4 de agosto de 2010

ESPCEx TERÁ QUE ACEITAR BAIXINHOS, CASADOS E MULHERES!

O Ministério Público Federal em Goiás conseguiu liminar na Justiça Federal para que o Exército retire as exigências excludentes do concurso para 520 vagas na Escola Preparatória de Cadetes do Exército (Espcex). Dessa forma, a seleção não poderá mais exigir que o candidato tenha entre 16 e 21 anos, seja do sexo masculino, com altura mínima de 1,60m e seja solteiro, como prevê o edital de abertura, diz o MPF.
A liminar atende o pedido do MPF de GO em ação civil pública movida pela procuradora da República Mariane Guimarães. Pela decisão judicial, as cláusulas excludentes estão suspensas. Com isso, o Exército deverá reabrir o prazo de inscrições por mais 15 dias aceitando os candidatos que não se enquadram nas exigências.
De acordo com o MPF, a procuradora acredita que as “as exigências caracterizavam descumprimento de preceitos constitucionais, como o princípio da legalidade, ao criar requisitos não previstos em lei, e o princípio da isonomia, ao estabelecer critérios discriminatórios ilegítimos no regulamento do concurso."
A Escola Preparatória de Cadetes do Exército, responsável pelo curso, disse que ainda não foi comunicada oficialmente sobre a decisão.

40 comentários:

Anônimo disse...

È uma falta de respeito muito grande com quem vem se preparando fielmente para a realização deste concurso!o exército não esta infrigindo a constituição quando se trata da formação de possiveis combatentes estipulando idade,sexo ou altura.Esta procuradora não imaginou no tamanho do problema que esta causando não só a quem disputará,como sempre foi, a prova da espcex mais sim a toda a nação!

karikamiyadigivice disse...

kaká disse...
mas antônio, vc tem q entender que nós vivemos numa democracia!! é direito de nós mulheres conquistar espaço na vida militar. e por que esse preconceito não só com as mulheres, mas com os baixinhos e casados??? ora, quem não quer estar com 25, 26 anos e ter um emprego certo como esse? essa senhora está é muito certa eu a apoio!!!

Anônimo disse...

exército é coisa de homem

Anônimo disse...

Sou militar e concordo com o caso das mulheres, dos casados e dos maiores de 21. Imaginem uma mulher em boas condições de saúde, com 23 anos e casada, pode muito bem servir a nação como oficial. Quanto aos de menor estatura pode se rever a altura mínima, pois tem muitos que tbm podem servir.

Anônimo disse...

Existem áreas previstas para mulheres no exército
Áreas as quais as mulheres cumprem com perfeição e qualidade suas funções!
Mas a área que trata a espcex e a aman é principalmente a parte combatente, a qual é focada nas atividades masculinas!
A questão dos baixinhos é mais para evitar futuros transtornos, como na direção de blindados e até de aeronaves.
Os casados estariam privados de fazer o concurso porque os casados não entrariam na vida militar buscando a atividade militar, e sim um emprego comum, e a dedicação de 5 anos de formação poderia estar comprometida.
O exército abre diversas portas para o serviço de diversos tipos de profissionais, mas certas áreas são ocupadas por certas pessoas, e um político paizano não tem a noção do recurso humano necessário na academia, acho que o edital é montado por profissionais, e em momento nenhum ele usa de preconceito, ele simplesmente busca selecionar apenas os mais capacitados para a função.
O serviço militar não deve ser visto como um reres emprego mas sim como um sacerdócio ao qual o militar se dedica 24 horas por dia 365 dias por ano, e aqueles que não entram nos requisitos da espcex deveriam procurar uma outra área do EB para servir.

Anônimo disse...

acho q para mulheres não é tanto problema, mas quanto aos baixinhos... pode ser ridiculo imaginar, mas a EsPCEx forma futuros combatentes de GUERRA,então poxa, imaginem um cara anão com um fuzil maior do que ele, no meio de um combate, sendo que poderia estar outro em seu lugar. Eu tenho 1,63m e me enrolo todo com um fuzil, seja pelo tamanho ou peso... imaginem um homem ou uma mulher que tem 1,50m ou 1,40m. Os casados não há problema algum, mas uma pergunta que eu faço e isso é diretamente para as mulheres, mesmo que consigam ingressar na EsPCEx, vão conseguir aguentar os 4 anos de AMAN, que são incontáveis vezes pior que a Prep???

Anônimo disse...

ah, mas acho que deve abrir outras areas sem ser infantaria para mulheres, como na AFA --'

Luiz Roberto disse...

Porque eu não me surpreendi quando vi que a iniciativa partiu de UMA PROCURADORA, uma representante do segmento jurídico, que pouco ou nada conhece das peculiaridades da profissão das armas? Não se trata de vedar o ingresso às FFAA para as mulheres, visto que o segmento feminino já tem ingresso aberto há mais de vinte anos e vem desempenhando de forma muito proficiente as suas funções na ÁREA COMPLEMENTAR E DE SAÚDE. Esse é um dado pacífico na questão. Agora, dizer que o segmento feminino está em condições de desempenhar funções na área combatente, é no mínimo, temerário sim. É mais um sintoma do "ativismo jurídico" que vem permeando há anos, várias decisões judiciais em estâncias inferiores, e que, ao invés de considerar as necessidades coletivas e imponderáveis da sociedade, em detrimento delas, favorece os interesses individuais, maquiados como "defesa de minorias" e outras nuances obscuras. Há uma leitura muito boa para a reflexão sobre esse tema e, em que pese o caráter eminentemente "machista" do proprietário do blog, eu recomendaria, para jogar um outro ponto de vista a ser considerado:

http://silviokoerich.blogspot.com/search/label/S%C3%A9rie%3A%20O%20desastre%20de%20mulheres%20na%20pol%C3%ADcia%2Fex%C3%A9rcito

A minha própria experiência de ter trabalhado exclusivamente em organizações militares de corpo de tropa, desde que me formei, me faz acreditar piamente no que digo: quem afirma que as mulheres, em sua grande maioria, estão em condições de exercer funções na área combatente, nunca pisou numa unidade de corpo de tropa. Ano após ano, incorporamos médicas, dentistas e outras profissionais que não suportam fisicamente realizar um exercício de dois dias no terreno! Ninguém me contou isso, senhores. Como dizia Camões, é "vendo, tratando e pelejando" que se conhece as características da profissão militar. Eu vejo isso todos os dias. Fica a reflexão.

disse...

Militares são aqueles que realizam com seriedade,responsablidade e eficiência a parte que lhes cabe na construção do progresso e na defesa do Brasil,independentemente de sua cor,GENÊRO,altura,estado civil e credo!

O Anônimo disse: vão conseguir aguentar os 4 anos de AMAN, que são incontáveis vezes pior que a Prep???

Bem,aqueles que estão dentro da instituição e não desempenham as ordens a que lhe forem dadas,será desligado.Isso funciona para os HOMENS que ali estão!Também assim funcionaria se as mulheres ingressassem na PREP e na AMAN.

Meu sonho desde pequena SEMPRE foi a AMAN.Até o dia em que eu descobri que mesmo vivendo numa DEMOCRACIA,ainda não era permitido o ingresso de mulheres na EspcEx.

Assim como na AFA,mulheres não desempenham o papel de combatente.Concordo que elas não seriam de INFANTARIA e nem CAVALARIA,porém existe MAT.BÉL,COMUNICAÇÕES,ENGENHARIA,INTENDÊNCIA e etc ...

Entendam,os tempos mudaram!!!

BRASIL ACIMA DE TUDO!

rodolfo soares disse...

isso e uma palhaçada!!!muita falta de respeito!!!
na espcex so os fortes sobrevivem!!!naum e passeio naum e o inferno!!!

disse...

BRASIL!

Ricardo Montedo disse...

Ao leitor Luiz Roberto:
Não pude publicar seu último comentário, pois o mesmo veio com o texto repetido várias vezes.
Peço que o reenvie.
Grato pela visita.

Marianna disse...

Venho dizer a todos, que no país onde vivemos é pregado que todos tem direitos iguais, mais aonde estão esses direitos ?.
Não acho errado que as mulheres ocupem um lugar no exército até porque TEMOS DIREITOS IGUAIS.
Para o fato da idade, acho que qualquer idade poderia entrar aliás uma criança tem o mesmo direito de um idoso e assim vai !
ACHO ESSE PRECONCEITO DE VOCÊS UM ABSURDO!
SE NA CONSTITUIÇÃO DIZ QUE TODOS SÃO IGUAIS, ENTÃO QUE ESSAS OPORTUNIDADES SEJAM ABERTAS A TODOS !!.
por Mariana Bemfica

Luiz Roberto disse...

As mesmas pessoas que gostam de apregoar que Constituição Federal garante a igualdade de todos perante a lei - o que é uma verdade pacífica - esquecem que a MESMA CONSTITUIÇÃO assentou as bases do Direito Administrativo e estabeleceu a DISCRICIONARIEDADE do administrador público, a qual deve ser aplicada nas situações específicas para o atendimento da NECESSIDADE COLETIVA. Aliás, esse é outro conceito que parece ser desconhecido por essas mesmas pessoas, que gostam de maquiar a defesa de seus interesses individuais como "violação à democracia" ou "defesa das minorias". É muito mais fácil dizer que todos são iguais e que as instituições são arbitrárias, não é mesmo? E a manutenção da segurança nacional, fica aonde? Então vamos lá: se as mulheres se acham tão capazes de atuarem nos quadros combatentes, por que eu não as vejo empenhadas em alguma campanha pelo serviço militar obrigatório para as mulheres também? Uma diz: "Meu sonho sempre foi a AMAN." Pois então, torne-se professora, faça um concurso para a EsAEx e vá integrar o corpo docente na AMAN. Mas não me venham falar em preconceito onde ele não existe!

Anônimo disse...

concordo e discordo algumas paltas relatadas,mas fui combatente no exercito brasileiro e quer saber eu não me inrolei nem um pouco com o fusil,tenho 1,63.qualquer area militar na maioria todos que ingressa é por ser fanatico,e eu discordo de casado (a) possa ficar fora,na minha opinião o salario pode ser o interesse de muitas coisas mas a profissão não é uma qualquer tenho muito orgulho de ter sido combatente para defender meu pais,sera que o nosso pais olha pra gente da mesma forma claro que não mesmo assim damos o sangue para defender por que isto, porque amamos de coração todo cidadão é merecedor de uma oportunidade é isso que aprendi,mas aqueles que estragam a instituição deve ser discartado da mesma.tanto do sexo masculino e feminino,

Anônimo disse...

tenho 22 anos,ja fui militar do exercito brasileiro,tenho alguma possibilidade de ingressar em alguma escola preparatoria, como por ex.Infantaria que é o que mais gosto gostaria de que alguem me respondesse,muito obrigado.

Karen disse...

MULHERES CONCLUEM CURSO DE SOBREVIVÊNCIA NA SELVA DO EXÉRCITO BRASILEIRO.

Para os que afirmam que as mulheres não tem capacidade para encarar A VIDA de cadete da AMAN. FIBRA, CORAGEM E VONTADE DE LUTAR muitas mulheres possuem para concluir o curso, e estou falando de vocação, não apenas capacidade física e psicológica.

BRASIL ACIMA DE TUDO!

Luiz Roberto disse...

Karen, já coloquei a minha proposta: quando as mulheres fizerem uma campanha pelo serviço militar obrigatório também para elas e quando tivermos a primeira mulher "Comandos" do Exército Brasileiro, aí a gente volta a falar nesse assunto, beleza? Concluir um COS que é voltado eminentemente para o pessoal da área de saúde (quem é profissional sabe do que estou falando, quem não é, não fale M*), não prova nada nesse sentido. Querer as benesses da vida de oficial ou de sargento é muito fácil e eu não sou nenhum soldado recalcado para falar isso, antes que alguém diga, eu sou capitão, formado na AMAN, com quase 13 anos de serviço, então não sou nenhum amador, eu sei do que estou falando. Mais de 90% das mulheres não aguentariam um mês, quiçá uma semana, sendo formadas como um simples soldado recruta de comunicações (não se ofendam comunicantes, só pra citar um exemplo), que eu formo na minha Bateria como militar mobilizável. Todas as que eu vi até hoje passarem na caserna não aguentam fazer 50 minutos consecutivos de ordem unida! Agora porque duas enfermeiras concluiram um COS, que não é o mesmo COS que o pessoal combatente faz, já se acham as "mulheres maravilhas"? Faça-me o favor... Estão vendo muito filme da Demi Moore...

Anônimo disse...

Trave uma batalha entre os combatestes da AMAN e as mulheres do Exército Norte Americano, a AMAN seá humilhada. O melhor combatente é o que domina a ciêcia e tecnologia.

Luiz Roberto disse...

Aham... Tá bom, então "Anônimo" (que nem peito para se identificar tem). Essa sua frasezinha de efeito não é o que se ouve dos muitos militares norte-americanos que vem em visita ao Brasil, para conhecer as escolas do Exército Brasileiro. Há inclusive um vídeo sendo veiculado no youtube, por sinal, sobre as primeiras guerreiras de selva do EB, no qual um general norte-americano reconhece a superioridade da FORMAÇÃO do combatente de selva no Brasil e do militar brasileiro. A sua frasezinha não é o que se ouve nos relatos dos nossos colegas de outras nações (inclusive dos EUA) ao falar da superioridade do PREPARO dos nossos recursos humanos, em participação nas missões de paz da ONU (vide Haiti). Aliás, você sabia que o Brasil foi campeão da última edição do Força Comandos, em 2009, competição essa que é realizada entre tropas especiais de vários países americanos, incluindo os EUA? Formação e preparo é diferente de EXPERIÊNCIA, vamos combinar assim? Eu me indigno com essas pessoas de fora do meio militar ou que, no máximo, prestaram seu serviço militar obrigatório em algum "B Fax" da vida, que devem ler alguma revista tipo "Segurança e Defesa" e se acham, por isso, com bagagem suficiente para depreciar as FFAA brasileiras. Tenho dito e ponho por fim minhas palavras e meus comentários neste tópico, porque contra ideias pré-fabricadas e tendentes ao preconceito, de mentes fechadas, não adianta explanar fatos e estatísticas que provem o contrário. Que Deus abençoe a todos e conceda a todos o bom empreendimento de seus propósitos!

Anônimo disse...

competição nao quer dizer nada.Missão de paz contra desnutridos e famintos ?. O que fará os campeões do EB quando o Brasil for bombardeado com toda sorte de explosivos. Exército Brasileiro teu braço é muito curto e vossa mão está quebrada

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=mJfjrSVXFIs

Um Exercito de verdade

Giovanna Montierre disse...

O Anônimo disse: vão conseguir aguentar os 4 anos de AMAN, que são incontáveis vezes pior que a Prep???

Mulheres frágeis existem...Mas também existem mulheres com mais garra que muitos homens...
A verdade é que o machismo ainda toma conta do pais...e o exercito sabe que uma mulher no comando seria muito melhor que um homem...
jah conversei com varios militares que me disseram isso...
convivo com militares desde pequena e igressei no CMRJ...
A vida de militar não é fácil mesmo...percebo isso até hoje...estou em tempo de escolher oque fazer do meu futuro...
O exercito eh a minha paixão de hoje e sempre...
Se até a presidencia nós alcançamos porque não os mais elevados cargos do EB?
Não nos querem na AMAN porque tem medo de sermos melhores que eles...essa eh a verdade...
e duvido que alguém negue isso...
Geovana Vilaverde
BRASIL!

naudoninja disse...

