14 de dezembro de 2012

Polícia prende assassinos de soldado do Exército em Cuiabá

Polícia Civil prende autores do assassinato de soldado do Exército Brasileiro

Cinco pessoas envolvidas no roubo seguido de morte de um soldado do Exército Brasileiro foram presas, na operação “Golcar", deflagrada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF), de Cuiabá, na quinta-feira (13). Todos tiveram mandados de prisão temporária (30), decretados pela Justiça.
O soldado Rodirley Fernando Faria dos Santos, 23 anos, do 9º Batalhão de Engenharia e Construção, do Exército Brasileiro, foi executado por Aparecido da Silva Saillys, 26, e seu primo, José Nilton Scandian, durante roubo no dia 26 de maio deste ano.
Por suspeita de envolvimento no crime também foram presos Antônio Jackson Queiroz de Souza, conhecido por “Gordão” “Java” ou “Jaba”, que possui passagem pela polícia por roubo e formação de quadrilha, e Elson Sebastião Rosa de Jesus e Anderson Almeida Maria, com registro criminal pela prática de roubo. Os três foram presos na manhã desta sexta-feira (14).
O investigado Anderson Almeida Maria era cunhado da vítima e saiu da prisão em maio deste ano. Ele, Elson e Anderson são apontados como mentores do roubo. De acordo com a polícia, Elson foi quem monitorou os passos da vítima até minutos antes do crime e sabia que a vítima havia recebido um dinheiro.
Em interrogatório, Antônio Jackson, negou envolvimento no crime, afirmando que o “jogo de roda do carro dele era velho e o som não prestada. O carro dele não passava de 60 km/horas. Pra que eu iria roubar isso?”

O crime
Acompanhado da namorada e mais duas crianças dentro de um veiculo, o soldado foi abordado por dois criminosos armados, que chegaram em uma motocicleta e anunciaram o roubo. A vítima esta dentro do carro estacionado em frente uma lanchonete no Bairro Novo Horizonte.
Um dos acusados tentou fugiu com veículo da vítima, mas o veículo apresentou problemas mecânicos. A vítima tentou detê-lo, momento em que entraram em luta corporal e o acusado desferiu três disparos contra a vítima que foi socorrida até o pronto socorro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no dia 9 de junho.
O veículo da vítima foi abandonado no dia seguinte, em uma região de chácaras, no Bairro Doutor Fábio. O carro foi localizado sem o jogo de rodas, sem a aparelhagem de som automotivo e o aparelho celular da vítima.
A Polícia Civil iniciou as investigações, a partir de cartões de créditos deixados pelos bandidos no carro. Uma testemunha também foi fundamental na solução do crime. Ela reconheceu Aparecido e afirmou que foi ele quem efetuou os disparos contra a vítima.
Outra pista que ajudou nas investigações foi o fato da vítima antes de morrer ter pronunciado a palavra “espeto” para a namorada. O acusado Aparecido da Silva Saillys trabalha em um “espetinho” de carne, no bairro Alto da Serra, juntamente com o seu primo José Nilton Scandian.
Nas diligências, a delegada Elaine Fernandes apurou que o planejamento, a execução e a receptação dos objetos roubados da vítima estavam todos no circulo de amizade da vítima.
24 Horas News/montedo.com

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics