12 de janeiro de 2013

Ex-aluno do Colégio Militar de Porto Alegre abandona curso de medicina e é aprovado no ITA

Jovem abandona medicina no 3º ano, presta vestibular e é aprovado no ITA
Alexandre, de 21 anos, manteve rotina diária de estudos das 7h às 20h.
Estudante agora vai trocar a UFRGS, no RS, pelo ITA, em SP.
Alexandre Mazzocato, de 21 anos, trancou o curso de medicina na UFRGS, fez cursinho e passou no ITA (Foto: Arquivo Pessoal)
Alexandre Mazzocato, de 21 anos, trancou o curso de medicina na UFRGS, fez cursinho e passou no ITA
(Foto: Arquivo Pessoal)
Ana Carolina Moreno
Um estudante de medicina do Rio Grande do Sul decidiu trancar a faculdade no terceiro ano para perseguir um sonho antigo: estudar engenharia em uma das instituições de maior prestígio do país, o concorrido Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), de São Paulo. Aos 21 anos, Alexandre Mazzocato se deu o prazo de um ano para colocar em pausa o curso de medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e voltar às disciplinas do ensino médio para prestar novamente o vestibular. "Resolvi investir um ano da minha vida para tentar isso. E deu certo", afirmou ele ao G1.
Alexandre conta que, apesar de ter a opção de trancar a faculdade de medicina e voltar a ela caso não fosse aprovado no ITA, a decisão de fazer um novo vestibular não aconteceu de uma hora para outra.
"Não foi uma decisão fácil, foram os últimos meses de 2011 e os primeiros meses de 2012 pensando. Inclusive eu já estava em aula no começo do ano [de 2012] quando decidi", disse o jovem de Porto Alegre, que no dia 20 se mudará para São José dos Campos, cidade a cerca de 100 quilômetros da capital paulista.
Formado no ensino médio pelo Colégio Militar de Porto Alegre, Alexandre conta que sempre teve vontade de estudar no ITA, mas, na hora de escolher o que prestar no vestibular, ele acabou optando por outra carreira. "Apesar de eu ter o sonho de fazer ITA, quando foi chegando no final do ensino médio, esse sonho tinha diminuído e eu já estava decidido pela medicina", afirmou.
Mesmo assim, ele não só conseguiu ser aprovado na primeira tentativa para o curso da UFRGS como também garante que gostou das aulas e acha a medicina "uma profissão fantástica". Por isso, Alexandre se deu o prazo de um ano para perseguir o sonho do ITA e, caso ele não desse certo, o estudante voltaria a buscar o diploma de médico.
Estudos das 7h às 20h
Para fazer o ano de estudos valer a pena, o jovem se matriculou no curso pré-vestibular Elite, onde recebeu bolsa integral graças a uma prova que fez em 2008, no terceiro ano do ensino médio, quando tirou a nota mais alta entre seus colegas.
As aulas no cursinho iam das 14h às 20h. "Mas eu tentava acordar às 7h todos os dias, não conseguia em todos, mas tentava. Levantava, tomava café e já começava a estudar, ficava até o almoço", contou Alexandre. Depois de comer, o estudante ia para o cursinho e dividia as noites entre as apostilas e a namorada.
"Sabendo administrar dá [para fazer as duas coisas]. A maioria do tempo que eu não passava estudando eu passava com a minha namorada", disse.
Alexandre credita seu êxito à carga horária dedicada aos estudos e recomenda aos estudantes que pretendem passar em vestibulares concorridos que não desanimem. "Tem que manter a cabeça erguida, se é isso mesmo que a pessoa quer, fazer um curso superior." Para o jovem, mesmo sozinho é possível estudar muito. "É a coisa mais importante, a carga horária e o esforço são fundamentais."
Eu perdi quatro anos entre aspas, porque não considero esses anos perdidos da minha vida"
Alexandre Mazzocato,
aprovado em engenharia
aeronáutica no ITA

Tempo 'perdido'
Já se passaram quatro anos entre a formatura do ensino médio e a aprovação no curso de engenharia aeronáutica. "Eu perdi quatro anos entre aspas, porque não considero esses anos perdidos da minha vida, são quatro anos acadêmicos não aproveitáveis." Ele afirma, porém, que não considera perdido o período entre 2009 e 2012 e que está feliz com a mudança de rumo que sua vida vai tomar aos 21 anos.
Os candidatos ao ITA fazem prova em 22 bancas examinadoras em 17 estados do Brasil. Pelas estatísticas do vestibular do ITA, Alexandre foi o único candidato aprovado em 2013 pela banca de Porto Alegre, entre 155 inscritos.
Suas aulas começam em 25 de fevereiro, mas os aprovados devem fazer a matrícula presencialmente às 10h do dia 20 de janeiro. No dia 21, segundo o calendário da instituição, terão início as atividades do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva da Aeronáutica de São José dos Campos, obrigatórias a todos os estudantes do instituto, mesmo os que não optem pela carreira militar.
Alexandre afirma que ainda não sabe onde pretende atuar depois da graduação. "Quando eu decidi [mudar de carreira], o meu sonho era ir para o ITA, e os fatores que me fizeram tomar essa decisão foram principalmente pelo ensino superior. Mas existem várias áreas, o ITA abre muitas portas", disse o calouro gaúcho.
G1 SP/montedo.com

Um comentário:

Ping disse...

Quem faz alguma coisa ganha experiência, conhecimentos.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics