31 de julho de 2013

A base de treinamento da guerrilha urbana

Anarquistas dos protestos se reúnem no MT para fazer coquetel molotov

LEONEL ROCHA
GLADIADORES É assim que se autoproclamam os anarquistas das manifestações (Foto: Felipe Dana/AP)
GLADIADORES
É assim que se autoproclamam os anarquistas das manifestações
(Foto: Felipe Dana/AP)
Primeiro, a ONG Defensoria Social espalhou voluntários pelo país para defender manifestantes presos por vandalismo. Agora, os anarquistas também recebem treinamento de instrutores experientes. Nos fins de semana, os jovens se reúnem em cidades de Mato Grosso para fazer coquetel molotov e escudo de madeirite e produzir líquidos que anulam o efeito do gás lacrimogêneo. Nesses encontros, eles escolhem bancos e empresas multinacionais como alvos de depredação. Participam dessas reuniões os anarquistas Anonymous, Anarcopunk e Acción Directa, ex-militantes do MST, alguns dissidentes das Farc e remanescentes da guerrilha uruguaia Tupamaros e da Central Operária Boliviana. Os próximos atos de vandalismo como ação política estão previstos para o desfile de 7 de setembro e o Rock in Rio.
Felipe Patury (ÉPOCA)/montedo.com

3 comentários:

Anônimo disse...

E ainda tem aqueles que nos chamam de loucos quando falamos que nosso país e toda a América do Sul estão sofrendo um processo de comunização...
1º Sgt Infa Brasil

Anônimo disse...

Esses vândalos que estão aí foram colocados na rua por PARTIDOS para desacreditar o movimento popular de junho. Eles não nos representam! Que a Polícia baixe o cacete e prenda esses palhaços.

Soares disse...

Perfeitamente, esses vândalos estão fazendo papel a mando de partidos de esquerda, com o fim de desacretidar e persuadir os movimentos públicos, legítimos, com reivindicações do povo que não suporta mais o modelo atual de política praticada no Brasil.
Espertamente, essas infiltrações acaba retirando o foco das manifestações daqueles que querem, ordeiramente, manifestar as insatisfações com tudo que está errado no Brasil. O que é estranho que até agora não foi identificado nenhum baderneiro, ou mais, de onde emana as ordens para o vandalismo. Os vermelhos estão por trás disso tudo. Vítor Soares Ferreira - Natal, RN.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics