18 de dezembro de 2012

O fundo do poço

Carlos Augusto Fernandes dos Santos*
Não faz muito tempo, inúmeros ministros, chefes de pastas importantes da República, foram demitidos pela Presidente Dilma ROUSSEF, todos nomeados por ela no início do seu governo. Muitos deles , segundo informações divulgadas pela imprensa, herdados do governo anterior, por imposição do ex-presidente LULA. As irregularidades que motivaram a atitude extrema da Presidente foram esquecidas pela sociedade e continuam guardadas na lixeira do esquecimento, como se nada houvesse acontecido.
No início do mês de dezembro, o Caso Rosemary preencheu amplos espaços da imprensa do país, mostrando irregularidades ( nepotismo, favorecimento,....) cometidas pela chefe do escritório da Presidência da República , na cidade de São Paulo , que gozava de discutível intimidade e que , por longo tempo, secretariou o ex-presidente da República , em inúmeras viagens presidenciais. Tão graves foram os fatos apurados pela Polícia Federal que a presidente, não teve outra alternativa, senão demitir imediatamente os envolvidos em mais um escabroso caso. Inúmeros indivíduos foram indiciados e terão que responder na justiça pelos crimes cometidos.
Hoje, 17 de dezembro de 2012, o Supremo Tribunal Federal, encerrou o julgamento da Ação Penal 470, popularmente conhecida como MENSALÃO, proclamando a responsabilidade de governantes e políticos ligados à base governamental , da qual fazia parte, em cargo importante, a atual presidente . O Acórdão a ser publicado, divulgará as penas a que foram condenados os diferentes réus, todos ligados ou pertencentes aos partidos que apoiavam o governo LULA. Nenhum deles pertencia à medíocre oposição, que se mostra cada vez mais incompetente e incapaz que exercer sua necessária e importante função política.
Para surpresa dos cidadãos contrários a esse lastimável estado de coisas, ontem, os jornais do país divulgaram pesquisa com altos índices de aceitação dos dois governantes , mostrando que se a eleição de 2014 ocorresse agora, o ex-presidente e a atual mandatária, ou qualquer um deles, seria eleito no primeiro turno. Deduz-se da pesquisa , que para a maioria dos indivíduos consultados , não há qualquer responsabilidade de nenhum dos dois governantes ; parece até que a nomeação, as escolhas dos ministros e de todos aqueles que ocuparam os cargos governamentais e que foram sumariamente afastados , não são ou foram da responsabilidade dos presidentes que nos governam há dez anos. Só faltava o desplante de mantê-los nos cargos, diante das evidentes irregularidades.
O atual posicionamento de lideranças políticas ( de diferentes partidos da base aliada ), a notória arregimentação de militantes e suas declarações, tentando encobrir evidências , em operações coordenadas para abafar as irregularidades e outras com o intuito de desqualificar o resultado do julgamento recém concluído, mostram a face sombria da atual representação política que representa a vontade maciça da população brasileira.
Entristece constatar que a esperteza, o “vale-tudo” e a alienação estão impregnados no comportamento de compatriotas que não demonstram qualquer compromisso com a ética política. Perdemos o senso de julgamento e caminhamos, ao que tudo indica, celeremente para adoção do “PARTIDO ÚNICO”. Decência, honradez e todas as demais virtudes republicanas parecem não constar mais do dicionário de parcela expressiva do povo brasileiro . Será que chegamos ao fundo do poço?
*General Reformado

4 comentários:

Anônimo disse...

O nome é TOTALITARISMO. Faz-nos relembrar os caminhos trilhados por Hitler Nazista na alemanha e a situação à qual foi conduzida aquele país nos idos da 2ªGG. Isto é, nada disso é novo.

Anônimo disse...

Infelizmente, prezado general, ainda não chegamos ao fim do poço. Se já tivéssemos estatelado toda a nossa moral, vergonha e pudor no fundo desse poço de lama poderíamos, talvez, começar a nos reerguer, escalando o poço e reconstruindo toda nossa sociedade, de forma justa e honesta. Creio que ainda não é o caso. Nossa sociedade ainda irá descer muito mais, degenerando-se de maneira vil e vergonhosa... Infelizmente!
1º Sgt da ativa

Anônimo disse...

Prezado General,estamos perto do fundo do posso, o aparelhamento do PT dentro do Governo é muito grande, no congresso,nos ministérios,nas Agencias reguladoras,BB,Petrobras,tudo, só tem Petralha, no STF falta pouco é mais uns 3 ministros que coloquem lá domina a mais alta corte do Pais,com estes 3 Patétas comandantes das nossas forças estamos sem força são Generais Melâncias "verde por fora..vermelho por dentro" então estamos caminhando para ser mais um Pais "Boliváriano" tem eleições mas só eles ganham...triste fim de um Brasil Brasil..seremos Bolivarianos logo logo....pois Petralha não é corrupto,não rouba..ele tem desvio de conduta..rss

Joubert Freire

Anônimo disse...

Prezado general, por acaso o Sr. é o Gen Santos, da turma do ex-Cap Lamarca? Bom, mesmo que não seja, o Sr. certamente viveu intensamente o período da subversão e da luta armada, nas difíceis décadas de 1960/70. Pois é, general, combatemos os inimigos e vencemos a guerra. É certo que cometemos erros no processo, violências, exageros... Mas aprendemos com os erros, o Exército de hoje é uma Força muito mais evoluída que naqueles dias, muito embora o compromisso com a nação tenha sido mantido inalterado... Mas hoje somos retratados como os grandes vilões, os "facínoras e torturadores" que tentaram submergir o país e foram "impedidos" pela guerrilha, que lutava por "democracia e liberdade"... A história foi completamente invertida e a juventude de hoje em dia tem se mostrado incapaz de, indo aos fatos, pelo estudo e pesquisa das fontes históricas primárias, formar uma opinião mais isenta sobre o que realmente aconteceu naqueles duros dias... Eu me pergunto: onde erramos, general? O que nos fez, após a redemocratização, descer a esse ponto e permitir que nos submetam, como militares e cidadãos, a tão aviltante situação? O país está indo para o ralo e parece que ninguém se dá conta disso. O estamento militar brasileiro vem sendo corroído e neutralizado, enquando nossos atuais chefes declaram abertamente, à imprensa, que está "tudo bem", que os militares estão "felizes e satisfeitos". Já cansei de ouvir nas nossas formaturas, de diversos generais da ativa, a famosa frase "Se não está satisfeito, vá embora". Então é assim? O Exército se tornou uma corporação incapaz de cuidar dos seus integrantes? O que houve, general? O que aconteceu? Às vezes me pergunto se não teria sido melhor permitir (e até mesmo ajudar) a cubanização do Brasil. Pelo menos os países comunistas, via de regra, tratam bem melhor seus militares. Bem diferente do que se faz aqui. De uma coisa tenho certeza: esse povinho brasileiro não mereceu o sacrifício. E continua não merecendo. O sofrimento é consequência - cada povo tem o governo que merece. Desculpe o desabafo, comandante. Um abraço.

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics