14 de março de 2013

Na AMAN, a rainha das armas é a Intendência

Escolha da Arma, na AMAN

Gélio Fregapani
Foi noticiado que a Intendência foi a escolha preferida dos novos cadetes. Isto causa estranheza pois, apesar da extrema importância da Intendência, falta-lhe o glamour das armas básicas, e nunca havia sido a preferida anteriormente.
A grande evasão de quadros bem treinados do Exército já acendia um sinal de alerta e o fato era totalmente atribuído a defasagem dos salários em relação aos outros servidores do Estado, mas se julgava que essa evasão ocorreria apenas quando os encargos de família obrigava, contra a vontade, ao oficial ou ao sargento a procurar uma carreira melhor remunerada do que a dos seus ideais. Agora, com a preferência pela Intendência na escolha da arma, constatou-se que as matérias desse curso facilitavam de muito a aptidão para os concursos públicos melhor remunerados, o que indica, de forma meridiana, que muitos já ingressam na carreira militar visando se preparar para outras melhores. No Curso de Intendência estuda-se muita coisa que cai em concursos- Contabilidade, legislação das licitações, etc.
Nenhuma censura a quem quer progredir na vida, mas isto não interessa ao Exército. A falha talvez esteja no sistema de recrutamento.
Sabemos que o Exército foi o primeiro a instituir concurso público honesto em nosso País. Ótimo, mas um concurso apenas intelectual classifica apenas os mais estudiosos, e que raramente os mais vocacionados para o combate, naquela fase da juventude, serão os mais estudiosos. Não se nega o valor do concurso intelectual, mas insistir em um recrutamento apenas livresco para os que se pretende guerreiros é como comprar um quadro pela moldura ou um brilhante pela armação. O fato é que sem certa índole guerreira em seu pessoal nenhum Exército se dará bem em combate.
Tem solução? Claro! Hoje dispomos de testes psicológicos que traçam com precisão o perfil de qualquer um, inclusive a adequação para as diferentes funções em serviço. É só fazer uma média ponderada entre a avaliação psicológica e o concurso intelectual.
Nota do editor sobre a manchete:
- Sim, eu sei que a Intendência é um Serviço. Mas não resisti ao chiste com a Infa.

17 comentários:

Anônimo disse...

Sinceramente, nunca entendi pq o Mat Bel e Int não são armas. A formação não é na AMAN, onde se prepara os oficiais combatentes do EB?

Anônimo disse...

Montedo

Decreto publicado ontem estabelece nova ação subsidiária para as FFAA: vamos auxiliar a PF e o IBAMA em crimes ambientais.

Acho que está se descortinando o novo foco de atuação das FFAA neste século XXI, no qual não se vislumbram mais guerras de estados contra estados: subsidiar todos os órgãos públicos que, por falta de estrutura (ou de vontade algumas vezes), não conseguem cumprir razoavelmente as suas missões.

Anônimo disse...

Ministério da Defesa aprova ROC para submetralhadora e pistola calibre 9mm

http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=14/03/2013&jornal=1&pagina=9&totalArquivos=104

Anônimo disse...

Meu amigo Cel R/1 Gélio Fregapani!

Pelo que bem sei Gélio o Sr fez história na ABIN e até os dias de hoje seu nome é lembrado e citado por todos, mas sei, também, que vc não foi apenas servidor pelo Gab Seg Inst na ABIN e sim foi servidor concursado, então, como explicar sua posição quanto aos jovens cadetes que escolhem fazer intendência pensando sair do EB se vc mesmo fez isso e ainda é da época de ouro do EB? Nada contra vc, até porque sou seu grande admirador!

Att

GDS

Anônimo disse...

Caro Coronel,

com esse salário e mais esta "avaliação psicológica", vamos ter o efetivo de 200 cadetes ao ano por turma. Aumentaremos o efetivo dos oficiais temporários, criaremos efetivo de "capitães, majores, tenente-coronéis e coronéis temporários" e mais além, também baixaremos a média da prova para passar mais gente, aumentando assim o número de aprovados e aptos para seguir para a avaliação psicológica?

Anônimo disse...

testes psicológicos não são extremamente confiáveis.Dependem do ânimo da pessoa no dia do teste.Acredito que cabe a cada um escolher o que é melhor para ele.O problema não é a arma ou o serviço e sim a motivação.Cabe ao exército criar ferramentas motivacionais.

Anônimo disse...

Sinal dos tempos......

Anônimo disse...

Pelo que eu sei a Suprir fecha em primeiro na AMAN desde os anos 90. Isto não é nenhuma novidade.

Anônimo disse...

mas a Dcem sempre cria excelentes ferramentas motivacionais... Te transfere sem voce pedir.... se voce pede para bahia eles te mandam para o paraná... e a ultima é que antigamente voce podia no máximo pedir 12 guarniçoes, agora é obrigado a por 24... quer dizer o dobro... veja bem se tudo isso não é motivação. ALGUÉM... REPITO....ALGUÉM conseguiu enxergar algo de bom ou proveitoso nestes nosvs planos de movimentação.

Anônimo disse...

Sabe qual será a solução que evitará a evasão ao mesmo tempo que aumentará a aptidão para a carreira das armas?

R. Trazer para o seio da família Castrense o que essencialmente se busca lá fora "RECONHECIMENTO SALARIAL E REESTRUTURAÇÃO DA CARREIRA".

Anônimo disse...

Temos um salário muito aquém das outras cerreiras do Executivo Federal, sobre essa questão os nossos Comandantes não possuem poder algum. Porém os nossos Comandantes tem em suas mãos ferramentas que se não estimulam o militar, ao menos não desestimularia tanto: REDUZIR O TEMPO DO EXPEDIENTE. Isso mesmo, pra quê ficar um monte de gente enfurnado dentro de um quartel sem ter o que fazer e fazendo fofoca e comendo na cantina o dia inteiro? Porra, reduzam o expediente pois aí poderemos correr "por fora" para ganhar dinheiro, cada qual dentro da sua qualificação. Ficar sacaneando a tropa esticando expediente sem razão alguma só faz aumentar a pressão da panela de pressão em que nos encontramos.

Anônimo disse...

A vocação é fundamental para a escolha da área de atuação no EB, mas não é o fator determinante. Plano de carreira, salário e prestígio social também contam e estes são os motivos para o uso do EB como trampolim para outras carreiras.

Victor Leonardo disse...

Querem bons oficiais e Bons combatentes ? Acabem com esse limite de idade ridículo para ser Oficial do EB, coloquem 30 a 34 anos como são diversos CFO das PM pelo BRasil.
Acabem com a exigência de EsPCEx, façam de lá um Colégio Militar, e coloque o tempo de formação em 3 ano, pois ja provaram que os cadetes tem tempo de sobra pra fazer o COS e o Pqdt.
Alguém pode questionar que 3 anos não é suficiente pra ser Graduado em Ciências Militares, mas tem tempo suciente pra ser Tecnólogo.
Exame psicológico no EB, tá de brincadeira, o sistema é muito fechado, muito filho de praça não ingressaria, seria reprovado para dar lugar a um que tenha Q.I. e encontra-se na MAJORAÇÃO.
Tem muito oficial estudando, basta vc tentar entrar na sua Cia ou na sua Seção sem avisar ao seu chefe, que vc vai ver o computador logado em um site de concurso. Tem dúvida?, pergunte a algum militar da Seç Info de sua OM.

Tomara que aprove logo esse PLANO DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA, e que o último apague a luz ao sair.

Anônimo disse...

A classificação na AMAN para escolha da A/Q/S é regulada pelo mérito intelectual, entrando neste resultados de Estágios da SIEsp, desempenho físico e conceito (vertical e horizontal). Isto posto, vemos que a escolha não é "às culha", e sim depende da aptidão individual. Temos Intendentes Prec, Dompsa, comandos, FE, entre outros operacionais, assim como temos Infantes auditores fiscais. Se acompanharmos os BE nas sextas, veremos que o êxodo de Intendentes não é tão maior que das outras armas.

Ourivesaria Zulu disse...

Poderia usar este espaço e discorrer com propriedade uma lista de argumentos acerca da opinião do Cel Fregapani, a quem muito respeito, pelos anos de serviço dedicados ao Brasil e ao Exército Brasileiro, em especial na nossa Amazônia. Mas deixo aqui apenas um convite para que venham conhecer o Curso de Intendência da AMAN, e como é formado o Of Int do Século XXI em suas 3 capacitações: Combatente, Logístico Operacional e Sistema de Economia e Finanças.
Ernesto - Maj Int QEMA Cmt C Int AMAN
e-mail: cmtcint@aman.ensino.eb.br

Anônimo disse...

Guerra imaginária.

Gilberto disse...

O sr poderia me informar quantas vagas há para a intendência no momento de escolha da arma?


Após a escolha de todos os alunos sobra alguma vaga para alguma arma?

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics