22 de dezembro de 2012

A farsa, a pantomima e o deputado

Carlos Chagas

Adaucto Lúcio Cardoso
Marx afirmou, Lênin repetiu: a História só se repete como farsa. Em 1966, Castelo Branco cassou o mandato de mais três deputados, às vésperas da instalação de uma Assembléia Constituinte fajuta, convocada pelo Ato Institucional número 4. O primeiro marechal-presidente havia prometido ao presidente da Câmara, Adaucto Lúcio Cardoso, que não cassaria mais parlamentares, em homenagem à nova Constituição a ser feita. Terá sido pressionado pela linha-dura, cedeu e viu eclodir a crise. Adauto não aceitou o gesto truculento e continuou dando a palavra aos três deputados. Por uma questão de cautela, pediu que se transferissem para a enfermaria da casa, onde passaram a dormir e a fazer as refeições. Seguiu-se a invasão do Congresso por tropa armada, liderada pelo coronel Meira Matos.
Merece ser reproduzido o diálogo entre o militar e o presidente da Câmara, cercados por soldados de fuzis embalados:
- Alto! Quem vem lá?
- O senhor, quem é?
- Sou o poder civil, e o senhor?
- Sou o poder militar!
- Curvo-me diante da força e cumprimento os fuzis!
As palavras de Adaucto, pronunciadas em meio a uma reverência maliciosa, eram as mesmas ditas por Antônio Carlos Ribeiro de Andrada, em 1823, quando por ordem de D. Pedro I os militares fecharam a primeira Assembléia Nacional Constituinte de nossa História.
O episódio engrandeceu o Congresso, apesar do triste resultado. Os três deputados foram presos e perderam os mandatos.
Marco Maia, o boquirroto
Agora vem a farsa. O atual presidente da Câmara, diante da cassação de três deputados por sentença do Supremo Tribunal Federal, arvora-se em repetir o episódio anterior. Quinta-feira, quando se duvidava da prisão imediata dos deputados condenados por corrupção, o deputado Marco Maia ofereceu-se para abrigá-los nas dependências da Câmara, insurgindo-se contra a possível aplicação da lei pelo ministro Joaquim Barbosa. Em nenhum momento a situação foi a mesma, a ditadura saiu pelo ralo, mas o representante gaúcho embaralhou as cartas e procurou confundir-se com o ilustre antecessor de 46 anos atrás. Não conseguiu. Apenas encenou uma pantomima...
Cláudio Humberto/montedo.com

8 comentários:

Anônimo disse...

O Que É Isso Companheiro.
Por essas e outras que o MRV8 existiu.

Anônimo disse...

E dizer que um sujeito desses, presidente da Câmara dos Deputados AINDA TEM A PETULÂNCIA DE FALAR EM DEMOCRACIA! OS CARAS SÃO LADRÕES DA PIOR ESPÉCIE, INTEGRANTES DE QUADRILHAS INSTITUCIONALIZADAS, E ESSE INSANO AINDA QUER ABRIGÁ-LOS NO SEIO DO CONGRESSO? Só poe ser brincadeira!

Anônimo disse...

SE fosse acatada pelo presidente da câmara, Marcos maia, a "decisão" do pstf, de prender os deputados, significaria que ele estaria aceitando o 'golpe paraguaio" que as elites, a extrema-direita e principalmente a grande mídia, capitaneados pela globo, veja e estadão, que de forma ardilosa e sorrateira, usando o pstf, tentaram aplicar contra o estado de direito democrático no Brasil e que também, quase certeza, são insuflados e contavam e contam com ajuda de "fora" de nossas fronteiras.
Recuaram!
Porque o povo deixou bem claro que não passariam.
Não daria certo! Não existe mais "espaço" para esse tipo de "manobra" em nosso país. Não somos mais uma republiqueta tipicamente exportadora de bananas onde os mais ricos, as oligarquias, a classe patronal e as elites "dão golpes" com facilidade para atenderem à seus interesses econômicos e tudo fica por isso mesmo. joaquim barbosa (minúsculo mesmo) entendeu que estaria dando um passo arriscado demais cometendo tamanha afronta à democracia. Foi sábio no final.
Não é atribuição do stf (agora pstf à serviço da grande mídia, principalmente das 4 "famiglias" que dominam toda a informação no Brasil- os marinho, os frias, os civita e os mesquitas).
A constituição é clara! Eleito pelo povo com milhares ou milhões de votos só pode ser "cassado" pela própria casa, o congresso nacional, mais ninguém "cassa". Se "alguém" o fizer é golpe e o povo brasileiro sabe disso
e nunca mais aceitará tamanha afronta à nossa pátria.
Brasil, sempre!

Anônimo disse...

Renato Janine Ribeiro contesta Celso de Mello e diz que o artigo 55 da Carta Magna é claro: quem cassa parlamentares é o Poder Legislativo, e não o Judiciário; marcha da insensatez pode dar vazão a represálias, como o eventual processo de impeachment contra alguns ministros da suprema corte.

Obs: É considerado um dos maiores intelectuais brasileiros da atualidade

Anônimo disse...

Ao anônimo de 22 de dezembro de 2012 23:06:
Rapaz, você está raciocinando com o fígado ou é membro da quadrilha! Uma vez condenado, o cidadão, ou melhor, nesse caso, os maiores ladrões de dinheiro público da história desse saqueado país, uma vez condenados, perdem automaticamente os seus direitos políticos. O barbudinho de araque, advogado do diabo, mandalete do sapo barbudo e presidente do clube do balcão de negócios (conforme dizia o Lula, maior larápio da história da humanidade cujas palavras ditas por ele reproduzo abaixo)agora quer abrigar seus camaradas bandidos no seio do Parlamento. Faça isso, Marco 'Zélaya', faça isso!Quero ver se você rasga dinheiro! Faça isso!!1

Abaixo transcrevo o que o candidato Lula pensava do Congresso. E o pior é que ele estava certo.

O LULA CANDIDATO E SUA OPINIÃO SOBRE O CONGRESSO: “Eu acho que o parlamento brasileiro funciona como uma espécie de bolsa de valores. A verdade é que as pessoas de boa índole, as pessoas sérias, as pessoas comprometida com as suas concepções ideológica são minoritárias no Congresso. Aquilo é um balcão de negócio”.

O peixe e os mentirosos morrem pela boca1

Anônimo disse...

Só complementando, vejam o que pensava Lula, o grande chefão de todas as maracutaias 'dessepaiz', QUANDO ERA CANDIDATO:

Dito por Lula, há 15 anos atrás.

SOBRE JÂNIO: “Sabe, o populista barato, o autoritário, o que acha que as pessoas tem que ter um chefe que mande, que dê ordem, que use a chibata, sabe, que não tem respeito pelas pessoas, que grita com o jornalista, que ofende os adversários… Eu, pela minha formação política, jamais me prestaria a ser um político desse tipo”.

SOBRE FERNANDO HENRIQUE: “Quando é que a pessoa começa a ficar ditador? É quando a pessoa se sente superior aos demais…sabe, quando a pessoa se sente superior às instituições, às organizações da sociedade civil, quando a pessoa começa a entender que não precisa ouvir mais ninguém, quando a pessoa só tem boca, não tem ouvido, a pessoa começa a ficar com atitude de ditador”.

SOBRE O CONGRESSO: “Eu acho que o parlamento brasileiro funciona como uma espécie de bolsa de valores. A verdade é que as pessoas de boa índole, as pessoas sérias, as pessoas comprometida com as suas concepções ideológica são minoritárias no Congresso. Aquilo é um balcão de negócio”.

CONCLUSÃO: ESSE É O "CARA!"

Anônimo disse...

Barbosa deve ter ficado sabendo da destituição recente de 4 juizes da Suprema Corte de Honduras; deve ter ficado ccm receio da reação de seus próprios pares já que tentou usurpar as atribuições do plenário da corte em conluio com Gurgel; deve ter ficado com receio do Levandowisk – que é o vice presidente da corte e, portanto, aquele que apreciaria um eventual HC, concedê-lo sem mais delongas e ele passar vergonha institucional; deve ter ficado preocupado com a reação do Congresso Nacional que já havia avisado que peitaria a decisão; deve ter ficado com receio de criar mais um precedente para os petistas somarem à tese se julgamento politico e de exceção; deve ter ficado sabendo da reação dos acadêmicos juristas da USP e do Largo de São Francisco que o criticaram duramente; e, enfim, deve ter ficado preocupado em ser responsável por uma crise insitucional séria entre Legislativo e Judicário, crise esta da qual poderia não sair ileso, já que cabe ao Senado processar e destituir os ministros do STF por crime de responsabilidade.

Anônimo disse...

Caro Montedo , penso ser oportuno o senhor investir-se na candidatura à deputado federal em 2014 . O senhor pode , por exemplo , filiar-se ao recém-criado Partido Militar Brasileiro (PMB).Acredito que não somente terá apoio de considerável parcela das FA , como também de todos os brasileiros que desejam ter um representante íntegro , pacífico e menos eloquente ( vide Bolsonaro ). Meu voto já tem ! Douglas Henrique , 21 anos , civil .

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics