18 de novembro de 2017

Submarino argentino militar que estava desaparecido é localizado, diz jornal

Sem comunicação desde quarta-feira e com 44 pessoas a bordo, ARA San Juan estava a cerca de 300 km ao leste de Puerto Madryn. Explosão em painel de baterias deixou submarino sem propulsão elétrica.
Submarino militar argentino ARA San Juan é visto deixando o porto de Buenos Aires (Foto: Armada Argentina/Handout via Reuters)
Submarino militar argentino ARA San Juan é visto deixando o porto de Buenos Aires (Foto: Armada Argentina/Handout via Reuters)
Por G1
O submarino militar argentino ARA San Juan foi localizado na noite desta sexta-feira (17), após desaparecer dos radares e ficar totalmente sem contato desde a última quarta-feira.
Uma grande operação de busca estava em andamento, com duas aeronaves e três embarcações e a ajuda do International Submarine Escape and Rescue Liaison Office, um grupo criado pela OTAN, que anunciou a localização.
Segundo o jornal argentino Gaceta Mercantil, o submarino estava a cerca de 300 km ao leste de Puerto Madryn, a aproximadamente 70 km de profundidade.
Uma explosão em um painel de baterias na proa o deixou sem propulsão elétrica. A falta de energia já era apontada como a possível causa da falha e consequente sumiço do San Juan dos radares e sua falta de comunicação.
Ainda de acordo com a Gaceta Mercantil, a equipe de busca coordena agora uma operação para resgatar os 44 tripulantes.
O submarino saiu de Ushuaia com destino a Mar del Plata, e levava um estoque de comida suficiente para vários dias de viagem. De acordo com o porta-voz da Marinha argentina, Enrique Balbi, era possível que ele terminasse o trajeto mesmo sem conseguir fazer comunicação com a terra firme.
G1/montedo.com

17 de novembro de 2017

Bloqueio de R$ 24 mi de Lula e seu filho seria por tráfico de influência na compra dos Grippen, diz MPF

Resultado de imagem para caças gripen
SAFADEZA GRANDE NA COMPRA DE AVIÕES DE COMBATE
O bloqueio de R$24 milhões em contas do ex-presidente Lula e do filho Luiz Cláudio revela a convicção do Ministério Público Federal quanto ao envolvimento de ambos no tráfico de influência para a compra bilionária de aviões de combate suecos Gripen. O Brasil está pagando US$5,4 bilhões por 36 caças (US$ 150 milhões cada), mas a Suíça rejeitou a oferta do mesmo caça a US$140 milhões por cada um deles.

GRANA PRETÍSSIMA
O suposto superfaturamento de US$10 milhões em cada avião levanta a suspeita de propina próxima dos US$360 milhões (R$1,2 bilhão).

VOX POPULI, VOX DEI
A maioria dos suíços (53,4%) rejeitou, em referendo, a compra dos caças Gripen dois anos e meio após o Brasil do PT fechar a compra.

PRIMEIRA PARCELA GARANTIDA
A compra dos caças Gripen custou ao Brasil R$ 1,5 bilhão apenas este ano, no pagamento das parcelas previstas no contrato.
DIÁRIO do PODER/montedo.com

Brasil enviará mil soldados a missão na República Centro-Africana

Anúncio foi feito pelo ministro Raul Jungmann em Washington
O ministro da Defesa, Raul Jungmann
O ministro da Defesa, Raul Jungmann Foto: Fabio Motta|Estadão
Cláudia Trevisan, Correspondente / Washington, O Estado de S.Paulo
O Brasil deverá enviar tropas para a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) na República Centro-Africana, disse nesta quinta-feira em Washington o ministro da Defesa, Raul Jungmann. Segundo ele, o contingente será formado por 1.000 soldados, que chegarão ao país antes de meados do próximo ano, caso a proposta seja aprovada pelo Congresso.
O objetivo do Brasil é ter o comando da missão, mas isso dependerá de uma decisão da ONU, afirmou. Jungmann discutiu o assunto com representantes da organização na quarta-feira em Vancouver, no Canadá. O próximo passo será a formalização do convite e sua submissão aos parlamentares brasileiros.
Jungmann ressaltou que o Brasil construiu uma boa imagem nessa área nos 13 anos em que esteve à frente da missão de paz da ONU no Haiti, durante os quais 36 mil soldados brasileiros passaram pelo país. Em sua opinião, a influência e o “ranking” internacional de um país são determinados em parte por sua participação nesses esforços. “Nós temos responsabilidades globais com a estabilidade e a paz no mundo.” O ministro disse ainda que o Brasil foi convidado para indicar o militar que assumirá o comando da missão de paz na República Democrática do Congo.
ESTADÃO/montedo.com

Desaparecido: submarino argentino some dos radares com 37 pessoas a bordo

Um submarino (imagem ilustrativa)
 © AP Photo/ Ben Sutton, Royal Navy
A embarcação foi vista pela última vez na manhã da quarta-feira (15) antes de ter sumido dos radares.
Segundo informa o jornal La Nación, o navio ARA San Juan desapareceu na zona sul do mar Argentino em 15 de novembro. De acordo com o jornal Clarín, o navio contava com 37 pessoas a bordo, entre elas, oito oficiais.
Quanto às razões de desaparecimento, o portal Jornada indica que o submarino perdeu o contato quando realizava manobras rotineiras.
Duas corvetas e um avião da Marinha participam da operação de busca no Golfo de San Jorge, perto de Puerto Madryn, comunica o La Nación, acrescentando que a busca começou devido à "perda de conexão das comunicações".
De 2008 a 2014, o submarino ARA San Juan que entrou em serviço em 1985, passou por reparos no estaleiro argentino Tandanor para estender sua durabilidade por mais 30 anos.
Durante a reparação foram substituídos quatro motores de diesel, motores de propulsão a jato e 960 baterias, válvulas e mecanismos internos.
No início deste mês, o ARA San Juan, junto com outros navios, recebeu autorização para participar de treinamentos conjuntos e missões de patrulhamento marítimo.

SPUTNIK/montedo.com

RJ: segurança é reforçada no Arsenal de Guerra do Exército após guerra do tráfico

Segurança é reforçada em unidade do Exército após guerra do tráfico no Caju
Confronto entre facções deixa 2 suspeitos mortos e 2 moradores feridos na comunidade

Prevenção. Militares da Polícia do Exército fazem uma blitz em frente ao Arsenal de Guerra, no Caju
Foto: Marcio Alves / Agência O Globo
Prevenção. Militares da Polícia do Exército fazem uma blitz em frente ao Arsenal de Guerra, no Caju
Marcio Alves / Agência O Globo
CAROLINA HERINGER 
RIO - A disputa entre facções rivais pelo controle do tráfico no Complexo do Caju, na Zona Portuária, levou o Comando Militar do Leste (CML) a reforçar a segurança nesta quinta-feira no entorno do Arsenal de Guerra do Rio, que fica no bairro. O apoio é dado por cem militares da Polícia do Exército. A unidade fabrica equipamentos e armas, como morteiros, e também faz a manutenção deles. Na noite de quarta-feira, um confronto entre quadrilhas deixou dois mortos e dois feridos na região.
Sobre o reforço nas imediações da unidade no Caju, o CML informou que a inteligência militar vem monitorando o aumento dos confrontos entre facções que disputam territórios no Rio e "as ações desses grupos para a obtenção de armas para o enfrentamento". O cerco faz parte da operação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), sancionada pelo presidente Michel Temer em julho, que dá aos militares o poder de polícia.
Nesta quinta-feira, militares fizeram blitzes em frente ao Arsenal de Guerra. Ainda segundo o CML, o reforço garante a segurança da unidade e "contribui para os esforços realizados pelas Forças de Segurança no combate ao crime organizado" no Rio.
A Polícia Militar também reforçou o patrulhamento no Complexo do Caju com homens do 22º BPM (Penha) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local. Não foram registrados tiroteios na região nesta quinta-feira. Segundo informações da Polícia Civil, no início da noite de quarta-feira, traficantes do Comando Vermelho tentaram tomar o Caju, dominado por criminosos de outra facção.
Os confrontos deixaram dois suspeitos mortos - um de cada quadrilha - e dois moradores feridos sem gravidade. Segundo a polícia, eles já receberam alta do hospital. A tentativa de invasão está sendo investigada pela 17ª DP (São Cristóvão), responsável pela área.
Os criminosos da facção invasora não conseguiram tomar o complexo. A polícia suspeita que o ataque tenha sido orientado por bandidos oriundos do Caju, mas que mudaram de facção. Informações iniciais apontam que os invasores se concentraram primeiro no Morro da Mangueira e, de lá, partiram para a Barreira do Vasco, que fica próximo ao Caju.
A suspeita é de que os bandidos que tentaram a invasão sejam de diferentes comunidades, como Complexo do Alemão, Nova Holanda e Parque União, ambas na Maré.
No fim de setembro, policiais da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) prenderam Luiz Alberto Santos de Moura, um dos chefes do tráfico na comunidade. Ele teria participado da invasão à Rocinha, dias antes de sua captura, em apoio a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha. Com ele, foram apreendidos dez fuzis que seriam mandados para a favela de São Conrado.
O Globo/montedo.com

Piada do dia, só que não!

Imagem relacionada
A moça encontra um sapo, que diz:

- Moça, eu não sou um sapo, sou militar do EB, lindo que recebeu uma maldição. Se você beijar a minha boca, eu volto ao normal e podemos nos casar e ser felizes para sempre!
A moça pensa e coloca o sapo na bolsa.
- Mas você não vai me beijar?
- Claro que não! Um sapo que fala dá muito mais dinheiro que um marido militar...

16 de novembro de 2017

STF mantém preso coronel do Exército condenado após ser pego com 351 kg de maconha

STF mantém preso coronel pego com 351 kg de maconha comprados em MS
Coronel foi preso em setembro de 2014 (Imagem: reprodução/G1)
Anahi Zurutuza
O ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal FederaL), decidiu manter preso o coronel do Exército Ricardo Couto Luiz, flagrado no Rio de Janeiro com 351 kg de maconha em 2014 e condenado por tráfico de drogas. A Justiça do Rio condenou o militar por chefiar organização criminosa que comprava droga em Mato Grosso do Sul para distribuir na capital fluminense.
O flagrante aconteceu no dia 26 de setembro de 2014, em Xerém, bairro de Duque de Caxias (RJ). A droga que pertencia ao coronel estava armazenada em um veículo.
Ele foi condenado a dez anos de prisão.

Leia tambémCoronel do Exército e sua mulher são presos com 351 quilos de maconhaCoronel do Exército é condenado por tráfico de drogas

Decisão
Na terça-feira (14), Fachin negou seguimento ao habeas corpus impetrado pela defesa do coronel reformado. Os advogados alegavam que o crime atribuído ao oficial deveria ser enquadrado como tráfico privilegiado – artigo 33, parágrafo 4º, da Lei de Antidrogas – situação em que o réu é primário, possui bons antecedentes, não se dedica à atividade criminosa nem integra organização criminosa.
A defesa sustentou ainda que o STF tem entendimento de que o tráfico privilegiado não apresenta a natureza de crime hediondo, assim, o condenado poderia ganhar a liberdade por já ter cumprido um sexto da pena.
O ministro Edson Fachin reproduziu na decisão parte da sentença dada por juiz da 1ª Vara Criminal de Duque de Caxias. “A prova produzida indica que o acusado integra organização criminosa, pegando a enorme quantidade de droga para distribuição com fornecedores sitiados no Estado do Mato Grosso do Sul”, destacou o magistrado na sentença.
Depois, o ministro lembrou que a condenação foi mantida TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro). Por fim, ele indeferiu o pedido de habeas corpus, ressaltando ainda que o cálculo de progressão da pena (cumprimento) não foi submetido ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) e por isso, “a análise da questão pelo STF resultaria em indevida supressão de instância”.
Campo Grande News/montedo.com

Polícia investiga possível execução no caso coronel morto em túnel no RJ

Crime aconteceu na manhã desta quarta-feira
Tiro em carro de coronel da FAB morto dentro do Túnel Marcelo Alencar na manhã desta quarta-feira - Custódio Coimbra / Agência O Globo
IGOR RICARDO
RIO - A Polícia Civil investiga se um coronel reformado da Força Aérea Brasileira (FAB), morto a tiros no Túnel Marcello Alencar, na Zona Portuária, ontem de manhã, foi executado ou vítima de latrocínio. Ialdo Pimentel, de 66 anos, estava a caminho de Bangu e seguia na via pela pista em direção à Rodoviária Novo Rio quando teve o carro fechado por outro veículo. Um homem desceu do banco do carona e disparou pelo menos três vezes contra o Honda HR-V em que Ialdo estava com a mulher.
A hipótese de execução ganhou força por conta da dinâmica do assassinato. Segundo o delegado adjunto da Divisão de Homicídios (DH), André Timoni, os criminosos estavam seguindo a vítima desde o Aterro do Flamengo e tentaram emparelhar com o carro do militar diversas vezes. Embora estivesse na reserva, Ialdo ainda trabalhava como prestador de serviços do Centro de Computação da Aeronáutica.
— Não descartamos nenhuma das duas hipóteses, mas é uma dinâmica que foge um pouco do latrocínio. O carro dos criminosos estava seguindo o do coronel — disse Timoni.
Leia também
Coronel da FAB é morto em tentativa de assalto no RJ
VIÚVA ACOMPANHOU PERÍCIA
Segundo o delegado, o carro dos criminosos tentou abordar o de Ialdo no Aterro, mas ele conseguiu desviar. Depois, houve nova tentativa, já dentro do túnel, mas o coronel também conseguiu escapar da abordagem. Não se sabe se a vítima tinha percebido se tratar de uma perseguição ou se considerou ser apenas imprudência de trânsito. Na terceira tentativa, os bandidos ultrapassaram o Honda do coronel e atiraram.
Muito abalada, a mulher da vítima, que pediu para não ser identificada, contou à polícia que os dois estavam indo para um evento com crianças especiais na Zona Oeste. Após o crime, ela foi para a 4ª DP (Praça da República). Depois, voltou para o Túnel Marcello Alencar para acompanhar o trabalho da perícia. Acompanhada de um sobrinho de Ialdo, a viúva deu detalhes sobre a ação dos bandidos. O carro do casal foi devolvido aos familiares após a perícia, e retirado do túnel por um reboque da concessionária Porto Novo.
Na tarde de ontem, a mulher de Ialdo prestou depoimento na DH por mais de duas horas. Ela é considerada peça-chave na investigação.
— Meu marido era uma pessoa muito querida. Neste momento, preciso ser forte porque temos uma filha que era muito ligada a ele. Semana que vem é aniversário dela e iríamos viajar juntos, mas infelizmente aconteceu isso. Estávamos casados há mais de 40 anos — disse a viúva.
A Polícia Civil já está com imagens do crime e tenta identificar os bandidos. Ainda não há informações sobre o enterro do coronel.
O Globo/montedo.com

Soldado do Exército é preso por tráfico de drogas no MT

Soldado do Exército é preso por tráfico de drogas em Cáceres
Com o militar foram encontrado 37 kg de Pasta Base de Cocaína.
JONER CAMPOS
Cáceres (MT) - Um soldado do Exército foi preso por tráfico de drogas na noite de ontem (14), durante um patrulhamento realizado pelo Grupamento Especializado de Fronteira (Gefron), na MT 265 no município do Porto Esperidião distante à 322 km de Cuiabá (MT). Com ele, a polícia encontrou 37 kg pasta base de cocaína.
De acordo com os policiais do Gefron, ele foi detido durante um patrulhamento nas proximidades do Destacamento Militar de Fortuna, ele conduzia um veículo Volkswagen Saveiro que seguia sentido zona rural a cidade de Porto Esperidião, no momento da abordagem o suspeito tentou passar pelo bloqueio, porém não obteve êxito, um segundo suspeito saltou da carroceria do veículo, embrenhando-se na mata, permanecendo somente o condutor do veículo que posteriormente foi identificado com D. N. S. (28 anos), militar do exército, lotado no 2º Batalhão de Fronteira em Cáceres.
Durante a revista ao veículo foi localizado duas mochilas de cor verde com características às do exército brasileiro, contendo no interior das mesmas substâncias análogas à pasta base de cocaína, que somadas resultaram num total de 36 tabletes e posteriormente ao realizar a pesagem totalizou aproximadamente 37.100 kg, foi realizada uma varredura na mata com intuito de localizar o segundo indivíduo, porém sem êxito.
Por ser membro das Forças Armadas o mesmo foi entregue ao quartel do 2º Batalhão de Fronteira. Os materiais apreendidos foram encaminhados para a Delegacia de Fronteira de Cáceres.
CÁCERES NOTÍCIAS/montedo.com

Arquivo do blog

Compartilhar no WhatsApp
Real Time Web Analytics