estou vendo voces comentarem sobre o ingresso feminino nas fileiras de combate da infantaria do nosso exercito. pra ser simples, é so pegar uma mulher e dar pra ela o mesmo tratamento e treinamento e mesmos testes que os aplicados aos homens, sem mais e nem menso, se elas atenderem todos os requisitos, é sinal que ela é capaz de ser uma combatente sim, e voces terão que bater continencia pra elas, e se não conseguirem, voces as mandam de volta pra casa, pra suas vidas normais.
se voce não abre a oportunidade para as mulheres, fica como que voces tivessem algum temor que elas consigam se igualar aos homens.
e lembre-se de que independente de homens ou mulheres, todos nos temos no nosso coração o desejo de melhor servir a nossa pátria e defende-la contra possiveis agressores, ainda mais com a descoberta do pre-sal e das prosimidades de que nos logo possamos refinar todo o nosso petroleo. precisaremos da força de cada um dos brasileiros e brasileiras que pudermos, aja viston o que o tio sam tem feto com os paises arabes.
pode ser que falei de modo genérico, mas tenha certeza de que tenho razão. sein que é muito difícil o treino por que passam voces combatentes, outros também querem ser exemplo com voces, mesmo que na visão de voces eles nao sejam ideais para tal treino, deixem que a propria natureza do treino cuide da seleção de quem vai ou não servir.
Obrigada pela atenção,

Tulio disse...

Caraca...incrível
todas as mulheres reclamam direitos iguais..ok,então vamos lá...
1-se ingressarem vao tem que raspar o cabelo
2- vao ter que esquecer brinco,batom,etc
3-vao ter que fazer o msm numero de barra,flexão,corrida
4-vao ter que passar pelos mesmos treinamentos nas mesmas condições

saco um pouco do eb,e pelo que eu saiba as mulheres em tfm fazem 2km em 18 minutos,kkkkkkkkk,sou acima uns 10 kg acima do peso e faço isso caminho

entao,onde estão os direitos iguais???

Fabi Negreiros disse...

Querido, Túlio!!!
Tem muita mulher mais macho que muito homem!!!kkkk...
Já fui Policial Militar do Estdo de SP, e lhe digo que é força auxiliar do EB, logo o treinamento é o msm! Bom...o porquê de ter saído condiz com a falta de um bom salário...hehehehe...Eu era soldado!
Pois então, querido...fibra não me falta e se puder mulher msm...ouvirá falar em mim!
Pq terei o maior prazer em ser oficial do EB, servir essa nação e deixar muito marmanjo em corridas pra trás, como fazia na PM.
Na verdade, já corri e muito com um Aspira da AMAN (coisa que faço todos os dias...), o fato é que o próprio aspira, ficou pasmo em ver que corro mais que muito cadete que ele conhece!
Existem mulheres de fibra!
Vai ver que vc só topou com as fracas em sua vida!
=D

Anônimo disse...

Não acho justa essa decisão da justiça. As mulheres vivem reclamando que querem igualdade de direitos, e que também podem ser militares. Mas quando entram, querem diferenças pelo fato de serem mulheres. Até mesmo nos exercícios físicos. Se está no EB, porque não pode fazer as flexões como os homens fazem? Elas querem fazer flexões com os joelhos apoiados, pois são mulheres. E as flexões na barra, que pra elas têm que ser em menor número? Por que? Ah, são mulheres. NÃO CONCORDO! Querem ser militares? Pois façam o que o homem faz lá dentro e conquistem esse direito que tanto querem! No exército não existem homens ou mulheres, mas sim, militares, e tudo que o homem faz a mulher deveria fazer também. Quando vão para os exercícios no terreno: o homem rala, corre, rasteja.. E a mulher? Ah, é enfermeira, é médica, não pode.. NÃO CONCORDO!

Anônimo disse...

Meu sonho desde pequena SEMPRE foi a AMAN.Até o dia em que eu descobri que mesmo vivendo numa DEMOCRACIA,ainda não era permitido o ingresso de mulheres na EspcEx.

Assim como na AFA,mulheres não desempenham o papel de combatente.Concordo que elas não seriam de INFANTARIA e nem CAVALARIA,porém existe MAT.BÉL,COMUNICAÇÕES,ENGENHARIA,INTENDÊNCIA e etc ...

Entendam,os tempos mudaram!!!

BRASIL ACIMA DE TUDO!

Anônimo disse...

O Brasil precisa cumprir sua própria constituição:

"Somos todos iguais perante a lei!"

MULHERES NA AMAN JÁ!

emelly disse...

Sabe,na minha opinião o EsPCEx deve sim aceitar mulheres,pois vivemos na democracia e por isso temos direitos iguais,lógico q os homens possuem uma força maior que as mulheres,mas nem por isso nós mulheres devemos ser excluidas do EsPCEx e da AMAN!
Para o anônimo q diz q exercito é coisa de homem,eu digo para ele que ele está cometendo preconceito contra as mulheres,nós temos direitos iguais.
Servir a pátria é um direito de todos,e não é a altura,cor,raça,credo ou estado civil q vai impedir q todos nós possamos defender o nosso brasil!

Anônimo disse...

Bem, eu sou mulher e sonho em passar pela EsPCEx e depois AMAN. Não acredito que uma mulher não possa fazer bem o que um homem faz, podemos ser delicadas, parecer frágeis, mas há muitas formas de estarmos no exército. Assim como eu sonho em ter uma carreira militar, sei que muitas outras mulheres sonham com o mesmo. Aguentamos tantas coisas, somos capazes sim de realizar tal tarefa. Esses "requisitos" impediram muita gente de fazer aquilo que almejava. Todos sabem que há tanto o Exame Intelectual (EI) quanto Físico, e é necessário ser aprovado em ambos para entrar na EsPCEx. Sendo assim não há como serem aprovados candidatos "ruins". Acabo por aqui.

Leticia Thais disse...

Exército pode ater ser coisa para homem mais eu acho que nós mulheres deveríamos ter uma chance de mostrar o quanto gostamos desse trabalho.

Anônimo disse...

Exercito não é coisa somente para homens, senão não haveria tantas mulheres ocupando esse cargo. Se fosse só para homens, não aceitariam mulheres no colégio militar! Eu por exemplo estou no colégio militar, e lá eles nos preparam para seguir carreira militar ou não! existem muitos homens que se acham durões porque "dizem que aguentam exercito", grande coisa! Mulheres podem sim, entrar para a AMAN!

Anônimo disse...

Eu sou Capitão de Infantaria, e afirmo com certeza que as mulheres vão acabar com a disciplina na AMAN, assim como fizeram com o Colégio Militar, que é tudo hoje menos militar.
Que isonomia é essa que vai existir se os índices físicos das mulheres são mais baixos e mais fáceis.
Eu tenho 3 tenentes mulheres no meu quartel e não posso chamar a atenção delas da mesma forma que os homens por que elas choram
Quanto aos baixinhos, tudo bem, contanto que carreguem o peso normal, e não sejam um peso para os companheiros carregarem nas costas.
Quanto a idade nota-se a estupidez do judiciário,pois o aumento do limite de idade só vai gerar novos processos de reforma, se dos 18 aos 23 tem muita gente que sai quebrada da AMAN, depois desta idade vai sair todo mundo quebrado. A AMAN é dolorida e extensa, não é uma barbadinha de 3meses como o curso de alguns federais...

Major Rodrigo disse...

Nem vou me ater aqui ao fato do índice minimo de altura que é um requisito para combatentes. Quem é da área ou vive no meio sabe o motivo desse índice, as pessoas aqui estão falando em se enrolar com o fuzil,mas mandem um militar de infataria de 1,50 metros para o meio da amazônia com uma mochila de 20 Kg nas costas e manuseando um fuzil, e não pensem que é uma caminhadinha em terreno plano não , tem travessias de rio, etc...
Quanto ao ingresso das mulheres nas forcas armadas ou auxiliares este ingresso já existe. Já existem mulheres oficiais e a hierarquia é obedecida. Nenhum soldado sai dando esporro em tenente seja homem ou mulher. O que as pessoas tem que entender é que muitos exércitos já tentaram ter mulheres com formação combatente e não conseguiram, pelo simples fato da reação dos homens durante o combate. Um país qualquer que seja não suporta saber que uma mulher vai se torturada pelo inimigo, o que vocês acham que iria acontecer nessa situação? Quandos mulheres chegam em sacos pretos em casa a comoção da nação é geral. Me desculpem os que falaram de BOPE, mas sem desmerecer o BOPE, o treinamento da AMAN é muito mais exigente, então falar que se uma mulher consegue ser do BOPE ta tudo ok não condiz com a realidade nem um pouco. As mulheres que fizeram o COS no CIGS fizeram o que é chamado de "COSquinha", não foi nem de perto o que os guerreiros de selva combatentes são submetidos. Vejo muitas mulheres exigirem direitos iguais e os deveres onde ficam ??? Onde estão essas mesmas mulheres na defesa do serviço militar obrigatorio para todas as mulheres do Brasil aos 18 anos ? Já seria um bom começo. Como o amigo disse acima é fácil querer ser sargento, major. E não se enganem as mulheres depois que ingressaram nas forcas armadas trouxeram modificações sim. Voce percebe isso desde o Colegio Militar. Existem dois pesos e duas medidas alunos tomam esporro e por ai vai nunca vi um oficial dar um grito com uma aluna ou chamar ela de bisonha, se apertavam mais um pouco choravam, dentro dos quarteis o tratamento também é diferenciado e se tem alguma mulher aqui oficial ou não que falar que não é, tá mentindo ou não sabe do que tá falando.
Uma mulher não conseguiria fazer o o curso de Comandos por exemplo em igualdade de condições. Acredito que as mulheres poderiam entrar na AMAN desde que fossem para armas de apoio como Intendencia, Material Belico, Comunicacoes etc...nada que a faça ficar na linha de frente de um campo de batalha e antes que falem alguma coisa nos outros países é assim senhoras e senhores. Quanto as unidades se adequarem, isto não seria um problema. Mas lembrem-se quando esse ingresso em academias foi permitido em outros paises, houveram casos de gravidez dentro das academias militares e outros complicadores. Entendam, o buraco é muito mais em baixo dos argumentos apresentados pelos defensores dessa idéia, o que falei aqui nao é preconceito e a realidade. Mulheres tem o seu papel mas com certeza não é o de combatente. Quanto aos casados sou contra, alunos da AMAN vivem em alojamentos, suas esposas e/ou filhos vão viver aonde ? Vão viver do que? De salário de um cadete é que não vai ser....A esposa em quatro anos vai ver o seu marido quando mesmo ? Quantas vezes nesses quatro anos ? Com relação a idade desde que fosse no máximo até os 25 anos e já prevejo problemas nesse caso além do que o amigo levantou mas não seria totalmente contra.Por favor sem ingenuidade com relação a estes assuntos. Não pensem com a emoção e sim com a razão.

Anônimo disse...

*-* VOU TER A CHANCE DE ENTRAR NA ESPCEX DAQUI A 5 ANOS \O/
Estou com muita determinação e felicidade em ver essa nova lei *-* realmente mt emocionada sabendo que poderei finalmente ser combatente no exercito ^^

Leandro Bortolassi disse...

bom concordo com alguns requisitos, porém acho que altura não influencia no combate.
Tenho 1,64 e nasci pra ser guerreiro e meu amor pela minha pátria é maior que qualquer otário de 1,80
num campo de batalha estamos no mesmo nível

john hm disse...

Eu li no edital, que tinha que ser Brasileiro nato,(no caso sou norte-americano) sera que é necessário ainda?

Victoria Ferraire disse...

Concordo!

Victoria Ferraire disse...

Você é o cara!👏👏

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics