17 de fevereiro de 2013

Mal a pior

Militares de cidades onde não há hospital do Exército comemoram: o plano de saúde da Força encaminha aos melhores especialistas. Os outros colegas aguardam na fila de espera para serem atendidos.
Cláudio Humberto/montedo.com

14 comentários:

Anônimo disse...

vivi e vivo exatamente isso. Quando estava em minas nao havia hospital, ia as melhores clinicas e rapidamente era atendido. Hoje no parana dependo do hgc curitiba, conheço o do rio e posso dizer que o de curitiba é muito melhor. O hgc curitiba é excelente se o caso for de urgencia, se chegar lá com algum problema, param ate o hospital para te atender. Mas se o caso for eletivo tipo uma consulta ai é um parto para marcar, tem recorrer ate a pai de santo... Tem que ter paciencia.

Anônimo disse...

Quando fiz o CAS não entendi porque o pessoal do rio odiava tanto o FUSEX. Eu adoro porque aqui onde estou sou muito bem atendido por ele. Depois fui entender que la eles tem que ir para o HG onde sao mau atendidos. Em suma infelizmente: QUEM TEM HOSPITAL MILITAR E É MAU ATENDIDO PAGA O FUSEX PARA QUEM NÃO TEM SER BEM ATENDIDO. Triste isso.

Anônimo disse...

Legislação:
CDC – Código de Defesa do Consumidor – Lei Nº 8.078/90;
Lei dos Planos de Saúde – Lei 9.656/98; Código Civil (art. 156)
e Resolução Normativa 44 da ANS, de 24/07/03; Resolução
Normativa nº 259 da ANS.
Endereços úteis
•ANS – Agência Nacional de Saúde: www.ans.gov.br
Mensagens para a ouvidoria podem ser enviadas para:
www.ans.gov.br/index.php/aans/central-de-atendimento
Atendimento por telefone: 08007019656 (reclamações e denúncias)
•SENACON-MJ – Secretária Nacional do Consumidor - Ministério da
Justiça: http://portal.mj.gov.br
•Procons – acesse o portal do DPDC para localizar o Procon mais
próximo de sua região: http://portal.mj.gov.br/ControleProcon/
frmLogon.aspx
•Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor: www.idec.org.br

Mesmo sendo a garantia da lei e dos valores constitucionais missões do Exército, não há preocupação alguma do Comando em dar o exemplo! E o povão, pobre coitado, ainda pensa que o Exército é digno de confiança...

PINTOMIX disse...

Hummm... não é bem assim não, heim... Acabei de perder meu pai, que mora(va) no interior da Bahia e é oficial da reserva, exatamente pela precariedade do atendimento médico onde não há hospital militar. Foi encaminhado para o "melhor" hospital particular da cidade e teve atendimento pior que no SUS. Não se pode generalizar ( como a nota do Cláudio Humberto fez)...

Anônimo disse...

Tenho uma filha de 6 anos e fui obrigado a leva-la na emergência por 3 vezes no Hospital Municipal de Ilhéus (açougue) e uma vez na Santa Casa de Itabuna a 30 Km de Ilhéus porque o Fusex não tem convênio com hospitais de urgência aqui em Ilhéus-BA.

Anônimo disse...

Só no Exercito; Na Aeronáutica localidades onde não há Hospital da Força, familiares têm de se deslocar pra capital ou pagar do próprio bolso e sem ressarcimento aí é sofrer dobrado. Militares lotados em Três Marias MG, por exemplo, estão pedindo transferência pois, ninguém aguenta tanto descaso da Força na questão da saúde em cidades pequenas.

Anônimo disse...

ACOMODADOS ESPERAM UM MAGICO PARA RESOLVER A SITUAÇÃO BRASILEIRA

EXCESSO DE RELIGIÃO E POUCA DISPOSIÇÃO

Povo mal acostumado, acomodado, sempre esperando que um outro solucione seus problemas

Brasileiros, civis e militares, pelo menos a imensa maioria da classe média para baixo, entupidos de religião esperam que rezando seus problemas sejam solucionados. Outros acreditam em livros de auto ajuda, alguns acreditando em promessas, sempre falsas, de que com mentalizações o que esperam cairá do céu.

Povo preguiçoso até para ler, esperando sempre receber tudo mastigado, façinho de ler; ah, o que é difícil, deixa pra lá, pois não trata de aumentos. Pensam "o que é que é isso, texto difícil, vou lá pensar em Leis, Constituição, Justiça, pra que? Pois alguém se preocupará com isso no meu lugar; alguém vai pensar nisso por mim, sempre foi assim". E enquanto isso a Nação afunda na corrupção, impunidade e injustiça.

De religião, não adiantam os exemplos, os acontecimentos no norte brasileiro, onde povo fanático por religião sofre com seca, que leva o gado, plantações, filhos e família. Preferem rezar, do que buscar solução pelas próprias mãos. E enquanto rezam, padres e pastores vão enriquecendo.

Com militares então, acontece esperarem que quem os comanda, tenha pena, lute pelos soldos. Enquanto isso, tais comandantes vivem bem, gozando de favores daqueles que garroteiam e humilham homens de bem, mas fracos de disposição.

Acredito na existência de um DEUS, aquele que é mencionado na Bíblia, que é bem claro quando afirma que devemos levantar pela manhã, trabalhar e lutar. Exemplos bíblicos de momentos de guerra são claros de que o povo é que deve lutar pelos seus bens, família, que se o fizer, lutar e não ficar lamentando pelos cantos, receberá auxílio. Caso contrário, não.

http://www.grifao.com/

Anônimo disse...

Não é bem assim não...
Vai ver em Maceió como é...
Ninguém quer atender o EB. Além das condições de saúde da cidade serem horríveis...

Anônimo disse...

Trabalhei no FUSEX muito tempo, um dos problemas é que chega final de ano e o dinheiro de pagar os profissionais e as clinicas seca, dai um monte cancela o convenio. Em BH tinhamos convenio com os melhores hospitais dos olhos do pais e perdemos. E olha que o valor que pagamos para as clinicas é maior que outras instituições como unimed e cia paga. MAS OS ATRASOS......

Anônimo disse...

Acho que o de Recife é o pior que já conheci. Descaso geral. É difícil marcar uma simples consulta. Os militares estao preferindo ir nas UPAs

Anônimo disse...

Não foi para melhorar esse tipo de situação que criaram o QCO? Basta os combatentes deixarem quem sabe realmente administrar fazer seu trabalho, ou seja, administradores para fazer o tralho de administração, e combatentes para combater. Isso resolveria muitos problema do EB.

Anônimo disse...

Fui marcar uma consulta com o dermatologista em fevereiro no Hospital Militar de minha cidade e só consegui para Abril. Pode Isso. E observem, eles estão cobrando até as luvas que usam para te examinar, a agulha para te dar injeção, o esparadrapo para o ferimento, etc...etc;....

Anônimo disse...

Minha esposa fez uma operação de vesícula em 2011 no HCE. Custou a bagatela de 13.000,00 reais, sendo que paguei 20% (2.700,00). Se fosse feita em uma clínica particular sairia por 9.000,00 e eu pagaria somente 1.800,00. HCE não paga corpo clínico, aluguel e imposto. Por que é mais caro?

Anônimo disse...

Estou em Recife e confirmo a informação do companheiro das 19:33, afirmando com certeza que o problema aqui é de GESTÃO.
Outro dia por volta de 10:00h, um soldado recebeu a missão de avisar a cerca de 20 pessoas, na maioria idosas, que não haviam mais senhas para uma determinada especialidade. Pergunto:
Por que essas pessoas não foram avisadas quando chegaram àquela Unidade através de uma distribuição de senhas por ordem de chegada? Por que as senhas são escritas a caneta em um pedaço de papel beirando ao descaso? Por que mandar um Soldado dar esse tipo de noticia e enfrentar a fúria dos presentes? Por que reunião de oficiais (médicos)ocorre no momento em que o hospital está superlotado (manhã)??
Resposta: Falta de GESTÃO e vergonha na cara...
Abraços

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics