31 de março de 2013

RS: obras de NPOR estão paradas por falta de recursos

7º BIB busca cerca de R$ 150 mil para NPOR
Primeira turma santa-cruzense do Núcleo irá se formar em novembro, mas o Batalhão ainda precisa de recursos para as obras

LUÍSA ZIEMANN
luisa@gazetadosul.com.br
Primeira turma com 20 alunos deve se formar em dez meses
Foto: Bruno Pedry
Santa Cruz do Sul (RS) - Em junho de 2012 tiveram início as obras do Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (NPOR), nas instalações do 7º Batalhão de Infantaria Blindado (7º BIB) de Santa Cruz do Sul. Porém, por falta de recursos, elas estão paradas. A unidade militar ainda precisa de cerca de R$ 150 mil para finalizar sua construção. O curso preparatório para o cargo de aspirante oficial formará a primeira turma de 20 alunos em dez meses.
O projeto prevê que o NPOR seja instalado em dois prédios junto ao batalhão. O administrativo tem 352 metros quadrados e o de alojamento, 348 metros de área. Além dos aportes governamentais, a Associação dos Oficiais Militares de Santa Cruz do Sul (AOMSC), responsável pelas finanças executivas do empreendimento, conta com o auxílio de entidades, empresas privadas e pessoas físicas para viabilizar a unidade.
No dia 22 de fevereiro, a Prefeitura repassou R$ 100 mil para a continuidade da construção de um da escola, que vai contar com alojamentos, salas de aula e local para a guarda de materiais. No entanto, segundo o presidente da Associação dos Oficiais Militares de Santa Cruz do Sul (AOMSC), coronel Wilson da Silveira, esse valor não irá suprir a atual necessidade. “A captação de recursos através de empresas privadas foi menor do que a prevista, por isso vai faltar”, explica.
A Prefeitura confirmou o repasse de R$ 100 mil em março e mais R$ 100 mil em abril. Porém, somente durante essa semana o 7º BIB recebeu a parcela correspondente a março. Por isso, no momento, as obras foram temporariamente interrompidas.
gaz/montedo.com

3 comentários:

Anônimo disse...

Fala sério, recursos da iniciativa privada e prefeitura para construir instalaçoes de NPOR.

O último, favor fechar a porta e apagar a luz.

Por acaso nao existem recursos da força para tal obra?

É o fim da picada mesmo. viramos escoteiros, cadê nossas verbas? brincadeira.fui 3 anos monitor de NPOR no Sul,nunca ouvi sequer algo parecido no meu tempo.

Fazia-se planejamento e envia-se para o escalao superior para avaliaçao da contruçao da obra ou nao, parece que mudou tudo agora.

Anônimo disse...

Cara, 150 mil para o DECEX não é nada! Esses caras não sabem é pedir! Ficar esmolando na cidade quando estão subordinados a um departamento rico do EB é muita burrice! Desculpem a sinceridade.

Anônimo disse...

Mais tarde vem os severinos em contrapartida.....

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics