20 de fevereiro de 2013

Em encontro com Medvedev, Dilma autoriza Defesa a negociar compra de baterias antiaéreas da Rússia

Brasil e Rússia declaram intenção de negociar baterias antiaéreas
Aperfeiçoamento do sistema de defesa é um dos requisitos para Copa do Mundo e Olimpíada
Os governos do Brasil e da Rússia firmaram nesta quarta declaração de intenções para que o Ministério da Defesa inicie negociações destinadas à compra de baterias antiaéreas russas, o desenvolvimento conjunto de novos produtos de defesa e a transferência de tecnologia para a participação de empresas estratégicas brasileiras nos processos de produção e sustentabilidade logística integrada.
O aperfeiçoamento do sistema de defesa antiaéreo brasileiro é um dos requisitos exigidos para a realização dos grandes eventos que o país sediará nos próximos anos, com a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. Com armamentos comprados há mais de 30 anos, as Forças Armadas brasileiras não têm atualmente um sistema de artilharia de médio alcance, que possa atingir alvos a até 15 quilômetros de altitude.
Leia também:
Forças Armadas querem baterias de mísseis antiaéreos russos
Amorim fala sobre o acordo militar Brasil-Rússia
No documento assinado, os dois países declaram a intenção de incrementar, a partir de março, as negociações “com vistas à possibilidade de preparação de contrato para futuras obtenções” de baterias antiaéreas russas, com “transferência efetiva de tecnologia, sem restrições”.
O Brasil e a Rússia também colocam, oficialmente, o segmento de defesa antiaérea como uma área de prioridade de investimentos e desenvolvimento conjunto. As negociações fazem parte do Plano de Ação da Parceria Estratégica Brasil-Rússia, firmado durante a visita da presidenta Dilma Rousseff a Moscou em dezembro de 2012.
Correio do Povo/montedo.com

4 comentários:

Anônimo disse...

ESSES NOSSOS GOVERNANTES, OU SÃO INCOMPETENTES OU SÃO IRRESPONSÁVEIS. O EXÉRCITO BRASILEIRO, ASSIM COMO A MARINHA E A FORÇA AÉREA, POSSUI TODO TIPO DE MARCAS E MODELOS DE MATERIAL BÉLICO. ORA O PAÍS COMPRA DOS ESTADO UNIDOS, ORA DA FRANÇA, ORA DA ITÁLIA, ORA DA INGLATERRA E AGORA DA RÚSSIA. TEMOS VISTURAS VW, FORD, TOYOTA, LAND ROVER, FIAT, RENO, LEOPARD 1A, LEOPARD 1A5, M60, M41, E POR AÍ A FORA POIS AS COMPRAS SÃO SEMPRE DE OCASIÃO E OBEDECEM A INTERESSES POLÍTICOS E OUTROS MAIS OBSCUROS. DIZEM OS ESPECIALISTAS QUE PARA CADA SOLDADO NA FRENTE DE BATALHA SÃO NECESSÁRIOS PELO MENOS DEZ SOLDADOS NA RETAGUARDA PARA PROVER O APOIO LOGÍSTICO. IMAGINO EU, EM FACE DA VAREIDADE DE MARCAS E MODELOS DE MATERIAL, QUE SEJA IMPOSSÍVEL SE PROVER LOGISTICAMENTE UMA SIMPLES BRIGADA EM OPERAÇÃO. IMAGINEM QUE TAMANHO TERIAM QUE TER OS NOSSO BATALHÕES LOGÍSTICOS E DEPÓSITOS DE SUPRIMENTO E A QUANTIDADE DE PESSOAL PARA ATENDER A TAMANHA VARIEDADE DE SUPRIMENTOS. ESSE TIPO DE "ESTRATÉGIA" ME CAUSA IMPRESSÃO, PRINCIPALMENTE POR QUE VEJO PAÍSES MENORES, MAIS POBRES, QUE NÃO TÊM NEM DE LONGE A EXPECTATIVA POLÍTICA E ECONÔMICA DO BRASIL, COMO ARGENTINA E CHILE, FAZENDO EXATAMENTE O CONTRÁRIO, UNIFICANDO A SUA CADEIA DE SUPRIMENTOS E ADQUIRINDO MATERIAIS DO MENOR NÚMERO POSSÍVEL DE FORNECEDORES, COMPRANDO BLINDADOS QUE USAM O MESMO MOTOR E O MESMO CHASSI. PERGUNTO, SERÁ QUE OS NOSSOS CHEFES ESTÃO PREOCUPADOS COM ISSO???

BOCA-BRABA

Anônimo disse...

PQP !!!! COMO OS SOLDADOS VÃO ENTENDER RUSSO... CONSEGUIR OPERAR AS PEÇAS ... DESMONTAR ENTÃO.... QUE TAMANHA BOSSALIDADE. SOMENTE PRA PUXAR O SACO DOS COMUNA IGUAL A ESSE ATUQL GOVERNO.

Anônimo disse...

É MELHOR TRANFERIR A TECNOLOGIA DIRETAMENTE DOS EUA . É TUDO PIRATEADO DE LÁ MESMO!

Anônimo disse...

Quem irá fazer a manutenção de tais equipamentos? Não temos mais mecênicos de armamento e técnicos em eletrônica com motivação para fazer cursos. A EsLog só falta pedir favor para que militares sejam voluntários para cursarem os cursos da escola.
Já até vejo o que ocorrerá:
Meia dúzia de Coronéis e Capitães Engenheiros militares, Artilheiros e Mat Bel que servem em alguma Diretoria em Brasília serão designados para ficarem na Rússia aprendendo a operar o material por uns três meses ganhando pomposas ajudas de custos e no retorno todos esses militares permanecerão na Diretoria ou então um pedirá pra pegar uma fronteira, outro pedirá reserva, outro irá fazer Doutorado no IME, outro será aprovado num concurso público etc. Nenhum deles irá efetivamente operar o material ou ao menos passar o conhecimento para militares no Brasil, apenas viajarão para fazer turismo e ganhar dinheiro.
Após isso, os Russos mandarão meia-dúzia de militares ao Brasil para ministrar o mesmo curso para ST/Sgt designados sem serem voluntários, para que os mesmos aprendam a operar o material no mais curto prazo possível pois um mês depois o equipamento já deverá estar operando na segurança da Copa do Mundo, aí os ST/Sgt ouvirão a célebre expressão: "é uma missão UU, o equipamento tem que ficar em condições para ontem!". Ah,ah, ah, ah, ah!!!!!!! Duvidam que isso aconteça? Então esperem pra ver!

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics