de apoio direto entre outras atividades, serão elas com toda uma tropa formada única e exclusivamente por homens... Já sei o que vai acontecer: as meninas vão ficar no Btl, sentadas na cadeira, enquanto o aspira homem vai pro sal... O salário? O mesmo...

Anônimo disse...

Servi com um tenente médico temporário numa OM de tropa (Inf), um dos poucos bons de serviço por sinal, que quando ficou sabendo que viria uma médica de carreira ele já "cantou logo a pedra": mulher médica, já servi com mulheres em hospital militar de brasília...na hora que o bicho pega elas arrumam doenças...menstruam....tô fora...e ele pediu baixa...
E não deu outra...a médica que apareceu não ia num campo.....só queria botar os médicos aspiras no lugar dela...e na hora que começaram a apertar ela deu um jeito de "pular fora do Btl"...

Anônimo disse...

Já vi uma 1º Ten falar para o coronel ajudante, ao ser escalada para uma formatura: "De novo eu coronel ? pô, sacanagem...", Fico imaginando se fosse um homem... Mijada e ameaças de punição... Fora outras cositas, como promoção em plena licença gestante, de 6 meses, missão boca boa para fazer companhia a figurões de altos coturnos... ataques histéricos, a eterna concorrência com outras para o domínio dos machos do grupo, a desunião e a intriga como ferramentas para atingir objetivos mesquinhos, etc... Uma capitão de infantaria do Exército americano deu uma entrevista reveladora, assumindo a incoerência de se ter combatentes femininas... é um desgaste tremendo para elas e para os homens, que deixam de focar o combate para poder proteje-las... Mas hoje em dia falar a verdade é só um mero detalhe... O que vale é o "politicamente correto".

Anônimo disse...

Um calculo rapido: se elas so poderao cursar mat bel e intendencia, logo abrirao no concurso a previsao de vagas para essas mulheres. Imagine q complete de mulheres essas vagas, isso significa q nenhum dos homens podera fazer mat bel e a preciosa intendencia dos concurseiros..

Anônimo disse...

Não vejo nenhum problema em ter mulheres na linha de frente do EB ou FAB ou MB, na FAB tem até mulheres piloto de caça, qual o problema? Na polícia militar de São Paulo, por exemplo, tem policial feminina que está nas ruas, trocam tiros com bandidos, prendem marginais e daí? Alguns militares tem que aprender que eles não são melhores que ninguém, isso é democracia e todos tem os mesmos direitos e deveres. Deixem de ser preconceituosos e não pratiquem a discriminação.

Eloy Celso Zani disse...

Gostaria de ver uma jovem cadeta ralando numa pista Rondon, como a de nosso saudoso tempo dos idos de 62, ou fazendo marchas de 32 Km, ou ainda numa construção de ponte em dia de frio intenso, ou ainda subindo morros pendurado em cordas sem nenhuma segurança, com uma metralhadora Madsen às costas. Ainda mais em dias de menstruação, ou de TPM. Zani, cad @90, Eng 64

Anônimo disse...

Comentarista de 1 de setembro 15:14 francamente todos nós sabemos que a maioria dos cadetes da AFA nem pensão em ir para a caça a maioria quer ir para outra aviação a caça na FAB virou a cavalaria igual no EB todos querem ir para infantaria e segunda opção a artilharia e uma verdade seja dita é só papirar e virar peixe de algum instrutor e pronto, lá é igual a aquele ditado antigo que ouvimos sempre meu pai é aquele meu avo foi esse meu tio é tal ai o cadetinho vai longe.

Martha disse...

Engraçado é que todo mundo que comentou é anônimo...

Anônimo disse...

Eu vou fazer a prova, e desde já, imagino o que eu vou fazer la ! Foco, Força, e Fé mulheradaaaa

Anônimo disse...

Vendo os comentários... como tem pessoas preconceituosas em relação às mulheres, temos todo direito assim como os homens e não é uma tpm que vai nos desviar de nossos objetivos..... #guerreiras

Anônimo disse...

Anônimos ridículos e preconceituosos. Esses lixos que não se cansam de tachar descaradamente as mulheres como o sexo frágil. Mulher de verdade não se barra por TPM e muito menos se acomodam as custas dos outros.Isso já passava da hora de acontecer, abram suas mentes, igualdade de gênero já!

Anônimo disse...


Na polícia militar de São Paulo, as meninas sabem bem que é quando alguém diz: Foi o maior ralo. _Elas aprendem também que na rua, mosca de boi, leva bala na cabeça. Espero que o EB, não tenha peninha de mandar para casa, quem fizer corpo mole.Se não aguenta, pede para sair. É muito mais digno.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics